Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Melhores estratégias para se estudar Física

De Myla, publicado dia 11/10/2019 Blog > Apoio Escolar > Física > Descubra os mais eficientes macetes para você aprender as exatas

A Física, por lidar com os fenômenos naturais que atuam sob a matéria – a natureza – ao longo do tempo e do espaço, é, deveras, uma de nossas disciplinas mais estimulantes e profícuas. Pena que nem sempre nós somos apresentados à ela da maneira apropriada ou por meio do uso de uma didática fidedigna, quando estamos ainda dando nossos passos no ensino médio.

Na condição de sermos então muito jovens, pré-adolescentes, talvez meio rebeldes, quiçá meio alienados, normalmente nos deixamos influenciar por uma série de razões externas ao nos posicionarmos sobre algo.

No entanto, quando aprendemos a Física de forma apropriada, carregada de significado e aplicações práticas no mundo e no nosso dia a dia, essa disciplina se torna algo pulsante e edificante, já que colhemos bons resultados pelo seu estudo.

Pensando nisso, trazemos aqui algumas das melhores dicas – testadas e aprovadas – para que você seja bem-sucedido nesse aprendizado diligente, curioso e cheio de entusiasmo! Venha conferir!

O que é a Física?

Bom, como já dissemos, posto de forma simples, a física é um ramo das ciências naturais que examina os fenômenos ocorridos na matéria ao longo do espaço e do tempo.

Só isso? Parece pouca coisa, né?! Mas não é!

Quanto mais formos capazes de contextualizarmos as leis e princípios da física, de os aplicarmos de forma prática, mais a física fará sentido dentro de nossa cabecinha!

Você já parou para pensar na infinidade de fenômenos naturais que ocorrem ao redor do mundo a cada dia? E que, a partir deles, é possível ao homem inventar desde viagens de aviões, a navios singrando os mares e a luz que emana de uma lâmpada, por exemplo?

Cada um desses acontecimentos ilustra uma área da Física e envolve vários outros fenômenos e leis naturais e universais que contribuem para que o homem viva melhor equipado em meio à natureza que o cerca.

Aproveite e veja dicas de como obter bons resultados nas aulas de física!

Como estudar Física?

Um dos principais imbróglios que os alunos apontam em relação à física sustém-se em sua dificuldade em aliar teoria e prática. Ficar decorando macetes sem entender o significado não leva a lugar algum. Daí a total perda de interesse ou letargia que vários alunos possuem acerca da disciplina.

Em outras palavras, a falta de proximidade com o conteúdo, a inabilidade de poder contextualizá-lo, torna-se algo preocupante e inviabiliza um bom desempenho do estudante nessa disciplina. E talvez até em outras correlatas, como geometria e matemática.

Dito isso, ensinar ao aluno ou a nós mesmos a investirmos em nosso senso de curiosidade é um bom ponto de partida!

Confira algumas super técnicas para que você seja capaz de calcular fórmulas de física mentalmente!

Você já parou para pensar que foi somente após a revolução do conhecimento humano deflagrada pelo Renascimento e a Revolução Científica que a Física teve seus ramos e áreas de atuação melhor definidos?

Quando entendemos, por exemplo, o que faz uma lâmpada ficar acesa, emitindo luz, em vista dos princípios da física, tudo fica mais divertido e – o mais importante – e mais palpável.

Saber edificar essa proximidade com o conteúdo, os princípios, leis e conceitos da física com a realidade do dia a dia do aluno é que é o pulo do gato! Quando o olhar do estudante entende as aplicações práticas de vários dos ramos da física, essa disciplina começa a ficar cada vez mais interessante. A curiosidade do estudante gera a vontade de aprender mais, de estudar e entender o conteúdo. Esse é um processo que se desenvolve naturalmente.

Manter frequentes revisões de conteúdo também é necessário. Aquele aluno que deixa pra estudar toda a matéria dada dois dias antes da prova pode até, talvez, não ir tão mal, uma vez ou outra. No entanto, definitivamente, ele não está aprendendo, de fato, o conteúdo.

A gente aprende quando a gente memoriza – quando introjetamos tanto o assunto que o sabemos de cima a baixo, a torto e a direito  – e aprendemos quando tecemos nossa própria linha de raciocínio ao desenvolver a solução de um problema.

Identifique os tipos de fenômenos físicos

Para tudo precisamos de base, de um conhecimento que lance os princípios de determinada disciplina, não é mesmo? No caso da Física, a sua base, os seus fundamentos basilares, encontra-se na Mecânica (Cinemática, Dinâmica e Movimento Circular), Ondulatória, Termodinâmica e no Eletromagnetismo – também conhecidos como Física Clássica.

Em seguida à Física Clássica, temos a Física Moderna, o conjunto de teorias surgidas no início do século XX. Esse repertório teórico despontou com a Mecânica Quântica e a Teoria da Relatividade. Ocorreram muitas alterações no entendimento científico vigente e, destas duas teorias resultaram significativas alterações no entendimento das noções do espaço, tempo, medida, causalidade, simultaneidade, trajetória e localidade.

Um bom exemplo nessa área são os trabalhos de Einstein, que em 1905 publica a Teoria da Relatividade Restrita. Nesse trabalho Einstein abandona a ideia clássica que se tinha sobre a simultaneidade, em decorrência da finitude da velocidade de transmissão das interações eletromagnéticas. A simultaneidade, portanto, passa a depender do referencial que se adota para a análise de determinado fenômeno físico.

Dessa forma, segundo o Wikipedia, a invariância da velocidade da luzcorrespondendo precisamente à velocidade de transmissão das interações – resulta que as noções de espaço e tempo se mesclam em um novo conceito, o espaço-tempo.

Venha conferir passo a passo como você pode melhorar em física!

Dito isto, um dos passos mais importantes que todo aluno deve fazer é saber bem identificar qual das grandes áreas da Física relatadas há pouco o enunciado de uma questão aborda. Isso pode parecer algo bem básico ou bobo mas não é e veja o porquê.

Após a interpretação do enunciado da questão, o passo seguinte é você buscar nele os dados fornecidos, separando-os e os destacando.

Isso tem a ver com a interpretação. Quando não identificamos o que o enunciado quer dizer, fica quase que impossível resolver a questão. Posto de outra forma, se você não sabe qual o assunto que a questão aborda, você não saberá qual o contexto do problema e nem qual a problemática que ele incita.

Portanto, é nessa hora que você deve permanecer muito atento: leia atentamente o enunciado, identifique as palavras-chave, indicativas de qual assunto a questão trata e desenhe o problema.

Observe que o desenho é parte fundamental à resolução da questão. E, de quebra, ele te permite um melhor entendimento do enunciado e diminui sua ansiedade inicial, já que, se você estiver com a matéria em dia, os passos para a resolução começam a pipocar em sua mente.

Até esse passo, a resolução das questões de física dependem apenas do seu conhecimento teórico em relação ao assunto abordado. O que, como já vimos, não é pouca coisa!

Dicas para arrasar em Física

É sempre legal quando a exposição do conteúdo é realizada de forma mais lúdica e criativa! E é para isso que temos os laboratórios de física, locais onde podemos gerenciar vários tipos de experimentos de física, no ensino médio, por exemplo.

Como já dissemos, uma física mais interativa geralmente é também uma física mais fácil, mais dinâmica, e de assimilação do conteúdo notoriamente mais fluida e eficiente.

Além disso, se você puder contar com a orientação de um experiente professor de física e do apoio de aulas particulares, é muito provável que você avançará em passos largos nessa disciplina. A comunidade Superprof é especializada em unir professor gabaritado e aluno interessado. E isso é feito de forma muito segura, rápida e eficiente.

A presença de um professor acelera e personaliza o processo. Ele ajuda você a identificar dificuldades e você opta por um profissional que atenda o seu perfil, adequando-se a suas necessidades e objetivos neste estudo.

Venha ver nossas dicas para que você tenha sucesso com a física!

Estudar todo o conteúdo da matéria de física de uma vez, poucos dias antes da avaliação, não é nada esperto de nossa parte. Na realidade é algo contra-produtivo. Já o estudo frequente realmente abre as portas para um aprendizado mais eficiente e fluido.

Bom, dito isso, veja agora várias dicas simples e eficazes para que você seja bem-sucedido em física:

  1. Observe que a sua opinião e o conceito científico são coisas diferentes.
  2. Corrija o que você notar que seus amigos falam que não está correto – mas, antes, corrija você mesmo.
  3. Pratique muito a teoria com bastantes exercícios.
  4. Identifique e organize todas as informações dadas nos enunciados das questões.
  5. Não tenha preguiça! Desenhe os corpos envolvidos e os vetores de força.
  6. Faça um esforço para que as fórmulas façam algum sentido para você.
  7. Fundamental: entenda, e muito bem, como o conceito se relaciona com o dia a dia.
  8. Procure uma relação entre o assunto e cenas de filmes. É uma ótima forma de integrar o conhecimento!
  9. Desenvolva o hábito de analisar e criticar (sem formação de julgamentos que em nada ajudam) cenas de filmes de ação.
  10. Procure com frequência diferentes referências para estudar. Nunca conte com apenas um material didático ou de exposição teórica.

Ao praticar bem essas dicas você começa a superar uma das maiores dificuldades que os estudantes apontam acerca da ciência de Einstein: a falta de habilidade em aliar teoria e prática.

E muito disso é resultado de aulas ou materiais que apenas nos informam as fórmulas da física e as notações matemáticas, sem sequer explicar de onde vem essa teoria em seus conceitos e fundamentos. Sempre que possível, fuja de material assim.

Aguce seu senso de curiosidade e lembre que revisões frequentes do conteúdo é uma das melhores táticas de sucesso, para quaisquer matérias ou áreas do conhecimento humano. Estudar apenas de véspera comprovadamente não funciona e é uma tática empregada para aqueles que estão com a corda apertada ao pescoço.

Embora o costume de revisar todo o conteúdo somente antes da prova ainda seja algo bem praticado, se você é um aluno dedicado e inteligente, não incorrerá nessa prática. As revisões recorrentes e frequentes não deixam que a matéria fique acumulada, dão tranquilidade ao estudante e são mais facilmente assimiladas em seu conteúdo, sedimentando-o no conhecimento do estudante.

Como estudar Física para tirar ótimas notas?

Diante desse vasto repertório de assuntos a serem estudados, talvez seja um pouco difícil, de início, saber por onde começar e como estudar de forma eficiente, aprendendo de fato. Pensando nisso, listamos os passos a seguir que garantirão que você pontue muito bem nas avaliações de física!

Aos poucos você começa a perceber que a Física não é aquele bicho papão que tantos pregam! Ainda mais quando pode contar com um experiente professor.

  • Monitoramento: Aprenda a monitorar o seu progresso no estudo. Além de ele não deixar que você fique com matéria acumulada, já que você possui um plano de estudos assíduos, você poderá identificar áreas onde ainda tem mais dificuldade e buscar saná-las com seu professor.
  • Correção de fluxo: Falando em dificuldades, elas, normalmente exigem mais tempo de nós. E muito mais vale tomarmos mais tempo elucidando uma dúvida ou um assunto que ainda não dominamos bem do que saltar esse ponto e deixar para lidar com ele em algum momento mais para a frente. Essa não é uma boa tática, definitivamente!
  • Aprendizagem significativa: É a aprendizagem de fato, a que deveria ser praxe em qualquer momento de estudo mas sabemos que nem sempre é assim. Muitos alunos, lamentavelmente, ainda preferem apenas decorar fórmulas e macetes e ficar repetindo-os como um papagaio, do que, realmente, efetuar uma compreensão sólida do assunto até dominá-lo muito bem. É assim que vamos nos tornando fera na matéria!
  • Tutoria com um professor engajado e qualificado: Quando você pode contar com a orientação de um professor experiente, seu aprendizado flui de maneira mais fácil e eficaz. Escolha um profissional que se adeque ao seu perfil, e que esteja a par de seus objetivos e necessidades com essa tutoria. Além disso, você também se manterá mais focado, evitando perda de tempo nos estudos.

Como aprender Física com essas dicas de “ouro”

Dica 1: Comece pelo básico.

A gente bem sabe que a Física se divide em áreas menores de conhecimento – mecânica, eletromagnetismo, termodinâmica, ondulatória e óptica –  explicaremos isso melhor um pouco mais à frente. Portanto, é essencial que conheçamos os conceitos fundamentais de cada área, fortalecendo, assim, a nossa base.

Quando você for dar início ao estudo dessas áreas, comece criando mapas conceituais ou mapas mentais. Eles contribuem para a organização das ideias e a memorização dos conceitos.

 

Poder contar com a tutoria de um professor particular, profissional gabaritado e experiente só irá aumentar as suas chances de se tornar um fera em Física!

Dica 2: Melhore suas habilidades matemáticas

As duas maiores dificuldades em se aprender física são a inabilidade dos alunos em interpretar o enunciado e também os conceitos físicos. A segunda dificuldade porreta está na na matemática, ou melhor, nas lacunas importantes do conhecimento matemático individual de cada aluno que afetam o seu desempenho.

Portanto, melhore suas habilidades nessa área. A Física incorpora muitos conceitos básicos matemáticos e, dessa forma, a resolução de problemas depende de sua destreza na matemática. Observe só, as frações, notações científicas, potenciação, geometria, conversão de unidades e, claro, o domínio das operações básicas são esteios basilares da matemática que também são aplicados na física.

Dica 3: Crie 0 hábito de estudar diariamente

Cultivar uma rotina diária de estudos não é lorota! Quando você se compromete a cumprir um tempo mínimo de estudo todos os dias, talvez pareça difícil apenas no começo, sem muita demora ela se transforma em hábito. E você começa a progredir em seus estudos e conhecimentos.

Você perceberá que, ao revisar o conteúdo ensinado em sala de aula, o seu raciocínio se torna mais afiado, mais desenvolto e mais dinâmico. Você notou a quantidade de “mais” nessa última frase? Tudo melhora! Ponha, portanto, a sua rotina de estudos em prática e teste o que dissemos aqui.

Dica 4: Encontre um professor de física experiente

A orientação personalizada de um professor gabaritado e experiente te faz ganhar tempo e dinamismo nos seus estudos. Para ele, é mais fácil identificar lacunas e más interpretações de conceitos acerca da matéria em sua bagagem como aluno. Existem, também, várias outras vantagens em se poder contar com uma tutoria individual de um professor.

Quais são as áreas da Física mais abordadas no ENEM

Bem, a princípio, e apenas a título didático, na Física, existem a Física Clássica e a Física Moderna. A primeira compreende a Mecânica Clássica, Ondulatória, Termodinâmica, e o Eletromagnetismo. A segunda, a Física moderna, abrange a Relatividade e Mecânica Quântica. A seguir, temos a Física Pura e Aplicada e, por fim, a Física teórica e a experimental.

E aí, você gostaria de saber como ter uma boa nota em física no vestibular?

A Física estuda os fenômenos naturais que ocorrem na matéria. Ela conta com o amparo do método científico e da lógica, além da matemática e de outras disciplinas.

Por aí já deu para perceber o quão vasto é o conteúdo e as áreas de atuação dessa disciplina. No entanto, em relação ao Vestibular, podemos descrever os principais assuntos abordados, os mais recorrentes, nas questões dos exames.

1. Mecânica: Esse é um dos tópicos mais extensos da disciplina e tem como campo de estudo os conceitos acerca do movimento dos corpos, da energia e das forças que atuam sobre a matéria. A Mecânica está dividida nas seguintes subseções: Cinemática (estuda e classifica os diferentes tipos de movimento, discriminados entre uniforme, uniformemente variado e circular); Dinâmica (tem a função de compreender as forças atuantes sobre o objeto e se apoia nas 3 Leis de Newton); Estática (avalia os fatores que levam um corpo a se manter em equilíbrio ou em repouso até o momento em que alguma força o faça entrar em movimento).

2. Trabalho, Potência e Energia (esses 3 tópicos estão entre os mais abordados nas questões de vestibular e são, também, os que mais exigem atenção dos alunos. Grosso modo, o Trabalho mede a quantidade de energia recebida ou liberada por um corpo quando colocado em deslocamento por determinada força. A Potência, por sua vez, relaciona-se à forma como a energia é transformada, isto é, a velocidade com a qual  o trabalho é realizado).

3. Hidrostática e Hidrodinâmica (trata-se do estudo da água e dos gases. No entanto, enquanto a Hidrostática avalia a pressão e o equilíbrio dos corpos submetidos à ação da gravidade, a Hidrodinâmica estuda os mesmos gases e líquidos, só que agora em situação de repouso).

4. Termologia (lida com as leis da termodinâmica, as trocas de calor e as transformações encadeadas pelas mudanças de temperatura e pressão).

5. Magnetismo e eletromagnetismo (o Magnetismo compreende a relação de atração e repulsão dos ímãs e de determinados metais a partir da existência de um polo positivo e outro negativo. Já o Eletromagnetismo estuda a presença de um campo magnético e de cargas elétricas que se movimentam nesse espaço). Nos exames seletivos, é comum questões ligadas à bússolas e ao campo magnético natural do nosso planeta. Contudo, vale sempre a pena que você se aprofunde, também, nos exercícios de física acerca dos campos magnéticos para evitar cair nas “pegadinhas”.

6. Eletricidade: foca no estudo das cargas elétricas e possui duas subseções: Eletrostática (avalia os efeitos produzidos por cargas elétricas em estado de repouso) e Eletrodinâmica (ao contrário da primeira, analisa as cargas elétricas em movimento).

7. Óptica: lidam com os fenômenos de refração e reflexão da luz e afins. Você já parou para pensar em que ponto se formam as sombras? Ou quais os tipos de lente existentes e como elas funcionam? E, além, quais seriam as características das imagens formadas nos espelhos? Esses são alguns dos assuntos abordados nessa subseção do estudo. A boa notícia, você sabe, é que os enunciados são acompanhados por ilustrações, que te ajudam a visualizar melhor as situações descritas nos problemas e facilitam a resolução.

8. Ondulatória: é responsável pelo estudo das ondas, especialmente as ondas mecânicas – como o movimento do mar – até as ondas eletromagnéticas – como a luz – e as ondas sonoras. Quando for estudar, fique de olho nas diferentes classificações de onda, no conceito do efeito Doppler e conheça muito bem a equação fundamental da ondulatória, responsável por mensurar os comprimentos de onda e a sua frequência.

Ufa! Agora que você está a par de tantas dicas e sugestões, que tal escolher algumas com as quais mais se identifica e colocá-las em prática? Garantimos que você irá progredir bastante em seus estudos e sem sentir que tem feito aquele penoso esforço!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar