Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Batera: escolha seu instrumento de acordo com os estilos musicais

De Joseane, publicado dia 26/12/2018 Blog > Música > Bateria > Quais são os diferentes estilos de bateria?

A música é um mundo em si mesmo, é uma linguagem que todos nós entendemos. – Stevie Wonder.

A bateria é um instrumento exótico, aos olhos de alguém que pouco entende de música, sobretudo do jazz e do rock. Uma bateria de música é composta de diferentes instrumentos musicais que juntos podem emitir uma variedade infindável de sons.

Essa versatilidade da bateria possibilita que ela seja utilizada para acompanhar todos os estilos de música. Tudo depende do dinamismo e do conhecimento musical do baterista…

A bateria  foi-se construindo ao longo do tempo, e somente no século 19 ganhou a cara tal qual a conhecemos atualmente: com vários instrumentos tocados ao mesmo tempo.

Foi na música jazz e posteriormente no rock que a bateria se consagrou. Embora esse instrumento possa acompanhar todos os ritmos musicais como o funk, a bossa nova, o blues, o samba…

Por sua aparência imponente a bateria ganhou amadores no mundo inteiro. Muitas pessoas começaram a aprender a tocar bateria como forma de lazer ou mesmo para se profissionalizar como baterista.

Atualmente, esse instrumento essencial em todo grupo de música pode ser configurado de diferentes maneiras para atender melhor os diferentes estilos de música.

Bateria de rock, bateria de jazz, bateria híbrida… conheça os diferentes tipos de bateria e suas configurações.

Saiba tudo sobre a bateria jazzera!

O rock é uma piscina, o jazz é um oceano. – Carlos Santana

O jazz…quem não gosta de jazz? Suave, delicado, romântico, saudoso, dançante, único, o jazz surgiu no final do século XIX, nos Estados Unidos. A bateria, um instrumento de percussão relativamente moderno, tem sido usada no jazz praticamente desde as origens dessa música.

A bateria faz parte da história do jazz. Tanto a música como o instrumento evoluíram juntos até chegar a apresentação que conhecemos hoje. Nas formas tradicionais do jazz, um dos papéis do baterista é tocar uma marcação constante, no estilo da música.

Como tocar jazz utilizando uma bateria acústica? O jazz e a bateria são almas gêmeas na música!

A bateria de jazz refere-se, ainda, ao movimento artístico e grupo de músicos que se destacaram no instrumento chamado bateria ao longo da história do jazz. 

  No jazz, o baterista não utiliza seu instrumento como um efeito, mas cria com ele o espaço em que a música se desenvolve.

Por isso a importância de optar por uma bateria de jazz se o seu objetivo e tocar com maior exclusividade esse ritmo.

Você deve estar se perguntando qual seria a configuração de uma bateria de jazz,? o Superprof te responde!

Uma bateria de jazz é composta de:

  • Dois surdos de 10 “e 13”,
  • Um pequeno bumbo de 18 “para harmonizar com o típico contrabaixo,
  • Um tambor de 13 “,
  • Um prato de choque (chimbau/ hi-hat),
  • Um prato de condução (ride) que é muito usado no jazz,
  • Um prato de ataque (crash).

Se trata de uma bateria mais compacta, menor do que uma bateria de rock por exemplo.

No jazz, costuma-se favorecer os harmônicos, e é por isso que o bumbo soa mais agudo e é usado quase como um terceiro tom. A ressonância é “animal”!

As configurações dos instrumentos são muito importantes no jazz. As peles dos tambores e caixas costumam ser bem esticadas para produzir um som agudo e harmônico.

Geralmente, numa configuração clássica o baterista de jazz usa um tom alto e um tom baixo,o tom médio geralmente não é usado. Porém o baterista é livre para ajustar o seu equipamento como ele prefere.

Na bateria de jazz, também é importante utilizar bons pratos de condução. Esse equipamento é essencial em uma bateria de jazz e serve para conduzir a batida. Não vale a pena economizar nesse item. Aposte em um prato de boa qualidade e durabilidade.

Quanto a baquetas para tocar jazz, opte por um par de baquetas finas e leves. As vassourinhas são altamente recomendadas no jazz. Elas são assim chamadas justamente porque abertas, seu corpo tem a forma de uma vassoura.

Alguns bateristas debutantes se questionam sobre a possibilidade de se tocar jazz utilizando uma bateria eletrônica e não uma bateria acústica que é a mais recomendada.

Na realidade a bateria eletrônica faz mais o estilo da música rock, metal, funk…mas se o baterista é bom e criativo ele pode certamente improvisar.

Então, se você tem uma bateria eletrônica, dá sim para se virar nos trinta e tocar jazz com a sua bateria. Porém, para tocar jazz, a recomendação é realmente optar por uma bateria acústica.

A bateria de rock

 A música nunca pode ser ruim, digam o que digam do rock and roll. – Elvis Presley

Bateristas de rock No rock, a bateria faz quase tudo!

A bateria de rock é, na verdade, a bateria eletrônica standard. Popularizada pelos grupos de rock durante os  anos 70 e 80, a bateria de rock é a mais comum de todas, cuja configuração é standard, básica por assim dizer. Isso significa que você pode comprar uma bateria de rock já montada em qualquer loja de instrumento musical, sem distinção.

Mas é claro que você pode sempre personalizar a sua bateria de acordo com o seu estilo, fazendo ajustes, mudando a configuração, substituindo certos instrumentos por outros de melhor qualidade, por exemplo.

Agora, se você é iniciante na bateria, a configuração standard será suficiente para você começar.

Basicamente, uma bateria de rock é composta dos seguintes items:

Caixa

Pode ser de madeira ou metal, com pele de acrílico dos dois lados. Seu formato achatado garante um som seco e marcante.

Chimbal

Também conhecido como prato de choque. São dois pratos presos em uma haste, geralmente posicionada à esquerda do baterista. Pode ser tocado tanto com as baquetas quanto com o pedal. Assim como o prato de condução, produz a base da batucada

Para um som mais ressonante, é só posicionar os pratos do chimbal mais distantes um do outro!

Bumbo

É o maior tambor do kit, o que produz o som mais grave do conjunto. É o único tambor posicionado diretamente no chão e na posição vertical. É tocado exclusivamente com o pedal – normalmente acionado com o pé direito

Para socar o bumbo com mais força, o pedal deve ser pisado apenas com a ponta do pé, deixando o calcanhar suspenso

Tom-tom

As baterias costumam ter dois, um de som médio e um mais grave. Segundo os bateristas, os tom-tons dão o “charme” do batuque, graças ao som intermediário entre o grave e o agudo

O volume e a ressonância crescem de acordo com a profundidade do tambor. Ou seja, tambores mais fundos, também são mais potentes

Pratos

Existem dois tipos de pratos: de condução e de ataque. Os primeiros costumam ficar à direita do baterista e ditam o ritmo da música. Já os de ataque ficam à esquerda e produzem um som mais explosivo

Os melhores pratos do mundo são os da Turquia, com destaque para os da marca Zildjian

Baquetas

Todas as baquetas são de madeira, mas o material da sua ponta pode variar: madeira (para um som aveludado), náilon (realça os tons agudos), feltro (som suave), ou vassourinhas (timbre mais suave)

A baqueta deve ter o mesmo tamanho do seu antebraço (parte do braço que vai do cotovelo ao punho)

Surdo

Seu som só não é tão grave quanto o do bumbo. É usado para marcar o tempo e o ritmo da batucada.

Os tambores de madeiras mais porosas, como mogno ou cedro, produzem um som mais aveludado. Para um som mais vivo, prefira madeiras mais compactas, como pinho ou maple.

Para tocar rock, as peles dos instrumentos devem ser de lata qualidade para evitar que perfurem! Fique de olho.

O que é uma bateria híbrida?

Os músicos tendem a ficar entediado tocando a mesma coisa uma e outra vez, então eu acho que é natural experimentar. – Dimebag Darrell.

O que é  abateria híbrida? Toque jazz e rock na mesma bateria!

Se você não quer se limitar a um único estilo musical, então a bateria híbrida é para você!

A bateria híbrida é a junção do poder bruto da bateria acústica, e do potencial da bateria eletrônica. Dois mundos ao alcance do baterista que te total liberdade de adaptar.

Esse tipo de bateria é ideal sobretudo para os iniciantes que ainda não decidiram qual via pegar. Mas, também, é indicado para os músicos de bandas mistas.

Jazz, rock, blues, samba, metal…o baterista pode ousar e tocar todos os estilos em uma mesma apresentação utilizando a sua bateria híbrida.

Algumas baterias híbridas que fazem sucesso no mercado:

  • Bateria Híbrida Roland
  • Yamaha Gigmaker Fusion
  • Pearl Drums Export Fusion 20″
  • Tama Imperialstar Fusion :
  • Mapex Storm Fusion 20″
  • Gretsch Catalina Club Fusion

Tocar bateria sem os tambores

A música é uma arma na guerra contra infelicidade. – Jason Mraz.

Como tocar bateria só com as baquetas Uma bateria sem os tambores existe mesmo?

Para os minimalistas amantes da bateria trazemos uma boa notícia: O small drum kit, ou seja, a bateria compacta chegou para facilitar a vida dos bateristas que não possuem espaço para ter uma bateria standard.

A bateria compacta é menos espaçosa e bem mais simples de montar. Ideal para os artistas de rua, e também para apresentações em locais pequenos. A bateria compacta é completa como qualquer outra, porém, o tamanho dos instrumentos é menor do que aqueles da bateria standard.

Se você não tem espaço nem para a bateria compacta, então a solução para você é a bateria sem tambores, ou seja, o free drum, uma técnica que consiste em tocar bateria sem ter o instrumento propriamente dito. Se trata de um captador que podem ser acoplados as baquetas e que emite som de acordo com os movimentos efetuados pelo “baterista”.

Interessante não é mesmo?

Para saber mais sobre sobre os diferentes tipos de bateria e o universo batera, que tal contactar um dos nosso professores de bateria?

 

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar