Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Quais as principais habilidades do coach esportivo?

De Marcia, publicado dia 18/05/2018 Blog > Esporte > Personal trainer > As qualidades necessárias para ser personal trainer

Tornar-se coach esportivo não é algo que acontece da noite para o dia. Não é possível acordar hoje e determinar-se a entrar na profissão em duas semanas. O máximo que se conseguiria fazer nesse prazo é iniciar uma pesquisa de universidades que oferecem o curso de Educação Física.

Aliás, ainda que você seja formado e já tenha experiência em escolas e academias, o ofício de personal trainer exige alguns outros atributos. Além dos estudos e licenças necessários, você ainda precisa desenvolver algumas outras habilidades, entender que nem sempre é possível trabalhar motivado apenas pelo salário.

Quem é o treinador de esportes?

Trata-se de uma profissão um tanto versátil, já que existem diferentes vertentes que os profissionais decidem seguir. Alguns dedicam-se a trabalhar em academias, outros prestam concursos para ingressar em escolas convencionais e há os que decidem desempenhar um trabalho mais personalizado, indo até a casa dos alunos.

Instrutor de academia

Ao iniciar seu treino na academia, você se depara com ele. Sempre solícito, tem como principal função auxiliá-lo na execução dos exercícios. Quaisquer dúvidas referentes à sua ficha (que na maior parte das vezes também é elaborada por ele) podem ser esclarecidas com esse profissional.

Escolha onde trabalhar Atuar em academia é só uma vertente do profissional de esportes.

No início, você diz a ele quais são seus objetivos, e ele elabora seu treinamento de acordo com esse direcionamento. O que difere do personal trainer é basicamente o ambiente: não é que o seu treino não será personalizado, o que acontece é que, com muitos alunos para atender, ele não terá tempo de dispender atenção exclusiva a cada um.

É claro que ele tem sua responsabilidade e não vai deixá-lo parado por falta de esclarecimentos, mas pode ser que você precise revesar aparelhos ou esperar um pouco mais para obter as respostas de que precisa.

Personal trainer

Além da vantagem de o aluno não precisar sair de casa, o personal trainer ainda oferece uma espécie de assessoria particular. Ele vai até o aluno, conversa com ele sobre seus anseios e objetivos e elabora um programa para levá-lo a essas metas o mais rápido possível.

Seu acompanhamento inclui muito mais que a definição dos exercícios: ele acompanha de perto o desenvolvimento do aluno e fica mais disponível para dúvidas e alinhamentos. Isso contribui para que um relacionamento mais estreito seja construído entre profissional e aluno.

Alguns ainda oferecem dicas de alimentação e ajudam no desenvolvimento de hábitos mais saudáveis. Dessa forma, os resultados chegam mais rápido e o aluno se sente mais acolhido e seguro, já que cria vínculos de confiança com o seu treinador.

As 5 habilidades necessárias para ser personal trainer

Muitas pessoas podem interpretar a contratação de um personal trainer como “trazer um estranho para casa”. A possibilidade de abrir as portas para um desconhecido pode soar um pouco assustadora em um primeiro momento. Mas que critérios devem ser usados para fazer a escolha do profissional?

Além da formação em Educação Física e das licenças necessárias para exercer a profissão, um pouco de experiência na área pode ser um diferencial interessante. Além disso, existem outras qualidades, como disciplina que são igualmente importantes.

Seja correto sempre Ser disciplinado e cobrar disciplina são atitudes fundamentais para o bom profissional.

Para ajudá-lo a entender melhor, listamos abaixo as 5 habilidades necessárias para o bom personal trainer.

1. Formação adequada

Embora não exista uma formação específica para tornar-se personal trainer, o diploma em Educação Física é fundamental para exercer a profissão. Fora isso, ainda é possível recorrer a algum tipo de especialização, sobretudo nos casos em que o profissional deseja desenvolver alguma modalidade específica.

Além disso, é preciso ser licenciado pelos órgãos competentes à legalidade da profissão, ainda que ela não seja formalmente regulamentada. Suas atribuições, normalmente se enquadram na listagem das funções exercidas por um profissional de Educação Física.

2. Escolha do local de trabalho

Muitas vezes, nos deparamos com profissionais que parecem não ter nascido para fazer o que fazem. Isso, na grande maioria dos casos, não significa que o profissional não seja bom, apenas que não tem o perfil adequado para a vertente na qual decidiu atuar.

Essa teoria vale também para o personal trainer. Ele pode deslocar-se até a casa do aluno, atuar na academia, em empresas ou mesmo assumir grupos de preparação para competições em modalidades específicas. O importante, nesse caso, é escolher o que mais se adapta ao seu perfil.

Embora o trabalho de instrutor de esportes seja o mesmo em qualquer local, algumas coisas mudam de acordo com a modalidade escolhida. O treinamento em casa, por exemplo, assume um caráter mais personalizado que nos demais locais. Além disso, alunos que se preparam para competir também demandam um perfil profissional mais competitivo.

Empresas que aderem ao exercício físico como forma de combater parte do estresse no trabalho também dependem de um perfil específico do profissional. É por isso que, antes de iniciar-se na profissão de personal trainer, é importante fazer uma reflexão e até mesmo conhecer melhor cada uma das vertentes para fazer a escolha certa.

Não existe campo de atuação melhor ou pior: o que existe são perfis profissionais que se adequam a cada um deles e isso deve ser respeitado. Quando um profissional atua de acordo com o seu perfil, tudo flui melhor, inclusive os resultados e os níveis de satisfação dos seus alunos.

3. Falar além das palavras

Um bom treinador esportivo é sempre bem articulado. Não que seja obrigatório ter um português impecável e usar palavras rebuscadas: o mais importante, nesse caso, é a capacidade de comunicar-se bem e criar relações de simpatia e empatia com seus alunos.

Saiba falar e ouvir Estar aberto ao diálogo e comunicar-se continuamente com o aluno é fundamental.

Além disso, muitas vezes o corpo fala mais que as palavras. Quer um exemplo? Um aluno que deseja emagrecer é aconselhado por seu personal trainer a evitar doces. Entretanto, o profissional, além de não estar em forma, ainda chega todos os dias para a aula devorando um tablete de chocolate. Como se motivar a seguir seus conselhos?

Para que seus alunos realmente acreditem em seu trabalho, o personal trainer precisa tomar a responsabilidade de ser exemplo: disciplina, hábitos saudáveis, boa alimentação… tudo isso também faz parte do rol de qualidades que ajudam a compor o perfil do bom profissional.

Normalmente, pessoas que estão em busca de um objetivo fitness procuram por alguém em quem possam se inspirar. Por que não fazer do próprio instrutor essa fonte de inspiração? Mas, para isso, ele precisa ser digno da construção dessa imagem.

4. Foco no futuro

Infelizmente, a profissão de personal trainer não dura a vida toda. Trata-se de um ofício que exige grandes gastos energéticos e investimento pessoal contínuo.

Fisicamente falando, todos sabemos que a nossa energia não permanece a mesma com o passar dos anos. À uma certa idade, altas doses de esportes diários e deslocamentos contínuos se tornarão uma rotina muito mais cansativa do que parecia no início.

É por isso que o personal trainer deve se precaver, de antemão, para não ficar desempregado no futuro. Para isso, ele pode desenvolver programas de treinamento para outros profissionais do ramo ou associar-se a clubes fitness que permitam uma reabilitação profissional no futuro.

Dessa forma, ele continua em contato direto com o mundo dos esportes durante toda a vida, mas sem transpor os limites físicos inerentes a cada fase.

5. Habilidades de um verdadeiro gestor

Todos sabemos que, embora a demanda pela profissão de instrutor esportivo cresça, a oferta de profissionais acompanha esse ritmo. Isso significa que os melhores são os que alcançarão as mais altas posições do mercado. Entretanto, isso exige mais que habilidades apenas esportivas.

O bom personal trainer motiva seus alunos, tem uma flexibilidade para suprir as necessidades de cada um deles e lida bem com os problemas do dia a dia, priorizando sempre os resultados do seu trabalho, sem se esquecer de que há também limites na profissão.

Qualidades humanas também são necessárias

Além das habilidades que citamos, há outras que nada tem a ver com o mundo dos negócios, mas são necessárias para tornar-se um bom coach esportivo. São elas:

  • Ser um bom ouvinte: Ouvir com atenção o que o aluno tem a dizer é fundamental. Muitos podem sentir-se inseguros ou desmotivados; outros possuem problemas de autoimagem… cada um tem suas particularidades. Para que a relação instrutor/aluno realmente flua bem, os alunos devem sentir-se acolhidos e, o primeiro passo para isso acontecer, é ser ouvido pelo instrutor;

Mantenha o entusiasmo O bom personal trainer torce e incentiva o aluno.

  • Ser motivação: Você já parou para pensar no privilégio que é ser escolhido para ser personal trainer de alguém? A pessoa confiou tanto em seu profissionalismo, que escolheu você para ajudá-lo a alcançar seus objetivos fitness. Portanto, você precisa motivá-la com aulas dinâmicas e conversas sempre que necessário;
  • Versatilidade: O bom personal trainer, além de preparar o treinamento esportivo, ainda oferece dicas alimentares, aconselha quanto aos hábitos de vida, contorna imprevistos e “convence” o aluno a ir ao médico quando julga necessário. Tudo isso está incluso no pacote quando o aluno contrata seus serviços;
  • Disciplina: É importante dosar disciplina e companheirismo. Cobrar pontualidade e dedicação dos seus alunos também faz parte do rol de atribuições da profissão. Entretanto, isso deve ser feito de forma sutil, para que os exercícios não se tornem mais uma obrigação do dia a dia;
  • Tolerância: Cobrar resultados não significa ser intolerante a pequenos erros ou eventos que não saem como o planejado. É necessário ter empatia e compreender que nem todos acertam de primeira e que isso não significa necessariamente que aquele aluno está fadado ao fracasso;
  • Positividade: Objetivos são alcançados a partir do momento que acreditamos neles. É por isso que o personal trainer deve cuidar para que seus alunos realmente acreditem que são capazes. Para isso, ele deve ser o primeiro a confiar em seu próprio trabalho e incorporar a positividade à sua rotina.

Viu só como nem todas as habilidades necessárias para ser coach esportivo são aprendidas na escola? E você? Conhece mais alguma qualidade que é indispensável a esses profissionais? Deixe seu comentário abaixo.

Procure também um personal trainer online no Superprof caso prefira!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar