Segundo o neurocientista americano Daniel Levitin, a música solicita todas as partes do cérebro. Mais especialmente o cérebro reptiliano que responde às nossas emoções mais arcaicas, impossível de controlar.

Aprender a bateria é uma ótima maneira de desenvolver sua memória e sua independência!

Mas como começar a tocar bateria sozinho?

É possível sem aulas de bateria?

A bateria sempre foi um instrumento a parte, conhecido por ser mais fácil que outros, mas é mesmo?

Douglas ladenthin
Douglas ladenthin
Profe de Bateria
5.00 5.00 (15) R$45/h
1a aula grátis!
Crhistoffer
Crhistoffer
Profe de Bateria
5.00 5.00 (4) R$30/h
1a aula grátis!
Zeca
Zeca
Profe de Bateria
5.00 5.00 (4) R$60/h
1a aula grátis!
Efraim
Efraim
Profe de Bateria
5.00 5.00 (5) R$20/h
1a aula grátis!
Nuno
Nuno
Profe de Bateria
5.00 5.00 (10) R$60/h
1a aula grátis!
Marcelo
Marcelo
Profe de Bateria
5.00 5.00 (3) R$65/h
1a aula grátis!
Gabo
Gabo
Profe de Bateria
5.00 5.00 (5) R$80/h
1a aula grátis!
Alex
Alex
Profe de Bateria
R$65/h
1a aula grátis!

Conheça os melhores métodos de bateria!

Como se tornar um melhor baterista através de livros?

Para quem não tem nenhuma noção de música, é melhor começar como um livro básico com um pouco de teoria musical. As sugestões são do blog Ritmismo.com por Vlad Rocha. Ele indicou o livro Guia Teórico Prático para o Ensino do Ditado Musical – Partes I e II de Pozzoli. Como o nome sugere, o método é adequado para iniciantes em música, bateria, mas também para quem quer se aperfeiçoar no solfejo.

Melhore sua maneira de tocar percussão
Não desista de seus exercícios de batera

Não deixe de estudar novas técnicas de batera

Portanto, ele é adequado para iniciantes, mas pode acompanhar o baterista ao longo de sua progressão graças ao seu método evolutivo. Diferentes estilos de música (rock, funk, metal…) podem ser reproduzidos em faixas de acompanhamento.

Na teoria, você nem precisa praticar a bateria para estudar esse livro.

Além de aprender a tocar bateria (como começar?), você também pode estudar os estilos musicais para progredir em seu domínio.

Time Functionning Patterns de Gary Chaffee

Esse livro em inglês é um método de bateria moderno, revolucionário e qualitativo.

Embora date de 1976, permite construir um sentido sólido do tempo graças ao trabalho do ostinato, a independência e os fraseados lineares.

No entanto, o método é exclusivamente matemático e simplificado e carece de um lado lúdico. Gary Chaffee é principalmente um graduado em ciências.

Na mesma linha, você pode encontrar os métodos de Ted Reed, Greb ou Stone.

Complete Method for Snare Drum de Ney Rosauro

Mais uma indicação do blog Ritmismo, por Vlad Rocha. O livro é em inglês  e ajuda os bateristas a melhorar suas batidas na caixa.

O método é muito educativo e explica claramente as dificuldades do instrumento.

Diferentes estilos são estudados, diferentes épocas e uma série de impressionantes exercícios técnicos fazem a qualidade desse método.

Há também muitas citações e referências culturais.

Esse método é ótimo para todos os bateristas aprendizes, uma verdadeira pérola que convida ao aprendizado.

The Language of Drumming de Benny Greb

Por que escolher um livro para melhorar na bateria? Existem muitos métodos para aprender a bateria.

Dedique-se ao seu aprendizado de batera

Uma referência em métodos de percussão, o livro de Benny Greb ensina a linguagem e o senso de groove do baterista, além do ritmo.

É um método atual e de qualidade, graças à influência do baterista Benny Greb. Esse baterista alemão é conhecido por sua técnica, sua pedagogia, mas também seu groove, sua versatilidade e sua musicalidade.

O pequeno extra do livro? São propostas várias notações e, em particular, a escrita com quadrados vazios e cheios para poder ler sem conhecer o solfejo.

Saber ler uma partitura não é obrigatório para estudar esse método de bateria.

Como ser um baterista autodidata?

Na bateria, mas também em vários tipos de aprendizado, é necessário sempre ser desafiado. Além de mentalmente, fisicamente! Por isso, uma boa sessão de bateria deve terminar com você suado! Seus músculos devem ter sentido seus esforços e, para isso, você precisa de pelo menos uma hora de prática.

Pratique sempre a percussão
Sua batera está te esperando para seus progressos!

Durante essa uma hora, como em uma sessão de esporte, você tem que se aquecer e depois fazer seus exercícios.

Também como no esporte, a bateria exige uma parcela de criatividade e inventividade.

O aquecimento toma, então, duas formas: um aquecimento corporal e um aquecimento do cérebro.

De fato, o cérebro do baterista é colocado em teste durante a sessão. É um dos instrumentos que requer maior independência.

De fato, os bateristas usam os dois hemisférios de seus cérebros, criando conexões únicas que não são encontradas em outros músicos e não-músicos.

Antes de começar a bater nos pratos e outros elementos da sua bateria Yamaha, certifique-se de ter um local dedicado ao seu treino: uma sala, um canto da sala de estar…

Sua bateria já deve estar montada. Se você tiver que montar e desmontar a cada vez, é muito menos provável que você toque…

Certifique-se de ter tudo o que precisa antes de começar a tocar: garrafa de água, partitura, lápis, caderno, vídeo ou reprodução de áudio, metrônomo, câmera…

Colocamos o telefone em modo avião e fechamos todas as guias do nosso computador para que eles não te atrapalhem em sua sessão. Caso contrário, olá procrastinação!

Uma boa sessão de bateria é dividida da seguinte maneira:

  • 10 minutos de exercícios de aquecimento para preparar seus pulsos, costas e pernas,
  • 10 minutos de aquecimento do cérebro: mantemos a batida na caixa enquanto batemos em outro instrumento com a outra mão e adicionamos o bumbo,
  • 20 a 30 minutos de exercícios de prática: nos concentramos em um exercício ou música para reproduzir, mas sempre algo que não controlamos para aumentar sua margem de progressão,
  • 10 a 20 minutos de expressividade: deixe sua imaginação ir em uma peça que não conhecemos!

Você deve sempre começar os treinos com a sua bateria sozinho com um objetivo em mente: dominar um novo rudimento, fazer uma descida de tons, trabalhar em seu ritmo, melhorar sua nuance nesse exercício…

Começando os aprendizados para ser baterista

Tocar bateria é acima de tudo ter uma boa postura. A possível armadilha quando você aprende sozinho não é prestar atenção à sua posição atrás da bateria.

Pratique percussão sempre que puder
A batera nem sempre é essencial para o aprendizado

Ainda assim, a má posição pode resultar em problemas nas costas e tendinites.

Além disso, boa posição também melhora a sua velocidade e destreza na caixa, tons e pratos.

A postura é essencial para tocar bem a bateria

Brincar na frente de um espelho permitirá que você corrija sua postura tanto no papel do aluno quanto no do professor de bateria.

A posição na sua cadeira

Você deve estar sentado na beira do banquinho para liberar suas pernas. O ângulo entre as coxas e as panturrilhas deve, portanto, ser maior que 90°.

A armadilha está entre os joelhos que devem estar ligeiramente mais altos que as coxas.

Posição nos pratos e  e na caixa

Os braços estão cruzados.

A mão direita passa sobre a mão esquerda para acertar o chimbal na borda (apenas com a ponta da baqueta).

A mão esquerda bate na caixa no centro. Ao fazer uma batida, as baquetas na caixa ficam em um ângulo ligeiramente menor que 90°.

A posição nos tons será a mesma que na caixa.

A posição no pedal do bumbo

Várias posições são possíveis. Então, vou falar sobre a posição mais lógica e isso permite mais velocidade.

Coloque a frente do seu pé na parte inferior do pedal (mais próximo do bastão) e levante o calcanhar.

O movimento é feito com toda a perna, você vai sentir sua coxa aquecer!

Você também vai sentir que está começando seu aprendizado de bateria!

A posição nos pratos

A mão direita fica perpendicular ao chão. Brincamos com a ponta da baqueta.

Nesse caso, você bate com a parte mais grossa da baqueta à esquerda do parafuso.

No prato de ataque é a mesma coisa, mas você toca apenas com a borda com a parte gorda das baquetas.

Quanto tempo é necessário para tocar bateria?

Aprender a tocar este instrumento de percussão não é vem com um piscar de olhos…

E se a bateria tem a reputação de instrumento mais fácil que outros, tire seu cavalinho da chuva. Não é.

Conseguir um bom nível na bateria exigirá tanto tempo quanto qualquer outro instrumento: guitarra, baixo, saxofone, djembê…

Dependendo do estilo de música escolhido, o groove será diferente e o ritmo terá que ser aprendido a cada vez.

O baterista é o guardião do ritmo, sem ele, os outros músicos do grupo tenderão a acelerar ou desacelerar. Você tem um papel crucial e difícil a desempenhar como baterista!

Qual é o tempo de prática diária ideal?

Idealmente, para progredir rapidamente na bateria, ela deve ser praticada uma hora e meia por dia.

Sim, tocar bateria leva tempo, quanto?

E é melhor praticar todos os dias, pelo menos 15 minutos em vez de uma vez por semana durante três horas.

Mas, mesmo que você tenha apenas 15 minutos, é melhor que nada. Sinta-se livre para bater ritmos em suas coxas, cadeira ou almofadas durante o intervalo do almoço. Isso é chamado de ruptura ativa em oposição ao intervalo passivo.

A pausa ativa permite que você deixe o seu trabalho por alguns minutos enquanto pratica alguma outra coisa (instrumento musical, desenho, foto, dança, esporte…). A pausa passiva, ao contrário, é passada na frente da tela de seu computador ou em seu celular vendo as redes sociais.

O que trabalhar na bateria?

Faça aulas de percussão para se aperfeiçoar
Aprender batera desde criança, por que não?

Como organizar sua sessão de bateria? Faça uma aula de bateria experimental para ver como o professor divide o seu tempo de curso.

Em uma sessão de bateria de uma hora, é possível dividir sua prática em quatro etapas:

  • Aquecimento do corpo por 10 minutos,
  • Aquecimento do cérebro por 10 minutos,
  • Trabalho técnico por 20-25 minutos,
  • A aplicação musical (o momento de relaxamento) por 10-15 minutos.
Precisando de um professor de Bateria ?

Você curtiu esse artigo?

0,00/5, 0 votes
Loading...

Carolina

Quero aprender italiano e espanhol, mas preciso mesmo é do inglês... Leio as plaquinhas nos museus, gosto de música e de cinema dos anos 70. De agora, só o Pablo do arrocha que serve.