Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

História da China e seus imperadores

De Camila, publicado dia 15/09/2018 Blog > Idiomas > Chinês > Dinastias chinesas

Aprender mandarim também significa aprender mais sobre a rica e antiga cultura chinesa, além da rica história que cerca seu país. Entre a grandeza e a decadência, a China experimentou altos e baixos antes de virar este gigante global.

No país, entre fragmentação, reunificação e proclamação vinda de diferentes partes, a história da China é mais complicada do que parece.

“Paciência é a verdadeira pedra filosofal, que a tem, possui apenas medo de perdê-la.”
(Provérbio chinês)

Os provérbios chineses têm o poder de serem tão bem pensados que podem resumir todo um período da história, às vezes levando os brasileiros a aprender algo novo sobre o turismo na China. Paciência é a palavra chave das várias dinastias que tomaram o poder: quem sabe esperar pelo seu tempo pode se tornar o mestre do mundo.

Confira o apanhado geral feito pelo Superprof das várias dinastias chinesas que reinaram na República Popular da China.

E que tal dar uma olhada no nosso mini guia turístico para quem vai à China?

História da China

Seja no ocidente ou no oriente, costuma-se falar sobre a história da China evocando a sucessão de suas dinastias. Mas nem tudo é tão simples assim. De fato, era muito raro que uma dinastia se extinguisse naturalmente para abrir caminho a uma nova. A dinastia seguinte é mais frequentemente estabelecida por causa da queda da dinastia precedente.

Da mesma forma, a dinastia destituída continua a existir algum tempo depois, com os pretendentes pensando em restaurá-la.

Outro problema encontrado quando se fala em civilização chinesa: o país teve longos períodos de divisão.

As regiões divididas tinham seu próprio governo. A população chinesa e as etnias dentro de uma mesma região podem ser diferentes.

Nenhuma dinastia reinou em todo o país.

A China era um conjunto de reinos independentes e não existia  um “governo federal” para gerir todos eles.

A dinastia Tang possuiu 7 imperadores. Lótus do período da dinastia Tang.

Tudo se torna complexo a partir dos Zhou ocidentais. Confusões existem nas datas e toda a história está sujeita a interpretações distintas. Um exemplo:

  • 1644 marca a captura de Pequim pelos exércitos manchus (futura dinastia Qing),
  • Mas a dinastia Qing nasceu em 1636 (outros especialistas dizem que foi em 1616), enquanto o último imperador Ming foi destituído do poder em 1662 (ou 1683, segundo alguns),

[Dá para entender um pouco mais de como é difícil de se estabelecer datas fixas quando se trata da história da China? A matemática simplesmente não bate!!!]

  • O estabelecimento de uma nova dinastia leva tempo. Demorou quase 20 anos para Qing impor sua autoridade a todos os chineses. De fato, é impreciso dizer que a dinastia Qing foi imposta em 1644.

Saiba como iniciar procedimentos administrativos para tirar um visto para China?

Idade do bronze e Idade do ferro

Para aprender a navegar na cronologia da história chinesa ou conhecer o passado dos maiores monumentos chineses, é bastante útil conhecer algumas datas das dinastias chinesas mais importantes.

Antes das dinastias reais, a China experimentou o período dos Três Augustos e dos Cinco Imperadores (五帝 五帝 sān huáng wǔ dì) de 2070 a.C. a 1600a.C. (470 anos). Como já assinalamos, às vezes as dinastias se sobrepõem. Assim, aqui está a cronologia das dinastias reais de acordo com as datas mais usadas:

  • A dinastia Xia (夏朝 Xiàcháo (Sia)): 2205 a.C. a 1570 a.C. (635 anos). Ela contou com 17 reis,
  • A dinastia Shang (商朝 Shāngcháo Chen): século XVII a.C. até cerca de 1050/1025 a.C. (cerca de 550 anos). Ela contou com 29 reis,
  • A dinastia do Zhous Ocidental (西周 xī zhōu): cerca de 1050/1025 a.C. a cerca de 771 a.C. (270-280 anos),
  • A dinastia de Zhous Oriental (東周 dōng zhōu): de 771 a.C. a 256 a.C. (515 anos). Ela foi dividida em duas:
    Período da Primavera e Outono (春秋 chūn qiū): de 722 a.C. a 481 a.C. (14 reis),
    Período dos Estados Guerreiros (戰國 zhàn guó): de 481 a.C. a 222 a.C. (11 reis).

A construção da Grande Muralha da China como a conhecemos começou no século III a.C. (300 a.C. a 201 a.C.) e continuou até o século XVII d.C..

Os guerreiros de Xian foram encontrados enterrados. O famoso exército de terracota dos Guerreiros de Xi’an.

Veja ainda algumas informações necessárias para entender a evolução da população chinesa.

Idade do ferro e Era feudal

O mundo chinês sofreu muitos transtornos. Bem antes da Revolução Cultural, da chegada do Partido Comunista e até da Segunda Guerra Mundial, as dinastias sucederam-se várias vezes:

  • A Dinastia Qin (秦 qín): 221 a.C. a 206 a.C. (15 anos). Esta dinastia vê a chegada do primeiro imperador da China, Qin Shi Huangdi. Ao todo, ela contou com 4 reis e 3 imperadores,
  • A dinastia Han (15 reis):
    A dinastia Han Ocidental (西漢 xī hàn): 206 a.C. a 9 d.C.,
    A Dinastia Xin (新 xīn) – Interregnado de Wang Mang: 9 d.C. a 24 d.C.,
    A dinastia Han Oriental (東漢 dōng hàn): 25 d.C. a 220 d.C.,
  • A época dos Três Reinos (三國 sān guó): de 220 d.C. a 265 d.C.,
    O Reino Wei: 6 imperadores (220 a 265),
    Reino de Shu: 4 imperadores (221 a 263),
    O reino de Wu: 2 imperadores (222 a 280),
  • A Dinastia Jin Ocidental (西晉 xī jìn): de 265 a 316,
  • A era dos 16 Reinos dos Cinco Bárbaros (十六 國 Shíliùguó) no norte da China 304-439 (11 imperadores)
  • A Dinastia Wei do Norte (Norte da China): de 386 a 535,
  • A época das 6 dinastias no sul da China (六朝 Liù Cháo): de 221 a 589,
  • A dinastia Sui (隋 suíças): de 581 a 618 (5 imperadores),
  • A Dinastia Tang (唐 táng): de 618 a 907 (7 imperadores),
  • O reinado da imperatriz Wu Zetian sob o nome da dinastia Zhou: de 690 a 705,
  • O período de cinco dinastias e dez reinos (五代 十 國 wǔ shí dài Guo) de 907-960 (7 imperadores e reis 10)
  • A dinastia Liao (遼 liáo): de 907 a 1125,
  • A segunda dinastia de Jin (金 Jīn): de 1115 a 1234,
  • A dinastia Song (宋 Sòng):
    Canção do Norte (北宋 běi sòng): de 960 a 1126 (9 imperadores),
    Canção do Sul (s nán sòng): de 1126 a 1279 (9 imperadores),
  • A dinastia Yuan (元 Yuan) ou dinastia mongol 1279-1368 (15 imperadores)
  • A dinastia Ming (明 míng): de 1368 a 1644 (16 imperadores),
  • A dinastia Qing (清 Qing) ou dinastia Manchu 1644-1912 (12 imperadores).

Top 10 das localidades mais populosas da China.

As dinastias Ming e Qing

As duas últimas dinastias da China cobrem um grande período histórico: 544 anos para ser exato.

Será que esses bichos eram colocados nos túmulos para proteger os mortos? Escultura sepulcral chinesa da época da dinastia Ming.

Dinastia Ming

A dinastia Ming refere-se à linhagem dos 16 imperadores que reinaram, mas também ao período que abrange este reinado por abuso de linguagem. Foi a família dos Zhu que a fundou em 1368. O símbolo chinês usado para designar essa dinastia significa “luz, clareza”.

A dinastia Ming sucedeu a dinastia Yuan, uma dinastia que veio diretamente da Mongólia. Depois de mais de um século de dominação por um povo estrangeiro, os chineses rejeitam este reinado e se voltam para a dinastia Ming, hoje quase tão famosa quanto a famosa Grande Muralha da China.

Uma revolta camponesa empurrou a dinastia Yuan de volta à fronteira com a Mongólia e permitiu que a dinastia Ming se estabelecesse. Aqui estão os imperadores que sucederam à frente da dinastia Ming:

  • Hongwu (1368-1398): fundador da dinastia,
  • Jianwen (1398-1402),
  • Yongle (1402-1424),
  • Hongxi (1424-1425),
  • Xuande (1425-1435),
  • Zhengtong (1435-1449, em seguida, 1457-1464),
  • Jingtai (1449-1457),
  • Chenghua (1464-1487),
  • Hongzhi (1487-1505),
  • Zhengde (1505-1521),
  • Jiajing (1521-1566),
  • Longqing (1567-1572),
  • Wanli (1572-1620),
  • Taichang (1620),
  • Tianqi (1620-1627),
  • Chongzhen (1627-1644).

A dinastia Ming foi a última a ser originária de Han.

Na época da dinastia Ming, a China era considerada o país mais avançado da Terra. Isso porque houve um renascimento cultural com o qual as artes se desenvolveram. Não é a toa que é sob essa dinastia que aparecem os primeiros trabalhos em porcelana (por nós chamada de “porcelana chinesa”). Além disso, o comércio chinês se espalhou pelo Oceano Índico e pelo continente africano.

O exército chinês se expandiu e teve um milhão de homens durante todo esse período.

Mais de cem mil toneladas de ferro eram produzidas a cada ano.

Além disso, foi também durante a dinastia Ming que os primeiros livros foram impressos e comercializados com caracteres chineses (sinogramas).

Top 10 dos monumentos chineses.

Dinastia Qing

Como nada dura para sempre, a dinastia Qing acabou subindo ao poder. Ela foi a última a governar a China antes do início da República Popular da China e o estabelecimento do governo chinês.

É importante ter consciência que este reinado é de origem manchu e não chinesa. Aliou Shetima – do clã Aisin Gioro – foi o responsável pela fundação da dinastia Qing. Os nobres e a classe dominante da época falavam manchu.

Embora a captura de Pequim pelos Qing data de 1644, eles só conseguiram dominar e administrar toda a China em 1683.

O Palácio Real da Dinastia Qing também é patrimônio da humanidade pela UNESCO. Pedra indicando o Palácio Real da Dinastia Qing.

Aqui estão os últimos 12 imperadores que a China conheceu:

  • Nurhachi (1616-1625): líder de uma tribo menor Jurchen e vassalo da dinastia Ming, ele entrou em rebelião. Ele se proclamou “Khan do Grande Jin” em 1616 em referência à dinastia Jin, sua antecessora,
  • Huang-Taiji (1625-1643),
  • Shunzhi (1643-1661),
  • Kangxi (1661-1722),
  • Yongzheng (1722-1735),
  • Qianlong (1735-1796),
  • Jiaqing (1796-1820),
  • Daoguang (1820-1850),
  • Xianfeng (1850-1861),
  • Tongzhi (1861-1875),
  • Guangxu (1875-1908),
  • Puyi (1908-1912): oficialmente o último imperador da China. Ele abdicou ao trono quando tinha apenas seis anos de idade.

Sob o segundo imperador Kangxi, as áreas rurais desfrutaram de uma prosperidade através de uma política de enriquecimento rural.

Infelizmente, não houve apenas coisa boa sob o comando da dinastia Qing.

Revoltas eclodiram e foram reprimidas de maneira violenta por seu caráter injustificado. O período de prosperidade permaneceu, no entanto, até o reinado de Qianlong. A partir daí, o declínio começou.

Os conflitos internos enfraqueceram duradouramente a dinastia Qing. Isso sem contar com a pressão exercida pela comunidade internacional sob os Qing. A revolução Xinhai finalmente derrubou o poder da dinastia e a República da China foi proclamada. A República Popular da China nasceu em 1949 após uma guerra civil e com a chegada ao poder de Mao Zedong.

Conheça todos os detalhes sobre a Grande Muralha da China.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar