Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Critérios de seleção para encontrar um professor de mandarim

De Marcia, publicado dia 26/06/2018 Blog > Idiomas > Chinês > Como escolher com quem estudar chinês?

Aprender chinês hoje em dia é sinônimo de adquirir um grande diferencial profissional que, dependendo da vaga à qual você vai concorrer, pode deixá-lo a frente de candidatos falantes de inglês e espanhol, por exemplo. Além disso, segundo o site Ethnologue, cerca de 1,2 bilhões de pessoas no mundo falam a língua chinesa, sendo pelo menos 1 bilhão falantes de mandarim, a principal das 7 vertentes do idioma.

Além disso, a China encanta a cada dia mais pessoas do mundo todo por sua história e características tão peculiares. Isso faz com que sempre haja alguém interessado em aprender mais sobre o país. E esse aprendizado inclui a língua falada e escrita, é claro.

Se você é daquelas pessoas que pensam que, falando inglês, é possível se comunicar em qualquer lugar do mundo, é melhor rever seus conceitos antes de embarcar para a China. É importante entender que o inglês não é o forte da população do país. Portanto, o melhor a fazer, é estudar mandarim antes de pensar em comprar as passagens.

Como o nosso sistema de ensino convencional carece de aulas que façam referência à língua e cultura chinesa, o jeito é encontrar um centro de estudos especializado ou um professor particular para ajudá-lo nos estudos.

Não é só na escola Muitas vezes, para estudar mandarim, precisamos abrir mão de algumas idealizações.

Ao pensar nisso, uma dúvida muito comum é sobre os critérios para escolha do professor. Afinal, como eleger a melhor pessoa para inserí-lo nesse verdadeiro mundo à parte?

Para ajudá-lo, listamos abaixo alguns aspectos que você pode levar em conta para não errar na escolha.

Qualidades indispensáveis

Antes de simplesmente sair à procura de um professor, você deve perguntar a si mesmo quais qualidades considera essenciais nesse profissional. Aqui, suas expectativas devem ser levadas em conta.

Como trata-se de uma profissão que não exige um diploma universitário, qualquer pessoa falante de chinês pode exercê-la, independentemente da sua nacionalidade. Daí a necessidade de selecionar bem qual profissional contratar, afinal, o aprendizado de um idioma depende, em grande parte, das habilidades do professor.

O primeiro passo deve ser observar o currículo vitae do professor que você pensa em contratar. Ele pode ser analisado sob os seguintes aspectos:

  • Ele é nativo da China, ou já esteve em algum país de língua chinesa?
  • Qual a sua formação universitária?
  • Qual o seu tempo de atuação no ramo?
  • Quantos alunos, em média, ele já teve?
  • Ele já esteve em intercâmbio ou realizou algum trabalho no exterior?
  • Qual o seu nível comprovado no idioma?
  • Que tipos de cursos ele ministra? Crianças? Adultos? Chinês relacionado à uma profissão específica?
  • A disponibilidade do profissional coincide com a sua?
  • Que tipo de língua chinesa ele ministra (mandarim, cantonês, etc…)?

Fazer essas perguntas permite um primeiro reconhecimento técnico do professor. Entretanto, isso não é o suficiente para garantir o sucesso nas aulas: você precisa ainda conversar um pouco mais com ele, afinal o relacionamento interpessoal também interfere grandemente no aprendizado. O professor funciona como uma espécie de tutor, que conduz o aluno pelo caminho do conhecimento.

Escolha bem seu professor Um professor de chinês é aquele que vai conduzir o aluno pela cultura e segredos do idioma.

Aprender a língua chinesa implica na memorização de ideogramas, além do desenvolvimento de uma boa compreensão oral e escrita. Um bom professor checa se o aluno está acompanhando bem as aulas antes de simplesmente progredir com a matéria. Afinal, não se pode “atropelar” a capacidade de aprendizagem do aluno.

Ainda assim, isso não é tudo. Um bom professor é também:

  • Bom ouvinte;
  • Paciente;
  • Compreensivo;
  • Motivador;
  • Prestativo;
  • Atencioso;
  • Criativo.

É claro que o preço das aulas também é assunto para essa primeira conversa.

Locais para estudar

Aprender chinês pode ser considerado uma empreitada relativamente difícil visto que, muitas vezes nem mesmo os nativos conhecem todos os sinogramas. Assim como o árabe, trata-se de uma língua que apresenta diversas variações e níveis de evolução que foram alcançados com o passar do tempo.

O mais comum, entretanto, é o mandarim oficialmente falado na China, em Taiwan e em Cingapura. Trata-se de uma espécie de padrão buscado pelo estrangeiro que quer/precisa aprender a língua de Confúcio e Mo Yan, que consiste em aprender os símbolos e as formas de usá-los para a comunicação.

Um problema muitas vezes enfrentado por essas pessoas diz respeito ao local onde essas aulas acontecerão, afinal, nosso país carece de escolas concencionais que oferecem aprendizado no idioma.

Chinês na escola pública

Para quem vive no Rio de Janeiro, mais precisamente em Niterói, já é possível começar a aprender mandarim no Ensino Médio. Isso porque, desde 2016, o Colégio Estadual Matemático Joaquim Gomes de Sousa – Intercultural Brasil-China, funciona em um prédio histórico, localizado no bairro de Charitas.

A instituição atua em parceria com a Universidade de Heibei, na China e os alunos que já estudam na rede estadual costumam ter preferência na hora de ingressar. Além disso, a escola ainda conta com sessões de música, pilates e orientação socio-emocional para os alunos. Trata-se da primeira escola bilíngue português-mandarim no Brasil.

No Espírito Santo, existe um projeto do governo para que o idioma seja ensinado nas escolas estaduais a partir do ano que vem.

Além disso, em São Paulo, há o Instituto Confúcio, que oferece aulas gratuitas do idioma para estudantes a partir dos 12 anos, matriculados na rede pública municipal e estadual. Para outros interessados, há uma taxa simbólica paga para manutenção do projeto, mas descontos progressivos são oferecidos aos alunos que levam amigos para o curso.

Ativo desde 2009, o Instituto Confúcio faz parte da Unesp e, além da capital, também está presente em algumas cidades do interior, como Araraquara, Assis, Bauru, Botucatu, Franca, Ilha Solteira, Jaboticabal, Jacareí, Marília, Presidente Prudente, São José do Rio Preto e São José dos Campos.

Cultura chinesa em divulgação A língua de Confúcio é difundida no mundo por institutos homônimos do grande filósofo.

Dentre as vantagens de aprender chinês ainda em idade escolar está a ocorrência do aprendizado ao mesmo tempo que a criança/adolescente ainda está em fase de desenvolvimento cognitivo. Além disso, fica mais fácil encontrar tempo para dedicar-se ao aprendizado do idioma nessa fase, já que com a vida adulta vem a carreira e diversas outras responsabilidades.

Chinês em instituições de ensino do idioma

Já que o ensino do mandarim em escolas convencionais não é tão difundido quanto o inglês e o espanhol, por exemplo, muitas famílias decidem procurar escolas específicas para que seus filhos possam aprender, desde cedo, o idioma. Os valores desses cursos podem variar. Para ajudá-lo, listamos abaixo algumas das principais opções.

  • O Colégio São Bento, tradicional na capital de São Paulo, oferece um plano de R$500,00 por 15 horas semanais do ensino de chinês ou R$240,00 por aulas somente aos sábados. Alguns pacotes incluem ainda aulas de reforço e outras atividades;
  • O Instituto Mandarim Yuan De, localizado na Vila Mariana, também na capital de São Paulo, também ministra cursos pelo valor mensal de R$200,00. O material didático e a matrícula são pagos à parte;
  • No centro do Rio de Janeiro, está a OiChina, especializada no ensino do mandarim e da cultura chinesa. As parcelas custam em torno de R$280,00;
  • O Senac oferece um curso de chinês/mandarim, que utiliza a tecnologia diferenciada e tem carga horária de 150 horas. O valor é dividido em 12 parcelas de R$75,00 e as aulas acontecem em ambiente virtual, permitindo que o aluno as acompanhe de qualquer lugar. Para matricular-se, é necessário ter mais de 16 anos.

É claro que seria impossível fazermos aqui uma lista de instituições que ensinam chinês em todo o Brasil. Entretanto, se deseja encontrar um local para estudar em sua cidade, você pode consultar o Google, digitando aulas de mandarim + nome cidade no campo de buscas.

Conforto e acompanhamento

Muitas vezes, matricular-se em um curso de idiomas implica em arcar com altos custos de material e mensalidades. Além disso, nem sempre é fácil encontrar uma instituição próxima à sua casa, que ofereça aulas em um horário que você pode acompanhar, por um valor que você pode pagar.

A opção encontradas por muitos é a contratação de um professor particular do idioma. Muitas vezes, você pode encontrar um profissional através de contatos conseguidos em sua própria sala de aula na faculdade (ou naquele grupo de amigos de infância).

Muitas pessoas se vêem obrigadas a aprender chinês devido ao seu curso universitário, ou mesmo para alçar melhores posições no mercado de trabalho. É nessa hora que encontrar um curso que vá de encontro exatamente aos seus anseios e necessidades faz toda a diferença.

Outros, desejam aprender desde crianças, e já crescer conscientes da cultura chinesa. É importante aproveitar esse desejo para começar os estudos o mais cedo possível.

Aprender chinês na infância Começar a estudar chinês cedo é um desejo que deve ser levado em conta.

Aprender chinês com um nativo, muitas vezes possibilita um intercâmbio de conhecimentos que enriquece culturalmente a ambos os envolvidos. Mas isso não significa que contratar um professor brasileiro não possa surtir grandes efeitos em seu aprendizado.

Com aulas individuais, você pode focar em suas dificuldades e superá-las mais facilmente, além de receber um feedback contínuo a respeito do seu desempenho e progresso no idioma.

Perfil

Procurar por um professor de chinês pode se assemelhar à busca pelo par perfeito em um site de relacionamentos. Isso porque você vai analisar cada “candidato” e tentar encontrar o que mais combina com o seu perfil.

Existem professores especializados em determinada faixa etária, como crianças, adolescentes, terceira idade. Além disso, eles contam com diferentes métodos. Na plataforma Superprof, por exemplo, a maioria dos profissionais oferece uma primeira aula gratuita, o que permite conhecer um pouco mais do seu trabalho antes da contratação.

Além disso, há os nativos. E há também aqueles que são professores de outras matérias, mas são bilíngues português-mandarim.

Viu só como não é difícil conseguir um professor de chinês? Basta ficar atento às suas prioridades e preparar-se para viver uma experiência incrível com a sua escolha.

 

 

 

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar