Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Os grandes nomes do boxe feminino

De Glicia, publicado dia 24/02/2019 Blog > Esporte > Boxe > Quem são as maiores boxeadoras do mundo?

Praticado em academias, ou mesmo profissionalmente, o boxe tem grandes atletas femininas conhecidas mundialmente. No Brasil, nomes como Adriana Salles, primeira campeã brasileira da categoria  boxe feminino, e Duda Yankovich, nascida na Sérvia, naturalizada brasileira, campeã mundial em 2006 pela WIBA  (Women’s International Boxing Association) se destacam.

Apesar dos preconceitos que muitas boxeadoras ainda sofrem e da falta de patrocínio, o esporte continua se destacando entre as mulheres. Segundo dados da Federação Paulista de Boxe, mais de 70% dos alunos de boxe em academias do estado de São Paulo são do sexo feminino.

Historicamente, o boxe sempre foi um esporte masculino. Antiga arte marcial que surgiu na Grécia por volta do século VIII a.C, o boxe é derivado do pugilato e do pancrácio. No pugilato, os lutadores podiam atacar somente com os punhos, já o pancrácio era uma combinação da luta e do pugilato, sendo o seu resultado uma prova extremamente violenta.

Desde a antiguidade até o surgimento do boxe moderno, esta era uma disciplina totalmente reservada aos homens, associada à preparação física para a guerra ou ao entretenimento masculino. Apenas em meados do século XIX o boxe foi classificado como um esporte de combate e fez sua primeira aparição nos Jogos Olímpicos de 1920.

Os tempos mudaram (felizmente!) e as mentalidades estão evoluindo. Hoje em dia muitas mulheres escolhem o boxe como esporte e brilham nos ringues do mundo. Vem descobrir quem são elas!

Quer saber tudo sobre o universo do boxe?

As grandes campeãs de boxe: um conquista para as mulheres

Elas lutam boxe profissional, adoram vestir suas luvas e acertar um saco de pancadas! São mulheres com vários anos de prática por trás delas, assim como uma extraordinária preparação física.

E elas conquistaram medalhas e títulos! Um breve compilado dos nomes do boxe feminino que ganharam (e continuam ganhando) destaque.

mulheres que praticam boxe Você conhece as mulheres que se destacaram no boxe feminino?

Myriam Lamare e Sarah Ourahmoune: uma dupla francesa

Ao contrário de um campeão mundial masculino, como Mayweather Jr., as performances de boxe feminino são menos divulgadas e mediatizadas. E isso por uma razão simples: as mulheres só passaram a ter acesso às grandes competições de boxe no final da década de 1990, o que é particularmente recente.

A primeira a abrir o caminho é a francesa Myriam Lamare, que totaliza 23 lutas profissionais, incluindo apenas 3 derrotas. Ela também é campeã mundial de pesos-leves: WBA (entre 2004 e 2006), WBF (2009 a 2011) e IBF (2011). Basta dizer que ela recolhe todas as apostas! Hoje em dia “aposentada”, houve um boato de que ela poderia se tornar a guarda-costas da atriz Charlize Theron.

Vice-campeã olímpica de 2016, conheçam Sarah Ourahmoune. Sua carreira como atleta é impressionante! Ela participou de mais de 260 lutas de boxe. Além disso, ela não é apenas o triplo campeã europeu de boxe francês, mas também campeã de boxe amador (2008).

Hoje, ela é porta-voz do comitê de Paris 2024, que corresponde à candidatura francesa para sediar os Jogos Olímpicos. Em paralelo, ela dirige um blog de saúde e bem-estar, dando conselhos sobre como viver melhor e com mais saúde.

Roseli Feitosa, Adriana Araújo e Rose Volante: as brasileiras que brilham no boxe

quais são os nomes femininos de destaque no boxe Apesar do sucesso do boxe feminino, as mulheres ainda recebem menos patrocínios que os homens.

O desempenho das boxeadoras brasileiras tem enchido de orgulho e de esperança os organizadores do esporte no País. A paulista Roseli Feitosa, 22 anos, e a baiana Adriana Araújo, 29, são as responsáveis pelo otimismo. Elas já conseguiram um feito inédito na história do pugilismo feminino nacional ao conquistarem medalhas de ouro no Pré-Pan.

Roseli foi eleita revelação do Pré-Pan em 2011 e melhor atleta da competição – entre homens e mulheres. Outra brasileira que se destacou no boxe foi Rose Volante, de 35 anos. Ela alcançou uma façanha inédita para o boxe nacional em 2017.

Ao vencer a argentina Brenda Carvajal por pontos no país da adversária, se tornou a primeira mulher nascida no Brasil a conquistar um título da OMB, a Organização Mundial do Boxe.

Você sabe como funcionam as Federações Internacionais de Boxe?

Cecilia Braekhus, Noruega no comando

Nascida originalmente na Colômbia, mas de nacionalidade norueguesa (após uma adoção com a idade de dois anos), Cecilia Braekhus tornou-se rapidamente uma apaixonada pelo boxe, esporte que pratica desde muito nova.

No Mundial de 2005, ela terminou com uma medalha de prata. Este Campeonato Mundial de Boxe marca o início de uma longa série: campeã europeia, ela totaliza 29 lutas profissionais sem derrota, e 8 vitórias por K.O, um recorde na história do boxe feminino.

Sucessivamente, entre 2009 e 2014, ela mantém seus títulos mundiais na WBA, WBC, WBO e IBF, o que a coloca no mesmo patamar dos grandes boxeadores que conquitaram todos os cinturões, como Terence Crawford.

Christina Hammer, a boxeadora alemã nascida no Cazaquistão

De origem cazaque, a boxeadora alemã está hoje entre os grandes invictos do ringue. De fato, durante suas 22 lutas, ela não sofreu nenhuma derrota e ganhou 10 vezes por K.O.

Apaixonada pela musculação e pelo mundo da beleza, Christina levou por muitos anos uma carreira de modelo em paralelo com suas competições de boxe.

Seu primeiro título, Christina Hammer levou contra outra alemã em 2009. Esta luta de boxe terminou em uma vitória de Christina, assim como muitas de suas lutas subsequentes. A tal ponto que em 2011 e 2013 ela ganhou o prêmio de boxeadora do ano pela WBO.

Além disso, ela é a única boxeadora feminina na Europa a ganhar o Prêmio Diamond Ring da WBO. Hoje, sem se afastar das aulas semanais de boxe, dedica seu tempo livre ao seu negócio pessoal: um cassino online, doando uma parte dos lucros a uma associação de caridade, o World Boxing Cares.

Ikram Kerwat, a conquista nos  Estados Unidos

como as mulheres conquistaram seu espaço nos ringues Quem disse que o boxe é um esporte só para homens?

Recentemente campeã do mundo de boxe pela WBU nos Estados Unidos (2017), Ikram Kerwat, de descendência tunisino-alemã, não parecia ter sido destinada ao boxe.

Ela começou com a prática de judô, para ser então levada sob a asa de um campeão de kickboxing. Sua primeira luta profissional aconteceu em 2010, na Alemanha, na qual terminou em terceiro lugar no pódio.

As artes marciais não têm segredos para esta apaixonada pelo combate. Para ela, o confronto é importante! Ela faz parte do hall de nomes femininos do boxe a serem seguidos de perto e não é para menos. A moça conta com 8 lutas profissionais e 7 vitórias, incluindo 6 por KO. Só isso!

Conheça os maiores boxeadores do mundo!

Quem são a boxeadoras que se tornaram famosas mundialmente?

O boxe feminino tem crescido e se destacado cada vez mais nas mídias. O cinema contribuiu fortemente com a popularização do boxe feminino graças ao filme Million Dollar Baby (Menina de Ouro) de Clint Eastwood.

Este é o caso de várias pugilistas, cujas aventuras podem ser seguidas em sua conta no Instagram ou em seus blogs pessoais.

Estelle Mossely

Renomada boxeadora francesa, Estelle Mossely fez parte da delegação da Federação Francesa de Boxe para os Jogos Olímpicos no Rio e levou a medalha de ouro.

Sua consagração em 2016 conferiu a ela reconhecimento internacional, embora antes disso ela já tenha acumulado muitos títulos de boxe amador na categoria peso-pena.

Mariana Juarez

A mexicana nascida em 1980 seguiu um caminho atípico: depois de várias lutas livres em seu país de origem, ela pede a seu agente que encontre adversários a sua altura nos Estados Unidos.

Especializada em full fight, ela experimentou algumas derrotas, sem nunca desistiu de continuar nos esportes de combate. Ela é apelidada de “Barbie do ringue”, pois está sempre maquiada e impecável, mesmo durante uma grande luta de boxe.

Laila Ali

Agora afastada dos ringues, esta campeã mundial por K.O (21 vezes) permaneceu invicta. Seu nome talvez seja familiar para vocês e não é à toa.  Ela é nada mais, nada menos que a filha do grande campeão Mohamed Ali.

Tão tática quanto seu pai, Laila Ali conseguiu construir seu próprio nome no meio. Além disso, a luta entre ela e Avril Fowler permanecerá nos anais, com seus 31 segundos de duração!

Ela detém muitos prêmios, um sinal de regularidade constante: Campeã Mundial WIBA (2002 – 2007), IWBF (2002 – 2004) e WBC (2005 – 2007). Ela também é campeã de peso-pesado (meio-pesado) IWBF , em 2004.

Seu último combate a colocou sob os projetores e desde então ela participou de reality shows, filmes e apresenta programas de TV.

Ronda Rousey

Mulheres que praticam MMA A lutadora de MMA, Ronda Rousey gosta de provocar suas adversárias.

Ronda é uma das atletas mais populares da última década, graças ao sucesso que obteve no UFC (Ultimate Fighting Championship). Ela é uma das lutadoras de MMA mais conhecidas do mundo – senão, a mais conhecida. Ela sabe como lutar e colocar suas adversárias K.O.  no primeiro round.

Ronda Rousey é debochada e gosta, particularmente, de desafiar suas oponentes e derrotá-las. Sua atitude e personalidade forte, assim como seu desempenho são tais que ela é regularmente solicitada para participar de campanhas publicitárias, participar de filmes ou até mesmo fazer trabalhos como modelos.

E que tal se inspirar em todas estas boxeadoras de sucesso e experimentar uma aula de boxe? No Superprof você encontra os melhores professores e de quebra, leva a primeira aula gratis! Acesse nossa plataforma hoje mesmo.

Confira nossa compilação das lutas de boxe mais lendárias.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar