Música Reforço escolar Idiomas Aulas particulares Artes e Lazer Esporte
Compartilhar

Fotografia: dicas para abrir o seu próprio negócio

De Fernanda, publicado em 23/04/2018 Blog > Artes e Lazer > Fotografia > Saiba como se tornar fotógrafo independente

Antes de embarcar na profissão de fotógrafo, existem algumas informações importantes para você saber a respeito da formalização da sua atividade profissional.

Lembre-se, primeiramente, de que a profissão de fotógrafo ainda não é regulamentada no Brasil. Existe um Projeto de Lei da Câmara em tramitação (PLC 64/2014) que define como aptos ao exercício profissional de fotógrafo os diplomados em fotografia no ensino superior ou técnico. Há aqueles que são a favor e outros que são contra a reserva de mercado para diplomados. Mas até hoje, você não precisa ter ensino superior completo para exercer a sua profissão.

Discussões à parte, a fotografia profissional no Brasil tem crescido ano a ano. Para aqueles que buscam conciliar paixão e carreira, a fotografia é uma excelente profissão. Mas antes, é preciso se informar sobre os aspectos administrativos. É melhor fazer uma carreira em agência de jornalismo ou trabalhar como autônomo? Como formalizar minha microempresa de fotografia?

Superprof explica o procedimento para você alcançar o caminho rumo ao sucesso!

Torne-se um fotógrafo independente: especialidade e formação

Como ser fotógrafo profissional? Primeiro passo para se tornar um fotógrafo: pratique!

O que mais atrai os milhares de candidatos à profissão do fotógrafo é o fato de que ela ainda não exige nenhuma formação específica. Se você quiser se tornar um fotógrafo profissional amanhã, é possível. Basta montar um portfólio de qualidade.

Mas cuidado: não é porque você está dispensado do diploma universitário que não precisa planejar a sua carreira.

Este artigo não está aqui para falar sobre a formação (bacharelado, curso tecnólogo e cursos livres…), mas tenha em mente que dominar as noções de base, sobre tudo a parte técnica da arte, é o primeiro passo para ser bem sucedido.

Também é fundamental escolher um segmento com o qual você se identifique. Trabalhar com o que gosta é ótimo e seus resultados podem ser muito mais otimizados.

Para isso, existe uma série de modalidades em que você pode atuar: eventos, publicidade, retratos, paisagens, casamentos, moda, produtos etc.

E ter feito uma formação na especialidade que escolheu também é essencial: jornalismo, zoologia (foto de animais), moda, publicidade, dança… Você adora o trabalho de um fotógrafo que viu na internet? Que tal entrar em contato com ele: “Eu adoro o que você faz, e quero fazer o mesmo. Você dá aulas?”

Esqueça sua timidez! Quando queremos virar fotógrafo profissional devemos ter habilidades de comunicação, entrar em contato com os outros e…. ser cara de pau!

E, por fim, não tem muito segredo: se você já domina as técnicas de base ou se você não tem tempo/ dinheiro para estudar em tempo integral, saiba que você precisa PRA-TI-CAR!

Pegue agora sua câmera e fotografe tudo que você puder!

Fotógrafo autônomo: o microempreendedor individual

Você sempre quis se tornar um fotógrafo independente. Mas nunca tinha pensado em criar sua empresa? É verdade que isso pode até assustar alguns! Gerenciar sua própria empresa, a princípio, parece ser sinônimo de dor de cabeça e estar longe da profissão artística da fotografia. Mas saiba que é uma das melhores opções para formalizar a sua atividade e poder receber pelo que você produz. E ser independente.

Existe uma modalidade simples e fácil de empresa e que se adapta perfeitamente às atividades exercidas pelo fotógrafo. Vamos conhecer?

Ser um microempreendedor

De acordo com o Grande Dicionário Houaiss, empreendimento é o ato de uma pessoa que assume uma tarefa ou uma responsabilidade.

Logo, um profissional especializado em fotografia torna-se um empreendedor a partir do momento em que começa a oferecer serviços e produtos para seus clientes.

A primeira e mais simples alternativa é você se registrar enquanto Microempreendedor individual (MEI). Se na sua atividade de fotógrafo você fatura até 60 mil reais por ano, não é sócio de outra empresa e não tem mais de um empregado, então você pode ser um Microempreendedor individual (MEI). Caso fature mais do que isso, pode optar pelo estatuto do Simples Nacional.

A vida do microempreendedor melhorou bastante nos últimos anos com a criação do MEI (Microempreendedor Individual). Desde 2009, já são mais de 5 milhões de pessoas que aderiram à formalização, e cerca de 95% não se arrependem.

A razão por isso é: os custos são muito baixos e o sistema é muito prático! Veja os custos que você como fotógrafo terá de pagar para se formalizar:

  • Custo de abertura da empresa (MEI): zero.
  • Custos de contabilidade: zero. Não há necessidade de contador.
  • Impostos federais (IR, PIS, COFINS, IPI, CSLL): isento.
  • Outros Impostos: apenas uma taxa fixa mensal de R$45,00 para Comércio ou Indústria, R$49,00 para Prestação de Serviços ou R$50,00 para Prestação de Serviços e Comércio conjuntamente.

Como abrir uma empresa de fotografia? Você está a um passo de realizar o seu sonho como fotógrafo independente: crie sua MEI!

Vantagens de ser um MEI

Veja alguns dos principais benefícios em se tornar Microempreendedor individual (MEI):

  • Ter direito à aposentadoria. Quando você ficar mais velho, poderá contar com uma renda adicional.
  • Auxílio-doença. Quando você estiver doente sem poder trabalhar, continuará recebendo.
  • Auxílio maternidade, no caso da mulher.
  • Mais clientes e mais cliques. O fotógrafo pode emitir nota fiscal e prestar serviços para empresas públicas e privadas.
  • Vai deixar de ser recusado por empresas preocupadas em gerar vínculo empregatício.
  • Descontos e prazos melhores junto a fornecedores pelo fato de ter um CNPJ.
  • Vai conseguir empréstimos bancários mais facilmente porque poderá comprovar sua renda.
  • Poderá ter um local fixo de trabalho e aumentar as chances de conquistar uma clientela fiel. (Quiosque, barraca, banca ou a própria casa)
  • Contratar um funcionário com taxas baixas para ajudar seu negócio a crescer.
  • Pensão aos filhos menores em caso de morte ou reclusão.

Atividades permitidas

No momento de abertura da empresa, você define uma atividade principal, mas também deve selecionar mais 15 outras atividades complementares, que poderá exercer em paralelo. Na área de fotografia, conheça algumas das atividades permitidas:

  • Fotógrafo(a) independente
  • Fotógrafo(a) aéreo independente
  • Fotógrafo(a) submarino independente
  • Comerciante de artigos fotográficos e para filmagem independente
  • Revelador(a) fotográfico independente
  • ….

Obrigações e cuidados com a formalização de sua empresa

Documentação

A principal documentação que você precisa providenciar depois de aberta sua empresa é a concessão de alvará de localização. Essa concessão depende dos Códigos de Zoneamento Urbano e de Posturas Municipais. A maioria dos municípios mantém o serviço de consulta prévia para se saber se o local escolhido para estabelecer a sua empresa está de acordo com essas normas e depois emite o certificado, gerando a Inscrição Municipal da empresa.

Além disso, o MEI está dispensado de contabilidade. Por isso, não precisa contratar um contador! No entanto, guarde sempre as notas de compras em nome da empresa, os documentos do empregado contratado e o canhoto das notas fiscais que emitir.

Pagar suas DAS

O Documento de Arrecadação Simplificada do MEI (DAS-MEI) é o instrumento para se fazer o pagamento mensal das obrigações tributárias do profissional em estatuto de MEI.

A emissão do boleto é feita diretamente online, no Portal do Simples Nacional. Simples e fácil!

Caso tenha esquecido de fazer o pagamento na data certa, será cobrada uma multa de 0,33% por dia de atraso, limitado a 20%.

Relatório Mensal das Receitas Brutas

Todo mês, até o dia 20, o fotógrafo com o estatuto de MEI precisa preencher o Relatório Mensal das Receitas que obteve no mês anterior. Deve anexar a esse relatório as notas fiscais de compras de produtos e de serviços, além das notas fiscais que emitir.

Declaração Anual Simplificada

Todo ano o MEI deve declarar o faturamento do ano anterior. A primeira declaração pode ser preenchida pelo próprio Microempreendedor Individual e é gratuita.

Contabilidade

O fotógrafo profissional que desejar se formalizar via MEI pode faturar até 60 mil reais por ano. Caso o rendimento exceda esse valor, há duas situações:

  • O  faturamento foi maior que 60 mil, porém não ultrapassou 72 mil: o seu empreendimento passará a ser considerado uma Microempresa. O pagamento dos impostos passará a ser de um percentual do faturamento por mês, que varia de 4% a 17,42%, dependendo do tipo de negócio e do montante do faturamento. O valor do excesso deverá ser acrescentado ao faturamento do mês de janeiro e os tributos serão pagos juntamente com o DAS referente àquele mês.
  • O  faturamento foi superior a 72 mil: o enquadramento no Simples Nacional é retroativo e o recolhimento sobre o faturamento passa a ser feito no mesmo ano em que ocorreu o excesso no faturamento, com acréscimos de juros e multa.

Como trabalhar como fotógrafo? Fotógrafos também são contratados em empresas. Uma opção para aqueles que precisam de uma pauta para clicar!

Outras possibilidades de estatuto para fotógrafos

  • Trabalhar em uma empresa ou agência: outra opção para os profissionais que desejam se formalizar é trabalhar como assalariados de uma empresa na área de sua especialidade: agência de jornalismo, de moda, de turismo, revista, editora, jornal…. Cada empresa vai exigir o diploma em função dos requisitos necessários ao cargo. Nessa modalidade, você será contratado em regime CLT – Consolidação das Leis de Trabalho. A contratação por CLT garante uma série de benefícios para o empregado, como vale-transporte, vale-refeição, férias remuneradas de 30 dias, 13º salário, aviso prévio, FGTS, seguro desemprego, licença saúde (opcional), licença maternidade, licença paternidade, 15 dias de salário em caso de acidentes, entre outros benefícios.
  • Criar uma micro ou pequena empresa pelo estatuto Simples Nacional: se você possui um rendimento maior do que 60 mil por ano, pode optar pela empresa Simples Nacional. Os impostos são mais elevados que aqueles incumbidos ao MEI. No entanto, nessa modalidade, além de não haver limites restritos de faturamento (o máximo de receitas brutas permitidas é R$ 3,6 milhões!), você poderá contratar mais funcionários se desejar. É uma ótima maneira de começar o sonho de montar a sua própria agência de fotografia!
  • Prestar um concurso público. Existem muitas instituições públicas que selecionam profissionais com ensino superior completo (em jornalismo, publicidade ou qualquer área do conhecimento) ou até mesmo ensino médio completo para assumirem o cargo de fotógrafo. Por um lado, você tem a estabilidade e uma renda fixa. Por outro lado, você estará mais longe da liberdade artística, se esse é o seu objetivo primeiro.
Compartilhar

Nossos leitores curtem este artigo
Este artigo trouxe a informação que você estava procurando ?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar