Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

25 especialidades famosas da Itália

De Camila, publicado dia 21/06/2019 Blog > Artes e Lazer > Culinária > As melhores receitas italianas

Ah, a Itália! País do sul da Europa em formato de bota que nos evoca sempre “la doce vita“, a “Fontana di Trevi” e as boas comidas! Sem contar que são muitos os brasileiros que possuem “sangue italiano”, pois suas famílias descendem de imigrantes que escolheram nossas terras para morar.

Para se ter uma ideia, “aproximadamente 62% dos imigrantes que entraram no Brasil na década de 1880 eram italianos“, conta Mayra Poubel, historiadora, socióloga e antropóloga, no site do Info Escola.

Ainda segundo Poubel, a etapa mais importante da imigração italiana foi, porém, “no início do período republicano, em ligação direta com a expansão cafeeira e a política de imigração subvencionada em um momento que se dava preferência a entrada de famílias ao invés de indivíduos isolados.

Ou seja, famílias inteiras vieram morar no Brasil, trazendo consigo toda a carga cultural do país europeu, incluindo os conhecimentos da deliciosa culinária italiana! Uma maravilha, não é?!

Conhecer bem a culinária italiana não é para qualquer um!

Segundo o sociólogo francês Claude Fischler, a cozinha da Itália seria ainda considerada a mais popular no mundo inteiro!

Dá para entender o porquê dessa constatação, pois através da sua simplicidade, sabores e ingredientes frescos, a gastronomia italiana consegue seduzir até os mais exigentes dentre nós.

Se você ama cozinhar, então esta cultura culinária é um “prato cheio”! Seja iniciante ou um chef renomado, todos conseguem executar com maestria receitas típicas italianas.

Superprof montou uma lista com alguns dos pratos considerados os melhores da “cucina della mamma“!

Que tal fazer um curso de confeitaria italiana, se prefere doces? Caso contrário, um bom curso de gastronomia poderá te ajudar a preparar essas belas receitas!

Pizzas

Não importa em qual cidade brasileira – ou até qual país do mundo – você esteja: sempre haverão inúmeras pizzarias à disposição dos afamados.

Os chefs italianos, no entanto, reconhecem que a popular especialidade nem sempre é preparada de maneira tradicional.

Para fazer uma pizza digna do seu nome, o mais importante é “acertar a mão” na hora de fazer a base do prato: a massa.

A receita tradicional pede que ela seja fina e crocante, e que seja preparada com determinados ingredientes:

  • Farinha de trigo branca tipo 00 – farinha de trigo de moagem mais fina, feita a partir de um grão mais fraco, com baixo teor de glúten e alto teor de amido;
  • Sal – cerca de 25 gramas por kilo de farinha;
  • Fermento biológico;
  • Água – atenção, pois é água pura, sem azeite de oliva;
  • Muita paciência – é preciso sovar (amassar) a massa por pelo menos 30 minutos e a deixar descansar por pelo menos (ou seja, este é o tempo mínimo de descanso…) 8 horas!

Quer aprender a fazer pizzas deliciosas e outros pratos italianos? Encontre um bom curso de gastronomia online através da comunidade Superprof!

As massas de pizza devem ser abertas com as mãos. Nada de utilizar um rolo como esse aí da foto para abrir as massas de pizza, hein?!

Sabe onde encontrar um curso de confeitaria rj?

Após todo este processo, chegou a hora de abrir a massa com a mão – nada de utilizar um rolo de cozinha! Em seguida, ela precisa ser colocada em um forno bem quente e pronto: a base está no ponto para receber o recheio da sua escolha!

1. Margherita

Este é um dos sabores mais tradicionais e adorado no mundo inteiro. Sem dúvida, uma das especialidades italianas mais conhecidas! A simplicidade de seus ingredientes e sabores seduziu a rainha Margherita di Savoia – para quem o prato foi criado – e seus convidados reais mais exigentes. A pizza margherita, portanto, é composta de:

  • molho de tomate;
  • manjericão;
  • azeite de oliva (de preferência, italiano);
  • mussarela.

2. Marinara

A pizza marinada recebeu este nome por ter sido muito consumida pelos marinheiros italianos. Criada na cidade de Nápoles, ela foi desenvolvida especialmente para esses trabalhadores.

Seus ingredientes são:

  • molho de tomate;
  • fatias de tomate fresco;
  • manjericão;
  • dois dentes de alho ralado;
  • azeite de oliva;
  • quatro ou cinco anchovas (opcional).

3. Napolitana

Para quem conhece bem a Itália, a primeira ideia que vem à cabeça quando se escuta falar de pizza napolitana é da cidade de Nápoles. O prato é tão popular na comunidade que muitos não aceitam que ele seja chamado de pizza italiana, pois, para eles, existem as pizzas napolitanas (feitas em Nápoles) e o resto!

Sendo assim, é preciso utilizar sempre ingredientes de qualidade na hora da sua preparação:

  • tomatinhos cereja frescos;
  • mussarela de búfala;
  • orégano;
  • manjericão;
  • parmesão (o verdadeiro parmigiano reggiano, claro!).

4. Caprese

Uma simples combinação: tomate, mussarela de búfala e majericão que agrada o mundo inteiro! Nada mais simples, nada mais delicioso.

Um prato muito conhecido, fácil de fazer em casa e saudável. Como o nome meio que já indica, esse tipo de pizza vem da região de Campania. Nela existe um golfo, o golfo de Nápolis e, próximo à cidade de Sorrento, que fica em uma península, temos a Ilha de Capri – origem da pizza e também da famosa salada Caprese!

  • molho de tomate;
  • fatias de queijo mussarela;
  • tomate fresco em fatias;
  • mussarela de búfafa;
  • manjericão e orégano;
  • molho pesto de azeitonas pretas.

A deliciosíssima pizza Capriccionsa ainda não é uma variedade muito comum aqui no Brasil, mas ela é super requisitada na região norte da Itália, de inverno mais rigoroso!

5. Capricciosa

Elaborada com alcachofra, funghi, azeitonas pretas e presunto cru, a preparação da pizza Capriccionsa varia de região para região na Itália.

Na Sicília, por exemplo, essa pizza pode ou não trazer ovos cozinhos fatiados e as azeitonas pretas podem ser substituídas pelas tradicionais verdes. Já ao norte do país, de clima mais frio, ela pode ser feita com salsicha em anéis.

  • mussarela de búfala em cubos;
  • mussarela comum ralada;
  • presunto parma;
  • alcachofra;
  • funghi;
  • tomate fresco picado;
  • azeitonas pretas ou verdes.

6. Parmiggiana

A pizza Parmiggiana ganhou esse nome em homenagem a um dos pratos mais típicos da cultura siciliana, a berinjela parmegiana.

É, portanto, preparada com:

  • molho de tomate;
  • queijo parmeão;
  • mussarela ralada;
  • berinjela;
  • manjericão.

7. Bianca

Essa é uma pizza com nome engraçado, já que bianca, em italiano, significa “branco”. É um prato típico de Roma, e pode ser considerada uma versão mais suave da Napolitana e semelhante à famosa focaccia.

Destituída de queijo e do molho de tomate, a pizza Bianca, curiosamente, costuma ser vendida por peso e não por fatia, como ocorre com as demais pizzas. Ela conta com:

  • farinha de trigo;
  • azeite de oliva;
  • sal grosso;
  • cebola;
  • dentes de alho;
  • orégano;
  • manjericão
  • pimenta vermelha em pó;
  • tomilho seco, esfarelado.

8. Sfincione di San Giovani ou Pizza de Natal

Essa é uma pizza no estilo siciliano, geralmente consumida nas festividades de Natal, Ano Novo, Sexta-Feira Santa e na super festa de San Giovani, celebração de origem pagã que comemora a chegada do Solstício de Verão, entre 21 e 23 de junho.

É preparada com uma massa pesada e grossa, de forma redonda ou retangular, recheada com:

  • ervas diversas e da estação;
  • tomate fresco;
  • mussarela – mas outros tipos de queijos são bem-vindos;
  • pedaços de pão;
  • anchova e
  • cebola caramelizada.

9. Diavola

Elaborada com salame picante (ou pepperoni americano) e azeite picante em uma base de pizza de Marguerita, a pizza Diavola é a escolha número um para os apaixonados por sabores picantes e apimentados. Ela leva:

  • pesto Chilli picante;
  • mussarela ralada;
  • fatias finas de salame;
  • azeitonas pretas sem caroço, cortadas ao meio;
  • azeite extra virgem e
  • manjericão fresco para servir.

10. 4 Stagioni

Essa é uma pizza curiosa e inusitada, já que é dividida em quatro seções, levando ingredientes diferentes em cada uma delas, relembrando as quatro estações, a definição de seu nome.

Seus ingredientes variam também de acordo com a região. Há quem use cogumelos porcini, outros usam tomates secos, e há ainda aqueles que acrescentam vários vegetais. No entanto, a receita mais típica leva:

  • polpa de tomate;
  • cogumelos;
  • presunto cozido;
  • alcachofras;
  • mussarela ralada;
  • azeitona preta.

11. Calzone

Muitos conhecem o calzone como uma pizza fechada ou, como alguns dizem, “invertida”. No fim das contas, o calzone parece mesmo é um grande pastel assado feito com deliciosa massa e recheio de pizza!

Ao cortá-lo, um delicioso recheio de mussarela pode ser encontrado! Pode confessar: o calzone parece um pastel gigante, não parece?!

A especialidade tradicional italiana é originária de Nápoles e a receita típica é feita a partir dos ingredientes abaixo:

  • ricota;
  • mussarela;
  • salame picante.

As pizzas italianas se destacam pelo seu minimalismo, pela super simplicidade no preparo e pelo sabor diferenciado da massa. Outro ponto é que a qualidade da mussarela usada na Itália difere da brasileira, que é mais oleosa e com textura  mais elástica.

Nesse sentido, no país de Dante não é comum – como ocorre tanto aqui no Brasil – servir muita mussarela como recheio nas pizzas, já que ela pode influenciar no gosto do tomate. Lá eles usam a mussarela com bem mais parcimônia do que aqui e esse ingrediente costuma apresentar uma qualidade melhor do que a nossa.

Confira também um pouco da culinária italiana na gastronomia mundial.

Massas

14 bilhões: esse é o número estimado de pratos de massa consumidos no mundo inteiro durante 1 ano!

Este número pode acabar sendo ainda maior, pois vamos combinar que cada um de nós possui pelo menos uns dois pacotes de macarrão na dispensa!

Fusilli, penne, spaghetti, ravioli: esses são apenas alguns exemplos das inúmeras variedades que existem dentro e fora da Itália.

A receita típica italiana deve ser cozida “al dente“. Então nada de preparar aquela pasta molenga se você quiser fazer uma verdadeira macarronada da mamma!

Retiradas um pouco antes do tempo indicado no pacote da água fervente, a massa fica quase crocante. Dizem mesmo que, preparadas de tal maneira, elas são, inclusive, melhores para a saúde.

Lembre-se de não economizar na quantidade de água na hora de cozinhá-las, pois quanto mais “soltinho” dentro d’água, melhor ela ficará.

13. Molho Alla carbonara

Não tão famosas no Brasil, a pasta alla carbonara é a mais consumida no mundo desta categoria. Para aqueles que costumam prepará-la com creme de leite, fica a dica: ele não faz parte da receita tradicional.

A verdadeira pasta alla carbonara leva:

  • cebola;
  • alho;
  • bacon;
  • ovos;
  • parmesão ralado (sempre!!!).

14. Molho Ragù (bolonhesa)

Chamada de “ragù” na Itália, no Brasil nós a conhecemos como bolonhesa. Os ingredientes utilizados na receita tradicional são:

  • carne moída (bovina ou suína);
  • cebola;
  • tomate;
  • cenoura;
  • aipo;
  • vinho tinto;
  • caldo de carne;
  • azeite de oliva;
  • leite;
  • sal;
  • pimenta do reino.

Nada mais popular do que um espaguete à bolonhesa! Para nós, macarrão à bolonhesa; para os italianos, ragù.

15. Molho Pesto

Esse saborossíssimo molho tem sua origem na cidade de Gênova, na Ligúria, no norte da Itália. A receita oficial do pesto alla genovense é mais circunstrita e atenciosa quanto à qualidade, à origem dos ingredientes utilizados e também em relação à forma de preparo.

Nesse sentido, o manjericão deve ser a Riviera Ligure, a região da Ligúria, e super fresco, utilizando somente as folhas mais novas. O azeite deve ser, claro, extra virgem, de preferência também daquela região.

Já para o queijo pode haver uma certa liberdade, de preferência usa-se o parmigiano-regiano, mas pode-se utilizar também o pecorino ou até mesmo um queijo fresco de leite de cabra. Os pinhões podem ser substituídos por nozes ou avelãs.

O mais importante é que os ingredientes precisam ser moídos num pequeno pilão de mármore com a mão de madeira, iniciando-se por moer o manjericão com o sal grosso marinho e, aos poucos, acrescentando-se os demais ingredientes.

Esta é, portanto, a origem do nome do molho, já que, em italiano, pestare significa moer. O pesto geralmente é servido na lasagna, nhoqui, bruschettas (torradas recheadas), e ainda com batata cozida ou acompanhar outra preparação.

O verdadeiro pesto é feito de:

  • nozes de pinheiro (pinhão do pinheiro europeu, também chamado de “Pinólis“);
  • queijo tipo parmigiano-regiano ou pecorino;
  • manjericão fresco;
  • parmesão;
  • alho;
  • sal marinho;
  • azeite de oliva;
  • pimenta preta.

16. Lasagna

Quem nunca comeu ou não conhece lasanha (lasagna em italiano), não sabe o que está perdendo. Tal prato italiano é bem popular em nossas terras, possuindo diversas variações da receita tradicional vinda da Itália. Placas de massa são colocadas em um travessa e preenchidas com molho entre uma camada e outra. A receita típica é feita com recheio de molho à bolonhesa (ragù), mas podemos também prepará-la com espinafre, ricota, salmão, etc. O céu é o limite para sua imaginação gastronômica.

Curiosamente, a palavra lasagna tem origem na grega lasanon que quer dizer pote de quatro. O termo foi depois utilizado pelos romanos como lasanum, significando pote de cozinhar.

Embora seja quase senso comum que a lasagna se originou na Itália, existem evidências de que um prato muito semelhante, conhecido como loseyns (lê-se lasan), era consmido na corte inglesa do Rei Ricardo II, ainda no século XIV. Há indícios de que esta receita também pode ser encontrada no primeir livro de receitas da Inglaterra.

E aí, que tal redescobrir a culinária dos italianos?

O risoto só pode ser feito com um tipo de arroz especial, o arbóreo ou o carnaroli, pois é necessário que o álcool presente no vinho branco adicionado ao prato entra dentro do grão e o abra, criando uma textura aveludada muito característica dos risotos!

Risotos

O risoto (risotto em italiano) era considerado um prato chique no Brasil até alguns anos. Hoje em dia, ele vem se popularizando e ganhando o gostinho brasileiro. Vale lembrar que para ser um verdadeiro risoto, ele precisa ter como base o arroz do tipo Arborio ou CarnaroliEste último, um pouco mais difícil de ser encontrado no Brasil. Ambos são originários da região norte da Itália.

17. Tradizionale italiano

Independente de qual seja o “recheio” do seu risoto, algumas regras de preparação básica do arroz devem ser respeitadas para que o prato guarde suas características típicas. A base de Arborio ou Carnaroli deve ser preparada com:

  • cebola;
  • vinho branco seco;
  • parmesão;
  • caldo de carne ou legumes;
  • manteiga;
  • sal;
  • pimenta do reino;
  • muita paciência (o arroz precisa ser mexido o tempo todo e a água, acrescentada aos poucos).

18. Risoto Al nero di seppia

Qualquer prato italiano feito com nero di seppia (conhecido como “tinta de lula” no Brasil) é originário de Veneza. Isso porque tal tinta comestível é extraída das lulas e as melhores receitas são encontradas na charmosa cidade italiana. Os ingredientes normalmente utilizados no prato típico veneziano são:

  • nero di seppia;
  • frutos do mar;
  • echalotes (cebolas compridas).

19. Risoto Al funghi porcini

Receita mais fácil, impossível: à base do risoto, adicionamos cogumelos porcini. Como a criatividade não tem limites, qualquer outro tipo de cogumelos pode ser utilizado para fazer um risotto ai funghi.

Funghi porcini. Cogumelos porcini.

20. Risoto de Cordeiro com Pinhão

Considerado um dos risotos mais elegantes que existem, prepare as taças de vinho certas e saiba que você está prestes a experimentar uma refeição impactante! É comum harmonizar esse prato com um bom vinho Shiraz.

  • arroz arbóre ou carnaroli;
  • pinhão cozido e fatiado;
  • cordeiro em pedaços;
  • uvas passa pretas;
  • cebola média;
  • alho poró;
  • vinho sauvignon blanc;
  • tomilho, alecrim, hortelã frescos e picados;
  • canela em pau,
  • parmesão de boa qualidade ralado grosso;
  • caldo de legumes e
  • sal e pimenta a gosto.

21. Risoto de carne seca com queijo coalho

Esse é um tipo de risoto, além de delicioso, muito versátil, pois pode ser servido dentro de uma abóbora moranga, harmonizando-se perfeitamente! E você pode, ainda, personalizar o prato, preparando-o dentro de mini abóboras moranga. Calcule cerca de 80 gramas de arroz por pessoa. Caso o risoto seja o único prato a ser servido, convém aumentar essa quantia para 100 gramas por convidado.

Esse risoto leva:

  • arroz arbóreo;
  • carne seca;
  • caldo de carne;
  • cebola ralada;
  • queijo parmesão;
  • vinho branco;
  • manteiga;
  • queijo coalho;
  • mini morangas;
  • azeite e sal a gosto.

22. Risoto de Camarão e Champagne

Se sua intenção é impressionar, está aí um risoto que não fará veio! Ele alia o sabor único do camarão – procure, antes, saber se algum convidado é alérgico a frutos do mar e camarão para que você não passe apertado – com a leveza do espumante. O prato leva:

  • arroz arbóreo;
  • caldo de legumes;
  • camarão médio sem casca;
  • champagne;
  • cebola picada,
  • salsinha fresca picada;
  • azeite extra virgem;
  • manteiga sem sal;
  • sal e pimenta a gosto.

23. Risoto de limão siciliano

Esse é um prato muito saboroso, um misto refrescante de sabores! E que se harmoniza espetacularmente bem com um filé mignon a milanesa! O risoto leva vinho branco seco, claro, e um compota especial de limão siciliano. Já o contraste de texturas fica na crocância na carne, por conta do empanado feito com pão amanhecido. O prato constitui-se de:

  • arroz arbóreo ou carnaroli;
  • suco de limão tahiti;
  • compota de limão siciliano;
  • caldo de frango ou de legumes;
  • cebola picada;
  • vinho branco seco;
  • manteiga fresca;
  • parmesão ralado;
  • salsinha picada;
  • sal e pimenta gosto.

24. Arancini

Saindo um pouco do tema “risoto”, mas ainda ficando dentro do mesmo grupo de ingrediente de base, os arancini são, nada mais, nada menos, que bolinhos de arroz fritos. Originários da região da Sicília – ilha no sul da Itália – eles são comumente servidos como entrada (antipasto). A receita tradicional leva:

  • arroz longo;
  • manteiga;
  • sal;
  • açafrão (não o da terra, feito a partir de cúrcuma, mas sim a especiaria extraída dos pistilos de flores Crocus sativus);
  • cebola;
  • louro;
  • aipo;
  • cenoura;
  • carne moída bovina;
  • ervilha;
  • vinho branco;
  • azeite de oliva extra virgem.

E o que você acharia de fazer um tour gastronômico por todo o território da Itália?

Pratos tradicionais

A cozinha italiana não se resume a massa, pizza e risoto. Existem vários outros pratos tradicionais igualmente deliciosos e que precisam ser conhecidos (caso ainda não o sejam).

O ossobucco de cordeiro é um prato super tradicional italiano e cada vez ganha mais adeptos no Brasil.

25. Ossobucco

Completo e popular, esta receita italiana é normalmente acompanhada de arroz ou de batatas cozidas. Seus ingredientes principais são:

  • jarrete de vitela (parte da perna localizada atrás da articulação do joelho);
  • chambão de vitela (pedaço de osso da perna do vitelo dentro do qual encontramos grande quantidade de tutano, que, para essa receita, não deve ser retirado);
  • vinho branco;
  • tomates maduros;
  • coentro;
  • parmesão ralado.

26. Scaloppina alla milanese

Fino, crocante e dourado, a verdadeira receita de escalope à milanesa tem um segredo essencial para seu saboroso sucesso: sua crosta. A receita tradicional precisa de:

  • fatias de carne de “vitela de leite” (bezerro alimentado exclusivamente à base de leite);
  • farinha de pão branco;
  • ovos;
  • manteiga clarificada.

Caso prefira doces, você pode encontrar um bom curso de confeitaria em bh ou um curso de confeitaria em qualquer outra cidade para preparar as guloseimas!

Como podemos ver, a gastronomia italiana é super rica, variada e ultra saborosa! Não é à toa que existem milhares e milhares de ristorantes italianos espalhados pelo mundo! Essa é uma culinária criativa, que dá primazia a ingredientes frescos e da estação.

Criativa, o preparo dos pratos e os ingredientes pode e de carta forma até deve variar de região para região, já que essa gastronomia reflete de perto o amor do italiano pela comida e o que isso significa para ele e a família. Uma formula perfeita para todos os gostos!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...
avatar