Um músico não precisa necessariamente de uma técnica para compartilhar suas emoções com a plateia. Ele precisa somente de um senso de ritmo. Prova disso é o quanto uma música bem tocada envolve a todos ao redor. É claro que o aprendizado técnico é importante para qualquer músico, independentemente do seu nível no instrumento, mas ele não deve se sobressair a algumas outras qualidades que são igualmente importantes na construção de uma carreira sólida na música. Qualquer músico, ainda que iniciante, é capaz de chegar a esse patamar e aprender a tocar acordes perfeitos, aqueles que são capazes de conquistar grandes públicos. O reconhecimento é o próximo passo... mas ele só vem com o tempo! Podemos dizer que o ritmo é 50% do sucesso da música. O restante pode ser dividido entre técnica, aprendizado e toque pessoal. Mas não tenha dúvidas: você precisa de todos esses ingredientes para fazer sucesso com sua música. E além disso, ainda será necessário uma boa dose de bom-senso para medir a quantidade de cada um deles.

Por que o ritmo é primordial na guitarra?

O ritmo está fortemente ligado à temporalidade. Mas tenha a certeza de que, quando se aprende a tocar violão, é possível aprender a dominar o ritmo. No entanto, ter uma noção de ritmo nem sempre é fácil para todos. Ainda que você não tenha nascido com essa característica, ela pode ser desenvolvida a partir dos estudos.

Ritmo é algo que se conquista
Não se engane! Para tocar guitarra será necessário ter ritmo.
E a evolução é algo muito pessoal nesse caso. Alguns terão que trabalhar horas e horas para entender como um ritmo se decompõe quando outros terão que aprender teoria musical para conseguir assimilar um ritmo particular. O importante é não se comparar aos demais e seguir da forma que for melhor para você. De qualquer forma, ouvir bem é essencial para entender como o ritmo funciona. Dominar o ritmo da guitarra é dominar a música. Para você entender melhor como isso acontece, tente ler um texto sem pontuação e sem espaço... simplesmente com as letras. Épossívelmasvocêvaiperceberoquantoserádifícilcompreenderosentidonaausênciadepontosepausas. Fazer música simplesmente tocando notas daria a mesma impressão. É necessário se concentrar para reconhecer uma música, sem deixar espaço para delongas. O ritmo é o que dá significado à música. A duração das notas, os silêncios, a identidade rítmica, os tempos altos e os tempos baixos, todos os elementos presentes possibilitam dar vida às notas. Sem ritmo, sem improvisação, sem composição e especialmente sem emoção, a música não transmitirá sua mensagem. Infelizmente, na guitarra elétrica ou no violão, o guitarrista iniciante tenderá a deixar o ritmo para segundo plano, em favor de aprender acordes básicos e o padrão melódico. No entanto, um bom professor de violão fará da aprendizagem do ritmo da guitarra uma prioridade. Além da postura e posição das mãos nas cordas e no braço da guitarra, o ritmo é um dos três pilares fundamentais a serem ensinados no início do aprendizado de violão. Sem ritmo, você não poderá tocar com uma banda: suas músicas ficarão sem alma e você não se sairá bem em uma apresentação, por exemplo. O ritmo permite que você toque guitarra de maneira natural, desenvolva seu ouvido musical e seja livre para compor e improvisar. É claro que aprender guitarra também significa aprender elementos da música, mas tudo será mais fácil se você dominar o ritmo perfeitamente. E isso é válido para todos os instrumentos musicais, é claro (exceto talvez na música clássica, mas reforçamos que ainda assim isso é discutível).

O que é ritmo binário e ritmo ternário?

Os ritmos na guitarra geralmente são divididos em duas categorias principais: o ritmo binário e o ritmo ternário. Para quem ainda está para começar os estudos, pode ser que falar nisso soe estranhamente. Mas não é preciso ter medo de não conseguir aprender: basta entender como essa questão funciona e você verá que não se trata de nenhum "bicho de sete cabeças".

Ritmo com três batidas
O ritmo ternário (três acordes) é mais cíclico que o binário.
Para entender melhor, você precisa saber um pouco sobre teoria musical:

  • Uma rodada = 4 batidas de musicas
  • Uma branca = 2 batidas
  • Meio tique = 1/2 batida,
  • Uma décima sexta nota = 1/4 de batida
  • Uma quíntupla oitava nota = 1/16 de tempo.

Para ajudá-lo a entender, o tempo é dado pelo metrônomo. Cada clique do metrônomo, não importa o tempo que você escolher, corresponderá a uma batida musica. Encontre aulas de violão no Superprof! Em uma medição com 4 compassos, por exemplo, um conta de 1 a 4. Conhecendo esses conceitos básicos, fica mais fácil entender as diferenças entre o ritmo binário e o ternário. Por mais óbvio que pareça, podemos dizer que um ritmo binário é dividido em dois, enquanto um ritmo ternário é dividido em três. O ritmo binário é usado em 99% da música ouvida no rádio (pop, rock, funk, reggae). Geralmente ele é marcado 2/4 ou 4/4 em uma partitura de violão. Um ritmo ternário é marcado com 3/4, 3/8 ou até 6/8. (musicas ritmo pop rock violão) Com vontade de fazer aulas de ritmos de violão?

O guitarrista de rock pesado precisa espancar a guitarra!
Ritmo rock violão: hard rock e metal precisam de um som de guitarra mais agressivo.
Nessas marcações, o denominador indica a divisão do tempo, enquanto o numerador indica o número de batidas. Em um ritmo binário, cada batida é equivalente à anterior. Os destaques estão no primeiro e no terceiro. Em um ritmo ternário, há três colcheias e a batida forte será sempre localizada na primeira batida. Para saber se você está lidando com um ritmo binário ou ternário, não há segredo, você tem que ouvir com atenção. Com o tempo você perceberá como ficará mais fácil identificar do que se trata. Primeiro, comece tocando e depois tente contar 3 ou 4 batidas. É claro que você só poderá contar 3 batidas de musicas em um ritmo ternário e 4 (ou um múltiplo de dois) em um ritmo binário. Para ajudá-lo, entenda que o ritmo ternário é usado quase sistematicamente na guitarra jazz, blues e às vezes no rock. O ritmo binário será mais quadrado enquanto o ritmo ternário será mais cíclico, mais redondo. No Superprof você encontra aulas de violão para iniciantes!

O que é a decima sexta nota da guitarra?

Uma décima sexta nota equivale a um quarto de hora. Há 16 semicolcheias em uma medida de quatro batidas, por exemplo. Um tremor é igual a duas semicolcheias. Nós tocamos duas vezes mais rápido quando tocamos a décima sexta nota na guitarra, comparado a quando tocamos a oitava, por exemplo. O mediador deve funcionar em todos os tempos e nos contra-tempos, mas também entre um tempo e um contra-tempo.

Aprenda a tocar por completo
A décima sexta nota é algo necessário a todo músico.
Concretamente, isso significa que entre 1 e 2, você deve arranhar as cordas da guitarra 3 vezes. Entre o primeiro clique e o segundo clique do seu metrônomo, você terá riscado 3 vezes. Esse é o grande segredo! Para contar as décimas sextas notas, é melhor usar um método de guitarra diferente dos números, para não correr o risco de se perder entre as medições. Contamos então: 1 e e a, 2 e e a, 3 e e a, 4 e e a. Tenha cuidado para deixar o mesmo intervalo de tempo entre cada décima sexta nota, para que o seu ritmo seja regular. Você pode treinar primeiro em ritmo baixo para dar tempo ao seu cérebro de assimilar o gesto e o modo de contar, que com o tempo se tornarão automáticos. Tente inserir oitavas e semínimas entre as suas dezesseis notas: você vai perceber como isso fará toda a diferença nos resultados. Certifique-se de praticar sempre regularmente (de preferência todos os dias) para progredir no violão e não apenas uma hora por semana durante as aulas com seu professor. Ainda que as aulas convencionais aconteçam uma única vez por semana, você precisa estudar todos os dias.

Quais os melhores ritmos para aprender guitarra?

Antes de embarcar no ritmo de aprendizagem, é aconselhável aprender a dominar o movimento do pêndulo. Permita-se manter um movimento regular da mão direita (ou da mão esquerda, se você for canhoto), mesmo quando não estiver tocando nas cordas. Então, para praticar, comece com a oitava nota, isto é, em todo o tempo e no contra-tempo, raspando para cima e para baixo, para cima e para baixo, num movimento de vai e volta. Então, pratique para arranhar as cordas apenas para baixo, nos tempos. Mantenha o movimento do pêndulo para subir sem tocar nas cordas. Finalmente, faça o oposto: raspe as cordas apenas nos contra-tempos. Uma vez que estes três exercícios estejam perfeitamente feitos e integrados, você estará preparado para mudar para um ritmo mais complicado. Tenha cuidado para não querer queimar as etapas, por maior que seja a sua ansiedade para evoluirGradualmente, aumente a velocidade do seu metrônomo para dar ao seu cérebro tempo para memorizar todos os gestos de um ritmo. É importante atingir um nível elevado na etapa anterior para só então partir para a próxima. É assim que se constrói bases sólidas para o aprendizado. Aqui estão os ritmos básicos da guitarra, que podem ser encontrados em muitas músicas e que servem como um bom ponto de partida ​​para improvisar e compor:

  • O popular;
  • A balada;
  • A valsa;
  • O country;
  • O bolero;
  • O reggae.

Como tocar um reggae
Amantes do reggae podem, sim, tocá-lo no violão.
O groove vem em grande parte do ritmo que se pode tocar na guitarra. É importante, até mesmo essencial, trabalhar quando você quer dominar um dos muitos instrumentos de corda e especialmente a guitarra iniciante. No jazz fusion, bossa nova, rumba, ou mesmo na música de Led Zeppelin ou Eric Clapton, você encontrará ritmos particulares que fazem a riqueza dessas músicas. Então aguente firme, você pode chegar lá com muito trabalho e perseverança! Quer conhecer as melhores musicas de violão para iniciantes?

O ritmo sertanejo no violão

Como aprender violão?
Quais os ritmos violao sertanejo? Aprenda a tocar a batida de sertanejo perfeita! video aula violao sertanejo
O sertanejo e a batida sertaneja com certeza é um dos estilos musicais mais populares no Brasil. A música sertaneja é um gênero musical produzido a partir da década de 1910 por compositores urbanos, rurais e outros chamada genericamente de modas e emboladas cujo som da viola é predominante. O sertanejo é atualmente o mais popular estilo musical no Brasil, superando inclusive o samba, na maioria dos estados do país (especialmente São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Tocantins). Mas o que muitas pessoas não sabem é que ele pode ser classificado em quatro fases que se seguiram ao longo dos anos na música brasileira:

  • Primeira fase - Música Caipira ou Música Sertaneja Raiz (ou também moda de viola, modão, música caipira). As músicas eram compostas por uma introdução de instrumento, breve ou longa, e as músicas eram em estilo modas de viola que falavam do universo sertanejo. As letras evocavam o modo de vida do homem do interior (muitas vezes em oposição à vida do homem da cidade). Exemplos de representantes: Cornélio Pires ("pai da música caipira")  Alvarenga e Ranchinho, Torres e Florêncio, Tonico e Tinoco, Vieira e Vieirinha
  • Segunda fase - Fase de transição. Nessa fase, constatamos uma mudança no estilo, que vai ganhando um ritmo um pouco mais melancólico, com inspirações amorosas. Exemplos de representantes: José Fortuna, Pena Branca e Xavantinho, Milionário e José Rico. 
  • Terceira fase - Sertanejo Romântico. Eram alternados solos e duetos para apresentar as canções, algumas em ritmo de balada, onde sua principal mensagem era o amor. Nessa fase muitos instrumentos do rock foram incorporados ao estilo, para deixar o ritmo mais animado. Exemplos de representantes: Sérgio Reis, Roberta Miranda, Trio Parada Dura, Chitãozinho & Xororó, João Mineiro & Marciano, Matogrosso & Mathias, Leandro & Leonardo, Zezé Di Camargo & Luciano, Rionegro & Solimões, Felipe & Falcão, Chrystian & Ralf, João Paulo & Daniel, Chico Rey & Paraná, Gian & Giovani, Rick & Renner, Gilberto & Gilmar, Cezar & Paulinho, Rionegro & Solimões,  As Mineirinhas e As Marcianas
  • Quarta fase - Sertanejo Universitário. Incluiu as batidas e a estética do country americano, bem como temáticas românticas e urbanas. É um ritmo feito para ser dançado em bailes e festas. Exemplos de representantes: Bruno & Marrone, Bruno & Barretto, César Menotti & Fabiano, Cristiano Araújo, Edson & Hudson, Eduardo Costa, Felipe Araújo, Fernando & Sorocaba, Fred & Gustavo, Guilherme & Santiago, Gusttavo Lima, Henrique & Diego, Henrique & Juliano, Israel Novaes, Jads & Jadson, João Bosco & Vinícius, João Neto & Frederico, Jorge & Mateus, Loubet, Luan Santana, Lucas Lucco, Maiara & Maraisa, Marcos & Belutti, Maria Cecília & Rodolfo, Marília Mendonça, Matheus e Kauan, Michel Teló, Munhoz & Mariano, Paula Fernandes, Naiara Azevedo, Simone & Simaria, Thaeme & Thiago, Thiago Brava, Victor & Leo, Zé Felipe, Zé Neto & Cristiano

Existem alguns críticos e especialistas de música (e até mesmo alguns cantores) dizem que esses ritmos violao sertanejo não são fazem parte do mesmo movimento, e os classificam em modelos musicais separados.

A palavra "sertanejo" provém de sertão, termo popular que se dá no Brasil a certos locais afastados, longe das cidades, porém essa denominação é de certa forma errônea, pois no dia a dia do brasileiro e na arte não-musical "sertão" e "sertanejo" são mais relacionados com o Nordeste do Brasil, aonde ameríndios e mais tarde colonizadores portugueses e escravos africanos encontraram uma vegetação de savana e clima semi-árido, aonde mais tarde houve a dominação política dos chamados "coronéis", obrigando a desenvolver uma cultura de resistência, do matuto, legitimamente sertaneja, conhecedor da caatinga.

COmo aprender a tocar violão?
Qual a diferença entre a baitda do pop, a batida do rock e a batida do sertanejo? Descubra fazendo uma aula de violão!
Podemos afirmar que a batida sertaneja é relativamente simples e muito similar à batida do rock. Vamos agora dar um exemplo de como tocar um ritmo sertanejo violao! Confira nossas dicas para a batida perfeita:

  • Você pode usar a palheta ou a mão
  • Para começar, na primeira parte, você vai tocar três batidas para baixo nas cordas soltas. Repita algumas vezes o exercício
  • No segundo movimento, em vez de bater nas cordas soltas, você vai abafar as cordas ao tocar a batida;
  • Para fazer esse abafamento, você vai encostar a mão nas cordas e segure elas;
  • Portanto, as três batidas ficam: uma vez para baixo com as cordas soltas, a segunda cordas abafadas, a terceira batida com as cordas soltas;
  • Em seguida, na segunda parte, você vai alternar os movimentos: primeira batida de cima para baixo nas cordas soltas, segunda batida de baixo para cima com as cordas soltas, terceira batida de cima para baixo com as cordas soltas;
  • Para treinar, sempre conte um quando começar a primeira batida.

  Por fim, recorremos ao portal Maiores e melhores e indicamos abaixo o top 20 das melhores músicas atuais de sertanejo para você treinar suas batidas de violão! Ouça e se inspire!

1 - Cem Mil, Gusttavo Lima

Esse sucesso de Gusttavo Lima fala daquele sentimento meio confuso que quem já teve um grande amor conhece bem: a gente quer evitar a outra pessoa, chega a até falar mal dela, mas sabe que no fundo, lá no fundo, o amor ainda é forte, a ponto de fazer a gente perdoar todos os erros para reviver aqueles momentos inesquecíveis.

2 - Atrasadinha, Felipe Araújo e Ferrugem

Essa parceria é do final de 2018, mas com certeza pode ser considerado um dos grandes hits de 2019 e 2020. Num mix de sertanejo com pagode, a letra conta uma história de paixão avassaladora. É que às vezes a paixão é tão grande que não dá para esperar. Todas as formalidades e rituais ficam em segundo plano quando dá aquela vontade irresistível de beijar a outra pessoa. E daí que é o primeiro encontro?

3 - Tijolão, Jorge & Mateus

A internet trouxe coisas ótimas para as nossas vidas - disso ninguém duvida. Mas tem horas que a gente até pensa em largar mão de todas as vantagens modernas só para não ter que ver certas coisas nas redes sociais. Para não sofrer vendo os posts do ex-amor, tem gente que que jogar trocar o smartphone pelo velho tijolão.

4 - Quando a Bad Bater, Luan Santana

Grande sucesso de 2019, Quando a Bad Bater narra um momento crítico de um relacionamento que está por um triz. O refrão é um misto de advertência com súplica desesperada para que a outra pessoa não vá embora. Afinal, ela "Não vai saber o que fazer / Quando a bad bater".

5 - Bebaça, Marília Mendonça

Bebaça, como o próprio nome já diz, conta a história de uma bebedeira inesquecível - mas inesquecível só para quem estava junto, porque a amiga bebaça, que subiu na mesa e chegou até a paquerar o garçom, não lembra de absolutamente nada... Tudo isso na voz do fenômeno sertanejo chamado Marília Mendonça. Nesta versão, Marília Mendonça conta com a participação da dupla Maiara & Maraísa.

Como aprender guitarra?
Durante suas aulas particulares de violão, qual é a melhor posição para tocar suas batidas?

6 - Cara Feio, Fernando & Sorocaba

Essa dupla vem emplacando sucessos já há um bom tempo, pelo menos desde 2008. Cara Feio, apesar da dor de cotovelo, é daqueles hits que o público canta em coro nos shows, indo ao delírio no refrão: "Aí bebi, chorei / Quando eu vi minha ex / Beijando aquele cara feio / Ô bicho feio".

7 - Igual Ela Só Uma, Wesley Safadão

O super bem-sucedido Wesley Safadão é um especialista em produzir grandes hits, como os velhos conhecidos Camarote e Meu Coração Deu PT. O sucesso da vez é um elogio da namorada atual e um xô pra tentação. Afinal, "Igual ela só uma, igual você tem cem".

8 - Rapariga Digital, Naiara Azevedo

Da mesma forma que o celular invadiu as nossas vidas, ele invadiu a música brasileira. Selfies, compartilhamento de fotos, redes sociais, tudo isso faz parte do universo musical, principalmente o sertanejo. Nessa música, Naiara Azevedo conta uma história cada vez mais comum nos dias de hoje: uma briga de casal que começou quando um dos dois flagrou conversas proibidas no celular do outro. Como diz a música, "Quer conhecer uma pessoa pega o celular dela".

9 - Jenifer, Gabriel Diniz

Um verdadeiro estouro na voz do saudoso Gabriel Diniz, Jenifer retrata uma discussão entre possíveis ex-namorados provocada pela foto de uma mulher no celular - mulher que, como sabemos, se chama Jenifer, ele conheceu no Tinder e até poderia ser sua namorada. Impossível não cantar esse refrão delicioso!

10 - Vou Ter Que Superar, Matheus & Kauan

A música lenta combina com o tema: a tristeza e o arrependimento após o fim de um relacionamento. Dorzinha de cotovelo gostosa para ouvir e dançar a dois, ou para chorar as pitangas sozinho (a) lembrando da pessoa que um dia já fez parte da sua vida. Mas a vida continua. E, como diz a letra, "Vou ter que superar". A música já é boa, mas com participação especial da Marília Mendonça fica melhor ainda!

Precisando de um professor de Violão ?

Você curtiu esse artigo?

5,00/5, 1 votes
Loading...

Marcia

Jornalista. Professora. Tradutora. Bailarina. Mãe. Mulher. Dedicada às minhas lutas diárias. Em constante transformação. Escrevo para vencer as inquietações e incertezas da vida.