"A ideia principal do movimento da dança vem do ritmo das ondas."

Isadora Duncan

Originalmente o nome da Dança do Ventre é Racks el Sharqi, cujo significado do árabe é Dança do Leste. Posteriormente este nome foi traduzido pelos franceses como Danse du Ventre e pelos norte-americanos como Belly Dance. Segundo SHAHRAZAD, a pioneira da Dança do Ventre no Brasil, Dança do Leste foi o nome dado a esta dança porque “significa onde o sol nasce, de onde a mulher recebe as energias e o poder do Sol”.

Sensualidade e exotismo: a dança oriental tem muito a transmitir!

Por causa de uma possível timidez ou devido à falta de conhecimento da dança, alguns estudantes não se atrevem a descobrir a dança oriental. No entanto, a dança do ventre é o esporte ideal para perder peso, tonificar seu corpo e descobrir a cultura oriental. Em poucas horas, você pode dominar as noções de base desta dança do Oriente Médio e da Ásia Meridional.

Descubra nossas dicas para começar a dança do ventre!

Quais são os benefícios da dança oriental?

Conheça e aceite seu corpo

Chegou a hora: aprendendo dança do ventre você aprende a aceitar seu corpo!

Como se vestir para uma aula de dança do ventre?
No antigo Egito, a dança do ventre era praticada para agradar às Deusas, para se tornarem mães, e na Índia estava associada a rituais tântricos... Aprender a dança oriental também permite que você descubra a cultura dos países do Oriente Médio e da Ásia Meridional!

De acordo com um estudo australiano em 2014, os praticantes de dança do ventre teriam uma autoestima melhor em relação ao corpo do que dançarinos latinos.

Na verdade, na dança oriental, todos os corpos são aceitos: mulheres magras, pequenas, grandes, fortes ou com curvas. Todas exercitam a barriga e exploram o melhor de sua sensualidade.

Embora os iniciantes de aulas de dança do ventre às vezes se sentem tímidos na hora de revelar seu corpo, logo eles mudam de opinião depois de poucas sessões, descobrindo a beleza desse estilo e a autoaceitação inerente à modalidade.

Além disso, a dança do ventre é ideal para aprender a dançar e estudar o corpo humano ao mesmo tempo. Um bom conhecimento de fisiologia é essencial para ganhar autoconfiança!

Entendeu? Hora de esquecer as botas no armário, ao contrário de danças como country ou madison. Aqui, o objetivo é se conectar diretamente com o chão!

Que tal aprender dança do ventre sozinha?

Exercite seu corpo com a dança do ventre

Uma hora de dança do ventre pode queimar até 400 calorias! Quero aprender a dançar ;)

Sim, a dança oriental é bem conhecida por ser uma aliada ao emagrecimento. Graças aos movimentos graciosos, as mulheres podem remodelar seus corpos e fortalecer seus músculos. Aprendendo a dancar você se exercita!

Originalmente uma dança popular do Oriente Médio, evoluiu para assumir formas diferentes, dependendo do país e da região, tanto em estilo de fantasia quanto de dança.
Como aprender a dançar? A dança do ventre é uma dança expressiva que se concentra nos movimentos complexos do torso.

A dança oriental, portanto, exercita diferentes partes do corpo:

  • As coxas,
  • Os quadris
  • Os músculos das costas,
  • Os músculos dos glúteos,
  • O peitoral,
  • A cintura
  • Os ombros,
  • Os braços,
  • O abdômen etc.

Além de ajudar os alunos a perderem peso, a dança do ventre é recomendada em caso de cólicas menstruais, dores nas costas (dores na lombar) ou para a redução da celulite. É também uma aliada importante na construção do bem-estar pessoal: uma hora de aula de dança oriental (apelidada também de "dança de alegria") alivia o estresse, afasta as tensões e liberta a mente! (aprender dançar)

Com outro estilo, as danças africanas também ajudam queimar muitas calorias!

Origens da dança do ventre

A origem é controversa. É comum atribuir a origem a rituais de fertilidade no Egito, embora a Egiptologia afirme que não há registros desta modalidade de dança nos papiros - as danças egípcias possuíam natureza acrobática. É possível que alguns dos movimentos, como as ondulações abdominais, já fossem conhecidos no Antigo Egito, com o objetivo de ensinar às mulheres os movimentos de contração do parto. Com o tempo, foi incorporada ao folclore árabe durante a invasão moura no país, na Idade Média. Não há, contudo, registros em abundância da evolução na Antiguidade.

Explore sua feminilidade com a dança do ventre...

Por possuir elementos corporais e sensuais femininos, acredita-se que sua origem remonta ao Período Matriarcal, desde o Neolítico, cujos movimentos revelam sensualidade, de modo que a forma primitiva era considerada um ritual sagrado. A origem está relacionada aos cultos primitivos da Deusa Mãe, Grande Deusa ou Mãe Cósmica: provavelmente por este motivo, os homens eram excluídos do cerimonial (Portinari, 1989). As mais antigas noções de criação se originavam da ideia básica do nascimento, que consistia na única origem possível das coisas e esta condição prévia do caos primordial foi extraída diretamente da teoria arcaica de que o útero cheio de sangue era capaz de criar magicamente a prole. Acreditava-se que a partir do sangue divino do útero e através de um movimento, dança ou ritmo cardíaco, que agitasse este sangue, surgissem os "frutos", a própria maternidade. Essa é uma das razões pelas quais as danças das mulheres primitivas eram repletas em movimentos pélvicos e abdominais.

As manifestações primitivas, cujos movimentos eram bem diferentes dos atualmente executados, tiveram passagem pelo Antigo Egito, Babilônia, Mesopotâmia, Índia, Pérsia e Grécia, tendo como objetivo através ritos religiosos, o preparo de mulheres para se tornarem mães.

A dança do ventre no Brasil

Segundo o portal Central Dança do Ventre, a história da Dança do Ventre no Brasil ainda é recente, datando de aproximadamente uns cinquenta (50) anos para cá. E pode-se dizer que provavelmente ela teve seu início quando os primeiros árabes aqui chegaram.

Os primeiros imigrantes árabes vieram da Síria e do Líbano por volta de 1880, e se concentraram principalmente no estado de São Paulo, mais especificamente na capital.

A bailarina Patrícia Bencardini em seu livro nos diz que: “A partir dos anos 50, uma grande população muçulmana entrou no Brasil, vindos de diferentes regiões do Oriente Médio. E, na década de setenta do século XX, novos imigrantes libaneses vieram para o Brasil fugindo da guerra civil, quando muitos encontraram parentes distantes que vieram no começo do século” (p. 68-9).

Como aprender a dança oriental?
A dança do ventre é praticada no mundo inteiro, mas tem suas origens nos países do Oriente Médio e da Ásia Meridional.

Provavelmente este foi o caso da bailarina palestina SHAHRAZAD Shahid Sharkey que aqui chegou por volta de 1957. Muitas bailarinas acreditam ela foi a pioneira desta dança no Brasil. Seu nome de nascimento é Madeleine Iskandarian.

Sua dedicação à Dança do Ventre, além de incluir a formação de grandes bailarinas e professoras, incluiu ainda sempre uma luta pela valorização da dança e nunca por sua vulgarização.

Atualmente no Brasil as aulas de Dança do Ventre são oferecidas em diferentes espaços como em academias de ginástica, clubes, escolas especializadas, escolas de dança, assim como em espaços esotéricos e centros culturais.

Os diferentes estilos de dança oriental

A dança do ventre está associada a rituais de fertilidade e, segundo alguns especialistas, pode remontar a 7000 ou 5000 anos antes de Cristo!

Pois bem.... Você pensou que havia apenas um estilo de dança oriental? Veja só, está totalmente enganado!

Exportada diretamente do Oriente Médio, a dança do ventre é um sucesso inegável em todo o mundo. Mas existe uma variedade de estilos de dança no sul da Ásia, na América ou na África disponíveis nas escolas de dança oriental.

Antes de fazer a primeira aula, é importante que o aluno conheça a diferença dessas modalidades. Nosso conselho? Faça uma aula teste em uma associação ou num estúdio de dança para descobrir os vários estilos antes de escolher o mais adequado para você. Isso vale para qualquer estilo de dança que deseja começar: aula de zumba, aula de flamenco, aula de balé... É sempre bom fazer um experimento antes como forma de avaliar se gosta realmente do estilo.

Ritmo, estilo musical, origens, tempo lento ou rápido: a escolha é acima de tudo pessoal!

Uma pequena e não exaustiva lista de estilos de dança oriental:

  • Baladi
  • Shaabi
  • Raqs Sharqi,
  • Dança flamenca-oriental
  • Dança tango-oriental,
  • A dança Saïdi,
  • Dança do ventre egípcia,
  • A dança do bambouti
  • A dança Fellahi,
  • A dança de Bellywood,
  • A dança vintage-oriental,
  • A dança tribal-oriental, etc.

Os acessórios esportivos utilizados variam de acordo com o estilo de dança. Podemos usar vários acessórios como velas, castiçais, leques ou bastões. Geralmente, é o professor de dança que fornece os diferentes materiais, mas os alunos também podem obter o necessário em sites especializados para treinar adequadamente em casa!

De uma coisa temos certeza... Nada a ver com dança irlandesa!

Como aprender dança do ventre?

Para aprender dança do ventre, vamos rever os diferentes movimentos para estudantes iniciantes!

Em primeiro lugar, antes de iniciar sua aula, o dançarino do ventre precisa se aquecer por pelo menos cinco minutos.

Pernas ligeiramente separadas e mãos nos quadris, o aprendiz deve alongar os músculos do pescoço da frente para trás, da direita para a esquerda com pequenos movimentos circulares.

O segredo é aquecer bem seu pescoço para evitar de machucar a cervical durante a aula de dança!

Então vem a primeira etapa básica de dança:

  • O movimento dos ombros: abra os braços com os cotovelos ligeiramente dobrados, avance o ombro esquerdo para frente e alterne com o ombro direito,
  • O oito vertical: faça uma forma de "oito" com a pélvis enquanto eleva os quadris em arco, as pernas estendidas,
  • Tremor das pernas: para produzir movimentos regulares e rápidos com os joelhos e vibrar a parte inferior do corpo,
  • O Soheir Zaki: mova seu quadril para cima e para baixo mantendo suas pernas perfeitamente esticadas em um movimento lateral,
  • A acentuação pélvica: aperte os abdominais ligeiramente trazendo a pélvis para trás, depois leve-a em um só um movimento graças aos músculos dos glúteos.

Os passos de dança básicos da dança do ventre podem ser dominados tranquilamente em apenas algumas aulas.

No entanto, este tipo de dança permanece preciso e sutil: é necessário esperar alguns meses antes de poder executar perfeitamente movimentos mais complexos e passar de um nível iniciante para um nível intermediário.

Alguns movimentos podem ser similares aos de danças indianas.

Dicas para iniciar a dança oriental

Como aprender a dancar?

Aqui estão alguns movimentos básicos da dança do ventre para acordar a Shakira que fica adormecida em você 😉

(ps: video em inglês)

Como aprender dança sozinho em casa: treinamentos

Comece com o alongamento

O alongamento é o primeiro passo para qualquer atividade física. Ele é feito para aumentar a flexibilidade muscular, a qual tem a função de promover o estiramento das fibras musculares.

O maior benefício dos alongamentos é o aumento da flexibilidade do corpo, que se trata da maior amplitude de movimento possível de uma determinada articulação. Ou seja, quanto mais alongado o músculo, maior será a movimentação da articulação comandada pelo mesmo e consequentemente, maior a sua flexibilidade.

É fundamental a realização de alongamentos antes e depois de atividades como dança, corrida, andar de bicicleta, nadar, jogar tênis, musculação, entre outros exercícios desgastantes, já que estes promovem tensões musculares. Além disso, a prática evita muitas lesões, como distensões e inflamações.

escolha da roupa para aula de dança
Assim como para a prática de outros esportes, para as aulas de dança dê preferência às roupas confortáveis.

Nas aulas de dança, geralmente são feitos dois tipos de alongamentos para aquecer: o aquecimento geral e o aquecimento específico. O primeiro trabalha com exercícios envolvendo diferentes músculos, pois o seu objetivo é aumentar a temperatura do corpo fazendo com que a musculatura fique mais elástica, com o intuito de evitar lesões e preparar o sistema circulatório e respiratório para o desempenho da atividade física.

O segundo, serve para trabalhar partes específicas do corpo para a atividade física, ou para trabalhar tipos específicos de movimentos. Esse alongamento deve ser realizado após o aquecimento geral e deve conter exercícios de alongamento e relaxamento. As partes do corpo que serão mais trabalhadas na dança devem ser melhor alongadas para que possam ser utilizadas com o máximo de desempenho.

Não é necessário possuir grande condição física ou habilidades atléticas para praticar alongamento e independente da idade ou nível de flexibilidade da pessoa, todo mundo pode fazê-lo.

Embora a dança seja uma disciplina artística, ela é, antes de qualquer coisa, uma atividade esportiva. Na dança, a maioria dos músculos são solicitados, é preciso dessa forma ter cautela para não se machucar.

Saiba como aumentar a flexibilidade e melhorar suas habilidades de dançarino.

Quanto tempo deve durar o alongamento?

O aquecimento é muito parecido para todas as pessoas. Mesmo que o dançarino não  use os mesmos músculos que um nadador, a forma de proceder para fazer um bom aquecimento será a mesma.

Que você seja dançarino ou não, há algumas cuidados que devem ser tomados, como já mencionamos antes, mas de forma geral, não há nenhum segredo para realizar os exercícios. Reserve de 10 a 15 minutos do seu horário de treino para se aquecer e fazer alguns alongamentos.

É muito importante que você alongue no fim de cada treino também, para relaxar e evitar dores musculares intensas.

Faça seus exercícios com calma, prestando muita atenção na execução de cada um deles. Alongue cada músculo por 30 segundos e repita o exercício de 4 a 5 vezes. Os exercícios não devem causar grande incômodo, somente a sensação de estar repuxando o músculo.

Cada pessoa tem seus próprios limites e conhecê-los é importante para não se machucar e realizar um treino mais eficaz. Portanto, não tente copiar seu colega ou mesmo seu professor. Algumas pessoas são naturalmente mais flexíveis do que outras ou têm mais prática.

É importante destacar que a regularidade e o relaxamento são os pontos mais importantes para o alongamento, que deve ser realizado lentamente e sem tensionamento, evitando balanceios já que estes enrijecem o músculo a ser alongado.

A importância da flexibilidade na dança

Para se tornar um grande dançarino ou para ensinar a dança do ventre, trabalhar a flexibilidade e aprimorar suas técnicas é um treino quase que diário.

Por que é importante ter flexibilidade?

  • aumento da qualidade dos movimentos;
  • melhora da postura corporal;
  • prevenção de doenças cardiovasculares;
  • diminuição dos riscos de lesões;
  • melhora das funções respiratórias;
  • etc.
ganhando flexibilidade para dançar
Ainda que a flexibilidade não seja o único quesito para dançar, ela é indispensável na vida de um dançarino.

A flexibilidade não é o único aspecto que influenciará no seu desempenho, mas ela tem um papel de destaque na vida de uma dançarino. Como você deve saber, a dança é um esporte, e como tal, ela trabalha e solicita diferentes músculos. Além disso, os dançarinos costumam fazer outros esportes, para manter o bom condicionamento físico e ganhar força.

Assim, para poder realizar todos os movimentos importantes de uma coreografia, você precisará ter muita flexibilidade e bom condicionamento físico ao mesmo tempo. Isso trará inúmeras vantagens: realizar qualquer passo de dança com mais facilidade, evitar entorses e outras lesões, facilidade em realizar movimentos complexos, maior controle e domínio do seu próprio corpo, etc.

Ter um corpo flexível também permite realizar movimentos de forma mais fluida, o que resulta em passos de dança mais elegantes. E os benefícios vão além da performance, pois fazer exercícios que trabalham a flexibilidade e agilidade é benéfico para o corpo e para a saúde de forma geral.

Aqueles que trabalham o dia inteiro sentados, por exemplo, costumam sofrer de dores lombares e dorsais, pois passar muitas horas seguidas sentado não é nem um pouco indicado e pode causar diferentes problemas de saúde. A dança pode ajudá-lo a amenizar dores e desconfortos, pois os exercícios praticados durante a aula ajudam a melhorar a postura, aumentam o tônus muscular e melhoram a forma física.

Aqui vão nossas dicas para você realizar seus exercícios de alongamento e flexibilidade da forma correta:

Escolha bem a roupa

Para se sentir à vontade durante as aulas e conseguir fazer grandes movimentos, os dançarinos costumam usar calças elásticas que permitem que o corpo se mova sem obstáculos. Assim, na hora de escolher sua roupa, dê preferência às calças legging ou calças de yoga, pois são mais adaptados à prática esportiva.

Prefira roupas feitas com tecidos respiráveis e que que retenham o calor. O aquecimento, como o nome indica, tem por objetivo elevar a temperatura corporal, para que os músculos e articulações fiquem mais relaxados e cedam com facilidade ao exercício. Usar roupas que permitem conservar o calor corporal é essencial.

Para as mulheres que têm cabelo longos, o ideal é prendê-los em um coque ou rabo de cavalo, dessa forma nenhum cabelo irá incomodá-la durante o treinamento.

Prepare o ambiente

Um treino esportivo pode ser feito sozinho em qualquer lugar: no jardim, na sala, em um parque ao ar livre... O mais  importante é sentir-se à vontade.

No entanto, para treinar em boas condições, devemos pensar em preparar o ambiente. O melhor é escolher um lugar sem muita mobília ou objetos ao seu redor, para que você tenha total liberdade de movimentos.

Se você não tem muito espaço em casa, tente empurrar os móveis para deixar o espaço onde você vai treinar o mais livre possível. Outra opção, nesse caso, é ir treinar em um parque. Para isso, tudo que você vai precisar é de um tapete de exercícios para evitar de machucar os joelhos e as costas.

Vídeos para aprender noções básicas da dança oriental

O futuro dançarino profissional pode perfeitamente fazer uma introdução à dança oriental graças às aulas de dança on-line!

Na era da Internet, existem dezenas de sites especializados em aulas de dança on-line, independentemente do estilo da dança oriental (dança egípcia, dança das mil e uma noites, dança indiana...) .

Experimente também aula de zumba!

Para aprender a dancar em estilo autodidata, a dançarina do ventre pode assistir aos tutoriais de dançarinos experientes que elaboram vídeos educacionais gratuitos para usuários de Internet.

Para aprender uma coreografia, procure por algumas aulas disponíveis no Youtube com as seguintes bailarinas:

  • Sofia Fahd
  • Isis Zahara
  • Claudia Cenci
  • Andréia Flach
  • Cicilya Custodio
  • Ludmilla Raissuli
  • Mary Roessler

Você também pode aprender a dançar de qualquer lugar que estiver graças aos aplicativos de dança oriental!

Com esses programas, que podem ser gratuitos ou de baixo custo, os alunos aprendem os conceitos básicos da dança do ventre e acompanham o progresso treinando apenas alguns minutos por dia.

Os vídeos são uma boa maneira de espaçar as aulas e aprender a dançar por conta própria!

Às vezes, é possível misturar dança oriental e flamenco, criando uma fusão original.

Faça uma aula introdutória de dança oriental

Nada melhor do que o conselho de um coreógrafo profissional para conhecer a fundo as danças orientais tradicionais!

Onde aprender dança do ventre?
Os acessórios nas danças orientais são fundamentais!

Que tal testar uma aula de zumba gratis?

Em uma aula rítmica, o professor da dança do ventre pode compartilhar sua paixão pela dança através de movimentos bruscos, um ritmo adaptado à música oriental e ensinar uma sequência coreográfica para todos os níveis.

Tonicidade, ondulações e até improvisação: nada será deixado de lado durante as aulas em grupo ou as aulas particulares de dança.

Aprender a dança oriental com um professor de dança é um "must" para realmente dominar esta arte e organizar um show de dança ou uma apresentação sozinha ou acompanhada por dançarinas orientais.

Para fazer aulas de dança oriental, existem várias soluções:

  • Contrate um professor particular de dança por meio de anúncios on-line,
  • Descubra um professor de dança particular pelo boca a boca,
  • Faça aulas de dança do ventre numa escola de dança,
  • Faça aulas em uma associação ou centro cultural,
  • Faça aulas particulares de dança por meio de uma agência de aulas particulares,
  • Faça aulas de dança oriental via webcam,
  • Faça aulas para crianças e adolescentes ou aulas para adultos em escolas ou instituições municipais.

Com o Superprof, cabe ao aluno escolher seu professor de dança oriental. O segredo é levar em consideração seus critérios pessoais (preço, local do curso, estilo de dança, nível ensinado etc.) para encontrar o seu mestre!

No Superprof, o preço médio de uma hora de aula de dança oriental é 61 reais!

É bem possível fazer aulas de dança do ventre a preços acessíveis : nossos professores oferecem em geral planos reduzidos a longo prazo, para estudantes regulares ou para aulas em grupo ou em família.

Além disso, mais de 92% dos nossos Superprofs oferecem sua primeira hora de aula gratuitamente: uma oportunidade ideal para avaliar juntamente com o seu professor qual é a melhor modalidade e quais serão seus objetivos de curso.

Então vamos lá! Está pronto para ondular os seus quadris ao som de uma darbuka?

Precisando de um professor de Dança ?

Você curtiu esse artigo?

5,00/5 - 2 nota(s)
Loading...

Fernanda

Socióloga e mestre em Letras Modernas pela Sorbonne. Entre França e Brasil, trabalho com jornalismo e projetos socioeducativos há 20 anos. Apaixonada por música, cinema e yoga. Acredito na cultura e na educação como pilares de transformação da sociedade.