Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Como conseguir uma extensão vocal mais equilibrada?

De Rafaela, publicado dia 26/03/2019 Blog > Música > Canto > Como se tornar um cantor Barítono?

Já arriscou a soltar a voz com “Galooooopppeeeeeeeiiiiiiiraaaaaaaaaaa” e teve dificuldades para ir até o fim? Tranquilo! Você não está sozinho nessa. A canção da dupla Chitãozinho e Xororó é um desafio até mesmo para cantores famosos, como Luan Santana. Ela exige um tipo de voz apropriado e, acima de tudo, domínio das técnicas vocais.

Embora Xororó tenha uma voz potente, foi graças as técnicas vocais que o cantor conseguiu ter condicionamento, afinação e fôlego para cantar “Galopeira”, ao longo de seus 40 anos de carreira. Além dos exercícios, Xororó não bebe gelado, dorme bem e não fica se esgoelando por aí à toa.

Talvez você não tenha o mesmo gogó de ouro que o sertanejo, mas você pode trabalhar para melhorar o alcance da sua voz. Se você for barítono, fica ainda mais fácil para chegar lá. Pois esse tipo de voz está entre as notas graves e agudas, facilitando o processo.

Caso você seja tenor ou baixo, poderá fazer exercícios para tornar a extensão vocal mais equilibrada, transformando-a em uma extensão de barítono, por exemplo.

No decorrer deste artigo, vamos falar melhor sobre esse tipo de voz tão presente nas óperas.

O que é um barítono?

Também usado como nome de instrumento musical, o termo barítono se refere aos sons mais intermediários da voz masculina, nem baixo e nem tenor. Podemos dizer que é uma voz mais equilibrada por ser grave, aveludada e com menos agilidade, ou seja, é mais suave que a do Tenor, porém menos imponente que a do Baixo. Possui uma extensão vocal que engloba do Si2 ao Si4.

Por ser uma voz mais versátil, não precisa de muito treino para conseguir executar mais graves ou mais agudos. Logo, consegue interpretar inúmeros papéis em uma ópera. No entanto, os barítonos são, na maioria das vezes, associados aos papéis de vilões que disputam a sua amada com o tenor. Alguns tipos de barítono também se encaixam bem em personagens mais engraçados.

Encontrada com frequência no Brasil, a versão masculina da voz mezzo-soprano é considerada comum e possui uma grande concorrência, sendo preciso trabalhar muito para se destacar dos demais.

Na realidade, as vozes consideradas médias (barítono e mezzo) são as vozes mais versáteis e, aliadas ao treino e estudo, podem alcançar um certo brilho tanto nas notas agudas quanto nos graves.

Alguns barítonos da música popular são: Jim Morrison, Calvin Harris, André Valadão, Drake, Alex Turner (Arctic Monkeys), Chico Buarque, Flo Rida e Herbert Vianna e muitos, muitos outros.

Diagrama da classificação da extensão vocal. Fonte: Wimelo Cursos de Música Online.

Quais pontos a extensão vocal abrange?

Ok, agora que você já entendeu o conceito do que seja um barítono, que tal explorarmos algumas considerações iniciais que envolvem a extensão vocal?

Extensão vocal: posto de forma simples, é a quantidade de notas, da mais grave à mais aguda, que uma pessoa consegue emitir, independente da qualidade e do esforço da emissão.

O que define, primariamente, a extensão vocal são as dimensões da laringe e das pregas vocais. Ademais, as características anatômicas, a personalidade e a respiração são alguns dos fatores que influenciam no tipo de voz. Sendo assim, entenda a diferença entre:

  • Tessitura: é o conjunto de notas que uma pessoa consegue emitir de forma confortável e com boa qualidade.
  • Colatura: é a execução de diversas notas em uma única sílaba, geralmente de modo rápido e com grande agilidade.
  • Volatura: é a capacidade de cantar notas com ritmo acelerado.

Em outras palavras, a extensão vocal abrange todas as notas que um cantor consegue articular, independente da qualidade dessa articulação. Ela possui, portanto, uma abrangência maior que a da tessitura. Enquanto a extensão representa todas as notas fisicamente articuladas e realizáveis, a tessitura afunila esse quadro, referindo-se somente às notas mais apropriadamente realizadas no que tange à qualidade da emissão. Ou seja, um cantor pode articular notas fora de sua tessitura mas jamais emitirá notas foram de sua extensão vocal.

A extensão vocal abrange todas as notas, da mais grave à mais aguda, que uma pessoa consegue emitir, independente da qualidade, se afinadas ou não, e do esforço no processo.

Sabemos que a frequência natural da voz humana define-se pelo comprimento das pregas vocais. Dessa forma, as mulheres possuem cordas vocais mais curtas, o que resulta em uma voz mais aguda. Já os homens são dotados de cordas mais longas, resultando em uma voz mais grave.

É também por esse motivo que as vozes das crianças são mais agudas do que a dos adultos. A mudança de voz costuma ocorrer na puberdade, quando ocorre a modificação das pregas vocais, que de mais finas mudam para uma espessura mais grossa. Esse fato é especialmente relevante para os homens.

Concluindo, o comprimento e a espessura das cordas vocais determinam, tanto nos homens quanto nas mulheres, a extensão vocal e o registro de alcance das notas produzidas vocalmente. Ademais, não é somente a laringe e as pregas vocais os únicos órgãos responsáveis pela fonação. Os lábios, a língua, os dentes, o véu palatino e a boca contribuem também para a formação dos sons.

Características do Barítono

Como já dissemos, o barítono é a voz masculina intermediária, entre baixo e tenor. Considerada uma voz mais grave e aveludada do que a dos tenores, no entanto sem a mesma potência. Compensa-se no volume e na capacidade de emitir notas graves e cavernosas. É, também, uma voz madura e viril.

Barítono é a voz masculina mais comum nos países frios, apresentando extensão vocal dentro dos limites do G2 ao B3; no canto coral, do D2 ao G4, ou em certos casos mais raros até mais grave ou agudo, abangendo do E♭1 ao B4.

A identidade dessa voz definiu-se apenas no século XIX, resultante da transformação da voz do tenor. Nessa época, cria-se o intermédio de espaço entre tenor e baixo, denominado inicialmente como baixo cantante, nas primeiras décadas do século.

A voz do barítono puro, tanto dramática quanto lírica, abrange a zona de transição no Eb3 e sua impostação assemelha-se à do tenor dramático – mesmo quando os registros de grave e médio são também importantes, sonoros e extensos.

Existem alguns barítonos que habitam a região de um baixo bem treinado e, ao mesmo tempo, a região de um tenor dramático como se fosse o próprio.

O ator Benedict Cumberbatch, que interpreta Dr. Strange nas telonas, é um versátil barítono. Já emprestou sua voz misteriosa a diversos personagens, incluindo o Dragão Smaug, da trilogia The Hobbit, baseada na obra de J. R. R. Tolkien.

Algumas curiosidades do Barítono

  • De forma geral, podemos brincar que os barítonos não ficam roucos, eles são roucos.
  • Barítonos possuem 315 cordas vocais.
  • Possuem um alcance ótimo para graves, então imagine o som que sai quando um barítono faz gutural…
  • Falando nisso, muitos barítonos escondem sua voz dessa forma, fazendo gutural – uma enorme bobagem.
  • Normalmente, são os mais afinados no mundo da música.
  • Não se engane, barítonos podem explodir seus ouvidos quando quiserem, assim como os tenores e baixos.
  • Existem lendas de barítonos na Antiguidade que cantavam por meses e meses sem parar e saiam falando normalmente, graças às suas cordas vocais de titânio, rs!
  • As vozes de barítonos somem em músicas graves, elas se misturam com o instrumental.
  • Existem barítonos que cantam a parte do Baixo (instrumento) nas músicas.
  • Freddie Mercury alcançava qualquer tom, em qualquer hora. Só o colocaram como barítono pelo seu timbre de macho (ou não, rs!).

Além disso, como dito logo no início, barítono é nome dado à um instrumento de metal da família das saxotrompas, com pistões e um pavilhão virado para cima, bem como o nome de quem toca esse aparelho musical.

tipos-de-baritono Derivado do termo grego barytonos (“cuja voz tem um tom grave”), barítono é usado para designar uma voz solo, bem como também pode ser usado como uma voz de suporte em coral.

Tipos de voz Barítono

Você pode ser um barítono mais agudo ou mais grave, vai depender da sua região vocal. Diante dessa situação, foi criada uma classificação padrão de vozes de ópera. Assim como as demais, a voz barítono é subdividida de acordo com o timbre e ritmos distintos.

Através desses rótulos, fica mais fácil saber como explorar a sua voz da melhor maneira, compreendendo seus limites e sem desgastes.

Listamos os principais tipos de barítono:

  • Barítono dramático: embora não tenha o mesmo alcance de um tenor, é uma voz completa, resistente e poderosa. É a voz mais comum de barítono e consegue fazer ondulações, além de se manter sustentada com facilidade. Com um alcance vocal que vai do Sol2 ao Sol4, é bem grave e volumosa, podendo ser identificada no personagem Jack Rance, da ópera “La fanciulla del Oeste” (Giacomo Puccini).
  • Barítono lírico: uma voz mais suave, leve e com maior tessitura, vai do Lá2 ao Si4. Mais flexível, a extensão vocal do barítono lírico pode ir do Fá2 ao Dó5. Frequentemente, é uma voz usada para papéis cômicos em uma ópera e/ou personagens importantes em um musical. Um exemplo dessa voz é o Papageno na ópera “A Flauta Mágica” (escrita por Mozart).
  • Barítono leggero: considerada uma voz mais leve, clara e menos volumosa, o barítono leggero é ágil e flexível, com uma grande extensão aguda. Bem conhecida nas óperas francesas, é uma voz com menos potência e uma extensão vocal do Si1 ao Dó4.
  • Baixo-Barítono: bastante usada em corais ou em papéis rudes e autoritários, é uma voz de qualidade, com notas mais baixas e um alcance que vai do Fá2 ao Fá#4. O termo surgiu no século passado devido à uma necessidade de classificar uma voz necessária para alguns papéis específicos de ópera.
  • Baritenor: segundo o The American History and Encyclopedia of Music, baritenor seria uma “uma baixa voz de tenor, quase barítono”. É uma voz poderosa capaz de cantar tanto como um forte barítono, assim como um tenor. Esse tipo de voz surgiu para classificar um tenor especial, presente nas óperas de Rossini.

Ao longo dos anos, alguns outros subtipos foram surgindo para que as novas vozes fossem rotuladas da melhor forma possível. Então ainda temos Barítono Verdi, Barítono Martin e Kavalierbariton. Vale dizer que as nomenclaturas podem variar de acordo com um país.

Um barítono lírico, por exemplo, dependendo do país, pode encontrar uma infinidade de papéis para atuar em diversas óperas, incluindo a maioria dos papéis escritos para baixo e ainda arriscar cantar como tenor mais grave, se necessário. É comum como terceira voz em quartetos masculinos de música cristã. Uma desvantagem, já mencionada, é a concorrência elevada entre demais barítonos, no ramo.

Já um barítono popular conta com grande versatilidade; no microfone, as passagens de registro podem ser controladas mais facilmente e ele pode cantar numa extensão absurda. No entanto, a maioria das músicas populares é feita para tenores. Caso o barítono encare o desafio, vai viver tendo que mudar de tom, o que causa estresse e desgaste de forma geral.

A versatilidade musical de Eddie Vedder, vocalista do Pearl Jam, é pura inspiração! Vedder é conhecido por seus poderosos vocais barítonos.

Considerada um tanto quanto exótica, por herdar um pouco do baixo e um pouco do tenor, a voz barítono comumente apresenta um timbre único. Um bom exemplo disso é a voz inigualável de Freddie Mercury.

Detentor de uma voz poderosa e extremamente original, Freddie Mercury ganhou notoriedade mundial por ter sido talvez a voz mais imponente da história do rock. Mas o que a discernia das demais?

Uma pesquisa europeia de 2015 descobriu que o grande diferencial de Freddie estava em seu vibrato, que, segundo os pequisadores, diferia ligeiramente do dos intérpretes de canto lírico. Nesse sentido, segundo análise de 240 notas sustentadas em 21 registros a cappella, a taxa de modulação de frequência fundamental – mais conhecida como vibrato – do cantor atingia a média surpreendentemente alta de 7, 04 Hz.

Além disso, uma análise de seis entrevistas revelou uma frequência base de 117,3 Hz, tipicamente encontrada na voz de barítono. Isolando-se dos demais instrumentos, a voz cantada de Freddie alcançava 37 semitons dentro do intervalo de tom F#2 (por volta de 92,2 Hz) para G5 (cerca de 78.4 Hz).

Autodidata, Freddie, segundo ele próprio, se considerava um barítono, e não um tenor. Como resultado, ele foi um barítono que cantou grande parte de sua carreira na tessitura de um tenor, especialmente durante os anos 70.

baritono-freddie-mercury O cantor barítono Freddie Mercury tinha uma extensão vocal alcançada por poucos.

Dicas para trabalhar a voz de um Barítono

Para aperfeiçoar uma voz de barítono ou mezzo-soprano não é tão difícil quanto as demais vozes. O ideal é dominar a técnica vocal e realizar exercícios específicos que vão preparar o aparelho fonador para fazer graves e agudos, de acordo com o seu tom de voz.

Como é uma voz mais versátil, também é possível modificá-la. Como no caso já mencionado do mito Freddie Mercury (1946 -1991), dono de uma voz inigualável. Considerado barítono, Freddie conseguia emitir os mesmos agudos de um tenor. Contudo, essa alteração só surgiu depois do rock star fazer aulas de canto, estudar técnicas vocais e praticar muito.

“A onda causada pelo vibrato de Freddie era mais intensa do que a do cantor de ópera Luciano Pavarotti” – Fonte: Consequence of Sound

Para agudos incríveis, a respiração controlada é primordial. Exercícios para aumentar a extensão também são importantes, pois através deles você conseguirá “alongar” a sua voz. Para os sons mais graves, a base é dominar a laringe com o intuito de deixá-la na posição exata para cada registro vocal.

cantores-de-voz-mediana Um cantor barítono é dono de uma voz mais grave e “redonda” que a dos tenores, quase sempre mais forte, volumosa e poderosa.

Depois de dominar as técnicas vocais, procure melhorar o seu vibrato para que ele possa fluir sem esforços na voz. Faça exercícios para abrir o fundo da garganta, relaxe o corpo mantendo uma postura correta e cante usando o diafragma, para ter um fluxo de ar constante e equilibrado.

Apesar de ser uma voz adaptável, um barítono, assim como uma mezzo-soprano, não deve forçar para cantar notas ou tons fora da sua habilidade, natural ou adquirida. Os danos à saúde vocal podem ser bem sérios, tais como: nódulos, pólipos, edemas das pregas vocais, fendas, laringite crônica, entre outros.

Por isso é indispensável ter a ajuda de um pessoa técnica no assunto, que poderá orientar você nas melhores práticas para deixar sua voz de barítono boa para cantar e encantar.

Vale alertar que mudar o tipo de voz é algo sério, por isso pense bem antes de qualquer decisão. Além disso, todas as vozes possuem qualidades que podem ser exploradas.

A importância do professor de canto

Seu estudo de canto realmente só irá começar a evoluir de forma mais constante e efetiva caso você possa contar com a orientação de um professor experiente. Além de fazer o beabá, preparando você para a prática do canto, o professor é quem melhor identifica as suas fraquezas e aponta melhorias.

E é bom lembrar que o ensino de uma modalidade artística, como o canto, pode vir a ser uma tarefa complicada, já que mexe diretamente com o ego do aluno. Mencionar que algum trecho da execução pode melhorar talvez gere interpretações errôneas, nas quais o aluno pense que está cantando ou tocando mal ou que não possui talento para isso.

Talvez o aluno possa até estar mesmo cantando mal, mas isso nunca quer dizer que o mesmo não tem talento. O papel do professor é o de desmistificar situações assim, aproximando o aluno do campo da prática e teoria musicais.

Um bom professor encontra os problemas enfrentados pelo aluno, aponta os mesmos a este e indica uma série de exercícios, músicas, referências, práticas que contribuam para a evolução do aluno. Além disso, o professor motiva o aluno constantemente, e essa é uma característica fundamental em seu trabalho.

Em outras palavras, ser um professor de canto é algo bastante delicado, já que este profissional lida diretamente com a expressão emocional do aluno. De certa forma, é como se ele tocasse o íntimo de cada pessoa. Pensando assim, é importante desenvolver uma maneira cuidadosa, sensata e sincera de apontar erros e dificuldades dos alunos, ao mesmo tempo em que o orienta em relação ao seu desempenho e progresso no estudo.

Lembre-se que através da comunidade Superprof é possível ao aluno ou interessado encontrar bons profissionais de canto, professores experientes que oferecem aulas particulares presenciais ou online por todo o Brasil.

elvis-era-baritono “Até nos seus momentos mais preguiçosos, Presley era um mestre da tonalidade e da expressão, exibindo o seu rico barítono com uma naturalidade desarmante.” – Geoffrey Himes

Outros Barítonos de sucesso

Muitas vezes, ao escutar o termo barítono, já associamos aos famosos do canto lírico. Grande erro! Barítono é um tipo de voz encontrado na voz falada e nas músicas populares que escutamos diariamente.

Começando pelo roqueiro Jimi Hendrix (1942 -1970), ele sonhava em ser um cantor famoso, mas era tímido demais. No entanto, superou seus bloqueios, aceitou o seu tipo de voz barítono e se tornou um dos maiores guitarras do Rock.

“A entonação fanhosa era a prova de que qualquer um poderia se candidatar a cantor.” – Bob Dylan

O norte-americano Paul Simon usa a sua voz intermediária para cantar músicas no estilo folk rock. Iniciou a sua fama fazendo com Garfunkel, mas por conta de problemas de relacionamento entre os dois, a dupla chegou ao fim na década de 70. Simon seguiu carreira solo e continua trabalhando até hoje. Seu último álbum foi gravado no Hyde Park, em Londres, e lançado há poucos anos.

Elvis Presley (1935 – 1977) é outro cantor de Rock que fez história com a sua voz barítono. Além de ter um senso rítmico e um timbre singular, Elvis conseguia alcançar até as notas mais difíceis, impressionando especialistas. O barítono não fez sucesso apenas com a sua voz, mas também com o seu gingado totalmente irreverente para a época. Entre seus sucessos estão: “Jailhouse Rock”, “Can’t Help Falling In Love” e “Don’t Be Cruel”.

“Presley trouxe uma excitação para o canto, em parte porque o rock and roll foi acolhido como sendo sua invenção, mas por outros motivos sobre os quais não se reflete tanto: Elvis Presley tinha a voz de canto mais bela de qualquer ser humano sobre a terra.” – William F. Buckley Jr.

Esse artigo foi útil para você? Tem alguma dica para compartilhar? Escreva para nós!

Encontre as melhores aulas de canto online ou uma excelente aula de canto presencial no Superprof!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de4,20 sob 5 de 5 votos)
Loading...
avatar
1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
juniorthiago dos santos souza Recent comment authors
Mas recentes Mais antigos Mais populares
thiago dos santos souza
Convidado
thiago dos santos souza

confuso um professor de canto disse para mim que sou baritono mas segundo ele vou de C2 a E4? ESTA correto isso ?

junior
Convidado
junior

mas essa é a extensão de um baixo e um bom baixo.
um baixo treinado.