Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Seja um bom violonista treinando as escalas

De Fernanda, publicado dia 28/01/2019 Blog > Música > Violão > Como aprender escalas na guitarra?

“Sentimentos bons atraem boa música. Quando estamos felizes, tudo canta!” – Henri Salvador

A música faz parte da vida cotidiana dos brasileiros: samba, rock, mpb, sertanejo, pop… A música move e muda a vida das pessoas.

Quando estamos felizes fazemos boa música ou vice-versa?

Em qualquer caso, o prazer de tocar guitarra e violão deve ser sua prioridade, não é mesmo?

Mas antes, vai demorar um pouco até aprender bem as escalas e tocar os acordes básicos com facilidade.

Uma escala musical pode ser definida como uma sequência ordenada de tons pela frequência vibratória de sons (normalmente do som de frequência mais baixa para o de frequência mais alta), que consiste na manutenção de determinados intervalos entre as suas notas.

As escalas musicais formam a base necessária para a formação de acordes e tonalidades. Além disso, pode-se utilizar mais de uma escala para formar linhas melódicas sobre uma mesma tonalidade, partindo da sonoridade de intervalos característicos, ou ainda, explorando notas de tensão apropriadas sobre as cadências harmônicas da tonalidade.

Vamos ver aqui quais são as escalas mais comuns que certamente você tocará.

Escalas de violão: o que é o cromatismo?

Por que aprender a escala cromática no violão? É uma ótima maneira de exercitar seus dedos.

Uma escala cromática é uma escala de passagem. Ela não é muito melódica, mas pode aprimorar sua técnica e render muitos exercícios.

Ela consiste em uma escala cromática de doze graus, cada um separado por um semitom.

As notas são todas separadas pelo mesmo intervalo e é impossível determinar o tom da escala. Uma escala cromática é, portanto, atonal: existe apenas uma.

Uma escala cromática compreende todas as notas e suas alterações até a oitava superior.

A escala cromática tem 12 posições possíveis. Pode ser tocada em violão ou guitarra elétrica.

A princípio, o exercício básico dos cromatismos é tocar quatro notas consecutivas na mesma corda. O objetivo é repetir o exercício em todo o braço, deslocando as notas aos poucos. Por exemplo:

  • Corda do Ré (4ª corda): indicador na casa 5, médio na casa 6, anelar na casa 7, mínimo na casa 8,
  • Corda do Sol (3ª corda): indicador na casa 5, médio na casa 6, anelar na casa 7, mínimo na casa 8,
  • Corda do Si (2ª corda): indicador na casa 5, médio na casa 6, anelar na casa 7, mínimo na casa 8,
  • Corda do Mi agudo (1ª corda): indicador na casa 5, médio na casa 6, anelar na casa 7, mínimo na casa 8,

Você também pode fazer o mesmo exercício movendo em direção aos agudos na mesma corda.

Comece com a corda Mi grave, com o dedo indicador em 4 e depois desça para a corda Mi agudo. Em seguida, mova os dedos uma casa para os agudos e suba. Então toque desse jeito até a casa 10/11. Comece devagar no início e acelere gradualmente.

Você verá, fazendo este exercício todos os dias, o progresso será perceptível e rápido.

Tenha cuidado para não começar nas casas muito graves e treine seu dedo mínimo mesmo que ele esteja fraco. Além disso, treine com a palheta em movimentos para frente e para trás, se possível.

Cada nota deve ter a mesma duração, mesmo quando você muda de corda. Sirva-se de um metrônomo para ajudar.

Além disso, cada nota deve soar corretamente e estar limpa. Faça com calma! É melhor fazê-lo com delicadeza, mas de forma ritmada, em vez de depressa e de maneira rude.

Este exercício permite que você treine sua mão esquerda exercitando e relaxando seus dedos antes de atacar a verdadeira escala cromática. Você vai trabalhar a destreza, a independência, a flexibilidade e a precisão dos dedos.

Violão: aprenda tudo sobre escala maior

Como aprender as escalas? A teoria musical é importante se você pretende ler uma partitura.

A escala maior é aquela que todos conhecem, até mesmo os não músicos, mesmo sem saber.

Faça um teste: peça a alguém para recitar uma série de notas, e ele dirá, sem dúvida:

Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si, Dó.

E é isso: essa é a famosa escala maior de Dó.

Essas notas correspondem às teclas brancas do piano. Esta é a escala de referência para todos os músicos, porque todas as outras escalas são construídas a partir da escala maior.

As diferenças vão acontecer com uma alteração de notas, removendo ou adicionando de um semitom a uma nota.

Compreender o funcionamento e estrutura da escala maior é essencial para aprender violão e as outras escalas de guitarra.

Para tocar a escala maior da guitarra, você precisa começar de uma nota.

Você pode começar com a escala maior de Dó. A nota Dó está na terceira casa e na segunda corda do braço.

A escala maior pode ser tocada horizontalmente, deslocando duas casas, duas casas, uma casa, duas casas, duas casas, duas casas, uma casa.

Conhecer a escala maior e saber como transpor é essencial para entender os intervalos nos acordes básicos e pestanas, mas também para compor e improvisar sem errar.

Confira algumas dicas antes de embarcar no estudo da escala maior:

  • Claro, comece a aprender devagar, a uma velocidade reduzida e não pule etapas,
  • Você viu que a escala maior tem 7 posições, mas não adianta aprendê-las todas de uma só vez! Concentre-se em uma posição e treine bastante ela antes de passar para a segunda, ainda estudando a primeira. Adicione as posições uma a uma sem parar de estudar as anteriores,
  • É aconselhável usar uma palheta na mão direita (ou esquerda para canhotos) com movimentos de vai e vem. Se você não está muito confortável com a palheta e com os movimentos, esta é uma ótima maneira de treinar este ponto,
  • Use seu metrônomo enquanto você estuda para progredir.

Violão: aprenda tudo sobre escala menor

Como se tornar um melhor violonista? Estude violão em todos os lugares!

Depois da escala maior de Dó, a escala menor é a segunda mais importante do sistema tonal.

Ela é um modo da escala maior. Um modo é definido pelos intervalos que separam a nota fundamental (a última) de seus diferentes graus.

Como lembrete, um intervalo é a distância entre duas notas: um tom ou semitom. No braço da guitarra, um tom corresponde a duas casas (ou dois trastes) e um semitom.

Fazer uma escala é aplicar um modo.

A escala relativa menor é construída no 6º grau da escala maior. O sexto grau da escala maior de Dó é um Lá.

Mas, para reconhecer uma escala menor, deve-se observar o intervalo entre a tônica (a primeira) e a terça (a terceira).

Na escala maior, existem dois tons, enquanto na escala menor, há apenas 1,5 tons.

Esta terça menor dá um tom melancólico à escala menor.

Falar sobre a escala menor é um abuso de linguagem. Existem vários modos menores que geram escalas menores:

  • A escala menor natural
  • A escala menor harmônica
  • A escala menor melódica

Todas as escalas menores possuem uma terça alterada (-1/2 tom). As outras notas alteradas são a sexta e a sétima.

Toda escala maior tem uma escala relativa menor: as notas entre a escala maior e sua relativa menor são as mesmas. A diferença permanece na ordem das notas e na terça menor.

Saiba como improvisar com a escala pentatônica na guitarra!

Quais escalas aprender na guitarra? A pentatônica é sua grande aliada na improvisação.

Esta é a escala conhecida para a improvisação e principalmente para os solos de guitarra. Uma pentatônica é uma escala de 5 notas, com “penta” significando cinco e “tônica” significando “notas”.

Claro, com apenas uma definição indicando 5 notas, qualquer coisa poderia ser uma escala pentatônica.

Não, mas aqui estamos falando da escala pentatônica. Na verdade, de escalas pentatônicas, porque existem duas: a escala pentatônica maior e a escala pentatônica menor.

Na linguagem comum, quando falamos da escala pentatônica, é a escala pentatônica menor.

A pentatônica, sendo escala menor ou maior, tem três grandes vantagens:

  • Ela é fácil de aprender
  • É fácil de tocar
  • Pode ser usada em muitos casos.

Não importa o estilo da música: pop, rock, reggae, blues, metal, folk… A escala pentatônica está em toda parte. É o canivete suíço do guitarrista.

A escala pentatônica menor

A escala pentatônica menor é a escala mais importante quando se fala em guitarra de rock. Também é comumente chamada de escala do rock ou escala de solo.

Contém 5 notas e a terça é menor, ou seja, o intervalo entre a tônica (primeira nota) e a terça é de 1,5 tons.

A estrutura da escala pentatônica menor é a seguinte:

  • I a III: 1,5 tom,
  • III a IV: 1 tom,
  • IV a V: 1 tom,
  • V a VII: 1,5 tom
  • VII a I: 1 tom.

Você percebeu que temos graus I, III, IV, V e VII. Os graus II e VI não fazem parte da escala pentatônica menor.

A escala pentatônica maior

A escala pentatônica maior é uma escala pentatônica menor que começa na terça da pentatônica menor. O esquema da posição 1 da pentatônica maior é o mesmo que a posição 2 da pentatônica menor.

Chama-se maior porque sua terça é maior, isto é, o intervalo entre o tônico e a terça é de dois tons.

Uma escala pentatônica maior não é nada mais do que uma escala diatônica maior com 7 notas (heptatônicas) sem semitons.

A estrutura da escala pentatônica maior é, portanto, a seguinte:

  • I a II: 1 tom
  • II a III: 1 tom,
  • III a V: 1,5 tom,
  • V a VI: 1 tom,
  • VI a I: 1,5 tom.
Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar