Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Observar e desenhar, como funciona?

De Carolina, publicado dia 27/03/2019 Blog > Artes e Lazer > Desenho > O que é o desenho de observação?

Entre as diferentes formas de desenho, o desenho da observação é quase uma obrigação!

Não é muito empolgante desenhar uma cesta de frutas quando você começa a aprender a me desenhar, você diria… E, no entanto, é um passo essencial para entender os conceitos básicos de desenho.

A observação é um processo complexo que pode ser aprendido. Reproduzir um objeto com precisão, examinar os recursos de um rosto para desenhar um retrato realista, pintar uma paisagem… Esses exercícios têm como ponto comum os sentidos que devem se mobilizar.

O filósofo indiano Jiddu Krishnamurti, medalhista da paz da ONU de 1984, disse:

“Observar sem avaliar é a forma mais elevada de inteligência humana.”

O desenho de observação também é esse. Observe sem julgar. Não deixe seu cérebro interpretar o que vê, mas seja fiel à realidade.

Não deixe de desenhar observando Esta técnica permite criar também o seu estilo, mas tentando reproduzir fielmente o real

Soa simples? Porém… Descubra os segredos do desenho de observação!

História do desenho: como surgiu a arte de desenhar?

A história do desenho começou há milhares de anos, na pré-história. Nas cavernas estão gravados até hoje, por meio de desenhos, os hábitos e experiências dos chamados “homens das cavernas”, que usavam as pinturas rupestres como forma de se expressar e comunicar antes mesmo que que existisse a linguagem verbal.

Ao longo dos séculos e o desenvolvimento das artes e das ciências, o desenho passou a ser utilizado cada vez mais de formas diferentes e para fins variados. Pode-se dizer que o desenho é um precursor da linguagem escrita, da fotografia, do cinema, e até mesmo das representações cartográficas.

A arte de desenhar acompanhou o homem durante todo seu desenvolvimento fazendo parte de sua história:

  • Ilustrando templos sagrados e tumbas;
  • Relatando a vida cotidiana, e até mesmo a vida após a morte como vemos nos desenhos egipicios;
  • Representando os deuses mitológicos gregos e romanos;
  • Ou ainda, conduzindo navegantes por mares desconhecidos como durante os séculos XV e XVI e nos séculos posteriores.

Na pré-história o desenho surgiu como uma forma de as pessoas se comunicarem facilitando o desenvolvimento de uma linguagem falada e escrita.

É praticamente impossível de determinar se o homem aprendeu a desenhar antes de falar. A linguagem oral tem por característica justamente o fato de não deixar registros, diferentemente dos desenhos, que estão registrados nas paredes, como as pinturas rupestres. Mas é inegável que a expressão por meio de pinturas facilitou a comunicação para aqueles povos primitivos.

Foi na antiguidade que o desenho ganhou um status sagrado, especialmente no Egito, onde foi usado para decorar tumbas e templos.

como aprender desenho de observação O desenho sempre foi uma forma de expressão e de linguagem.

Mesopotâmicos, Chineses e povos do continente Americano também desenvolveram seus próprios estilos de desenho, com significados próprios e que caracterizavam os hábitos e a cultura de cada população. Da mesma forma ocorreu na antiguidade clássica, quando gregos e romanos utilizaram o desenho para representar seus deuses mitológicos.

Procurando por um curso de desenho em rj?

Como a invenção do papel e outros utensílios mudou a forma de desenhar

A invenção do papel pelos chineses há mais de três mil anos foi, sem dúvida alguma, um acontecimento realmente importante para todas as formas de desenho.

Antes do surgimento do papel, os suportes usados para desenhar eram dos mais variados: blocos de barro ou argila, couro, tecidos, folhas de palmeira, pedras, ossos de baleia, papiro (uma espécie de papel mais fibroso muito usado pelos egípcios) e até mesmo bambu.

Acredita-se que por volta do ano VI a.C. os chineses já utilizavam um papel de seda branco próprio para desenho e escrita. Mas, o papel da forma que conhecemos hoje em dia surgiu apenas em 105 d.C., tendo sido mantido em segredo pelos chineses durante quase 600 anos.

A técnica usada pelos chineses da época já era muito semelhante com a que usamos hoje em dia: extração das fibras vegetais, prensagem e secagem.

Os acessórios usados para desenhar também evoluíram com o tempo. O primeiro “utensílio” usado para desenhar foram os dedos com os quais os homens da caverna fizeram suas pinturas rupestres. Os babilônios, quanto a eles, usavam pedaços de madeira ou osso em formato de cunha para desenhar em tábuas de argila – daí o nome da escrita “cuneiforme”.

Com a invenção do papiro pelos egípcios foi necessário desenvolver outros materiais para a escrita e o desenho. Passaram então a ser utilizados madeira e ossos molhados em tinta vegetal e, depois, as famosas penas ou ainda o carvão que já era utilizado pelo homem das cavernas.

No século XVIII as penas passaram a ser de metal e em 1884, Lewis E. Watterman patenteou a caneta tinteiro, a precursora das esferográficas. A famosa caneta em esferográfica só foi inventada em 1938.

A evolução do desenho através dos séculos

Assim como os instrumentos utilizados para desenhar evoluíam, a própria maneira de desenhar evoluiu também. O desenho experimentou um grande crescimento na época dos samurais, Japão (1192 a 1600).

Para quem não sabe, os samurais além de guerreiros também dedicavam-se a aprender artes. Aliás, foi no Japão que a famosa tinta nanquim ganhou destaque. Inventada na china, essa tinta preta bastante usada para desenhar, era feita de um pigmento negro extraído de compostos de carbono queimados, como o carvão.

Como aconteceu com praticamente todas as formas tradicionais de arte, foi a religião que ajudou a difundir o desenho no ocidente. Embora na antiguidade já se fizesse desenhos que retratavam o cotidiano das pessoas ou mesmo a natureza, a religião – em especial a cristã – elevou o desenho e as artes à outro patamar.

técnicas para aprender desenho de observação Ao longo dos séculos as técnicas de desenho foram se aprimorando e novos estilos surgiram.

Se antes retratava-se a vida cotidiana e a natureza, na idade média as artes plásticas se restringiam quase que exclusivamente a retratar passagens bíblicos e outros eventos cristãos. É somente durante o Renascimento que o desenho ganha perspectivas e passa a retratar mais fielmente a realidade ao contrário do que ocorria, por exemplo, nas ilustrações da Idade Média.

Com o Renascimento também surgiu um conhecimento mais aprofundado da anatomia humana e os desenhos se tornaram mais realistas. O desenho de observação era muito comum nesta época e os grandes mestres da pintura eram também exímios desenhistas que usavam os conhecimentos da anatomia para dar mais realidade às imagens através do uso de sombras, proporções, luz e cores.

Após a Revolução Industrial o desenho ganhou novas formas e funções. Foi nesse período que surgiu, por exemplo, o desenho industrial, usado para projetar máquinas e equipamentos.

Outro acontecimento que marcou a história do desenho e contribui para seu desenvolvimento foi o surgimento dos quadrinhos, em 1890! Já as caricaturas e charges surgiram após a Primeira Guerra Mundial, entre 1914-1918.

Da década de 90 até os dias de hoje as evoluções – tanto nos estilos, como nas técnicas – foram muitas! Centenas de periódicos no mundo todo tratam exclusivamente do assunto “desenho” em suas mais diversas modalidades: cartuns, charges, desenhos técnicos, desenho artístico, caricatura, animes, mangás, grafite, entre outros.

O que é o desenho de observação?

Pouco praticado no desenho da imprensa, o desenho da observação consiste em reproduzir de maneira mais realista um determinado assunto. Ele pode ser facilmente definido o como desenho ou pintura da realidade.

O desenho de observação pode se manifestar de diversas formas: natureza morta, o desenho de um modelo (figurativo), desenho de paisagens, de arquitetura, etc.

Não é, de modo algum, uma questão de interpretação, de imaginação, de criação… É uma arte difícil, porque requer um certo domínio dos conceitos básicos de desenho, mas também um treinamento pessoal sobre como alguém usa os seus sentidos.

A imagem não é inspirada de uma fotografia, por exemplo, ou a imaginação do artista, mas sim a partir da observação da vida real. Tradicionalmente, este tipo de desenho  é realizado com lápis, carvão ou outros utensílios.

O artista pode, ainda, usar uma caneta esferográfica ou nanquim, assim como tintas ou aquarelas para colorir.

Geralmente o exercício de desenho de observação é muito importante para o seu aperfeiçoamento como desenhista ou artista plástico. A partir dos seus desenhos, você poderá comunicar idéias e demonstrar sua  forma de interpretar o mundo.

Cada detalhe é importante: a maneira como você escolhe a composição, as cores que você irá usar, como exatamente você pode retratar o modelo a ser desenhado, como você trabalha elementos técnicos como luz, sombra e contrastes. 

Um retrato mais verdadeiro que a natureza, é possível? Foto ou desenho? A diferença é pequena e ainda é um desenho!

Quando olhamos um bom desenho de observação, chegamos a dizer: “É incrível, parece uma foto!”.

exercícios para aprender a fazer desenho de observação Para melhorar suas técnicas em desenho de observação é preciso praticar.

Para chegar a essa fase, é imperativo trabalhar em seu desenho e dominar o gesto. Em um desenho de observação bem sucedido, encontramos:

  • A perspectiva,
  • Respeito pela proporção,
  • Texturas e materiais,
  • Sombras e luz,
  • A finura das características,
  • O cuidado dos detalhes.

Você pode melhorar consideravelmente suas técnicas e prática do desenho de observação através de alguns exercícios simples:

Trabalhe a composição

Corte um quadrado ou retângulo vazado de papel cartão e use como uma ferramenta para te ajudar a fazer a composição. Observe ao seu redor e tente encontrar algo que você gostaria de desenhar e selecione o melhor ponto de observaçãoEsta ferramenta irá ajudá-lo a definir as bordas de sua composição e como você deseja situar o tema dentro desse quadro de trabalho.

Escolha bem seu material de trabalho

Para se sentir mais à vontade na hora de desenhar, é importante ter um material adequado. Nós recomendamos que você use uma folha grande de papel, ou um caderno de desenho no maior formato que você encontrar. O ideal é que sua folha tenha pelo menos o dobro do tamanho de uma folha de papel sulfite.

Um dos maiores problemas de desenhar em uma folha muito pequena é que isso restringe os movimentos das mãos e a capacidade de precisão, podendo distorcer o desenho.

Concentre-se naquilo que você está desenhando

Sua atenção deve estar totalmente focada naquilo que você está desenhando.Você deve olhar para o seu modelo pelo menos 50% do tempo, ou se possível, mais!

Observe todos os detalhes, concentre-se naquilo que você realmente quer desenhar. Preste atenção no que pode fazer toda a diferença no seu desenho: onde é que as linhas se cruzam, os ângulos, quais são as formas básicas, as proporções de altura e largura, etc.

Além de ser um exercício muito importante, é normal que você tome alguns minutos apenas olhando e observando todos os detalhes possíveis do modelo que será desenhado. Apenas após dedicar uns bons minutos a este exercício, comece a fazer seus primeiros esboços do tema em questão.

Exercite o seu olhar

Como desenhar um gato?

Desenhar um rosto?

Desenhar uma natureza morta?

Para fazer um desenho de observação, deve-se considerar que a mão é uma extensão dos olhos. Devemos desenhar apenas o que vemos. Para conseguir isso, é óbvio que é preciso ter o modelo diante de si mesmo. O olhar faz vai e volta entre a folha branca e  o objeto (pessoa, animal) a ser desenhado.

Antes de começar a desenhar a primeira linha de seu desenho, é importante fazer alguns minutos de reflexão para visualizar seu modelo em sua totalidade antes de observar todos os detalhes.

Você encontrará facilmente seus primeiros modelos para praticar o desenho!

Como não se perder?

Há dicas para fazer um curso de desenho online, mas antes de começar, é importante chamar a atenção do famoso lado direito do seu cérebro!

Desenho de observação e cérebro direito

Costuma-se dizer que, para desenhar de maneira realista, é preciso chamar a atenção do cérebro direito. O que é isso? Qual a diferença entre cérebro direito e esquerdo?

  • O cérebro esquerdo é o cérebro analítico. Essa é a parte relacionada ao raciocínio, lógica,
  • O cérebro direito gerencia. Isso afeta a criatividade, o humor, mas também, e é o que nos interessa, a percepção das formas no espaço.

Essa teoria foi desenvolvida por Betty Edwards em seu livro “Desenhar graças ao cérebro direito”.

A boa notícia? Essas habilidades não são inatas. Elas são trabalhadas. Portanto, é possível praticar para promover o desenvolvimento do cérebro direito.

À primeira vista, você acha que o cérebro esquerdo, lógico e racional, seria mais relevante aqui para o desenho da observação? Isso está longe de ser verdade… Pelo contrário, o hemisfério esquerdo tende a distorcer a realidade percebida.

Veículos também são modelos para ilustração A vantagem é que você pode desenhar o que quiser!

Vamos pegar o exemplo de crianças, cujas habilidades de observação ainda não estão muito desenvolvidas…

Diante de um modelo, eles não desenham o que vêem, mas o que eles sabem e, especialmente, a representação que compõem. Eles vão desenhar quatro rodas para um carro, mesmo que eles apenas vejam duas porque, como sabemos, um carro tem quatro rodas.

É um pouco a mesma coisa com nosso cérebro esquerdo!

Muito influenciado pelas experiências pessoais e o conhecimento de cada indivíduo, o cérebro esquerdo vai analisar a percepção visual e o desenho não será fiel à realidade, mas sim a uma lógica. O cérebro direito vai perceber de forma realista as formas.

Concretamente, para aprender a extrair de uma observação, é essencial dar uma nova olhada nas coisas. Para esquecer tudo o que aprendemos, todo nossos “preconceitos” para se concentrar apenas na forma a ser reproduzida.

Para treinar, é preciso muito pouco material: uma folha, um lápis, um carvão ou tinta. Não há necessidade de cavalete, pintura, pincéis… Concentre-se primeiro na precisão do esboço.

Como desenhar e reproduzir facilmente uma observação em alguns passos?

O desenho da observação é realizado em várias etapas. Isso sempre é feito em uma ordem específica:

  1. O esboço geral do objeto a desenhar,
  2. Os detalhes observados.

Um desenho de observação deve, de fato, respeitar perfeitamente um quadro, as proporções do objeto desenhado e as perspectivas. Portanto, devemos primeiro entender os elementos a serem incluídos no desenho como um todo. Quando o primeiro esboço é desenhado dessa maneira, nos perguntamos se cada elemento está de acordo com as observações: posicionamento, tamanho, orientação…

Trabalhe seu senso de observação

Uma vez que esse primeiro passo for concluído, podemos nos concentrar nos detalhes que compõem o assunto. Cada elemento deve ser observado de forma precisa individualmente, mas também comparando-o com os outros elementos que compõem o assunto. Esse trabalho requer conhecimento avançado em desenho e muita técnica. É necessário formalizar as texturas, os materiais, o brilho, as sombras, mas também trabalhar os espaços vazios.

Para aprender desenho, exercícios práticos que são fáceis de realizar promovem o desenvolvimento do significado da observação. Por exemplo, você pode escolher um exercício de desenho entre estes:

Faça ilustrações dos seus animais de estimação Por que não lançar um Instagram só de desenhos felinos?

  • Desenhe sem olhar para a sua folha: Supondo que a mão deve ser a extensão do olho, prenda sua folha na mesa e reproduza um objeto sem olhar para ela.
  • Desenhe de cabeça para baixo: essa é uma das técnicas para aprender a desenhar e a usar seu cérebro direito. Nós escolhemos um modelo, mas o observamos e o reproduzimos ao contrário. Uma técnica genial para se desconectar do cérebro esquerdo e concentrar sua atenção só no que você vê.
  • Reproduzir as formas vazias: a gente excede os bloqueios com mais facilidade. Em vez de desenhar o braço de um personagem, desenhe o espaço entre o corpo e o braço dele.

Como desenhar uma flor? Também é possível praticar desenho de fotos!

Desenhe o que você não vê

Não, não vou me contradizer. Mesmo que pareça um paradoxo flagrante, para desenhar o que a gente vê, também é preciso desenhar o que a gente não vê, pelo menos à primeira vista.

Explicações…

O desenho da observação, quando se trata de assuntos em 3D, requer um controle perfeito das perspectivas, das profundidades, das proporções, das linhas…

Portanto, é essencial saber o que está por trás do assunto para reproduzir um desenho fiel à realidade.

Vamos dar um exemplo. Você deve desenhar um personagem na frente de uma biblioteca. Se você se concentrar no que vê, você vai desenhar apenas parte do mobiliário. O risco, se você não colocar todo o mobiliário em seu esboço, é que as prateleiras da biblioteca não estarão perfeitamente alinhadas, no mesmo nível, ou que a perspectiva ficará distorcida.

Mesmo que o desenho (como fazer caricaturas?) final mostre apenas a realidade da observação, em sua composição, é importante incluir os elementos ocultos que parecem importantes.

É o mesmo que representar um personagem.

Parte do braço está escondido? No entanto, é necessário saber como ele está posicionado atrás dele para produzir um desenho realista. A estrutura invisível influencia a aparência final.

Encontre também um bom curso de pintura em tela no Superprof!

O que o desenho de observação pode proporcionar?

O desenho da observação é um exercício muito interessante, mesmo para um desenhista amador. Permite desenvolver efetivamente certas qualidades e habilidades:

  • Dominar os seus gestos,
  • Desenvolver seu senso de observação,
  • Promover habilidades de concentração,
  • Relaxar,
  • Aproveitar o momento,

Uma ilustração do coração humano, indispensável para estudantes de medicina, sabia?
O desenho de observação também é útil no campo da saúde.

Tem vontade de fazer um curso de ilustração?

Desenhar objetos do cotidiano Quer café? Já tentou desenhá-lo hoje?

É também uma atividade que pode ser particularmente útil no cotidiano como no trabalho. O desenho de observação é o cerne de muitos campos profissionais, tais como:

  • Ciência,
  • Ilustração e gráficos,
  • O design,
  • A arquitetura,
  • O desenho de audiência ou a realização de retratos durante os julgamentos,
  • O desenho de caricatura,
  • Design industrial,
  • O desenho técnico,
  • Ilustração médica,

As habilidades adquiridas durante seu curso de desenho são numerosas e podem ser transpostas em muitos campos, mais ou menos artísticos.

Antes de dominar a arte do desenho, você terá que passar por muitas horas de prática. O desenho da observação é muito importante para treinar e torna possível abordar todos os estilos de desenho mais facilmente.

Para descobrir em detalhes a arte do desenho, não hesite em experimentar outras técnicas de desenho (lápis, pastel, aquarela, pintura a óleo, guache, software de desenho…). Isso tornará mais fácil encontrar seu caminho e seu estilo.

E se você tiver a oportunidade, inscreva-se em Belas Artes depois de suas aulas no curso de desenho!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de3,80 sob 5 de 10 votos)
Loading...
avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Rodrigo Malaquias Recent comment authors
Mas recentes Mais antigos Mais populares
Rodrigo Malaquias
Convidado
Rodrigo Malaquias

Muito bom o artigo!