Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Descubra todas as dicas para começar a estudar e praticar a dança

De Fernanda, publicado dia 11/04/2019 Blog > Artes e Lazer > Dança > O guia para aprender a dançar!

Se você gosta de dançar na balada ou assistir a balé e musicais, você certamente tem paixão pela dança. Por acaso você fica encantado com as performances e coreografias que os dançarinos profissionais apresentam?

Rock, salsa, hip hop, dança clássica, dança de jazz, moderna, zouk, forró, baião, sapateado ou mambo… Seja qual for o estilo da dança e seu gênero musical favorito, uma coisa é certa: você não vê a hora de flutuar na pista de dança e mexer todo o seu corpo com emoção e ritmo.

Mas como fazer isso?

Um provérbio africano diz:

Se você pode andar, você pode dançar.

Se você tem noção de ritmo ou não, se é tímido ou extrovertido. Em todos os casos, é possível aprender a dançar. Então você não tem nenhuma desculpa para não criar coragem e procurar por uma escola ou um professor particular.

Com um pouco de vontade e paciência e você ficará surpreso com o progresso que fará em breve. Fazer aulas para aprender a dançar vai fazer você progredir ainda mais rápido.

15 razões para aprender a dançar!

Por que aprender a dançar? A dança clássica ou o ballet é um estilo bem popular para crianças no Brasil.

Você em breve vai descobrir que a dança pode lhe trazer muitos benefícios que você nem imaginava. Quer conhecer os motivos certos para dançar? Além de descobrir que você não era tão fora de ritmo assim, você vai:

  • Dançar para se divertir,
  • Dançar para relaxar e desestressar,
  • Dançar para manter a boa forma,
  • Dançar e emagrecer, muitas pessoas adoram aula de zumba por unir os dois,
  • Dançar e melhorar sua flexibilidade,
  • Dançar e aprimorar suas técnicas de sedução,
  • Dançar, expandir sua rede social e fazer novos amigos,
  • Dançar a dois e apimentar ainda mais o seu relacionamento,
  • Dançar e se desconectar de tudo,
  • Dança e ganhar autoconfiança,
  • Dançar e exercitar a memória,
  • Dançar e desenvolver suas habilidades de comunicação;
  • Dançar e se manter jovem;
  • Dançar e desenvolver a criatividade;
  • Dançar e quem sabe… se tornar um dançarino profissional!

Seja qual for a sua experiência com dança, você pode começar a praticar em qualquer idade. Aulas de iniciação para crianças e adolescentes, aulas para adultos, aulas para iniciantes, aulas de nível intermediário ou intensivo: você vai encontrar aulas particulares ou em grupo para todos os níveis.

Se você quiser aprender a dançar, melhorar ou progredir depressa, não hesite em procurar o seu professor no nosso banco de dados do Superprof.

Aulas de rock, aulas de tango, aulas de salsa, aulas de samba, aulas de forró, aulas de flamenco, dança on-line, dança africana ou hip-hop… Tudo o que você precisa fazer agora é escolher entre os diferentes estilos de música!

Aprenda dança de salão com aulas particulares!

Como aprender a dançar sem pagar muito?

Nem sempre é fácil encontrar o preço adequado e o tempo disponível para se dedicar à sua paixão pela dança: seja ela salsa porto-riquenha, kizomba, salsa cubana, rock n’ roll, mambo, forró, valsa, baião, dança de salão, tango …

Caso você queira aprender a dançar sozinho, comece perguntando a si mesmo:

  • Quanto tempo você tem para se dedicar à dança? (à noite, aos finais de semana, de dia…)
  • Com que frequência você deseja fazer suas aulas de dança? (número de encontros por semana e duração)

Não se esqueça de pensar no material de apoio, como som e tela para visualizar a aula de zumba (por exemplo); espelho para enxergar você mesmo dançando, e câmera de filmar.

A Internet está cheia de dicas para aprender a dançar de um jeito fácil e no seu ritmo. Para encontrar tutoriais de dança online, basta acessar o Youtube. Veja algumas dicas de canais de dança:

1. FitDance: o canal apresenta a dança como arte e atividade física.

2. Camila Carmona: a professora apresenta coreografias e vídeo-aulas com os passos das músicas que estão bombando na atualidade.

3. Daniel Saboya: o professor alia a dança fitness ao som de hits do funk, do sertanejo, do hip hop, do reggaeton, do axé music e de outros gêneros.

4. Mandy Jiroux: com instruções em inglês, o canal da DJ e dançarina Mandy Jiroux ensina o passo a passo de suas coreografias.

5. Lorena Improta: a bailarina do Faustão Lorena Improta ensina alguns de seus passos e coreografias favoritos.

Se você quiser ir mais longe ou aprender a dançar de forma diferente, você também pode visitar sites especializados, como o Cursodedança.com.br, elaborado pelo Festival de Dança de Joinville. Ou o  Dance mais online, portal que oferece cursos pagos e aulas gratuitas.

Se você quiser aprender a dançar sozinho, você também pode baixar um aplicativo específico em seu smartphone ou tablet. Conheça alguns:

  • Aprender a dançar: completo, este aplicativo oferece muitos estilos de dança.
  • Aulas de dança do ventre: há vídeos didáticos de todos os níveis, desde a iniciação até ao nível avançado.
  • Zumba Dance: traz diferentes hits do pop atual para quem quer aprender a dançar e ainda fornece uma avaliação sobre a performance do dançarino ao final de cada uma. Procure por uma aula de zumba. 🙂
  • Ballet Dance: para aqueles que sempre sonharam em se tornar bailarinos clássicos.

Quais são as vantagens de fazer aulas de dança? A dança é certamente uma das maneiras mais agradáveis de movimentar o corpo e se divertir!

Como aprender a dançar o rock?

Entre 1920 e 1930, após o surgimento do jazz e depois de ele se tornar uma música popular norte-americana, as pessoas começaram a incorporar outros estilos, usando como base o Charleston e o Break Away. Isso passa a formar a dança própria do jazz das big bands. Na década de 1950, uma nova dança surgia em paralelo e estava buscando uma denominação. Inicialmente foi desenvolvida e nomeada como Lindy Hop, East Coast Swing, West Coast Swing e Jitterbug. É possível conferir essas referências em diversos filmes da época, como “Ao Balanço das Horas” (1956); “Ritmo Alucinante” (1956); “Mocidade Indomável” (1957); “Carnival Rock” (1957) e “Rock, Rock, Rock” (1957).

Foi nessa época que música e moda se fundiram e criaram um novo estilo: o rockabilly. O rockabilly vem do jive, e o jive vem do Lindy Hop. O conceito nasceu da união das palavras rock e hillbily, que era como as pessoas se referiam à música country na época.

Hoje, podemos diferenciar basicamente dois estilos de dança rock n’ roll, e que são confundidos com frequência.

  • Jive rock: É uma mistura de rock, boogie woogie e swing afro-americano nascida nos anos 40. É uma dança muito rápida e está presente em muitas competições; no entanto, é sempre a última a ser apresentada por ser extremamente cansativa. É necessário um alto grau de preparo físico! Para se ter uma ideia, o Lindy Hop tradicional, por exemplo, é dançado em 6 e 8 tempos. Apesar disso, o básico do jive é bem controlado e se dá em grupos de seis passos, que são fáceis de aprender e dominar. Uma dupla dançando jive apresenta grande agilidade, mas a dança não tem passos acrobáticos. É um ritmo cheio de dinamismo, alegria e muita técnica. Depois que o estilo jive chegou no Brasil, acabou integrando também outros estilos e passos, sobretudo de danças latinas, o que o fez atenuar um pouco da forma tradicional americana.
  • Rockabilly: o rockabilly, por sua vez, nada mais é que uma vertente musical típica dos anos 50, com influência principalmente do hillbilly, do country e do rhythm & blues. Entre os principais músicos estão: Jerry Lee Lewis, Carl Perkins, Elvis Presley, Buddy Holly, Gene Vincent, Wanda Jackson, Eddie Cochran e Johnny Burnette. Muitas pessoas ainda confundem a dança jive rock com rockabilly. Na verdade, quando falam de dançar rockabilly, estão se referindo ao jive rock adaptado à cultura brasileira e ritmos latinos. Mais recentemente surgiu o Rockabilly Revival, com Robert Gordon, The Polecats, Crazy Cavan. Há ainda o Neo Rockabilly, representado pelo grupo Stray Cats, que marca outro período na transição das décadas de 80 e 90 e que possui como referências as bandas Matchbox, Restless, Deltas, Long Tall Texans, Guana Batz, entre outros.

Como aprender a dançar? Única, ousada, extravagante e inigualável: a dança de Elvis Presley chocou a sociedade americana e influenciou gerações!

Que tal testar uma aula de zumba em Salvador?

Aprender a dançar as danças de salão

As danças de salão não estão ultrapassadas, longe disso!

Embora esses estilos de dança tenham tido seu auge de popularidade durante o período renascentista, percebemos que hoje existe um novo interesse por essas danças clássicas e tradicionais. Em casamentos ou festivais, os fãs de danças de salão podem praticar a dois ou em grupo.

A expressão dança de salão se refere a diversos tipos de dança executados por um par de dançarinos. As danças de salão são consideradas uma forma de entretenimento e de integração social, bem como uma forma de atividade física.

Hoje em dia, é vista como uma atividade divertida e amigável que não requer uma técnica sofisticada, além de ser acessível para todas as idades.

Os iniciantes podem facilmente aprender os conceitos básicos da dança de salão durante uma aula de dança introdutória.

Existem muitas aulas dedicadas à dança de salão:

  • Aulas de twist,
  • Aulas de Charleston
  • Aulas de sapateado
  • Aulas de valsa
  • Aulas de Tango
  • Aulas de foxtrot
  • Aulas de swing
  • Aulas de bolero
  • Aulas de forró,
  • Aulas de samba gafieira
  • Aulas de zouk
  • Aulas de soltinho
  • Aulas de bachata
  • Aulas de kizomba

A vantagem dessa modalidade? Em geral a dança de salão não requer acessórios especiais: é, portanto, bem possível ensaiar os passos de dança sozinho em casa ou aprender uma coreografia de maneira autodidata.

Além disso, a dança exercita a memória e melhora a flexibilidade do corpo. Por esse motivo, existem muitas aulas de dança voltadas para a terceira idade, contribuindo para que os mais idosos pratiquem atividades sociais e esportivas.

Aprenda a dançar na balada: os estilos de rua!

Existem muitos locais onde você pode dançar: na balada, claro, mas também em shows, concertos e festas dançantes. Chegou a hora de acabar com essa timidez e ir já para a pista, sem medo!

Dependendo da discoteca que você for, você vai poder dançar diferentes estilos de música: house, rock, sertanejo, forró, electro, techno, música latina, música africana, rap, ragga…

Se você já tem uma boa noção de ritmo e gosta de dançar, aqui estão algumas danças de rua que podem inspirá-lo e, quem sabe, ajudá-lo a encontrar seu próprio estilo.

  • Hip Hop: dentro dele o breakdance, o locking, o popping e o krumping.
  • O shuffle
  • O voguing
  • Dança a dois
  • O twerk

Estilos de dança na balada! Strike a pose: muitos artistas ainda usam o Vogue em suas performances. A cantora britânica FKA Twigs e a sueca Hanna Lindblad apresentam em seus clipes e performances ao vivo.

Quer saber como curtir a balada e aprender a dançar de um jeito bacana? Veja nossas dicas!

  • A roupa: escolha uma roupa na qual você se sinta à vontade para dançar, mas que ainda tenha um mínimo de estilo.
  • O desodorante: é um elemento importante na balada. E para garantir ainda mais, evite tecidos sintéticos!
  • Técnicas de abordagem: Como abordar uma garota sem ser inconveniente? Cada um tem sua estratégia, mas nunca se esqueça de que a primeira impressão é crucial.
  • Respeite o espaço dos outros: Aprenda a controlar seus movimentos e se mexa levando em conta os outros dançarinos na pista.
  • Manere nas bebidas alcoólicas: você precisa de um drink para relaxar antes de dançar? Não abuse.
  • Sorria e divirta-se: é a última e também a melhor dica. Aproveite a sua noite, divirta-se e esqueça os olhares dos outros.

Aprenda a dançar os tipos de dança erótica ou sensual

Onde aprender a dançar? O pole dance é uma ótima alternativa para quem deseja se exercitar de forma divertida e investindo na sensualidade. Sua prática envolve a queima de calorias, o fortalecimento e a flexibilidade, pontos positivos seja qual for a atividade esportiva.

A dança em geral se caracteriza pelo uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia) ou improvisados (dança livre). Assim, a dança é uma manifestação artística que usa o corpo para se expressar. Dessa maneira, você pode utilizar a dança para expressar diferentes sensações ou ideias: tristeza, alegria, contestação, fantasia, dor, perda, encanto, paixão…

E quem nunca quis dominar perfeitamente essa arte para seduzir seu parceiro ou deixar aquela noite ainda mais caliente?

Hoje em dia não existem mais tabus e qualquer um pode procurar por aulas de uma dança considerada erótica ou sensual (Você sabia que existem aulas sobre como atingir o orgasmo?). Pois bem! Se você sempre teve esse sonho, vá agora atrás dele.

Além de ser um espetáculo em si, aprender a dançar esse tipo de modalidade também tem outros benefícios:

  • Ajuda a criar percepção corporal
  • O estudante aprende a suavizar seus movimentos em geral
  • O estudante aprende a diferença entre vulgar, erótico e sensual
  • O estudante adquire postural corporal e atitude

Confira algumas das danças consideradas como as mais sensuais:

  • Pole dance
  • Stiletto Dance
  • Funk
  • Zouk
  • Dança do Ventre
  • Tango
  • Dança do Colo
  • Salsa
  • Forró

Aprenda a dançar a música espanhola

Onde aprender a dançar? O Flamenco apresenta fortes traços vindos da cultura cigana, embora tenha raízes na cultura mourisca, influência de árabes e judeus.

Música flamenca

Com origem na dança cigana, o flamenco deflagra suas raízes por meio de sua musicalidade marcante. Com seu violão, o músico flamenco toca num ritmo rápido e frenético, que coincide com os passos de dança do dançarino.

Descubra as canções flamencas mais populares:

  • « Para ayudarme a llorar » de Antonio Mairena,
  • « Juncales » de Niño Ricardo,
  • « Tanguillo » de El Niño de Almadén,
  • « Que lastima de gitana » de Beni de Cadiz,
  • « Tiene mi niña un balcon » de Manolos Vargas,
  • « Sin cédula ni licencia » de Pericón De Cádiz,
  • « Tientos » de Aurelio Sellés de Cádiz,
  • « No hables mal de nadie » de Tio Gregorio el Borrico,
  • « Alegria » de Ramón Montoya,
  • « En un verde prado » de Rafael Romero,
  • « Me valgo de mi saber » de La Perla de Cadiz.

Música do pasodoble

Tocado durante as apresentações de dança nas touradas, a música do pasodoble é particularmente cativante e enérgica. Na maioria das vezes, os professores de dança usam gravações de músicas populares, mas pode acontecer, por exemplo, em competições de dança, que os grupos dancem acompanhados de orquestras ao vivo.

Aqui estão algumas músicas míticas do passo doble dance:

  • « Marcha a la manoleria » de F.A. Barbieri,
  • « Currito de la Macarena » de Fernandez,
  • « La belle Signorine » de Max Elloy,
  • « Ole Torero » de Luis Mariano,
  • « Montevideo » de Rina Ketty,
  • « Muchacha » de Rose Avril,
  • « Un Pasodoble por favor » de Mika Wolkan,
  • « Brisas del Moncayo » d’Abel Moreno,
  • « En er mundo » de Juan Quintero Munoz,
  • « Maestranza Sevillana » de Pedro Morales Munoz.

Em função do tipo da dança espanhola, você pode descobrir muitos estilos musicais e artistas oriundos de diferentes regiões do país. Na verdade, a escolha da música é crucial para ter sucesso nas aulas de dança: uma boa música faz o aluno ficar ainda mais motivado e contribui para que ele progrida ainda mais rápido!

Aprenda a dançar o country

A história da dança

Fazer aulas de country é ideal para descobrir a famosa cultura norte-americana!

A dança western (ou a dança country) era uma forma de linguagem corporal particularmente popular durante o século XX nos Estados Unidos.

Existem muitas variações para ambos os passos, mas o mais básico segue um padrão simples que os iniciantes podem obter rapidamente. O Country Two-Step, por exemplo, tem suas raízes no balanço e é a dança country mais popular entre os dançarinos.

O country é inspirado por muitas outras formas de dança popular, como danças irlandesas, swing e as danças tradicionais dos fazendeiros americanos.

A dança country é muito popular por sua atmosfera amigável: muitos americanos se dedicam a esta arte durante shows de dança e festivais de música country!

Apesar disso, as origens desse estilo de dança ainda permanecem um pouco misteriosas.

De acordo com a lenda, os vaqueiros adoravam dançar até o ponto de correr para o salão de dança depois de um dia de trabalho, sem sequer nem trocar de roupa ou tomar um banho. É graças a essa paixão pela dança que as roupas de vaqueiro são hoje acessórios obrigatórios durante as aulas de dança country!

Cuide do seu corpo com o country

Esse estilo de dança traz muitos benefícios aos alunos, tanto sob o aspecto físico como sob o aspecto mental!

Os efeitos positivos da dança podem ser vistos em primeiro lugar no condicionamento físico, e isso depois de apenas alguns meses de sessões de dança.

Dançar o country faz com que os músculos abdominais se exercitem ao som e ritmo rápido e com movimentos enérgicos.

Por que fazer aulas de dança americanas? Dançar o country também contribui para que você conheça o universo dos cowboys e vaqueiros!

Praticar essa atividade também ajuda a diminuir a pressão sanguínea por meio de passos rápidos que melhoram a circulação para o coração.

Além disso, a dança country pode aumentar a energia do corpo e pode até impedir o desenvolvimento de doenças como a osteoporose.

Por fim, essa dança é conhecida pelo bem-estar que ela oferece: o aluno aprende a deixar se levar pelo entusiasmo das canções e aprimorar sua concentração nas coreografias enquanto se diverte!

Aprenda a dançar os ritmos africanos

Existindo há pelo menos três séculos, a dança afro surgiu no Brasil no período colonial; ela foi trazida por africanos que chegaram em nosso país obrigados a trabalharem como escravos. Esse estilo de dança sofreu muitas influências e evoluções: da sua origem essencialmente religiosa, se fortaleceu em meados do século XIX com a influência dos sudaneses; bantos (dois povos situados em território africano) e os indígenas, estes responsáveis pelo candomblé e outros segmentos regionais que deram origem à dança dos caboclos e outros aspectos da cultura africana.

Além disso, a dança afro como a conhecemos hoje no Brasil tem direta influência das religiões afrobrasileiras: o candomblé e a umbanda. Ela incorpora os movimentos característicos de cada orixá, que são utilizados nos rituais em terreiros. Nessa miscigenação, a dança afrobrasileira também absorveu e influenciou outros ritmos como o funk e o samba.

Como dançar afro? Você sabia que existem mais de dez modalidades diferentes de danças originalmente africanas? Pois bem, se pensarmos em como esses ritmos influenciaram os movimentos que dançamos no Brasil, chegamos a dezenas de estilos de dança!

Hoje, em meio a tantas polêmicas relacionadas à comunidade negra e o racismo recorrente em nosso país, a dança afro persiste como forma de arte, de expressão cultural e de resistência, e transmite aos seus dançarinos, além de exercícios, uma enorme quantidade de informação, simbologias e tradição cultural.

Em uma aula de dança africana, há lugar para todos. Aulas para crianças e adolescentes, aulas de dança para casais ou aulas de dança individuais: a metodologia de ensino varia de acordo com a dificuldade do estilo e do ritmo da música africana. Enquanto alguns estilos favorecem música tradicional com percussão, outros são baseados em música contemporânea (por exemplo, Kapri e Afro House).

Durante as aulas particulares de dança, você poderá aprender estilos variados danças:

Aulas de kizomba
Aulas de kuduro
Aulas rumba
Aulas de danças orientais
Aulas de makossa
Aulas de gnawa
Aulas de zouglou
Aulas de kwasa kwasa,
Aulas de malewa,

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 3 votos)
Loading...
avatar