Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

As bermudas de pugilista: evolução e preços

De Fernando, publicado dia 01/04/2018 Blog > Esporte > Boxe > Qual a roupa certa para o boxe?

Hoje, qualquer boxeador aspirante ansioso para manter a sua forma física na academia de boxe deve comprar o equipamento completo de boxe: luvas de boxe, luvas internas ou bandagens, protetores de boca, caneleiras, protetores genitais, capacete de boxe, cotoveleiras, joelheiras e tornozeleiras (para boxe tailandês e full contact), calções de boxe e sapatilhas.

Dizem que a lenda da NBA Michael Jordan sempre guardou embaixo de seus shorts de basquete – que no início de sua carreira eram mais justos e curtos do que os atuais, mais parecidos com bermudas – a bandeira dos North Carolina Tar Heels desde a sua primeira vitória na liga estudantil em 1982.

No mundo do basquete, ele criou a moda de usar shorts mais soltos. Até os anos 1970-1980, os shorts de basquete eram sempre apertados, e o ano de 1989 – e a chegada de “Air Jordan” ao Chicago Bulls – viu a chegada dos shorts no meio do caminho, mais folgados.

E quanto ao código de vestuário no ringue de boxe ou em um campo de esportes no século 20?

Vamos comentar um pouco sobre os shorts esportivos ao longo da história do esporte: comprimento, estilo, fatores de evolução da moda, as grandes marcas e sem esquecer os estilos e os preços atuais.

Aqui está uma história de shorts de boxe, esse acessório indispensável para a boa prática desse esporte de combate.

Mantendo o conforto e o movimento no esporte Os shorts de basquetebol hoje são mais compridos

Breve história: de calças curtas a bermudas

Os calções como que usamos hoje para a prática de esportes apareceram no final do século 19. E é apenas nos anos de 1930 que é generalizado como uma roupa confortável para se sentir melhor quando está calor.

Antes do aparecimento dos shorts, literalmente traduzido como “curtos”, esta peça de roupa era chamada de calça curta.

Era uma roupa exclusivamente masculina, que cobria a parte inferior do corpo e as duas coxas. Gradualmente, o comprimento das pernas da peça variava de acordo com os modos, hábitos e costumes das sucessivas épocas.

Até a década de 1950, era a roupa favorita usada para vestir garotos até a adolescência, no verão ou no inverno.

Como um rito de iniciação, a transição de shorts para calças marcou a transição de menino para homem tendo atingido a idade adulta durante muito tempo.

Hoje, não podemos imaginar chegar ao ginásio completamente cobertos e ainda usando toda uma série de equipamentos de proteção, como patas de urso, um escudo de golpes e calças apertadas e até os joelhos (ou até os pés!).

Em vez disso, colocamos shorts soltos, sejam para esportes de combate ou esportes de contato – boxe francês, boxe inglês, boxe tailandês, boxe chinês (kung fu), boxe americano, artes marciais mistas e em quase todos os esportes.

Sob o Antigo Regime, calças justas eram o emblema da nobreza, ao contrário dos sans-culottes, grupo muito atuante na Revolução Francesa, os pobres do Terceiro Estado que usavam calças compridas e largas, também chamadas de braies.

As calças compridas estavam dissociadas das calças curtas. Então, pouco a pouco, no final do século 19, o significado da palavra “shorts” mudou para a roupa leve que é usada quando se pratica uma atividade esportiva.

No século XIX, a Grã-Bretanha é a principal potência do mundo: por meio de sua hegemonia cultural, influencia as tendências da moda. E a arte de vestir-se da nobreza se espalha pelas classes aristocráticas e burguesas, e depois se difunde em todas as classes sociais.

No século 20, o exército britânico, então operando nas Bermudas, foi autorizado a encurtar o uniforme para combater as temperaturas tropicais quentes: esta prática deu o nome de “bermuda” para a peça de roupa não tão curta.

Quanto mais o tempo passa, mais curtas as peças foram indo desde o topo do joelho até atingir o meio das coxas na década de 1920. Era então ainda mais no inverno do que no verão. Shorts, no entanto, permanecem exclusivamente usados ​​pelos atletas.

Dos anos 1950 aos anos 1970, a moda era curta e apertada. Costuradas em lã, tecido, veludo, flanela ou couro (ou algodão e linho em nosso clima tropical brasileiro), as calças curtas são mais refinadas que as bermudas esportivas.

Diversas causas sociais explicam a generalização das bermudas como uma peça de conforto, como a implantação de feriados remunerados e a indústria de moda mais acessível, que aproveita para criar novos mercados.

Saiba mais sobre os protetores bucais, equipamentos simples, mas muito eficientes para o boxe.

a mobilidade do atleta importa muito As roupas esportivas mudaram muito com o passar do tempo

A evolução dos calções e equipamentos esportivos

O sportswear, como são chamadas as roupas esportivas, em todas as disciplinas, como futebol, basquete, vôlei, tênis, etc, evoluiu tremendamente durante o século XX.

Por exemplo, quando o futebol foi criado sob o domínio da rainha Vitória na Inglaterra (década de 1860), as equipes não usavam camisetas, mas suas próprias roupas.

Os jogadores usavam calças compridas e  largas, que usavam com cintos de couro – ainda não havia cinto elástico ou suspensórios – mas ainda não tinham bermudas.

Quando o futebol foi criado, foi a Football Association, entidade inglesa que controla o esporte e é a mais antiga associação de futebol do mundo,  que removeu as regras que exigiam que os jogadores usassem calças até os joelhos.

No final da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos são os credores da Europa: a economia florescente dos EUA domina o comércio internacional, financia a reconstrução pós-guerra e exporta maciçamente a cultura americana.

Empresas multinacionais de esportes e patrocinadores estão engajados na produção e comercialização de equipamentos e acessórios esportivos, incluindo camisetas e roupas esportivas.

Calçados de boxe, caneleiras, shorts, camisetas e bolsas esportivas tornam-se propriedade das grandes marcas e isso passa a impor novos estilos de equipamento desportivo, incluindo calções. .

Das décadas de 1970 a 1990, os jogadores de futebol usavam shorts esportivos curtos ou muito curtos, que frequentemente iam até a parte superior das coxas e possuíam pequenas fendas para facilitar o movimento.

Esse modo também reflete o processo de liberalização e emancipação da moral e o desejo de liberdade se estendia ao esporte.

use suas bermudas também no esporte As roupas mais curtas vão além das férias

Hoje em dia, mesmo com a sociedade considerando bastante aceitável a exposição do corpo no esporte, estamos testemunhando um retorno aos longos shortsde boxe.

No boxe ou no boxe francês, os shorts ficam soltos e vão até a parte de cima do joelho. A vantagem de um short de boxe solto é que ele permite um footwork rápido sem ser incomodado por costuras muito apertadas.

Eles possuem uma ampla cintura elástica em faixa acima dos quadris, para não incentivar concorrentes a bater abaixo da cintura e, em seguida, em última análise,  para evitar ferir o seu adversário naquela região.

No treinamento de boxe tailandês, por outro lado, os shorts dos competidores que lutam no combate corpo-a-corpo no dojo costumam ser mais e mais curtos. Assim como no MMA, esporte em que alguns dos lutadores usam shorts bem mais colados ao corpo, facilitando o movimento e diminuindo as áreas em que o adversário pode utilizar para facilitar os golpes.

Que tipo de calção de boxe comprar e a que preço?

Depois de se juntar ao seu novo clube de boxe para o treinamento semanal, vem a fatídica questão de comprar equipamentos de boxe : novos sapatos de boxe franceses ou sapatilhas para a modalidade inglesa, toda a proteção de boxe necessária, shorts e camisetas, etc.

Ok, mas o que escolher?

Há muitos tipos de calções em lojas de artigos esportivos , e no tatame, você não quer aparecer para um novato que foi errado clube de boxe! Evite comprar um short de boxe inglês se você se juntar a um clube de artes marciais chinesas ou ao MMA.

E qual marca priorizar? É melhor escolher o que cabe no seu bolso e que é confortável do que focar apenas em marcas.

Veja se seu professor de boxe pode aconselhar essa etapa de compra de seu equipamento de boxe. Anote bem as considerações e não deixe de comparar preços. Na web, existem muitos vendedores e isso pode ajudar muito na sua pesquisa.

é importante que o lutador se sinta confortável O modelo dos shorts de boxeador é mais longo

Encontramos nas mesmas lojas em que é possível adquirir uma corda de pular , um protetor bucal , uma caneleira ou um capacete de boxe. Seja nas grandes redes de materiais esportivos ou no seu clube de boxe, sempre é possível escolher entre as diversas opções. Os sites são ótimas fontes para pesquisas de preços e facilitam para quem não tem tempo ou acesso para encontrar seu short ideal.

Do lado das marcas, encontramos marcas das mais variadas e com diversos preços, como Pretorian, Outshok, Adidas, Boxe Metal, Venum, Everlast, Fairtex, America, Fuji Mae, Coral, Nike…

Para o boxeador amador – boxe, boxe tailandês, etc. – você pode investir menos e escolher opções entre R$50 e R$ 90 em shorts de poliéster projetados para treinamento e competição.

Sua pesquisa encontrará itens de R$100 até R$150, mas isso vai variar muito de acordo com a loja e uma série de princípios, como:

  • A qualidade do material,
  • O corte dos calções: fendas ou não, comprimento,
  • O tecido: alta densidade, ultra-leve ou não, elástico flexível na cintura, elástico na cintura e cordão ou não,
  • Costuras reforçadas.

O boxeador precisa estar preparado e os shorts ou bermudas são parte do equipamento – assim como os capacetes protetores de cabeça. A performance não será impactada pelo preço do equipamento, por isso, pesquise e encontre opções econômicas para a sua prática esportiva.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar