Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

O curso certo para quem ama escrever

Blog > Apoio Escolar > Português > Formações ligadas aos estudos literários

Você gosta de escrever, ama ler e quer trabalhar com algo em que possa colocar essas paixões em prática. Mesmo porque você não se imagina fazendo outra coisa da sua vida profissional.

A dúvida e a angústia batem quando você se dá conta de que a única opção de formação que vem à sua cabeça é a de Letras. Aí você pensa: “mas o que eu posso fazer com um diploma desses?”. Pesquisas te levam a respostas como professor de português (demora muito para um estrangeiro aprender o idioma?), professor de línguas, tradutor, intérprete, escritor, revisor e corretor de textos.

No fim das contas, você não se vê trabalhando com nenhuma delas. E agora?

Para os indecisos amantes das letras, fizemos uma seleção de formações do ensino superior que podem cair como uma luva. Agora você não precisa mais passar noites em claro tentando descobrir qual outro tipo de estudo seria adequado ao seu perfil.

Esperamos que você encontre as resposta que tanto procura aqui nesta matéria. Conselho do Superprof: não hesite em fazer um teste vocacional caso o texto acabe e você ainda não tenha encontrado seu caminho.

Jornalismo

O jornalista, além de ser o responsável pela redação das matérias, também possui como responsabilidades a busca, a investigação e a transmissão de informações. Para tal, ele pode utilizar diferentes meios de comunicação:

  • jornais;
  • revistas;
  • internet;
  • rádio;
  • televisão;
  • aplicativos, etc.

O jornalista também pode trabalhar nas rádios. Trabalhar na rádio é uma das opções do profissional de jornalismo.

Ao participar ativamente do processo de produção de notícias, o profissional do jornalismo pode atuar em diversas áreas, exercendo funções distintas, tais como:

  • repórter;
  • redator;
  • assessor de imprensa;
  • repórter investigativo;
  • editor;
  • chefe de reportagem;
  • chefe de redação;
  • pauteiro;
  • divulgador;
  • revisor de texto, etc.

O trabalho jornalístico exige alta postura éticasenso de responsabilidade e compromisso com a verdade. Afinal de contas, é através dele que a população terá acesso às informações locais e mundiais.

Para desenvolver um trabalho competente e de qualidade, o jornalista deve sempre apurar os fatos com precisão e buscar fontes confiáveis para transmitir informações corretas por meio de suas publicações.

Ele precisa, igualmente, ter interesse em diversas áreas como: turismo, esportes, geografia, meio ambiente, fauna, flora, economia, etc.

O domínio da língua portuguesa (e carreias ligadas à língua) deve ser excepcional. O profissional de jornalismo deve ter uma escrita impecável, clara e direta, além de dominar certas características redacionais típicas do meio em que trabalha.

Mercado de trabalho

Em 2001 foi liberada uma liminar que tirava a obrigatoriedade da possessão de um diploma de jornalismo para se trabalhar na área. Depois de muita indignação e protestos dos jornalistas formados, a decisão da Justiça Federal foi revogada.

Segundo o site Info Escola, o processo aguarda julgamento até hoje. Sendo assim, “pessoas que escrevem para jornais e revistas muitas vezes não tem registro profissional e conseqüentemente não são considerados jornalistas”.

No entanto, a maioria das empresas, no momento da contratação, preferem profissionais com diploma superior na área de Jornalismo.

Comunicação Social

Como o próprio nome sugere, os estudantes que engrenam nos estudos de comunicação social lidam direta e indiretamente com a linguagem e a maneira como as pessoas se comunicam. Obviamente, não existe apenas uma maneira de comunicação. Sendo assim, esta é uma formação que apresenta ao aluno um grande leque de habilitações e, consequentemente, de campos de atuação profissional.

O bacharelado dura 4 anos e as escolas e universidades espalhadas pelo Brasil apresentam nada mais, na menos, que 26 tipos de habilitações diferentes dentro do curso! É opção para caramba e elas podem acabar confundindo ainda mais a cabeça do pobre estudante já meio confuso.

Sendo assim, separamos as especializações mais frequentes nesse tipo de formação:

  • cinema;
  • jornalismo;
  • produção editorial;
  • publicidade e propaganda;
  • rádio, televisão e internet;
  • relações públicas.

Você já deve ter percebido que todas as habilitações contidas no curso de comunicação social também possuem cursos individuais e específicos em várias instituições de ensino (saiba qual é o conteúdo de português nos primeiros ano do fundamental).

A principal diferença é que os cursos de comunicação social fornecem uma base teórica mais ampla em teorias da comunicação, ciências humanas e políticas, sociologia e língua portuguesa. No entanto, no momento da inscrição, o aluno já precisa indicar qual tipo de habilitação pretende seguir.

Mercado de trabalho

De acordo com o site Guia de Carreira, “o mercado de trabalho para as mídias tradicionais como televisão, jornal e rádio, principalmente nas capitais do país, está saturado. Porém, o profissional que acompanha as novas tecnologias e tendências do setor encontra melhores oportunidades de emprego“.

Ainda segundo a interface, mídias digitais e comunicação empresarial são áreas que buscam profissionais formados nesta área.

Os grandes centros urbanos, principalmente nas regiões Sul e Sudeste do país, são as melhores regiões para tentar conseguir um emprego, pois concentram o maior número de vagas para este tipo de profissional.

Editoração

Como vimos acima, a especialização no universo editorial pode ser feita dentro do curso de comunicação social. No entanto, existem outros cursos de Ensino Médio profissionalizante e pós-graduação que também te preparam para atuar nesta área.

Se você ama livros assim como ama escrever, então um curso de editoração é o ideal. A área da editoração permite um contato estreito com a língua portuguesa e sua produção escrita.

Editoração é o tipo de estudo perfeito se você deseja trabalhar com publicação de livros (conheça as principais correntes literárias do português), colunas de jornal, artigos para revista ou sites.

O profissional em editoração ocupa-se de todas as etapas dos processos de edição e publicação de obras escritas. Nesta área, ele lida com a seleção, edição e revisão de material para os mais diversos tipos de mídia impressa (jornal, revista, livro, panfleto, cartaz, etc.), eletrônica (e-books, mídias interativas) ou digital (internet, celular).

A formação em editoração te prepara para trabalhar com diversos aspectos. Alguns exemplos são:

  • produção de textual;
  • arte gráfica;
  • edição, seleção e revisão de textos;
  • processos de produção de mídias impressas e digitais.

Mercado de trabalho

Como citado acima, os profissionais em editoração podem atuar em áreas distintas, como:

  • casas de edição;
  • redações de jornais e revistas;
  • websites.

Biblioteconomia

Estudantes que optam pelo curso de biblioteconomia são, antes de mais nada, apaixonados por livros e bibliotecas. Ao receberem o diploma, eles terão o estatuto de bibliotecários. Segundo o Dicionário Houaiss, bibliotecário é aquele que administra uma biblioteca ou qualquer membro do corpo de profissionais deste local.

De acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), o bibliotecário é considerado um profissional da informação e, para que exerça sua profissão legalmente, precisa de bacharelado em biblioteconomia ou outros cursos como gestão da informação, documentação ou ciência da informação.

Durante a faculdade de biblioteconomia, o aluno se prepara para se tornar um profissional responsável por gerir informações através de técnicas de organização, classificação e catalogação. Dentro desta área, ele atuará  como um administrador de dados, processando e divulgando informações.

Além de livros, o bibliotecário se ocupa também da organização de revistas, jornais, documentos, fotos, imagens, vídeos e materiais digitais. Ele atua, igualmente, na conservação e preservação destes materiais para que resistam ao tempo e ao uso.

Mercado de trabalho

Os bibliotecários possuem várias opções de locais de trabalho e não só as bibliotecas. Uma vez profissionais na área, eles podem atuar em instituições como:

  • acervos;
  • associações;
  • centros culturais;
  • centros de pesquisa;
  • editoras;
  • emissoras de televisão e rádio;
  • escolas;
  • escritórios de advocacia;
  • museus;
  • ONGs;
  • provedores de internet, etc.

A formação em biblioteconomia te prepara para tomar conta de uma biblioteca. São os bibliotecários os responsáveis pela organização dos livros nas bibliotecas.

Direito

A formação em direito exige muita leitura e muita escrita. Então não se assuste se você pensou que a gente tinha errado de matéria na hora da escolha da profissão! Ao enveredar por este caminho, muito estudo e dedicação serão necessários, além do domínio da utilização de uma linguagem do idioma bem específica.

Um advogado precisa conhecer as regras gramaticais da língua portuguesa (conteúdo dos últimos anos do ensino fundamental) e saber se comunicar de maneira clara e objetiva, pois a boa comunicação, tanto na linguagem falada como escrita, é uma qualidade indispensável na área.

Outra característica fundamental para um futuro profissional de direito é o exercício da ética e do senso de responsabilidade social.

O estudante que opta pelo curso de direito pode escolher por seguir dois tipos de carreiras diferentes: a jurídica ou a da advocacia. As duas opções  oferecem diversas profissões e especializações.

Advocacia

Se você escolher, ao final do curso, por atuar como advogado, então é preciso fazer um exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) para obter o registro e a permissão para exercer a profissão.

A principal tarefa de um advogado é representardefender os interesses de seus clientes com base nas leis vigentes do país. Ele pode representar tanto pessoas físicas como empresas.

Existem inúmeros campos de especialização no direito para um futuro advogado. Alguns deles são:

  • civil;
  • trabalhista e previdenciário;
  • penal;
  • ambiental;
  • eleitoral;
  • tributário;
  • empresarial.

Os profissionais em advocacia podem, igualmente, atuar em duas frentes: a de defesa e a de acusação. Além disso, ele pode ocupar um cargo de assessoria jurídica.

Carreira jurídica

Outra opção para aqueles que decidem se dedicar ao estudos de direito é a carreira jurídica. Tais profissionais podem atuar como:

  • juíz;
  • promotor de justiça;
  • delegado de polícia.

Caso você queira muito seguir seu caminho profissional (ligado à língua portuguesa) dentro de uma das áreas acima, então é preciso se preparar para, além de conseguir seu diploma, fazer um concurso público. Se o anseio é o cargo de juíz, então, além do exame público, é necessário ainda ter posse da carteira da OAB durante, no mínimo, 2 anos e ter atuado neste período como advogado.

Independentemente da carreira pela qual o bacharel em direito optar, suas ações possuem grande impacto na vida de outras pessoas e é preciso ter senso de justiça e um entendimento correto da aplicação das leis vigentes.

Quem se forma em direito tem que ler e escrever muito. Os profissionais de direito precisam de um domínio impecável da língua portuguesa.

Mercado de trabalho

Profissionais desta área podem atuar em diferentes áreas como:

  • órgãos públicos;
  • escritórios de advocacia;
  • departamentos jurídicos de empresas privadas;
  • montar seu próprio negócio.

Encontre as melhores aulas de portugues no Superprof!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...

Deixe um comentário

avatar