Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

O guia para se tornar estudante no país de Cervantes

De Fernanda, publicado dia 19/07/2019 Blog > Idiomas > Espanhol > Como estudar na Espanha?

“Viajar é descobrir que todo mundo está errado sobre outros países.”- Aldous Huxley

27% dos antigos estudantes Erasmus dizem que encontraram o seu atual cônjuge durante a sua estada no estrangeiro, de acordo com a Comissão Europeia.

E você, o que acha de conhecer seu parceiro enquanto estuda no exterior e em particular na Espanha?

Só o futuro vai responder. Por enquanto, é hora de aprender sobre as etapas a serem seguidas, o curso, a universidade e a cidade de destino.

O Superprof está aqui para orientá-lo na preparação do seu ano universitário espanhol!

Quais os passos para estudar na Espanha?

Quais os passos para estudar na Espanha? O que é preciso para fazer seus estudos no país de Cervantes?

Todos os brasileiros que pretendem residir mais de três meses na Espanha precisam solicitar um visto.

Agora o tipo de visto que deve ser solicitado depende da duração da estadia. Caso você decida fazer algum curso de curta duração por menos de 3 meses, não há necessidade de visto; entre 3 e 6 meses, é exigido um visto temporário; e para uma estadia superior a seis meses é preciso solicitar também, além do visto, o cartão de residência para estudantes. Este cartão deve ser solicitado dentro de um mês nos departamentos de estrangeiros da Polícia Nacional.

O processo para a obtenção do visto de estudante é simples: basta fazer uma pré-inscrição em uma instituição de ensino pública ou privada que seja oficialmente reconhecida e dirigir-se ao consulado mais próximo com a carta de aceite emitida por esta instituição.

No consulado, poderá ser exigida a apresentação dos seguintes documentos para obter o visto:

  • Formulário de visto – preenchido e assinado pelo solicitante.
  • Uma fotografia 3×4.
  • Passaporte em vigor e com validade para todo o período de solicitação do visto.
  • Certificado de Antecedentes Penais.
  • Atestado médico em que conste que você não tem nenhuma doença prevista no Regulamento Sanitário Internacional.
  • Comprovante de admissão em Centro de Ensino Oficial ou legalmente reconhecido na Espanha, para realizar estudos que impliquem assistência e duração prevista não inferior a 90 dias. Isso seria a Carta de Aceite, por exemplo.
  • Diploma acadêmico ou certificado de estudos concluídos no Brasil.
  • Seguro de saúde com cobertura mínima de EUR 30.000,00 por todo o período que você for ficar na Espanha.
  • Comprovante financeiro suficiente para custear as despesas de permanência do solicitante na Espanha ou documentação de recebimento de bolsa de estudos. Os valores usados como referência são os do IPREM (Indicador Público de Renta de Efectos Múltiples). Se você não tiver pagado toda a sua estadia com antecipação, então deve demostrar que tem pelo menos 532,51 euros por mês (o 100% do IPREM no ano 2017).

A vida na Espanha é como a vida no Brasil: cheia de instituições, procedimentos administrativos e formalidades, que devem ser conhecidas antes de mergulhar na grande aventura estudantil.

Um dia a dia de sucesso é a garantia para se integrar melhor desde o início, e ele passa por pequenos detalhes que tornam o estilo de vida do aluno mais fluido, mais fácil e muito menos complicado.

Como estudar na Espanha graças ao Erasmus?

Como estudar na Espanha graças ao Erasmus? O guia para fazer seus estudos em língua espanhola

Erasmus+ é um programa de intercâmbio europeu que acontece nos diferentes países que assinaram o acordo: os 27 estados membros, bem como a Islândia, Liechtenstein, Noruega, Suíça, Croácia e Turquia.

Se a Espanha é o primeiro país anfitrião, a França vem em segundo lugar, seguida pela Alemanha e pelo Reino Unido.

O objetivo do programa é promover a mobilidade internacional. Assim, o ensino superior assume uma dimensão europeia e não apenas nacional. Para os estudantes, uma estadia no exterior garante uma melhor integração no mercado de trabalho, com habilidades profissionais e aumento de habilidades de linguagem.

Mas hoje, os estudantes internacionais não são os únicos preocupados com a mobilidade do Erasmus. Recentemente, o Erasmus abriu a todos os públicos e é agora chamado de Erasmus +.

Professores do ensino superior, funcionários da empresa, funcionários da universidade ou pessoas em reconversão profissional: todos podem se candidatar a um estágio Erasmus, fazer uma formação para adultos ou realizar uma missão de ensino.

Cada instituição de ensino superior com um estatuto Erasmus pode receber alunos e professores como parte do programa. Isto não se refere apenas a universidades, mas também a institutos, escolas, conservatórios e escolas secundárias.

Para estudar no estrangeiro ao abrigo do Erasmus+, os estudantes devem estar matriculados numa instituição de ensino superior, em estudos que conduzam a um grau ou outra qualificação reconhecida de nível terciário. Os estudantes do primeiro ciclo devem estar matriculados, pelo menos, no segundo ano de estudos.

O período de estudos no estrangeiro deve ser relevante para as necessidades de aprendizagem e de desenvolvimento pessoal relacionadas com o grau do estudante e estar integrado no programa de estudos.

Para que o estudante possa fazer o intercâmbio ao abrigo do Erasmus+, a instituição de envio e a instituição de acolhimento devem estar ligadas por um acordo interinstitucional.

Além disso, ambas as instituições devem ser signatárias da Carta Erasmus para o Ensino Superior (se estiverem estabelecidas em países do programa). As instituições de países parceiros comprometem-se a respeitar os princípios desta carta quando assinam um acordo interinstitucional.

Por isso, comece o processo se informando no setor de relações internacionais da sua instituição para obter todas as informações necessárias, especialmente em relação aos prazos. A data limite para as inscrições são geralmente em março.

Vários documentos são necessários no ato da inscrição:

  • Uma carta de motivação  ( às vezes na língua de recepção),
  • Um pedido de bolsa de estudos,
  • Uma carta de recomendação de dois professores,
  • Uma fotocópia do seu histórico escolar.

Como regra geral, você precisa fazer três escolhas universitárias em ordem de preferência (na Espanha poderia ser Granada, Murcia e Salamanca).

O programa é bastante seletivo, em função da universidade escolhida e da sua área. Uma cota de estudantes é definida a cada ano por cada universidade anfitriã. Da mesma forma, sua instituição não pode enviar quantos alunos quiser.

Para ir à Espanha, o país mais requisitado em Erasmus, você vai ter de se esforçar bastante e mostrar sua motivação.

No entanto, se você não for selecionado na universidade de sua escolha, nada impede que você se inscreva diretamente na universidade desejada. Você não vai se beneficiar do programa Erasmus, mas poderá viver seu ano no exterior.

Como escolher sua universidade espanhola?

Como escolher sua universidade espanhola? Descubra as instituições de ensino superior no país de Cervantes

Vários estudos de opinião foram realizados com estudantes Erasmus e existem alguns critérios que determinam a escolha final de uma cidade na Espanha:

  • A facilidade de acomodação (companheiro de quarto, moradia universitária, aluguel individual, aluguel particular) e o preço do aluguel,
  • A qualidade de vida da cidade espanhola (poluição, proximidade do mar, transporte, montanhas …)
  • Dinamismo cultural (vida noturna, eventos culturais, atividades extra-universitárias),
  • O custo de vida
  • A qualidade da infra-estrutura da universidade.

Para os estudantes brasileiros, o estilo de vida espanhol é relativamente fácil de se adaptar, mas há peculiaridades das regiões e cidades que você precisa conhecer.

As cidades mais procuradas na Espanha

Segundo a Uniplaces, uma organização que ajuda os estudantes a encontrar alojamento na Espanha, as cidades espanholas mais populares são:

  • Madri: a capital ganha a maioria dos votos! É uma cidade dinâmica com muitos eventos culturais e uma dimensão internacional significativa. A qualidade do transporte também ganha destaque, bem como a gastronomia de qualidade,
  • Sevilha: a capital da Andaluzia também é muito popular por sua qualidade de vida (e seu sol!), seus eventos pitorescos (Feria de Abril) e um bom ambiente universitário,
  • Barcelona: A capital catalã oferece uma riqueza cultural e um cenário idílico perto das praias. O custo de vida é relativo, e talvez você tenha que aprender catalão!
  • Granada: uma grande cidade andaluza, a mesma qualidade de vida de Sevilha, as montanhas da Serra Leoa e muito mais! Amantes de esqui: se dissessem que você pode esquiar na Andaluzia, você acredita?
  • Valência: A cidade portuária é conhecida pelo seu oceanário e edifícios futuristas. Perfeito para os amantes da ciência, mas também praias, diretamente nas bordas da cidade,
  • Cádis: Muito pitoresca, a vila de Cádis fica à beira-mar, oferecendo um ambiente bastante agradável,
  • Salamanca: Gosta de arquitetura? Você vai se derreter por Salamanca. A Universidade de Salamanca, fundada em 1100, foi um importante centro intelectual nos séculos XV e XVI e ainda é popular entre os estudantes estrangeiros e locais.

Informações indispensáveis para estudar na Espanha

Top 10 das informações indispensáveis para estudar na Espanha. O guia para se tornar estudante no país de Cervantes

Entre as diversas informações que você precisa ter para estudar na Espanha, selecionamos algumas:

Qual é o padrão de vida na Espanha?

O salário médio na Espanha é de 1889 € brutos por mês (fonte: Le Petit Journal 2017).

Mas as disparidades são muito grandes entre os salários mais altos e os salários mais baixos. O salário mínimo é de € 735,80 por mês em 2018 na Espanha.

Não é novidade que Madri, mas também Navarra e o País Basco espanhol, acumulam os mais altos salários e, portanto, os mais altos padrões de vida.

Se você tiver que se preparar para a sua mobilidade internacional e descobrir como financiar sua estadia no exterior, você deve obter um orçamento um pouco mais elevado ao dos estudos no Brasil.

Segundo o site Expatistan, por exemplo, o custo de vida em Madri é cerca de 10% mais caro do que o custo de vida em São Paulo. Nesse site, é possível visualizar valores de alimentação, transporte, acomodação e compras, entre outros, de ambas as cidades.

Entenda a cozinha espanhola

Esqueça do seu pãozinho francês no café da manhã e do seu arroz com feijão no almoço, e descubra a paella e as tapas! A cozinha espanhola é mediterrânea: portanto, você vai encontrar muito azeite, alho, ervas, especiarias, mas também peixe e marisco.

Como no Brasil, cada região tem suas especialidades, permitindo que você experimente vários sabores durante seus estudos:

  • tapas,
  • paella,
  • cocido (uma espécie de sopa),
  • gazpacho,
  • chouriço,
  • tortilha (omelete feita a partir de batatas),
  • cochinillo asado (leitão),
  • churros,
  • natillas (creme de sobremesa com limão e canela),
  • leche frita (sobremesa frita).

O clima na Espanha

Estudar na Espanha também é desfrutar de um clima mais brando do que em outros países da Europa. A maior parte da Espanha tem um clima mediterrâneo, ou seja, quente e seco de maio a outubro, com pouca chuva.

Mas, claro, a Espanha é um país com variações climáticas: quanto mais você vai para o sul, mais quente fica, especialmente na Andaluzia (Granada, por exemplo), onde o ar é até difícil de se respirar no verão.

Perto de Madri, o clima também varia em função das montanhas próximas e não é incomum ter vento frio soprando na cidade espanhola no inverno.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar