A dança é uma das mais perfeitas formas de comunicação com a Inteligência Infinita.

Paulo Coelho

Bem sabemos que viver exclusivamente de sua paixão é o sonho de todos os artistas!

E, pensando nisso, existe uma parcela de dançarinos que opta por seguir uma carreira profissional de ensino de dança para poder transmitir seus conhecimentos e sua experiência adquirida ao longo dos anos a outros iniciantes, interessados e estudantes.

No entanto, em geral, ter um bom nível técnico de dança não é mais o suficiente para ser selecionado em uma ótima escola de dança.

Como em qualquer outra profissão, a dança tem seus próprios diplomas, que são essenciais em alguns casos!

Interessado no assunto? Venha descobrir quais as qualificações que você deve galgar para se tornar um professor de dança!

Karenina
Karenina
Profe de Dança
5.00 5.00 (22) R$120/h
1a aula grátis!
Bárbara
Bárbara
Profe de Dança
5.00 5.00 (19) R$90/h
1a aula grátis!
Patricia
Patricia
Profe de Dança
5.00 5.00 (18) R$75/h
1a aula grátis!
Priscila
Priscila
Profe de Dança
5.00 5.00 (9) R$120/h
1a aula grátis!
Carolina
Carolina
Profe de Dança
5.00 5.00 (12) R$80/h
1a aula grátis!
Erika
Erika
Profe de Dança
5.00 5.00 (7) R$85/h
1a aula grátis!
Elaine
Elaine
Profe de Dança
5.00 5.00 (5) R$100/h
1a aula grátis!
Kyo
Kyo
Profe de Dança
5.00 5.00 (2) R$60/h
1a aula grátis!

As vantagens de ter um diploma de dança

Antes de mais nada, seu primeiro passo é a necessidade de você definir o estilo de dança que pretende ensinar. Uma boa dica é a que você escolha aquele estilo familiar com o qual você tenha mais experiência e facilidade.

Danças mais tradicionais, como o balé clássico, exigem um maior tempo de preparação, mais certificações e testes. Outros estilos mais populares costumam exigir menos, como, por exemplo, a aula de zumba: basta fazer um curso de curta duração que você já pode atuar como instrutor de dança nessa modalidade.

Mas nós vamos ser bem claros aqui: em todos os casos, a formação ideal para aquele que deseja ensinar dança — não importa em qual contexto — é o curso de licenciatura em dança.

Conhecimento teórico, estágio e ambiente universitário

Será que podemos afirmar que, após você concluir a sua formação superior de dança, você estará com o queijo e a faca na mão? Reflita sobre isso, pois cada escolha leva a um caminho.

Como melhorar a dança espanhola autodidata?
Liberte seu corpo e sua mente com aulas de dança! Ela une o consciente e o inconsciente de forma lúdica e eficaz!

A licenciatura em dança é sempre a formação mais indicada. Ela não é importante apenas para o currículo, mas oferece uma bagagem teórica que inclui a origem e o significado dos estilos de dança, as questões físicas, como a anatomia dos movimentos, além de importantes lições de didática.

Para saber como ensinar, o professor não deve se contentar em conhecer um estilo de dança específico, mas também apresentar didática, seriedade e conhecimento em música...

Com 4 anos de duração, a estrutura curricular de um curso de licenciatura em dança pode variar em função da universidade. Aqui estão alguns conteúdos que você pode descobrir ao estudar a arte da dança mais a fundo:

  • Abordagens e Lógicas da Dança
  • Laboratório de Investigação do Movimento
  • História das Artes
  • Anátomo-Fisiologia
  • Métodos e Técnicas de Pesquisa
  • Teoria e Análise do Movimento
  • História da Dança
  • Psicologia da Educação
  • Prática de Pesquisa
  • Didática Geral
  • Comportamento Motor
  • Laboratório de Criação
  • Ensino da Dança
  • Cinesiologia Aplicada à Dança
  • Org. Educacionais Contemporâneas
  • Estágio Supervisionado
  • Filosofia
  • Antropologia do Corpo

Além de adquirir uma bagagem teórica importante, na matriz curricular você também vai precisar realizar um estágio, o que é muito importante para seu aprendizado e sua experiência com dança.

Por fim, o ambiente universitário: nada mais enriquecedor do ponto de vista de construção do conhecimento, mas também do ponto de vista social. Você vai encontrar futuros professores como você, fazer novas amizades, trocar experiências e informações que lhe serão muito úteis na sua carreira.

Estão ali, no contexto acadêmico, todas no mesmo espaço pessoas que comungam dos mesmos interesses e habilidades que você, portanto, trata-se de uma excelente oportunidade de crescimento profissional e também pessoal.

Tenha mais credibilidade com os alunos

Você já parou para pensar sobre o que seria de um professor sem diploma? E quais seriam os seus conceitos e julgamentos em relação a isso?

Além de ser obrigatório em alguns casos, o diploma universitário representa uma certificação de habilidades de ensino, o que vai tranquilizar os seus alunos — em escolas, academias, instituições ou em suas aulas particulares, em grupo ou individuais.

Nesse versátil universo da dança, é realmente necessário estabelecer uma relação de confiança entre aluno e professor: esta relação pode, naturalmente, ser construída à medida que as aulas são aprendidas, e o fato de ter um diploma acadêmico reconhecido pelo MEC, claro, torna mais fácil atrair a atenção de futuros aprendizes.

Para ganhar credibilidade com os alunos, os professores de dança também podem:

  • Possuir muita experiência como dançarino profissional,
  • Fazer parte de uma companhia de dança,
  • Dar aulas de dança em companhias/academias profissionais,
  • Ter avaliações positivas em seu perfil na plataforma da comunidade Superprof, especializada em aulas particulares,
  • Dominar vários estilos de dança, etc.

Alguns professores podem, portanto, se beneficiar de um boca a boca entre estudantes, o que nunca irá deixar de ser uma das melhores ferramentas de marketing, mesmo tendo ou não diplomas no bolso!

Muitos alunos iniciantes não exigem diploma dos professores em caso de aulas de iniciação à dança ou uma primeira aula experimental de dança.

Por outro lado, estudantes de escolas, companhias ou academias de dança que desejam melhorar a linguagem corporal exigem professores qualificados e formados: tudo depende da estrutura onde você quer ensinar e quais os seus objetivos!

Escolher onde quer trabalhar

Quais as vantagens de se formar em dança?
Como licenciado em dança, você tem mais liberdade de escolher em qual escola pode atuar.

Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB, Lei nº 9.394/96, a arte é reconhecida como disciplina obrigatória no currículo escolar da Educação Básica, e a dança apresenta-se como uma das linguagens artísticas a serem desenvolvidas nas escolas.

Podemos afirmar que a graduação superior em dança —licenciatura abre muitas portas, não importa em qual estrutura você deseja atuar como professor. 

O licenciado em dança pode atuar na educação formal pública e privada, do ensino infantil ao ensino médio; ministrar cursos livres em academias, estúdios, escolas de dança, companhias de dança profissionais, clubes, fundações, empresas, espaços públicos, organizações não-governamentais e outros; participar de projetos de inclusão social e ações positivas diversificadas; simplesmente atuar como profissional autônomo, ou seja, professor particular; na produção artística, como dançarino-intérprete-criador, coreógrafo, diretor artístico, dramaturgo, corpos de baile, casas e espaços alternativos de espetáculo, teatros e espaços de interação social, lazer e cultura; na produção cultural em produção, formação e difusão artística e cultural; instituições públicas e privadas; na construção do conhecimento, em pesquisas e estudos em dança e educação, em linguagem do movimento, em documentação e história da dança, cinesiologia, novas tecnologias, estudos culturais, dentre outras áreas.

Nada mal, hein?

Apesar disso, é importante reforçar: em todos os casos acima, a licenciatura em dança é formação exigida para lecionar em escolas de educação infantil, ensino fundamental e ensino médio, públicas ou privadas. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) define que todo professor deve ser formado em pedagogia ou em uma licenciatura para poder dar aula de zumba, forró ou qualquer outra dança. É necessário, portanto, aprender um pouco de metodologia e pedagogia para se tornar um professor de dança mais completo na transmissão dos ensinamentos.

Em companhias de dança ou academias pode ser um diferencial de peso ou uma exigência, tudo depende da instituição e do seu vínculo com o governo.

Como obter o diploma para se tornar um professor de dança?

Segundo dados publicados na Sinopse Estatística da Educação Superior, trabalho realizado pelo Inep, o Brasil conta atualmente com 27 instituições de ensino superior públicas e privadas que ofertam o curso de licenciatura em dança. No ano de 2016, essas instituições formaram 320 professores de dança.

As universidades em geral adotam o vestibular ou o Enem para selecionar seus candidatos e aplicam também um teste de habilidades específicas.

Lembre-se: o curso de graduação em dança tem duas habilitações:

  • bacharelado forma profissionais habilitados a participar de espetáculos e a pesquisar novas linguagens na dança, com disciplinas práticas de técnicas de dança, música, voz e acrobacia, e teóricas, como comunicação e expressão, anatomia e psicologia.
  • Já a licenciatura, que é a titulação da maior parte dos cursos, qualifica para o ensino e conta com matérias específicas da área, como fundamentos da ação pedagógica e gestão em ambientes educativos. Na maioria das instituições, ao final do curso, o aluno deve apresentar uma monografia ou produção em dança.

Onde estudar

Confira os 7 melhores cursos de graduação em dança do Brasil:

Nome da faculdadeEstrelas
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)★★★★★
Universidade Anhembi Morumbi★★★★
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)★★★★
Faculdade Angel Vianna (FAV), no Rio de Janeiro★★★★
Faculdade de Artes do Paraná (FAP), em Curitiba★★★★
Universidade do Estado do Amazonas (UEA)★★★★
Universidade Federal de Viçosa (UFV)★★★★

* lista organizada por estado e ordem alfabética *dados do Guia do Estudante — Profissões Vestibular 2013.

O Ministério da Educação recomenda que a universidade tenha uma infraestrutura mínima para receber os estudantes de dança, com Biblioteca Técnica; Laboratório de Informática e de Multimeios; Laboratório de Pesquisa; Teatro; Oficina Cenográfica; Oficina de Iluminação; Espaço para Cenografia e Figurino. Não perca tempo e informe-se junto à instituição de seu interesse!

Karenina
Karenina
Profe de Dança
5.00 5.00 (22) R$120/h
1a aula grátis!
Bárbara
Bárbara
Profe de Dança
5.00 5.00 (19) R$90/h
1a aula grátis!
Patricia
Patricia
Profe de Dança
5.00 5.00 (18) R$75/h
1a aula grátis!
Priscila
Priscila
Profe de Dança
5.00 5.00 (9) R$120/h
1a aula grátis!
Carolina
Carolina
Profe de Dança
5.00 5.00 (12) R$80/h
1a aula grátis!
Erika
Erika
Profe de Dança
5.00 5.00 (7) R$85/h
1a aula grátis!
Elaine
Elaine
Profe de Dança
5.00 5.00 (5) R$100/h
1a aula grátis!
Kyo
Kyo
Profe de Dança
5.00 5.00 (2) R$60/h
1a aula grátis!

Como ensinar dança sem diplomas?

Se você deseja transmitir sua paixão pela dança, mas você não possui nenhum diploma, não entre em pânico: embora com um escopo menor de abrangência, é possível lecionar sem ser formado.

Onde você pode aprender a dançar breakdancing?
Alguns registros revelam que a dança de rua se fortaleceu no Brasil em torno de 1991. Mais especificamente, na cidade de Santos, graças ao coreógrafo Marcelo Cirino, que conduziu um processo de “abrasileirisimo” da dança de rua, em especial o Breaking – modalidade pertencente às street dances.

Em primeiro lugar, a lei que exige a formação superior para o ensino da dança diz respeito apenas à educação formal (educação infantil ao ensino médio). Agora, caso você não tenha passado no vestibular ou não teve condições de se graduar, você ainda pode atuar como professor particular de dança ou em algumas escolas e estúdios de dança que não exijam o diploma universitário.

Seja qual for o seu estilo de dança:

  • Dança latina
  • Dança de salão
  • Salsa cubana ou salsa porto-riquenha
  • Dança africana
  • Danças orientais
  • Chá-chá-chá
  • Rumba
  • Xaxado
  • Merengue
  • aula de Zumba
  • Flamenco
  • Tango
  • Rock n' roll
  • Country/Sertanejo

Pensando nisso, saiba que dar aulas particulares de dança tem muitas vantagens:

  • Liberdade para ensinar para grupos ou ministrar aulas personalizadas,
  • Flexibilidade de horários,
  • Ensino para todos os níveis de dança,
  • Diversidade no perfil de alunos,
  • Flexibilidade para lecionar diferentes estilos de dança
  • Acompanhamento regular do aluno,
  • Aprofundar / desenvolver sua própria metodologia de ensino,
  • Dependendo de sua agenda e reconhecimento, pode ganhar mais do que em escolas de dança.

Na comunidade Superprof, nossos professores ganham uma média de 77 reais por hora de aula de dança! Falando nisso você sabia que por meio da plataforma da Superprof você consegue descobrir, de forma ágil e segura, quais os melhores profissionais de dança que atuam próximos à sua casa? Sim, isso é possível e pode ser feito de forma rápida e eficiente. Você consegue até escolher o perfil do profissional mediante o que você tem em mente, suas necessidades e objetivos.

Nessa comunidade, é acima de tudo a experiência do professor que é valorizada. Em seu perfil, o professor pode indicar se possui ou não diplomas, mas também sua carreira, suas experiências e projetos, tão bem como outros cursos frequentados.

E aí, animou? Que tal cadastrar seu perfil de professor de dança nessa comunidade ainda hoje?

A Dança, juntamente com a Música e o Teatro integram as artes cênicas criadas desde antes da Antiguidade. Todas lidam com as expressões artísticas e íntimas dos praticantes.

Entenda um pouco melhor a história da dança

Todos nós sabemos que a dança pode existir como manifestação artística ou como forma de divertimento ou cerimônia. Quem já não dançou de alegria, mesmo que por apenas alguns segundos, quando um acontecimento muito especial aconteceu em sua vida?

Dessa forma, a dança é também um veículo de expressão dos sentimentos do praticante. Dependendo da modalidade e do engajamento do dançarino, ele pode conseguir acessar sentimentos e sensações mais profundos e, de fato, alcançar estados de expressão artística e íntima bem profundos.

Já pensando na história que a dança tem traçado até hoje, podemos considerá-la uma das três principais artes cênicas da Antiguidade. Junto à Dança, existem ainda o Teatro e a Música.

Alguns fatos curiosos ilustram essa sinergia entre expressão artística, religiosa e espiritual. No Egito Antigo, já ocorriam as chamadas danças astro-teológicas, em devoção e homenagem ao deus Osíris, a deidade egípcia que inventou a agricultura e com isso, catalisou a criação da civilização. Na Grécia, a dança era comumente vinculada à celebração dos jogos, em especial aos jogos olímpicos.

A dança utiliza o corpo como ferramenta de expressão e sensação. Este segue movimentos previamente estabelecidos, que chamamos hoje de coreografia, ou improvisados, a dança livre. E não é à toa que na maioria dos casos, a dança realizada com movimentos ritmados ao som e compasso de uma música envolve, de forma geral, a expressão de sentimentos catalisados por ela.

Hoje a dança manifesta-se de diversas maneiras e também nas ruas, em celebrações como o carnaval e afins. A mídia tem contribuído muito para a disseminação da dança nas redes sociais e na televisão. Milhares de vídeos no You Tube, séries de tv, vlogs, documentários e produções de grupos artísticos independentes ou de grande porte, enfim, nunca antes foi tão fácil ter acesso a materiais que abordam a dança em nosso dia a dia.

Foi através do balé clássico que as narrativas e ambientes fictícios começaram a guiar as cenas.

Não se sabe exatamente quando se deu o surgimento da dança, mas isso ocorreu ainda nos primórdios da história da humanidade, por volta da Pré-História, quando os homens já batiam cadencialmente seus pés no chão.

A progressão natural evolui com o passar do tempo, imprimindo maior intensidade aos sons, descobrindo que eram capazes de criar diferentes ritmos, harmonizando-os com os passos e as mãos, através das palmas e de outros movimentos rítmicos.

No entanto, a história da dança cênica já representa uma mudança de significação de intenções e propósitos artísticos ao longo do tempo. Foi com o Balé Clássico que as narrativas e ambientes ficcionais e ilusórios começaram a guiar as cenas.

Algum tempo depois, por meio das transformações sociais do Modernismo, algumas vertentes começaram a questionar certos virtuosismos presentes no balé e isso abriu caminho para os diferentes movimentos de Dança Moderna com os quais contamos hoje.

Observe que nesse momento, o contexto social influenciava significativamente nas realizações artísticas da época. Isso acabou tornando a Dança Moderna Americana sendo bem diferente da Dança Moderna Europeia, embora ambas contemplem de elementos em comum.

Já atualmente, na Dança Contemporânea está presente uma forte influência da mídia, através das possibilidades tecnológicas, como vídeos e instalações. Outro ponto que também exerceu e tem exercido influência provém das então novas condições sociais, com o crescente individualmismo, urbanização, propagação e o papel cada vez mais fundamental das mídias e redes sociais.

Classificação e gêneros de dança

A expressão da dança é algo tão vasto que às vezes fica difícil categorizar todas as possibilidades. No entanto, podemos nos guiar em relação a certos critérios já estabelecidos.

  1. Quanto ao modo de dançar:
  • Dança solo: por ex., coreografia de solista no balé, no sapateado, samba, etc.
  • Dança em dupla: ex., tango, salsa, samba de casal, valsa, forró, kizomba, etc.
  • Dança em grupo: danças circulares ou de roda, sapateado, gavota, etc.

2. Quanto à origem:

  • Dança folclórica: ex., reisado, congado, catira, carimbó.
  • Dança histórica: sarabanda, gavota, bourré, etc.
  • Dança cerimonial: danças rituaus indianas, tailandesas, etc.
  • Dança tribal ou étnica: danças tradicionais de países ou regiões étnicas.

3. Quanto à finalidade:

  • Dança erótica: ex., pole dance, striptease e can can.
  • Dança cênica ou performática: ex., balé, dança contemporânea, dança do ventre, sapateado.
  • Dança social: ex., dança de salão, axé music, dança tradicional.
  • Dança religiosa ou profética: dança Sufi.
  • Dança coreografada: dança de Bodas, Debutantes, Casamento.
A dança pode ter as mais diversas intenções e finalidades, como as danças de cunho cerimonial. A Dança Bharatanatyam é um exemplo dessas rituais.

Apenas no início dos anos 1920, a dança começou a ser considerada também uma disciplina acadêmica. Foram criadas matérias e disciplinas como dança prática, teoria crítica, análise musical e história, dentre várias outras.

Somente no final do século XX que esses estudos tornaram-se parte integrante de muitos programas de artes e humanidades nas universidades e faculdades, incluindo:

  • Prática profissional: performance e habilidades técnicas.
  • Prática de pesquisa: performance e coreografia.
  • Etnocoreografia: cobre os aspectos de dança relacionados à Antropologia, Estudos Culturais, Estudos de Gênero, Estudos de Área, Teoria Pós-Colonial, Etnografia, etc.
  • Dançaterapia ou terapia através de movimentos de dança.
  • Dança e tecnologia: novos meios de comunicação e o avanço das tecnologias.
  • Análise de Movimento de Laban e estudos somáticos.

Como já comentamos, dependendo do objetivo do aluno, graus acadêmicos estão disponíveis desde o Bacharelado ao Doutorado e também Programas de Pós-Doutorado, nos quais alguns estudiosos de dança vêm fazendo os seus estudos como estudantes maduros, após a uma carreira profissional bem sucedida.

Além disso, temos ainda a competição de dança, um evento organizado no qual um número de concorrentes executa danças em frente a um juíz ou juízes, com a intenção de vencer o prêmios em dinheiro.

Dessa forma, danças competitivas abrangem uma variedade de modalidades, desde o hip hop até à dança lírica. Sapateado, dança popular, dança acro, jazz, balé, hip hop.

Existem, também, as competições abertas, que contam com uma diversa e ampla variedade de estilos de dança. Um bom exemplo é o programa de tv So you think you can dance. Já em se tratando de dança esportiva, que é algo focado exclusivamente em dança de salão e dança latina, bons exemplos são os programas Dancing with the Stars e Bailando por um Sonho.

E, por fim, existem as competições de estio único, como por exemplo, a dança escocesa, a dança de equipe (dance squad) e a alegre dança irlandesa. Todas essas permitem apenas um único estilo de dança.

Bom, e agora que você já está mais por dentro de como a dança se desenvolveu ao longo da história, que talv você encontrar os mais competentes professores de dança próximos à sua residência realizando uma simples busca na plataforma Superprof?

Garantimos que você não irá se arrepender!

Precisando de um professor de Dança ?

Você curtiu esse artigo?

3,70/5, 10 votes
Loading...

Fernanda

Apaixonada por educação, música e cinema, é especialista nos encontros e desencontros das línguas.