Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Guia para estudar o menor dos instrumentos de cordas friccionadas!

De Fernanda, publicado dia 26/10/2018 Blog > Música > Violino > Nossos conselhos para você progredir em violino!

“Um dom sem técnica nada mais é do que uma mania comum.” Georges Brassens (1921-1981), canção: Le mauvais sujet repenti.

Aprender a tocar o violino… que boa ideia!

Sabemos que pode parecer extremamente complexo manusear o arco de violino, afinar o instrumento, alcançar belas sonoridades e desenhar movimentos virtuosos…

Estudar este instrumento musical de cordas friccionadas – ou qualquer outro instrumento do quarteto de cordas – é difícil.

Mas com um bom professor particular e aulas regulares, qualquer pessoa, não importa a idade, consegue aprender!

É por isso que estamos aqui! Trazemos várias dicas para que você consiga progredir em sua aprendizagem.

Como utilizar a queixeira e a espaleira?

Os movimentos mais populares do violinista: para melhorar seu estilo de jogo. Como fazer a caixa de ressonância vibrar da melhor maneira?

A queixeira se tornou na história do violino uma das peças fundamentais do instrumento, a ponto que sempre acompanha a venda de instrumentos musicais do quarteto de cordas.

É um acessório de conforto, que permite tocar sem dor e pelo menos limita o inconveniente causado pelo contato da pele com a madeira do violino.

Ele também protege o instrumento contra sujeira, transpiração ou abrasão e permite que você não incline a cabeça durante o jogo.

Portanto, é importante ajustar o acessório para preencher o espaço entre o ombro esquerdo relaxado e o ângulo da mandíbula.

A queixeira

Não importa o seu estilo musical, se tocar violino popular, jazz cigano, música de câmara ou música clássica: é preciso escolher uma queixeira adaptada à sua morfologia.

Na verdade, esse acessório deve ser escolhido de acordo com o tamanho do queixo: deve ser igual ao da superfície do queixo.

As queixeiras são fabricadas com materiais diferentes: plástico, ébano e jacarandá.

O material de fabricação escolhido tem impacto no jeito que o solista toca. Compreendemos facilmente que, se você não gosta do toque do plástico, certamente vai tocar com menos prazer!

A escolha de um bom material musical é quase tão importante quanto o próprio instrumento!

Como fazer um bom vibrato ou o pizzicato perfeito se você sente uma sensação desagradável logo que segura o violino no queixo?

Outro critério importante para a escolha de um bom protetor de queixo: os parafusos de fixação.

Para resumir, aqui estão os critérios para lembrar na hora de escolher sua queixeira

  • O formato da queixeira: centrado ou ao lado,
  • O material: de material sintético ou plástico, (Dresden ou Wittner),
  • A cor para aqueles que preferem em madeira: ébano, jacarandá ou buxo,
  • O sistema de fixação

Ele pode ser encontrado em fornecedores on-line, como a Amazon ou outras lojas especializadas.

Em relação ao preço, encontramos peças de baixa qualidade a partir de 30 reais, e os preços sobem para mais de 100 reais para acabamentos profissionais.

A espaleira

O violino repousa na clavícula do violinista.

E mesmo que o acabamento seja profissional e qualidade, a verdade é que o atrito ou contato prolongado do violino com osso – especialmente durante um concerto – pode ser desconfortável, até mesmo doloroso.

Como o violino é feito de madeira, um material por natureza muito duro, esse contato pode ser por vezes bastante desagradável. É por isso que o violinista pode posicionar uma ombreira ou espaleira entre a clavícula e o botão do instrumento.

Uma boa espaleira é instalada na clavícula esquerda do violinista para receber o violino e manipular o arco – com a mão direita, convencionalmente – com facilidade.

Esse acessório ergonômico se apresenta sob a forma de uma barra ondulada e rígida, acolchoada e posicionada na parte de trás do violino, que vem a seguir a forma da clavícula do violinista.

Você deve imaginar: usar uma espaleira acrescenta dificuldade em manter o instrumento e tocar com precisão, porque o acesso às cordas com os dedos da mão esquerda se torna mais complexo.

Sem a espaleira, a intensidade do som do violino é enriquecida, mais profunda e mais natural.

Alguns aprendizes do nível iniciante podem estar sujeitos a uma escolha difícil: sem o ombro e embelezando suas sonoridades, mas contraindo a dor ou adaptando-se à almofada do violino às custas de suas notas sonoras.

Ao adicionar um descanso para os ombros nas costas do violino, adicionamos uma tensão extra que complica a vibração das cordas do violino, pois elas são menos acessíveis.

Violinistas discretos: o papel da surdina

Onde comprar um violino? Tocar em silêncio? Descubra qual a função desse acessório tão comum usado por muitos músicos profissionais e amadores.

Existem dois tipos de uso do acessório: a surdina de apartamento (de estudo) – para reduzir o barulho produzido pelo violino – e a surdina de orquestra (de efeito).

Às vezes, durante um concerto para orquestra sinfônica, o violinista precisa instalar o acessório em seu cavalete: a partitura nesse caso menciona um “con sordino” – “com surdina” – para dizer que o músico deve tocar em surdina.

Isso significa que naquele momento o violino não é solista e você tem que ouvir os outros instrumentos. Em suma, o violino não deve cobrir os sons de seus músicos vizinhos.

Por outro lado, podemos encontrar uma menção “senza sordino”, que significa “sem surdina”.

Dependendo do modelo, a surdina atenua mais ou menos frequências.

A surdina de orquestra é feita em geral de borracha ou ébano e absorve cerca de 20% das vibrações.

Já a surdina de apartamento pode atenuar até 80% dos sons graças a seu material em metal ou em chumbo. Ela cobre uma superfície maior do cavalete.

Você já deve imaginar que é capaz de adquirir um na mesma loja ou local de venda de instrumentos musicais, onde você comprou a resina para violino (breu), seu violino ou o estojo para seu instrumento.

Ainda existem muitas lojas online como a Amazon. Basta lançar uma pesquisa no Google e já encontrará boas referências.

Em relação a valores, tudo também vai depender do material de fabricação da sua surdina.

Surdinas mais simples em borracha podem ser encontradas a partir de 8 reais. Já surdinas de metal de orquestra podem custar a partir de 7o reais.

Lembre-se de comprar uma surdina de acordo com o tamanho do seu violino! Uma boa dica é ir até uma loja e experimentar o acessório em seu próprio instrumento, para observar o efeito pessoalmente.

Como tocar violino com a mão esquerda?

Eu gostaria tanto de tocar violino… mas meus dedos são grandes demais!

Saiba desde agora que esta observação é uma boa desculpa, porque não é o tamanho dos dedos que faz o jogo, mas a precisão adquirida durante as aulas de violino.

No violino como na guitarra (violão, guitarra elétrica ou violão clássico), os dedos da mão esquerda são aqueles que pressionam a corda no espelho para encurtar o comprimento dela: é o comprimento que, com a tensão exercida, que determina o tom da nota.

No violino, diz-se que a base do dedo indicador é um ponto essencial de contato que garante a estabilidade da mão.

Para adquirir um bom posicionamento dos dedos da mão esquerda, é necessário conhecer de antemão as posições do violino.

É o dedilhado que determina a localização e as posições dos dedos que o violinista deve adotar para interpretar ou improvisar uma peça.

Além disso, colocar os dedos em cima da corda com firmeza permite que o aluno garanta a precisão e clareza dos sons. Isso requer que o cotovelo esquerdo esteja inclinado para a direita sob o violino.

Outra dificuldade: se a mão estiver posicionada muito baixo no espelho, você não consegue alcançar o dedo indicador (o primeiro dedo), e é quase certo que a posição das pontas dos dedos nas cordas fique incorreta.

Os dedos são numerados de 1 a 4 para os instrumentos tradicionais do quarteto de cordas (viola, violoncelo, violino) e para o contrabaixo. Como o polegar é usado para segurar o braço e não para tocar, o primeiro dedo é o dedo indicador.

O segundo dedo é o dedo do meio, o terceiro é o dedo anular, o último dedo é o dedo mindinho.

Quanto ao dedilhado, a leitura 0 nas partituras de violino corresponde a uma corda tocada solta, a 1 refere-se ao indicador, a 2 ao do meio e assim por diante.

Como tocar violino com a mão direita?

Como tocar violino com a mão direita? Você é destro e quer aprender um instrumento de cordas? Saiba como!

Deve-se notar que em uma orquestra sinfônica, todos os arcos devem estar voltados para o mesmo lado, razão pela qual em grandes grupos musicais é muitas vezes recusada a entrada de violinistas canhotos, ou então esses devem pelo menos se adaptar a tocar com a mão direita.

Adaptar um violino para pessoas canhotas envolve inverter as cordas, mas também a queixeira, o cavalete e o tampo. Neste caso, os professores de violino particulares também devem se adaptar a cada aluno canhoto.

Um trabalho que pode ser complexo na medida em que precisa transpor os gestos que encorajem o aluno a reproduzir um som, uma melodia ou partituras para violino.

É por isso que tocamos principalmente em um violino para destros: pela simplicidade.

Para músicos canhotos: de acordo com uma estimativa mundial, cerca de dez a cada cem pessoas são canhotas.

Além disso, a mão principal nunca impediu que alguém fosse um virtuoso violinista, alguns dos maiores compositores que marcaram a história da música (R. Shumann ou Beethoven) eram esquerdistas.

Para poder tocar cada nota corretamente, o arco segurado com a mão direita deve ser guiado pelo antebraço e pelo pulso. Portanto, é necessário ter uma técnica muito precisa para manusear o arco do violino.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar