Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

A língua alemã e suas particularidades

De Camila, publicado dia 30/09/2017 Blog > Idiomas > Alemão > O idioma da Alemanha e suas características germânicas

A decisão de começar a estudar a língua de Goethe vem sempre acompanhada pelo interesse à gramática e ao vocabulário do alemão. O primeiro reflexo dos alunos novatos é o de ir correndo encomendar um dicionário bilíngue e se jogar nos estudos das conjugações e declinações. Ou seja, eles têm sede em aprender tudo sobre o idioma falado na Alemanha.

A maneira mais comum de se aprender a língua é através de curso de alemão em escolas de idiomas ou de aulas particulares com professores “fera” no assunto. Os mais corajosos e ousados podem ainda optar por partir diretamente a um país germanófano e fazer aulas com quem já nasceu falando a língua.

Existem ainda aqueles que decidem fazer seus estudos universitários na Alemanha – ou na Áustria, ou ainda na Suíça -, terminando por respirar o idioma enquanto correm atrás do diploma.

Todos os apaixonados pela língua dos irmãos Grimm anseiam dominá-la rapidamente, mas poucos são aqueles que se interessam pela história de suas origens.

É preciso dominar bem a língua alemã para ensiná-la com qualidade. Os professores precisam ser fera no assunto para ensinarem bem o alemão!

Aprender um idioma estrangeiro é também aprender sobre o seu desenvolvimento dentro da cultura na qual ele está inserido, assim como sobre o modo de vida que o acompanha.

Quais são seus objetivos para o aprendizado do alemão?

  • Trabalhar na Alemanha?
  • Entrar para uma universidade germanófona?
  • Você ama a língua e quer aprofundar seus conhecimentos?

Esteja você no nível iniciante, intermediário ou avançado, nunca é tarde para se interessar e descobrir as origens da língua alemã.

Se você acha um pleonasmo dizer que “o alemão é uma língua germânica”, então você precisa ler esta matéria!

Origem das línguas germânicas

Os idiomas germânicos fazem parte das línguas indo-européias. Esta família agrupa a maioria dos idiomas falado na Europa hoje em dia, mas não se limita somente a eles.

O persa, o hindu, as línguas mortas originárias do latim e até mesmo vernáculos como o bretão (falado na região da Bretanha na França), fazem parte deste grupo.

Você já parou para pensar que encontramos similaridades em diversas línguas espalhadas pelo mundo, mesmo quando elas aparentemente não têm nada a ver uma com a outra?

A grande maioria que apresenta este fenômeno são originárias de um mesmo idioma.

Por exemplo, dizemos “mãe” em português, “mère” em francês, “mother” em inglês, “moeder” em holandês, “madar” em persa e “mutter” em alemão!

O protoindo-europeu

Muitos linguistas concordam ao dizerem que estes idiomas são provenientes de um mesmo dialeto já há muito tempo desaparecido: o protoindo-europeu. No entanto, várias hipóteses sobre as origens, as regiões geográficas e as derivações dessa língua ainda se divergem, já que ela existiu durante a pré-história.

Alguns acreditam que o protoindo-europeu teve sua gênese no sudeste da Europa e de lá se espalhou para outros territórios. Outros defendem a teoria de que seu “habitat de origem” teria sido a Anatólia, região localizada entre a Turquia e o Azerbaijão.

A Anatólia é uma região que vai da Turquia ao Azerbajistão A Anatólia emgloba a Turquia.

A falta de documentos torna impossível a confirmação de tais hipóteses, já que o protoindo-europeu existiu antes mesmo da escrita aparecer. No entanto, o vocabulário da extinta língua evoca a fauna e a flora típicas do sul do Cáucaso (região entre o Mar Negro e o Mar Cáspio), o que reforça a segunda hipótese apresentada.

É importante ressaltar que, mesmo com a existência de uma língua protoindo-européia, um povo protoindo-europeu nunca existiu. Isso porque a difusão do idioma se passou ao longo de conquistas durante um extenso período.

Descendência alemã

Você, com certeza, deve estar se perguntando como o alemão se separou do protoindo-europeu (e em seguida, do indo-europeu) para se tornar a língua que conhecemos hoje.

A resposta pode não ser muito satisfatória, mas é praticamente impossível saber exatamente como língua de origem pré-histórica foi dividida e teve seus “galhos” transformados em todos estes idiomas que conhecemos hoje.

Independente do que tenha se passado e como tudo isso ocorreu, fato é que tal ação teria começado há mais de 6500 anos!

Hoje em dia, 12 grupos são identificados como pertencentes à família protoindo-européia. Dentre eles, encontramos o grupo germânico, no qual estão contidos o alemão, o inglês, o islandês, o holandês, dentre alguns outros.

O português, por sua vez, está contido dentro do grupo de línguas romanas, assim como o francês, o espanhol e o italiano.

No mundo de hoje, mais de 3 bilhões de habitantes falam um idioma proveniente da grande família linguística protoindo-européia. Dentre eles, 450 milhões dominam algumas das línguas germânicas.

Características comuns dos idiomas germânicos

Mesmo fazendo parte de um mesmo grupo, as línguas germânicas não são assim tão parecidas. Uma pessoa que fala inglês tem muita dificuldade para entender uma pessoa que fala alemão. Outras línguas “irmãs de grupo”, como o italiano e o espanhol (grupo de idiomas romanos), se entendem muito mais facilmente.

No entanto, as línguas germânicas possuem características comuns entre si, já que a base do idioma é o mesmo.

Se você se encontra no meio do seu aprendizado de alemão, então, com certeza, já reparou que certas palavras e expressões são “estranhamente” parecidas com o inglês, por exemplo.

Por falar em aulas, você está aprendendo a língua para pedir sua naturalização?

Os idiomas da família germânica possuem muitas similaridades. As línguas germânicas são tão iguais e ao mesmo tempo tão diferentes…

Além das similitudes de vocabulário e gramática, os idiomas germânicos ainda possuem muitas confluências no quesito expressão oral.

A fonética, por exemplo, se aproxima em vários aspectos, como quanto à sílaba tônica das palavras e à entonação das frases. Se você faz aulas de alemão, esta é, com certeza, uma das primeiras características da língua a ser aprendida.

Ao estudar o idioma da Alemanha, você também descobre a existência de verbos fortes e fracos. Eles fazem parte das características da conjugação da língua. Tais verbos são, frequentemente, chamados de “regulares” e “irregulares”.

Constatamos, assim, que todos idiomas germânicos possuem duas classes de verbos.

Voltando à conjugação das línguas germânicas, é importante destacar que, nos primórdios da sua origem, os idiomas desta família só possuíam duas formas verbais: o presente e o passado.

Contrariamente a eles, línguas como o francês, o italiano e o português já utilizavam um grande leque de tempos e modos.

É verdade que os idiomas germânicos que conhecemos atualmente possuem vários outros tempos verbais. Tal característica, no entanto, faz parte de uma modificação “recente” sofrida pelas línguas do grupo. É exatamente por isso que, no alemão por exemplo, utilizamos um “modal” para conjugar o futuro. Tal característica também se aplica ao inglês e ao holandês.

História da língua alemã

Aproximadamente 100 milhões de pessoas falam o idioma da Alemanha. Aqueles que dominam o alemão são conhecidos como “germanófonos”. Dentre eles encontramos várias personalidades, como Albert Einstein!

A língua alemã teria se originado diretamente da língua gótica. Tal teoria fora apresentada e defendida por vários filólogos, sendo Jacob Grimm um dos mais conhecidos entre eles.

Três importantes períodos históricos contribuíram para a aparição desta língua germânica tal qual a conhecemos hoje:

  • a época do alto-alemão antigo (séculos VII a XII);
  • a época do alto-alemão médio (séculos XII a XVI);
  • a época do alto-alemão moderno (séculos XVI até os dias de hoje).

O alto-alemão moderno corresponde, então, à língua alemã que é falada atualmente. Ela foi difundida e ganhou força graças ao desenvolvimento e expansão da religião protestante.

É igualmente importante especificar que o nome de “alto-alemão” se refere especificamente ao alemão literário. Seria uma pena deixar de lado todos os dialetos falados no território alemão durante o período da Idade Média, assim como suas influências para com a transformação do idioma ao longo dos séculos.

Os atributos do idioma alemão

Conhecendo um pouco mais sobre a história da língua alemã, podemos constatar que ela é rica e variada.

Estes atributos, no entanto, podem acabar dificultando a vida daqueles que a querem aprender alemao como idioma estrangeiro, pois são bem diferentes do que estamos acostumados com o nosso bom e velho português de cada dia.

Construção frasal

A primeira das dissemelhanças entre a língua portuguesa e a alemã é que a germânica possui suas frases construídas “ao contrário”. Bom, pelo menos quando as analisamos do ponto de vista lusófono.

Isso porque, no português, começamos uma oração com informações importantes e depois passamos para os “acessórios”. No alemão, a construção da frase segue a lógica oposta.

A organização das frases na língua alemã poderia ser considerada como o inverso da nossa. A construção frasal em alemão deixa muitos alunos confusos.

Declinações

As declinações… Ah, as declinações!

Elas são de deixar qualquer iniciante no aprendizado do idioma de cabelo em pé. Inexistentes no português, as declinações são uma característica das línguas indo-européias. Ao que parece, os idiomas da “bifurcação romana” deixaram esta particularidade para trás.

É impossível falar de gramática alemã sem falar desse aspecto do idioma. Não é a toa que ele é um dos primeiros pontos a serem abordados por qualquer professor.

Acusativo, dativo, genitivo e nominativo.

Se você faz ou dá aula ou curso de alemão, então já deve estar cansado de escutar estas classificações. Se este não for o caso, então prepare-se, pois o domínio desta regra precisa estar na ponta da língua – e na ponta do lápis!

Precisão

O alemão é um idioma extremamente preciso. Ele contém praticamente uma palavra específica para o que quer que seja.

Quer um exemplo?

Geisterfahrer

Este é um substantivo utilizado para definir um motorista que dirige na contramão. No português, não conseguimos especificar uma pessoa com tal característica com apenas uma palavra.

Saiba como encontrar um bom curso alemão online!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...
avatar