Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Você sabe quanto ganha um coach esportivo?

De Marcia, publicado dia 07/05/2018 Blog > Esporte > Personal trainer > Que salário esperar como personal trainer?

Desde que começou a se tornar mais popular, a profissão de personal trainer tornou-se um ramo de atuação atraente para muitas pessoas. Afinal, o que pode ser mais estimulante do que ajudar outras pessoas a conquistar o corpo ideal e melhores padrões de saúde?

Além disso, o fato do assunto estar em alta na mídia (vemos profissionais na televisão, na internet, em revistas, dentre outros meios) também a torna uma das profissões “da moda”.

Se levarmos em conta que essa questão leva as pessoas a desejarem contratar um profissional do ramo, é fácil concluir que tanto a demanda quanto a oferta de personal trainers só tende a crescer.

Mas será que o salário da profissão é realmente condizente com tanto “glamour”? Afinal, qual o salário médio de um coach esportivo?

Como é a vida de um personal trainer?

Para começar, vamos entender como é a rotina de um personal trainer. Muitas pessoas invejam a sua autonomia e liberdade, já que trata-se de um profissional liberal. Além disso, ele não fica “preso” a um único ambiente de trabalho, já que as aulas podem acontecer nas casas dos alunos, em academias ou mesmo parques.

A rotina do coach esportivo Para muitos, ser personal trainer é sinônimo de autonomia e liberdade.

Aqueles que tiveram a coragem de revolucionar suas carreiras e tentar algo novo certamente colhem os louros dessa escolha. Outros, embora vejam na profissão a possibilidade de levar a vida que tanto sonham, acabam recuando diante das dificuldades.

Entretanto, é importante lembrar que toda carreira tem seus percalços. Trabalhar em regime CLT traz certa estabilidade, mas também tem seus ônus. O mesmo é válido para quem decide tornar-se seu próprio patrão.

Além da paixão pela profissão, o que leva muitos a optarem por tornar-se treinador particular é a liberdade sobre os próprios horários de trabalho, a possibilidade de conhecer novas pessoas a cada semana e a emoção de lidar com os mais variados públicos.

Dentro de uma empresa ou academia, o profissional certamente cumpriria um horário fixo, cruzaria com as mesmas pessoas todos os dias e não teria muita liberdade para propor inovações.

Entretanto, um grande atrativo da profissão é também os benefícios que ela traz às pessoas que decidem contratá-lo. Um personal trainer tem o “poder” de ajudar pessoas a:

  • Ganhar condicionamento físico;
  • Emagrecer;
  • Tonificar os músculos;
  • Preparar-se para competições esportivas e maratonas;
  • Superar barreiras físicas e emocionais;
  • Controlar problemas crônicos de saúde a partir de um estilo de vida mais saudável e ativo;
  • Trabalhar também o lado psicológico e emocional dos seus alunos, ajudando-os a conquistar a mudança que tanto desejam.

Tudo isso soma-se ao fato de que, trabalhando diretamente com o aluno, o profissional poderá focar em suas necessidades e anseios, mantendo-o motivado e realizando ajustes para que as expectativas se mantenham alinhadas.

E uma das melhores partes é que ele ganhará para fazer tudo isso!

Mas antes de pensarmos em salário, precisamos fazer uma pergunta a quem está pensando em tornar-se personal trainer: você sabe exatamente como trabalha um profissional do ramo?

Ele desempenha praticamente duas funções: a de coach e a de esportista.

Aspectos esportivos

Sob o ponto de vista esportivo, um profissional de treinamento personalizado deve:

  • Preparar exercícios de musculação (ou da modalidade escolhida) para seus alunos;
  • Orientá-los a manter os exames médicos de rotina em dia;
  • Levar acessórios que auxiliem a prática até seus alunos;
  • Acompanhar seu desempenho e identificar pontos que necessitam de ajuste.

Aspectos biológicos

Não basta conhecer as principais técnicas para elaborar um programa de exercícios: o personal trainer também precisa de alguns conhecimentos biológicos sobre o corpo humano. Ele precisa entender como funcionam as limitações e particularidades do organismo humano.

Isso porque também faz parte de suas funções garantir a segurança nos treinos e proteger seus alunos de lesões. Além disso, ele acaba se tornando uma espécie de conselheiro para alguns, ajudando também na hora de adotar hábitos alimentares mais saudáveis.

Esporte e alimentação O personal trainer precisa de alguns conhecimentos de nutrição para dar dicas aos seus alunos.

Auxiliar o aluno nessa questão demanda alguns conhecimentos também de nutrição e dietética. Ele precisa saber quais são os alimentos indicados para ajudar no ganho de massa, no emagrecimento ou no aumento da força física.

Aspectos psicológicos e emocionais

Por fim, não é só de técnica que vive um personal trainer. Ele não pode simplesmente elaborar um planejamento de exercícios levando em conta apenas as técnicas que aprendeu na universidade.

Fazer um trabalho personalizado e direto com o aluno vai muito além disso. Ele atuará também como coach, nos aspectos psicológicos e emocionais, que auxiliam nos resultados físicos.

Ele precisa transmitir ao aluno a energia da motivação e do acreditar nos resultados do treinamento. Isso gera dedicação e entrega, o que certamente potencializa os resultados.

A definição de metas junto ao aluno faz com que ele se sinta ainda mais motivado a cada conquista. Entretanto, é preciso atentar para que essas metas sejam plausíveis e alcançáveis a curto prazo. Muitas vezes, é melhor fracionar uma meta maior em pequenas partes e proporcionar ao aluno uma sensação única quando da conquista de cada etapa.

Qualquer sinal de desânimo deve ser identificado e trabalhado afinal. Além de proporcionar a possibilidade de alcançar metas relacionadas ao corpo, o treinamento deve ser algo agradável, um momento no qual o aluno pode dedicar-se a si mesmo e esquecer o estresse e as pressões do ambiente de trabalho.

Em resumo, todo personal trainer também é um pouco psicólogo. Ele deve ter disciplina e leveza ao mesmo tempo. Talvez esse seja um dos aspectos que torna a profissão tão fascinante.

Quanto custa um personal trainer?

Agora que você já entendeu um pouco sobre a rotina desse profissional, que tal descobrir quanto ganha um personal trainer?

A melhor resposta para essa questão é: depende! Podemos chegar a algumas estimativas, mas não temos como afirmar, exatamente, qual o salário de um personal trainer. Trata-se de uma questão que também envolve outros aspectos, como público e localização.

Normalmente, contratar um profissional para ir até a sua casa tem um custo maior do que matricular-se em uma academia por exemplo. Ou mesmo do que ter aulas de matemática. Entretanto, esse valor “a mais” está ligado aos benefícios trazidos pelo programa.

Variáveis de salário É possível estimar, mas não dizer com precisão quanto ganha um personal trainer.

Segundo dados do Superprof em 2017, a hora-aula esportiva custa entre R$56 e R$81, dependendo da modalidade escolhida. Trata-se de uma estimativa, já que a plataforma permite uma interação direta entre professores e alunos.

O profissional que deseja se registrar em nossa plataforma não paga por isso, e ainda tem a vantagem de ampliar seus horizontes e ser encontrado por alunos que jamais saberiam do seu trabalho por outras vias.

Qual a média mensal de um profissional do ramo?

É claro que o Superprof não é a única plataforma disponível para promover o encontro entre professores e alunos. existem hoje diversas ferramentas online que permitem essa interação. É por isso que podemos dizer que, graças à tecnologia, ficou mais fácil encontrar professores e alunos.

Antes de partir para a profissão, fantasiando um salário exorbitante, é importante alinhar suas expectativas com a realidade. Será que tudo é realmente “flores” para quem opta por tornar-se personal trainer?

Assim como toda profissão, o coach esportivo também encontra algumas dificuldades pelo caminho. Uma vez conhecendo o salário e a rotina da profissão, você deve responder à seguinte pergunta: para que lado pende a balança?

Essa resposta é inteiramente pessoal, já que cada pessoa possui suas prioridades e pontos de vista.

Variáveis de perfil

Se começarmos a analisar uma plataforma de aulas particulares, é provável que nos deparemos com uma disparidade de valores para a mesma modalidade.

A primeira explicação para essas diferenças se relaciona aos aspectos geográficos. O valor que um personal trainer cobra para ir à sua casa na zona nobre da cidade, certamente será diferente do valor que o seu amigo que mora na periferia paga. Aliás, é bem provável que vocês sejam atendidos por profissionais diferentes.

A qualificação do profissional é outro fator que pesa na hora de definir o valor. Certificações, cursos de extensão e vivência no exterior são alguns exemplos de atividade que agregam valor ao profissional.

É por isso que, à medida que ele deseja obter um salário melhor, também deve buscar qualificação e preparo para que essa “subida” de patamar aconteça de forma natural.

Muitas vezes pagar por um curso ou buscar uma certificação não devem ser vistos como custo, mas sim como investimentos que trarão a possibilidade de potencializar os ganhos do profissional. Eles serão um motivo a mais para que o aluno confie em seu trabalho.

Também, à medida que as pessoas vão alcançando os resultados esperados com a sua atuação, o profissional tende a atrair mais alunos, que acreditarão mais ainda nos futuros resultados.

Outros aspectos da profissão

Embora o salário pareça atrativo, é importante não negligenciar outros aspectos da profissão. Para quem é profissional liberal, convém trabalhar como MEI e pagar os tributos devidos da modalidade.

Além disso, a profissão demanda algumas responsabilidades e muita disciplina. Esse aspecto deve ficar bem claro para quem pensa em construir uma carreira como personal trainer.

O lado B da profissão

Precificar suas aulas depende apenas de você: entretanto, é importante não se deixar levar apenas pela ambição e fazê-lo de forma justa.

Além disso, o fato de não haver um limite de horários pode fazer com que alguns profissionais acabem assumindo uma grande carga de trabalho. Isso resulta em estresse, cansaço e queda na qualidade do seu trabalho.

Conheça seus limites Além do salário, é importante pensar também no bem-estar e na qualidade do seu trabalho.

Também é importante ter em mente que, por melhor que seja o seu salário hoje, tudo pode mudar na próxima semana. Alunos vem e vão o tempo todo. Isso demanda grande disciplina financeira para manter-se em equilíbrio.

Se você deseja tornar-se personal trainer, deve fazer uma reflexão profunda e colocar todos os aspectos que falamos acima em uma balança. Para que lado ela vai pender depende muito mais de fatores pessoais do que de dinheiro ou burocracia.

Encontre um bom personal trainer online no Superprof!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...

Deixe um comentário

avatar