Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Qual estilo musical podemos dançar em casas noturnas e discotecas?

De Fernanda, publicado dia 08/11/2017 Blog > Artes e Lazer > Dança > Aprenda a dançar na balada: os estilos de rua!

Por acaso você é aquele que prefere ficar encostado no bar, morrendo de inveja daquele pessoal que arrasa na pista de dança da balada? 

Não é fácil começar a se mexer quando você não sabe dançar muito bem: sobretudo se você tem um perfil mais reservado.

Existem muitos locais onde você pode dançar: na balada, claro, mas também em shows, concertos e festas dançantes. Chegou a hora de acabar com essa timidez e ir já para a pista, sem medo!

E como Simone de Beauvoir já dizia:

“Existir é ousar a se atirar no mundo”

Chega de bancar o invisível na night! Bora ler esse artigo e sacudir o esqueleto!

Boas razões para fazer aulas de dança

Dançar na discoteca é uma questão de trabalhar a noção do ritmo e mover-se em todos os tipos de música. As aulas de dança de rua permitem que você aprenda passos úteis para dançar em uma casa noturna.

Você não é um dançarino profissional, mas quer aprender os movimentos básicos para dançar na balada?

Para aprender a dançar facilmente, você pode fazer aulas de zumba ou outra dança em uma escola ou encontrar um professor particular especializado que lhe dará dicas valiosas para melhorar suas técnicas.

Seja qual for o tipo de dança que você vai começar a aprender (hip hop, contemporânea, ballet, salsa, samba, forró, rock…), com certeza isso terá efeitos positivos no seu jeito de se mexer na pista da balada. Uma grande vantagem caso você esteja procurando conhecer novas pessoas, ou apenas querendo se descontrair na pista e se divertir.

A primeira coisa, e isso é o que você vai aprender na aula de dança, é sentir a música e se concentrar no ritmo. Este é o primeiro passo para saber como dançar na balada. Entrar no ritmo é o básico, mesmo que você não faça passos de dança extraordinários. Isso já ajuda a se sentir mais à vontade e a ganhar confiança em si mesmo.

Você também pode aprender a dançar sozinho em casa ou a praticar o que aprendeu em uma determinada aula. Na frente do espelho, toque suas músicas favoritas e se inspire com tutoriais disponíveis na internet para repetir algumas etapas simples.

O objetivo não é dar um show na pista de dança ou fazer uma competição profissional, mas simplesmente dançar para se sentir bem. Claro, o ideal é identificar antes o estilo da dança que você gostaria de reproduzir em uma discoteca. Uma dica? Organize festinhas em sua casa e convide os amigos mais próximos para dançar com você. Isso pode ajudá-lo a descontrair os movimentos e perder a vergonha.

Você com certeza tem em seu grupo de amigos de balada alguém que pode lhe ensinar ou mostrar alguns passos básicos.

Se este não for o caso, comece aprendendo em casa:

  • Como mover seus quadris no ritmo,
  • Dê alguns pequenos passos para a direita e para a esquerda enquanto dança,
  • Use seus braços e mãos para dançar,
  • Mova sua cabeça para marcar as batidas da música,

Dançar na balada: alguns estilos de dança de rua que podem te inspirar

Dependendo da discoteca que você for, você vai poder dançar diferentes estilos de música: house, rock, sertanejo, forró, electro, techno, música latina, música africana, rap, ragga…

Você também logo vai perceber que cada pessoa tem um estilo de dança diferente, muitas vezes inspirado em danças de rua.

Como o seu nome diz, as danças de rua são um estilo de dança nascido nas ruas, em ambientes populares e informais.

Há estilos de dança de rua diversificados em cada época. As músicas que tocam nas baladas também acompanham essas evoluções. Às vezes, estilos antigos voltam a ficar na moda de uma hora para outra.

Se você já tem uma boa noção de ritmo e gosta de dançar, aqui estão algumas danças de rua que podem inspirá-lo e, quem sabe, ajudá-lo a encontrar seu próprio estilo. Sem necessariamente precisar dominar todos de uma vez, confira os principais ritmos e comece a pensar em como você poderia mexer o seu corpo!

Hip Hop

Dança de rua por excelência, conta com diferentes tipos de vertentes e movimentos, que podem ser facilmente integrados nas suas coreografias:

  • O breakdance: (também conhecido como breaking ou b – boying em alguns lugares) é um estilo de dança criada por afro-americanos e latinos na década de 1970 em Nova Iorque, Estados Unidos. O breakdancerbreakerB-boy, ou B-girl é o nome dado a pessoa dedicada ao breakdance e que pratica o mesmo ou faz Beat box. Inicialmente, o breakdance era utilizado como manifestação popular e alternativa de jovens para não entrar em gangues de rua, que tomavam Nova Iorque em meados da década de 1970. Atualmente, o breakdance é utilizado como meio de recreação ou competição no mundo inteiro.
  • O locking: (originalmente conhecido como campbellocking) é um estilo de dança funk e street dance, que hoje é também associado ao hip hop. Baseia-se em movimentos rápidos e distintos de braço e mão combinado com movimentos mais relaxados de quadris e pernas. Os movimentos são geralmente amplos e exagerados, frequentemente rítmicos e muito bem sincronizados com a música. Locking é uma atuação muito virada para o espetáculo, sempre interagindo com a plateia, sorrindo… Alguns movimentos são bastante cômicos por natureza.
  • O popping: é um dos estilos de dança funk original, criada na cidade de Fresno, Califórnia, em 1970 por Sam Solomon (Boogaloo Sam). É baseado na técnica de rapidamente contrair e relaxar os músculos para causar um empurrão no corpo do dançarino, referido como um pop ou uma batida. Isto é feito continuamente ao ritmo de uma música em conjunto com vários movimentos e poses.
  • O Krumping: conhecido inicialmente como Clown Dancing ou Clowning (a dança do palhaço), que mais tarde se torna um estilo de Krump, o Krump Clown, é marcado por movimentos de estilo livre e expressivos e o uso de pinturas faciais. Geralmente apresentado em competições, sua característica é ser não violento, apesar de rápido e de incluir contato físico entre os dançarinos em movimentos agressivos que lembram uma luta real. Além disso, é uma dança tolerante, onde homens, mulheres, obesos e crianças são aceitos igualmente. Popularizado em 2005 por Rize, um documentário de David Lachapelle, também encontramos o krump nos clipes de Prodigy ou de Christina Aguilera.

O shuffle

Frequente em raves e discotecas, foi criado no final dos anos 80 e é geralmente dançado ao som de música eletrônica, sendo caracterizado por efeitos rápidos e movimentos do calcanhar.

Em 2009, o clipe Party Rock Anthem da LMFAO marca o renascimento do shuffle.

Os dois passos principais para aprender a dançar shuffle são:

  • O passo T: deslocamento lateral fazendo efeitos com os pés,
  • O running man: passo que dá a impressão de correr no sem sair do lugar.

O voguing

Nascido em clubes gays no final dos anos 70, o voguing ou a dança vogue consiste em fazer poses durante a dança. Uma dança inspirada nas poses das modelos, e por isso leva o nome da famosa revista Vogue.

Voguing ainda existe hoje na comunidade Queer, com alguns artistas icônicos como Little Dragons e Kiddy Smile. Este estilo de dança também foi divulgado por outros artistas, como a própria Madonna na década de 1990.

Dança colada

Uma dança imprescindível em uma festa, é a dança sensual perfeita para conquistar alguém ou para namorar. Existem muitas variações (zouk, bachat, funk…), mas em todos os casos, a dança é baseada no movimento dos quadris.

Com base na proximidade entre os corpos dos parceiros, essa dança certamente fortalece a intimidade entre os dançarinos em ação. Se você quer dançar esse estilo em uma discoteca com alguém que você não conheça, certifique-se de que ele aceita esse tipo de dança.

O objetivo não é se esfregar em alguém contra a vontade!

O twerk

Para terminar com danças sensuais, descubra também como praticar o twerking!

Dominar esse estilo não é tão simples quanto parece. O twerk consiste em mover seus quadris rapidamente para frente e para trás. O booty shake requer uma técnica específica.

Certo, Miley Cyrus ou Rihanna sabem como fazer perfeitamente, mas não é o caso de todos os dançarinos na balada. Alguns podem até considerar como vulgar, mas bem, cada um pensa o que quer, certo?

Dicas para dançar na balada

Bem, não vamos mentir: dançar na discoteca ou em uma casa noturna é, antes de mais nada, sinônimo de conhecer, paquerar e testar seu potencial de sedução!

Deixe-se levar pela musica e você poderá dançar facilmente na boate. Na pista de dança, é fácil se divertir mesmo sem ser um dançarino experiente.

Então, mesmo se você sabe como dançar bem, isso não é suficiente para atingir seus objetivos e para abordar aquela pessoa que tanto quer. Felizmente, nós trazemos aqui algumas dicas para você sobreviver na balada e se dar bem:

  • A roupa: você quer realmente aprender a dançar? Escolha uma roupa na qual você se sinta à vontade para dançar, mas que ainda tenha um mínimo de estilo. De qualquer forma, esqueça aquele moletom velho em casa, por favor!
  • O desodorante: é um elemento importante na balada. Em geral, faz muito calor, as pessoas transpiram e…. Se você não quiser acabar com aquelas pizzas embaixo do braço ou com aquele perfume bem especial, não se esqueça de colocar uma boa dose de desodorante. E para garantir ainda mais, evite tecidos sintéticos!
  • Técnicas de abordagem: este é um ponto importante para treinar. Como abordar uma garota sem ser inconveniente? Cada um tem sua estratégia, mas nunca se esqueça de que a primeira impressão é crucial. Não se esqueça da sutileza!
  • Respeite o espaço dos outros: você está lá para dançar. Mas atenção: a pista não é só sua. Aprenda a controlar seus movimentos e se mexa levando em conta os outros dançarinos. Afinal, empurrar uma menina ou pisar nos pés de um cara não é a melhor técnica de paquera!
  • Manere nas bebidas alcoólicas: você precisa de um drink para relaxar antes de dançar? Não abuse. Se você pensa que vai dançar melhor depois de algumas bebidas, talvez se surpreenda com o resultado. Basta olhar para os dançarinos embriagados na pista para perceber que esta não é uma boa ideia!
  • Sorria e divirta-se: é a última e também a melhor dica. Aproveite a sua noite, divirta-se e esqueça os olhares dos outros. De qualquer forma, em geral está escuro, então, se você não dança perfeitamente, nem será visto. Por outro lado, se você sorrir, vai fazer a diferença!

Não esqueça: na balada, o primeiro passo é sempre o mais difícil. Uma vez que você entrou na pista, ninguém vai mais conseguir pará-lo! A dança também é um estado de espírito… Ganhe confiança e aproveite o momento!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar