Com as novas composições e danças de funk que estão fazendo sucesso atualmente, diversas pessoas têm procurado iniciar aulas de estilos parecidos, como hip hop, para aprender a dançar e se divertir bastante nos bailes. Por isso, os cursos de dança estão disponibilizando diversas aulas de danca do gênero para que os alunos consigam entender como fazer o famoso passo do romano ou várias outras coreografias que tomam conta das festas quando toca Anitta, por exemplo.

Por conta da grande popularidade de estilos que fazem a galera descer até o chao em nosso país, decidimos falar sobre a história por trás desse maravilhoso ritmo brasileiro que vemos em tantos videos pela internet afora.

Ficou interessado em fazer aula para conseguir arrasar em uma coreografia step by step para poder treinar em casa e repetir com maestria durante o baile? Louco para conseguir fazer igual a Paolla Oliveira aprendeu - e arrasou -, consultando exercícios em videos online gratis? Então fique atento porque vamos explicar também como é possível iniciar as aulas desta dança que ganhou o coração, o ouvido e o rebolado no nosso país.

Portanto, continue acompanhando o artigo e saiba tudo sobre o universo do funk e como aprender dancar!

Passos de funk: a história por trás dos movimentos

história do funk
Os shows do gênero tradicional são repletos de paredões, artistas consagrados e melodias dançantes!

O estilo surgiu a partir da forte influência da música norte-americana da década de 60. Por isso, ele consiste em uma junção de soul music, R&B, batidas psicodélicas e rock. Assim, as principais características desse estilo musical são a batida marcante, o ritmo sincopado e o baixo de linha densa.

De início, o funk foi derivado do soul music (gênero musical inspirando no gospel e no blues) entre os anos 50 e 60. Nos anos 70, se iniciaram os bailes do gênero no Rio de Janeiro, que percorreram pela zona sul e chegaram ao subúrbio com o passar do tempo. Nesse mesmo período, esse tipo de musica se tornou popular em todo o Brasil.

Nos anos 2000, as academias entraram na onda do batidão, assim como casas noturnas e outros lugares frequentados pela classe média. Nesse mesmo período, grupos como o "bonde do tigrão" e as MCs como a "tati quebra barraco" começaram a fazer muito sucesso devido às batidas autorais que caíram no gosto do público, como "boladona" e "sou feia, mas tô na moda".

Essas composições falam bastante sobre liberdade e empoderamento, principalmente acerca do poder da mulher. Atualmente, essa indústria movimenta milhões de reais nas produções culturais. É possível ver grandes produções musicais do gênero no canal do youtube do Kondzilla, que possui milhões de inscritos.

O estilo m questão se modificou bastante ao longo dos anos e sofreu forte influência de outras manifestações brasileiras e do exterior. Na década de 60, foi criado o funk tradicional, com batidas mais lentas e dançantes. Já na década de 60, a influência da psicodelia ganhou espaço, apresentando características mais "pesadas". Por fim, na década de 80, o funk do exterior teve forte influência do heavy-metal e a versão brasileira adquiriu uma conotação mais sexual em suas letras.

Década de 60

Esse estilo musical foi originado a partir de uma junção de diferentes estilos musicais, como o soul, o jazz e o R&B. Logo após a sua criação, muitas pessoas o consideraram indecente, já que a palavra "funk" em inglês possui uma conotação sexual. As batidas da década de 60 - também conhecidas como o "funk indecente" - possuem movimentos mais dançantes, soltos e lentos, com composições de frases repetidas.

O bailão movimenta milhões com shows e produções musicais.
Requebrar na super produção do bailão é mais fácil do que você imagina!

Década de 70

Na década de 70, o estilo musical adquiriu características mais "pesadas", com aparecimento de bandas como "funkadelic" e "parliament". Nesse momento, houve grande influência da psicodelia, que originou o estilo "p-funk". Bandas como War, Kool & The Gang, B. T. Express, Lakeside, Commodores e Brass Construction fizeram muito sucesso no na cena da década de 70.

Década de 80 até os dias de hoje

A versão da década de 80 (que surgiu no país juntamente com a lambada) teve como principal objetivo conquistar e atrair pessoas de diferentes gostos musicais. Assim, fizeram uma "quebra" do funk tradicional e desenvolveram diversos outros subgêneros, de modo a tornar o estilo musical mais comercial. Nesse período, houve uma grande influência do break, do hip-hop e do rap e o surgimento de bandas como Soulsonic Force e Sugarhill Gang.

No final da década de 80, criaram o house music, e esse estilo sofreu forte influência do funk tradicional, juntamente com o samplers e diversos efeitos sonoros. Atualmente, nos Estados Unidos, o gênero teve influência também do rock mais metaleiro, com uso das guitarras utilizadas no heavy-metal.

Já em terras brasileiras, o mais conhecido dentre eles é o carioca. Ele teve grande influência do Miami Bass - muito conhecido na Flórida - que possui batidas e movimentos mais rápidos juntamente com músicas de letras mais erotizadas. Na década de 90, houve o "boom" dos bailes funk pelo território brasileiro, principalmente no Rio de Janeiro. As letras das batidas cariocas falam bastante sobre a vida na periferia e também possui letras de duplo sentido, com forte conotação sexual.

Assim como o estilo musical que consagrou Anitta e Jojo Todynho, o tecnobrega - que é muito popular na região norte e nordeste - também ganhou outras conotações ao longo do tempo, se tornando ainda mais moderno.

Aulas de funk: quais os diferentes estilos?

estilos de funk
O funk tradicional possui uma batida mais lenta, dançante e solta. Devido à sua popularidade, há diversos bailes do gênero espalhados pelo país!

Há diferentes estilos de funk, e os principais são: carioca, ostentação, consciente, pop e proibidão. Veja a seguir as principais características de cada um desses estilos e escolha qual deles é o melhor para você fazer um curso em casa ou uma coreografia com video na academia!

Funk carioca

O funk carioca consiste no estilo popular tradicional que se iniciou no RJ e conquistou o país inteiro, com o passar do tempo. A maioria das músicas de funk que toca pelo Brasil, possui influência das criações cariocas do gênero. Isso porque o batidão tradicional costuma fazer muito sucesso em todo o território nacional.

Funk consciente

O funk consciente possui algumas batidas parecidas com o rap, e por isso muitas vezes é confundido com esse estilo musical. As músicas desse tipo contam sobre os problemas sociais recorrentes na periferia, além do descaso com as pessoas que moram nesses locais. Porém, o funk consciente não se encontra em alta, como o funk pop e o tradicional.

Funk ostentação

As canções que possuem essa pegada falam sobre carros de luxo, jóias e dinheiro fazem parte do funk ostentação (também denominado de "funk paulista"). As composições desse gênero falam muito sobre o comunismo exagerado e a vontade da população de periferia de melhorar de vida. Esses tipos de composições surgiram nos subúrbios paulistas, conseguindo obter mais mídia a partir dos "rolezinhos" que ocorreram em 2013.

Funk pop

dança de funk pop
O funk pop faz muito sucesso nos bailes, fazendo a geral descer dancando até embaixo, seja em São Paulo, no Rio ou em qualquer outra cidade que toque Anitta e cia.!

As batidas de funk pop são as que costumam ficar nas paradas de sucesso e conquistar o público nacional e internacional. Em geral, as suas letras são mais suaves e possuem muita semelhança com o pop. Artistas como Ludmilla e Anitta são muito conhecidas no meio deste estilo. Por conta da popularidade desse ritmo é possível fazer aulas aprendendo todos os movimentos da dança através de coreografias que ficaram famosas!

Funk proibidão

O proibidão é cercado de polêmicas, já que muitas vezes, as letras falam sobre consumo de drogas e possuem conotação sexual de forma explícita. Além disso, as letras de funk proibidão são repletas de palavrões. Por mais que seja bastante criticado, esse estilo costuma fazer bastante sucesso.

Outro ritmo que faz bastante sucesso no Brasil é o samba. E, é possível aprender a sambar com muita maestria nas aulas danca!

Aprenda como são as aulas para iniciantes

aula de funk para iniciantes
A aula de funk para iniciantes é uma excelente opção para cuidar do corpo e da mente!

Na aula de funk para iniciantes é possível conhecer passo a passo os movimentos dos principais sucessos desse ritmo. Porque sim, é possível aula deste estilo de dança que conquistou o Brasil e o resto do globo inteiro da mesma maneira que se faz aula de salsa, aula de bachata ou outras dancas de salão.

Passinho: quais são os principais deles?

Ficou curioso para saber mais sobre esse movimento? Então aprenda desde já quais são os principais passinhos que são aprendidos durante as aulas de dança e já comece a pensar no movimento das suas coreografias! São eles, dentre outros:

  • Passinho do Romano;
  • Passinho dos Malocas;
  • Passo do Quadradinho;
  • Dança do Bonequinho.

Após assimilar esses passos mais básicos com exercicios práticos durante a aula, você conseguirá fazer os movimentos mais difíceis e, com o passar do tempo, integrá-los em uma coreografia que poderá até mesmo ser registrada em vídeo e compartilhada em suas redes sociais!

Nessas aulas, além de aprender a dançar melhor, você consegue também obter diversos benefícios para a saúde do seu corpo e da sua mente, como:

  • Fortalecer a musculatura corporal;
  • Reduzir sintomas de dores no corpo;
  • Aumentar a autoestima;
  • Melhorar o condicionamento físico;
  • Fortalecer os ossos do corpo;
  • Melhorar a frequência respiratória e cardíaca.

Sendo assim, dance não só para gerar diversos benefícios para o corpo, mas também para melhorar o seu humor, pois durante a prática do exercício físico é possível ter a liberação da serotonina e da endorfina, de forma que você sinta prazer e tenha sensações de bom humor durante e depois dos exercícios e coreografias.

Outra boa opção é fazer aulas para aprender a dançar forró, pois seus exercicios ajudam no movimento de todo o corpo (dancas em geral, diga-se de passagem!).

Dance bem durante as aulas: dicas para dançarinos de primeira viagem

Aula de dança podem ser uma maneira divertida de se exercitar, seja ela de batidão do Rio de Janeiro, de salsa, zumba, bachata ou samba. No entanto, para dançarinos de primeira viagem, mesmo os movimentos mais moderados  podem ser intimidantes você nunca fez nenhum deles antes - ou já faz muito tempo que não se joga no bailão.

Quando você faz coisas que nunca fez antes - ou que ficou muito tempo sem fazer -, em um ambiente novo e desconhecido como uma nova academia de dança, você acaba quebrando velhos hábitos. Isso porque à medida que você aprende um novo passo e o vincula uma sequência, mas, para ficar melhor, o executa ao contrário - seja por causa da música, ou porque durante os cursos você precisa realmente descer até o chão - você exercita não só o seu corpo, mas também o seu cérebro.

A roupa também faz parte da cultura da dança.
É muito mais fácil se jogar na dança quando estamos com uma roupa adequada e confortável!

Ao começar a frequentar cursos de dança, você se torna consciente das pessoas ao seu redor, das músicas, dos diversos sons presentes nos ambientes, dos cheiros e, principalmente, de você mesmo. Esta é, definitivamente, uma experiência de autoconhecimento e despertar sensorial!

Sendo assim, resolvemos preparar algumas dicas para quando você começar a se jogar no passinho do quadradinho, dançando até o chão nas suas primeiras aulas antes de começar a ir para os bailes. Começar cursos novos pode ser uma experiência desconfortável para muitos. Seja dançando Jerry Smith, Ludimilla, Kevinho ou MC Fiotti, aqui vão algumas dicas que você poderá levar pra vida toda vez que for começar algum curso novo, seja ele gratis ou pago, de hip hop, jazz, salsa ou step, em São Paulo ou no Recife!

Use roupas e sapatos confortáveis

Evite roupas muito apertadas, muito largas ou muito “não você”. É normal querer consertar aquela alça que cai, ou aquele elástico que machuca quando não estamos totalmente confortáveis. No entanto, isso vai acabar te irritando e incomodando ao logo das aulas.

Acima de tudo, use um par de sapatos que você tenha certeza que conforte seus pés! Eles são sua base e você precisa estar estável aprendendo novos passos que farão você sentir tudo menos dor no dedão ou no mindinho!

Não é preciso de experiência em dança

Novatos são mais que bem-vindos nas aulas de dança. Qualquer pessoa pode seguir lições de rebolado ao som de Pedro Sampaio ou MC Gustta, seja ela criança, adulta ou idosa. É normal ficar nervoso quando se é um iniciante sem nenhuma experiência. Sério, embora se for uma lição, é destinada a iniciantes. Se for uma turma de curso básico então, pode ter certeza que todos os presentes já passaram por isso!

E se você optar por primeira uma aula grátis ao invés de ja pagar de cara um pacote de aulas sem antes ter experimentado a sessão? Desta maneira você poderá se sentir menos pressionado pela turma e, porque não, poderá até aumentar suas chances de encontrar um ambiente amigável.

Alunos de primeira viagem (mais mulheres o que homens) tendem a se perguntar o que os outros estão pensando do seu desempenho ou ainda a se comparar com os colegas com frequência! Não se preocupe com isso. Todo mundo está fazendo a mesma coisa. Divirta-se com um grande sorriso em seu rosto e ria de sua ida para a direita quando todo mundo estiver indo para a esquerda!

Estranhos se tornam amigos rapidamente

A música tem um apelo universal e tende a relaxar - ou pelo menos distrair - todos nós. O instrutor provavelmente indicará uma música para que você siga o "step by step" de maneira simples e descomplicada.

No final das aulas - e depois de vários pés trocados - pouco importará se a pessoa que está ao seu lado é um engenheiro, artista, faxineiro, mãe ou modelo:  todos os presentes estão lá para aprender algo novo, começando do mesmo nível de partida. E você pode ter certeza que isso faz com que amizades sejam construídas de maneira rápida e divertida!

Os movimentos serão mais fáceis do que você imagina

Temos a tendência de pensar o pior e a acreditar que tudo será difícil. Um bom instrutor escolherá danças fáceis e as dividirá em 8 contagens. Você vai fazê-los lentamente e repeti-los indefinidamente até conseguir seguir em frente. Se bobear, você nem mesmo terá a distração da música no início.

Distraia a cabeça e concentre-se em seu corpo

Aulas de danças seguem uma sequência. Além disso, eles proporcionam a expressão de criatividade e emoção através do seu corpo. Portanto, não se preocupe se você for rígido como um pau no início. O importante é se jogar no momento e descer até o chão se te der vontade!

Você vai se sentir feliz depois

É verdade. A ciência prova que dançar pode melhorar o seu humor. Na verdade, estudos científicos comprovaram que a dança ajuda a aliviar sintomas ligados à depressão. Parte do motivo é a postura. Dançar melhora sua postura. Você sabe intuitivamente quando alguém está triste, sofrendo ou deprimido por causa de sua postura. É quase impossível dançar assim. Portanto, erguer a cabeça, abrir o coração e ficar em pé terá inevitavelmente um efeito positivo sobre o seu humor.

Além do mais, a dança é um exercício físico que promove a liberação de vários químicos benéficos para o seu corpo e sua mente, como a endorfina, ótima aliada na recuperação de pessoas deprimidas.

Seja no bailão em São Paulo ao som de MC Du Black, ou em Belo Horizonte numa balada mais calma com jazz, seu corpo, seu cérebro e seus hábitos potencialmente novos e contribuirão para sua saúde física e mental!

Danca em grupo pode ser melhor que individual.
Encontrar um tutor para aulas de dança é fácil: é só ir no www.superprof.com.br !

Dance funk: onde encontrar um professor pra te dar aulas?

Para fazer o curso de dança, você pode procurar pelo professor de dança em instituições que oferecem aulas de funk ou plataformas online que disponibilizam esse tipo de aula. A aula de dança online é uma excelente opção para quem possui uma rotina corrida e deseja cuidar ainda mais da saúde. Já as aulas em instituições de dança são recomendadas para quem gosta mais de se relacionar socialmente e prefere ter um acompanhamento pessoalmente do professor de dança.

Você conseguirá encontrar o seu professor de dança nestes dois tipos de aulas: online e presencial. Para encontrar o tutor ideal, você pode pesquisar pelos profissionais de dança através da internet e conversar com outras pessoas que fazem curso do tipo. Nesses cursos é possível ainda ficar fera  em outros "bailados" brasileiros, como o xaxado e o forró, além musica e coreografias internacionais como salsa e foxtrot.

Com boas informações, você conseguirá encontrar um professor de dança que se adaptará ao seu estilo e conseguirá te ensinar os principais passos para que você consiga reproduzir uma coreografia famosa.

Já pensou conseguir criar a sua própria coreografia para algum hit da Anitta de maneira facil utilizando os conhecimentos aprendidos durante os exercicios do seu curso? E se o resultado acabar melhor que o esperado e você resolver fazer um video para postar na internet e ele viralizar? Sabemos que são muitos "se's" em questão, mas não custa nada sonhar um pouco para ganhar ainda mais motivação para evoluir, não é mesmo? Afinal de contas, o mundo dos "www" está cada vez mais repleto de videos que nos divertem!

Então, vá em busca do professor e inicie o curso de dança para cuidar ainda mais da sua saúde e do seu bem-estar! E, lembre-se: no curso de dança é possível também entrar em contato com diversos outros ritmos, como o samba, por exemplo!

Quer uma dica? Que tal procurar por um tutor que ofereça a primeira sessão gratis? Assim você pode ter um gostinho do que está por vir antes de se comprometer a longo prazo. Dependendo do professor, você poderá fazer sua aula sem nem mesmo precisar sair de casa!

Precisando de um professor de Dança ?

Você curtiu esse artigo?

5,00/5 - 1 nota(s)
Loading...

Isabella

Graduada em administração de empresas e especialista em marketing de conteúdo. Apaixonada por educação, redação e mundo digital. Atua como redatora e conteudista.