Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Como aprimorar a escrita na língua portuguesa

Blog > Apoio Escolar > Português > Melhorar a redação do idioma de Camões

Na era tecnológica, são muitos aqueles que gostam de ganhar tempo e abreviar palavrinhas básicas como “você”, “por que”, “cadê”, “gente”, “com”, e por aí vai…

Com certeza, você não pensa duas vezes antes de entender a frase “pq vc ñ veio cm a gnt?“. Tal ortografia virou regra em um mundo onde a comunicação via mensagem de texto é dominante.

Com a recente reforma da língua portuguesa, mesmo aqueles que estavam acostumados a escreverem tudo “por extenso” ficam perdidos na hora de aplicarem a trema, o hífen e alguns acentos.

Para alguns com ainda um pouco mais de idade, o idioma falado no Brasil se transformou praticamente em uma língua estrangeira, pois eles vêm de uma geração na qual “êle” tinha acento circunflexo!

Sendo assim, a dificuldade de se expressar corretamente de maneira escrita se torna latente face a determinados nativos.

Detectando tal necessidade, Superprof tenta ajudar os “perdidos no tempo” com ferramentas atuais que irão auxiliar – e facilitar – o trabalho na hora da produção de um texto, seja ele grande ou pequeno.

Praticar e testar capacidades na internet

Dificuldades para escrever corretamente podem afetar qualquer um. O processo de expressão escrita é muito divergente do processo de expressão oral. Não é porque o português (conheça as regras gramaticais) é sua língua nativa e você o fala corretamente que sua redação será impecável.

As abreviações utilizadas nas mensagens de texto via celular transformam o português. Uma nova ortografia da língua portuguesa foi criada para a comunicação em sms.

A pronúncia de várias palavras pode ser embaralhada na hora de transcrevê-las, pois as fonéticas podem possuir distintas maneiras de representação. Sem contar com as estruturas gramaticais, que podem pregar peças aos redatores de plantão.

Sem mencionar a sintaxe, que muitas vezes é mal utilizada na língua oral e prejudica a escrita.

Com tantos pontos a serem analisados, fica difícil avaliar o domínio do português quando estamos fora do Ensino Básico. Por isso existem vários testes na internet que podem ser feitos gratuitamente para detectar o nível de conhecimento do idioma português. Selecionamos alguns deles, que podem ser utilizados quase que como um jogo online!

Geniol

Geniol.com.br é um site que possui vários jogos e testes de lógica e raciocínio. Dentre eles, encontramos uma avaliação dos conhecimentos da língua portuguesa.

Através da resposta de questões de múltipla escolha, o programa avalia suas capacidades em

  • Ortografia (7 questões);
  • Gramática (17 questões);
  • Concordância (6 questões);
  • Regência (5 questões);
  • Vocabulários (5 questões);
  • Erros graves (13 questões).

O único ponto negativo do site é que quando recebemos as respostas no final da prova, não conseguimos ter acesso a cada um dos erros (escreva redações em português sem eles!) e acertos que tivemos.

Uol Educação

O site da Uol também disponibiliza uma avaliação da língua portuguesa em sua página destinada à educação.

Com várias perguntas sobre palavras e expressões que utilizamos quotidianamente, através dele temos uma boa noção de que a expressão oral é bem diferente da escrita.

Com vários exemplos apresentados em formato múltipla escolha, nos damos conta de que a sintaxe, a gramática, a ortografia e o vocabulário do nosso idioma podem ser bem traiçoeiros e muito mais difíceis do que esperávamos.

Site de Dicas da Uol

Ainda dentro do Uol encontramos um site de dicas dedicado aos quizzes online. Diante das inúmeras opções apresentadas ao usuários, existe um teste de conhecimento da língua portuguesa e sua gramática, dentro da parte de “desafio quiz online: exercícios diversas categorias“.

Ao acessar o quiz, você escolhe se pretende começar testando seus conhecimentos em um nível fácil, médio ou difícil da língua.

Os exercícios apresentados colocam em prova o domínio de pontuação, gramática, sintaxe, ortografia, conjugação e muito mais.

No final do teste, você recebe uma avaliação ligada a cada pergunta e à resposta dada a ela.

O mais interessante do acesso à tais avaliações é que, ao respondermos às questões, as alternativas nos parecem óbvias. No entanto, no momento da correção, vemos o quão propenso estamos aos erros (veja os mais comuns em português) ao colocarmos em prática a língua portuguesa escrita.

A redação em português é divergente da fala do idioma. A língua portuguesa falada é diferente da escrita.

O erros mais comuns

Muitos estudos são feitos sobre o padrão de erros no português escrito. Provas de grande escala nacional como Enem, vestibular e concursos públicos são as principais fontes de pesquisa. A grande maioria desses testes possui uma parte para questões com respostas abertas, além de um tema para redação.

Como escrever bem não é tarefa fácil para qualquer um, fizemos uma busca e encontramos vários resultados desses apanhados feitos em diferentes áreas de domínio do idioma do Brasil. Encontramos análises referentes a erros gramaticais e ortográficos.

Erros gramaticais

O site infoescola.com define bem a utilização da gramática na língua escrita e como ela se difere do idioma falado por nós:

A Gramática é fruto [da] tentativa de sistematizar a língua padrão, estabelecendo normas daquilo que seria falar corretamente uma língua. Essas normas, instituídas pelo uso das pessoas de prestígio e explicitadas pela Gramática, estão sempre sujeitas a desvios em razão da heterogeneidade da fala, já que uma pessoa nunca fala do mesmo modo em todas as situações.

Tomando por base a expressão escrita, o mesmo site ainda mostra uma seleção de erros recorrentes (de alunos com dificuldade em português) em diversas áreas, tais como:

Erros de grafia

  • “Comprei três quilos de mortandela” (o correto é “mortadela”);
  • “Os partidos vivem a degladiar entre si” (o certo é “digladiar”);
  • “O garoto foi pego roubando salchichas. Porisso, não deixe que tome conta do açougue” (“salsichas”e “por isso” deveriam ter sido utilizados)

Erros de impropriedade vocabular

Esses equívocos ocorrem quando uma palavra é utilizada em lugar de outra por falsa associação de sentido entre elas.

  • “As lâmpadas florescentes são mais econômicas” (fluorescentes);
  • “O negro tem sido muito descriminado neste país” (discriminado);
  • “O criminoso foi pego em fragrante” (flagrante).

Erros de acentuação gráfica

Eles ocorrem por causa da falta de domínio das normas ortográficas vigentes ou por desconhecimento da posição correta da sílaba tônica.

  • “Comprei na loja de conveniência vários ítens” (“itens” não possui acento de acordo com a nova norma ortográfica);
  • “As rúbricas dos documentos eram falsas” (“rubrica” é uma palavra paroxítona).

Erros no emprego da crase

Esse erro ocorre quando o acento é omitido em situações em que a crase existe ou no caso oposto (quando ela existe e não é colocada).

  • “O Projeto Mesa Brasil está promovendo uma campanha de ajuda as crianças vítimas da seca” (ajuda a quem? Às vítimas da seca);
  • “Enviamos à V. Sª. o resultado das avaliações” (Vossa não admite artigo antes, portanto, o correto seria “a V. Sª”).

Erros de emprego dos pronomes

A confusão na escrita aqui acontece quando um pronome com função de sujeito é utilizado no lugar de um pronome com função de objeto e vice-versa.

  • “Comprei este lindo relógio para mim usar no casamento” (o correto é “para eu usar”);
  • “Comprei este lindo relógio para eu” (aqui, o relógio é “para mim”).

A redação da língua portuguesa não é fácil para todos. A escrita do português requer prática e atenção

Erros no emprego de verbos

Esses erros ocorrem em três casos: na conjugação verbal, no tempo verbal e no modo verbal.

  • “A polícia militar não interviu a tempo de evitar o assassinato” (verbo intervir é composto [inter / vir]. O passado de vir é “ele veio”. Então o passado de intervir é interveio);
  • “Encontrei Alice no mesmo lugar que, anos antes, recebeu-me” (recebera);
  • “Não estou certa de que essa decisão satisfaz a todos” (satisfaça).

Erros de morfologia em substantivos e adjetivos

Acontecem tanto no emprego do plural dos nomes compostos como no uso do gênero dos substantivos.

  • “Os dois páras-choques dos carros foram atingindo na colisão” (“pára” [verbo parar] não vai para o plural. O correto seria “pára-choques”);
  • “Mandei Larissa comprar uma guaraná na bodega. (um guaraná, pois a palavra é masculina).

Erros de regência verbal

  • “As madeireiras estão visando o mercado externo” (“visar”, no sentido de “ter em vista”, pede preposição “a”. O correto seria “visando ao mercado”).

Erros de concordância verbal e nominal

  • Poderá ainda acontecer mais incentivos como esses” (Mais incentivos poderão acontecer).

Erros de colocação pronominal

  • “Enviaremos até a próxima semana os pedidos que encomendaram-nos” (nos encomendaram)

Erros de ortografia

A escolha das letras para escrever as palavras na língua portuguesa – e a dos jornais? – pode ser traiçoeira (ou seria traissoeira?). Várias delas possuem o mesmo som quando colocadas em combinação(ou seria combinassão?) com uma vogal

Calma, calma, os exemplos acima foram só uma brincadeira para mostrar como é fácil confundir um “ç” com um “ss”. O mesmo pode acontecer com o “s” avulso entre vogais e o “z”.

Por isso demos uma pesquisada e encontramos alguns exemplos no site lumecep.com.br bem interessantes. Eles detectaram os 14 erros ortográficos mais comuns no nosso idioma. Fique atento(a) para não cometê-los da próxima vez que for escrever um texto!

  • Agente ≠ a gente;
  • Fasso (essa palavra não existe. O correto é “faço”);
  • Mais ≠ mas;
  • Abençõe (não possui acento. O certo é “abençoe”);
  • Concerteza (não existe. O correto é “com certeza”);
  • Mim ajuda (o certo é “me ajuda”);
  • Menas ≠ menos (sempre “menos”);
  • Meia ≠ meio;
  • Em baixo ≠ embaixo;
  • As veses (“às vezes”, com craze e “z”);
  • Excessão (o correto é “exceção”);
  • Nada haver ≠ nada a ver (a expressão correta é “nada a ver”);
  • Derrepente (“de repente” é o certo);
  • Porisso (não existe. “Por isso”, sim);
  • Começei (Sem o cedilha: “comecei”).

Prática é o jeito ideal de melhorar a proficiência no português. O exercício da redação é a melhor maneira de aperfeiçoar a língua escrita.

Exercitar e comunicar para progredir

Estudar sozinho(a) é muito importante, mas ter o acompanhamento de alguém que domine a língua mais do que você é essencial para o progresso do aprendizado.

Se você pretende colocar em prática e exercitar seu português através das dicas que demos nesta matéria, considere também a possibilidade de fazer aulas particulares. Elas são o complemento ideal para turbinar seus conhecimentos na língua portuguesa.

 

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar