Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Razões culturais para fazer aula da língua das arábias

De Camila, publicado dia 23/11/2018 Blog > Idiomas > Árabe > Aprender árabe: um ponto de vista cultural

O árabe é uma língua magnífica falada por mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo.

Isso sem contar que ele é o idioma oficial em mais de 20 países.

Como o inglês, o francês, o espanhol ou o italiano, o árabe também faz parte do sistema educacional de alguns países ocidentais, como a França.

Mas é do ponto de vista das trocas culturais que a língua árabe se destaca de maneira única!

Você não acredita em nós e continua se perguntando por que aprender árabe?

Mesmo sem perceber, você utiliza diariamente palavras árabes quando fala, lida com o sistema de algarismos arábicos quando faz matemática e, ao designar uma constelação no céu, também é graças à herança árabe ligada à astronomia que você consegue nomeá-los.

Língua de troca, de comunicação e utilizada para promover a cultura, o árabe é ainda um passaporte formidável para a sua futura orientação profissional.

Embora a maioria dos alunos opte por línguas tradicionais espanholas, inglesas, alemãs ou italianas, nada o impede de se destacar da maioria ao escolher um idioma com alto potencial como o árabe.

E por que não fazer um curso de árabe por causa da contribuição cultural que o idioma pode lhe oferecer?

No final desta matéria você terá uma grande quantidade de informações que o guiarão na hora de aprender árabe, sem contar com os benefícios de descobrir a cultura ligada à língua.

Curso de arabe para brasileiros não será mais nenhum bicho de sete cabeças após as dicas do Superprof que você encontra abaixo!

Descubra ainda várias razões para aprender a falar árabe.

Fontes de grandes movimentos filosóficos, literários e científicos

A língua árabe está presente há séculos em inúmeros campos do conhecimento.

Ainda hoje podemos medir a contribuição cultural da língua, cultura e civilização tão rica quanto a árabe.

Literatura, filosofia e ciência, representam a língua e a cultura árabe em todas as suas formas.

Língua árabe e medicina

Antigamente, doenças eram consideradas uma punição divina ou causada por forças malévolas, sem contar que o tratamento era arcaico e inadequado.

Foi das narrativas árabes que começou a mudar a medicina, fazendo-a tomar uma nova direção. A medicina árabe presumia, por exemplo, que o cuidado corporal permitia um melhor envolvimento na adoração a Deus.

Os médicos árabes trabalhavam em paralelo com a religião. O desenvolvimento da medicina dentro da cultura árabe foi fundamental para a estruturação da medicina contemporânea tal conhecemos hoje.

Sendo assim, a cultura árabe adotou rapidamente o preceito de que cuidar do corpo, da higiene e, consequentemente, da saúde ajuda a garantir a salvação da alma.

Existe um grande legado médico dos árabes no Ocidente:

  • O aparecimento dos primeiros hospitais (com casas de convalescença), mas também os primeiros asilos de loucos e casas de idosos. Curiosidade: o primeiro hospital em Paris, na França, foi fundado por Luís IX quando ele retornou das Cruzadas com os árabes em meados do século XIII!
  • O Cânone da Medicina Avicena: este continua sendo um livro de referência, especialmente no que diz respeito a doenças infecciosas.
  • Ibn al-Haytham ou Alhazen (século XI): fundador da ótica moderna como a conhecemos. Ele é também o inventor da câmara escura (fotografia) e pelas várias teorias sobre a luz e o seu reflexo.
  • Abu al-Qasim al-Zahrawi ou Abu Al-Qasim: um dos maiores cirurgiões árabes, ele revolucionou a maneira de realizar ligaduras e reparar deslocamentos.
  • Ibn Nafis (século XIII): cientista árabe responsável pela descoberta da circulação pulmonar.

Confira dicas de como aprender árabe e se destacar dentro dos seus estudos.

Língua árabe e matemática

A contribuição cultural da língua árabe também se estende ao campo da matemática.

Uma das influências mais fortes dos árabes em nossa cultura e nossa civilização é a apropriação dos numerais indianos, assim como a invenção do dígito zero. Graças a esta invenção, o sistema de numeração com 10 números nasceu, se tornando mais fácil e mais flexível do que os numerais romanos utilizados ​​até então.

A noção matemática que faz com que muitos alunos queiram largar a escola – ou seja, o algoritmo – e que é onipresente na ciência da computação e no uso de redes sociais, foi inventada por um cientista árabe chamado Al-Khawarizmi. Um gênio!

Não é para menos que ele é hoje considerado o “pai da álgebra“.

E graças a eles não precisamos mais usar longos números romanos! Graças aos árabes conhecemos os números tal qual eles são!

É também no campo da astronomia que a contribuição cultural e o conhecimento matemático dos árabes são significativos.

Enquanto os cristãos no Ocidente estavam certos de que a Terra era o centro do Universo, os árabes retomaram os estudos dos gregos, ilustrando-os, posteriormente, em obras às quais ainda hoje se fazem referência.

A contribuição cultural árabe é tão importante nesta área que algumas estrelas e crateras na Lua são nomeadas a partir de astrônomos árabes como Al-Battani e Al-Tûsi.

Vários instrumentos para astronomia foram inventados e aperfeiçoados pelos árabes, como o astrolábio, o relógio astronômico, a bússola e o relógio de sol.

Língua árabe, literatura e filosofia

Grandes personalidades do mundo árabe influenciaram o pensamento cristão durante a Idade Média, trazendo novas reflexões sobre o homem e o meio ambiente através de obras inspiradas pelos autores da Grécia antiga.

Entre esses grandes homens (todos eles de língua materna árabe):

  • Abu Nasr Mohammed Fârâbi: fundador da filosofia islâmica com noções de temporal e eterno, assim como de intelecto.
  • Ibn Sina comumente chamado Avicena: desenvolveu teorias da metafísica, influenciando pensadores como Tomás de Aquino e Heidegger.
  • Ibn Hazm: escritor que inventou o Tratado do Amor Cortês com o livro intitulado “O colar da pomba”.
  • Ibn Rushd de Córdoba também conhecido como Averóis: influenciou o pensamento medieval na Europa, com um trabalho que ajudou a entender melhor o pensamento de Aristóteles. Atualmente, alguns ainda o consideram como um dos fundadores do pensamento secular no Ocidente.

Abertura cultural da língua árabe geograficamente

A língua árabe é caracterizada por dois tipos de línguas que nos permitem viajar pela geografia do mundo árabe.

Entre o Golfo Pérsico e o Oceano Atlântico, do Marrocos, via Egito, Emirados Árabes Unidos, Qatar, Jordânia e Irã, a língua árabe nos faz descobrir países maravilhosos, berços da humanidade.

Historicamente, o árabe também ajuda a entender melhor os conflitos atuais; ajuda a voltar no tempo e compreender a formação e o estabelecimento de diferentes impérios que se irradiam por todo o Mediterrâneo e Oriente Médio, incluindo cidades míticas como Córdoba, Damasco ou Bagdá.

Camelos no deserto são diretamente associados à cultura árabe! Povos nômades do deserto influenciaram o desenvolvimento da língua árabe.

Para entender essas diferenças culturais, é necessário diferenciar o árabe antigo que se tornou o árabe literário encontrado no Alcorão, e o árabe coloquial.

O árabe antigo é agora uma língua morta, que absorveu os principais dialetos da Arábia Saudita, bem como outras línguas semíticas, para se tornar árabe moderno, uma língua árabe literária que pode ser aprendida com facilidade.

O árabe coloquial é uma língua composta de vários dialetos quase idênticos no que diz respeito ao vocabulário árabe, mas que se distingue pela pronúncia e pela gramática.

O árabe do Iêmen, por exemplo, é considerado o mais puro. Já o de Meca é bastante confuso por causa do grande fluxo de pessoas devido aos movimentos populacionais que migram para a Cidade Santa, sendo composto diferentes sub-dialetos originários de tribos nômades do deserto. O sírio e o maronita são expressões idiomáticas árabes usadas no Líbano. O árabe egípcio e o árabe mouro – ou magrebino – são peculiares aos países do sul do Mediterrâneo.

Existem, obviamente, ligações entre a língua árabe e o Islã. No entanto, muitas populações islâmicas não adotaram o árabe, assim como nem toda a população árabe adota o Islã.

Existem atualmente 1,25 bilhão de muçulmanos no mundo, mas apenas 240 milhões são falantes de árabe e 120 milhões têm um conhecimento real do árabe tradicional como segunda língua. Mais de 90% dos muçulmanos não sabem ler o Alcorão em sua versão original.

Aprender a escrever árabe é também conhecer pessoas fascinantes dentro de uma grande diversidade!

Aprender árabe pode ser realmente interessante sob uma perspectiva econômica.

Árabe, uma incontestável vantagem educacional

Quando falamos em vantagens dentro dos conhecimentos acadêmicos, geralmente pensamos em um bom domínio de habilidades ligadas à ciência ou à matemática.

Em se tratando de línguas estrangeiras, não podemos esquecer que aprender uma língua como o árabe pode ser extremamente interessante tanto para o aluno quanto para o seu futuro recrutador.

Na era da globalização, muitos são orientados para o inglês, espanhol ou alemão, enquanto outros se voltam para idiomas asiáticos. No entanto, são poucos os que optam pelo idioma árabe.

O árabe é, no entanto, uma língua que está atualmente em alta demanda, sem contar que existem diferentes maneiras de aprendê-la.

Artes, literatura, invenções científicas, filosofia: o árabe pode ser encontrado em toda a parte.

A culinária árabe também faz parte da cultura associada a esta tão rica língua. Você já se imaginou morando em um país árabe para aprender a língua e ainda ter acesso a uma culinária completamente diferente?!

Saber falar árabe é um trunfo considerável para assegurar uma melhor empregabilidade durante a carreira profissional. A língua árabe é necessária para muitas indústrias, especialmente em matéria de turismo, comércio, finanças. Levando todos esses fatores em consideração e a sua paixão pelo idioma, não espere para aprender arabe em um curso de arabe para brasileiros!

Falar a língua também falada no Egito permite ao interlocutor conversar com diversas pessoas de diversos países como Tunísia, Jordânia, Irã, Iraque, Qatar, Marrocos, etc. dentre vários outros.

Países exportadores de petróleo e gás incentivam o aprendizado em árabe. Optar por aulas do idioma é, logo, uma escolha estratégica a ser considerada no início da vida escolar ou universitária, pois dominar o idioma das arábias ajudará a acrescentar um verdadeiro valor profissional ao seu currículo quando o assunto for a sua inserção no mercado de trabalho. Isso fará com que você se destaque de seus concorrentes!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar