Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Presença da língua das arábias em nossa sociedade

De Camila, publicado dia 23/11/2018 Blog > Idiomas > Árabe > As influências esquecidas da língua árabe

Quando se pergunta aos alunos qual é ou qual será a língua que eles gostariam de falar no futuro, seja em um ambiente pessoal ou profissional, a maioria deles tem a resposta na ponta da língua: o inglês.

A língua anglo-saxônica é onipresente em nosso mundo de comunicação, já que é o idioma adotado em todas as trocas internacionais.

Se você fizer a pergunta novamente a esses mesmos alunos, pedindo-lhes que, desta vez, escolham um idioma um pouco mais exótico, muitos responderão chinês, japonês, coreano ou até mesmo russo.

Mas então, e quanto ao árabe?

A quantidade de pessoas que optam por fazer um curso de arabe para brasileiros é minúsculo se comparado à quantidade de pessoas que escolhem pelo aprendizado de outros idiomas em período de escolaridade básica ou universitária.

Apesar de todos os pesares…

A língua árabe está constantemente presente ao nosso redor: no que fazemos, nas palavras que usamos, em como contamos, em como olhamos para as estrelas ou ainda na maneira de se fazer poesia.

Você sabia que você fala árabe sem saber?

Você conhece a contribuição desse idioma incrivelmente rico à nossa cultura ocidental?

É claro que, do ponto de vista cultural, educacional e até econômico, falar, ler e escrever em árabe são habilidades realmente importantes, com um desenvolvimento que pode ser alcançado a médio e longo prazo.

Descubra agora a fabulosa herança da língua, cultura e civilização árabes que permeiam a nossa civilização e que, por centenas de anos, contribuíram para a construção da nossa sociedade tal qual a conhecemos hoje.

Artes, literatura, invenções científicas, filosofia: o árabe pode ser encontrado em toda a parte.

Ficou curioso em saber mais sobre o assunto? Então confira esta matéria que o Superprof preparou com todo carinho e dedicação especialmente para você!

Descubra ainda várias razões para aprender a falar árabe.

Falamos árabe sem saber

O árabe é uma língua viva, assim como o português, o francês, o espanhol, o italiano e o inglês.

Você sabia que existem centenas de palavras em português que têm sua origem na língua árabe?

De acordo com o site “Estudo da Língua e da Cultura Árabe” e com o “Dicionário Etimológico” da Editora Nova Fronteira redigido por Antônio Geraldo da Cunha, obtemos as seguintes informações:

De entre os vocábulos que os árabes nos legaram, a grande maioria é facilmente identificável, pois começa pelos prefixos al-, az-, as- (correspondentes ao artigo definido árabe o) ou od- (que significa rio). Muitas das palavras cuja primeira sílaba seja al são de origem árabe, mas aquelas em que al não forme uma sílaba, podem ter uma raiz distinta (casos de Alexandre e Alentejo).

Talvez a sua presença seja mais notada na toponímia, mas em todas as áreas do saber existem, em português, termos derivados do árabe, testemunho da sua passagem pelo território português durante perto de cinco séculos.”

Você sabia que várias palavras do nosso vocabulário possuem suas raízes na língua árabe?! Quem diria: a palavra “açúcar” vem do árabe!!!

As palavras abaixo são apenas algumas das centenas delas que são diretamente derivadas do idioma do Alcorão:

  • Açafrão (az-zafaran, amarelo);
  • Açougue (as-suk)
  • Açúcar (as-sukar deriva do Sânscrito çarkara, grãos de areia)
  • Alforria (al-hurriya (a liberdade)
  • Algarismo (al-kawarizmi, nome do matemático árabe Abu Ibn Muça)
  • Álgebra
  • Algema (al-jami’a, pulseira)
  • Alicate (al-likkát, tenaz)
  • Almofada (al-mukhadda de khadd, face)
  • Auge: Auj'(o topo; óptimo)
  • Azar: az-zahr (sorte)
  • Azeite: az-zayt (substitui óleo, óleo de oliva)
  • Azul (al-lzaward, empréstimo árabe do persa ljward, lat. lapis lazuli, a pedra lazurita)
  • Azulejo (al-zuleij, pedra pintada)

E isso só com a letra “A“!

Como negar a importância e a imensa influência do vocabulário árabe na língua portuguesa? Para que um motivo melhor do que esse para seguir em frente com o seu grande desejo de aprender como falar arabe, assim como de conhecer mais sobre a cultura e os costumes ligados ao idioma?

Mesmo que você ainda não saiba ler e escrever em árabe e mesmo que você comece a passos de formiga a descobrir o alfabeto da língua, agora você já sabe que possui resquícios de conhecimento do idioma!

Confira dicas de como aprender árabe e se destacar dentro dos seus estudos

Literatura e poesia árabe

“Todas as religiões são criação humana equivalentes e por conveniência pessoal e pelas circunstâncias escolhemos uma.”
– Averróis –

Se você está se perguntando por que aprender um idioma como essa, então saiba que grandes escritores árabes foram muito importantes para o desenvolvimento de várias civilizações. Eles eram persas, árabes, magrebinos e foram representados em poesia, romances, contos, fábulas, artes literárias árabes, encantando e enriquecendo nossa cultura.

Entrar em contato com a literatura e poesia árabes é também uma oportunidade para desenvolver o vocabulário no idioma, aprender expressões idiomáticas, revisar a gramática e aprender a ler em árabe, aproveitando para treinar a sua pronúncia em expressão oral.

Decifrar frases em árabe é embarcar em uma viagem a um outro lugar, um outro mundo, maravilhoso, rico em conhecimentos ancestrais seculares.

Nos países árabes, a transmissão literária era praticamente toda feita de maneira oral através de fábulas indianas e persas. Em um determinado momento houve um surto literário no qual gramáticos árabes estabeleceram regras para obter uma língua tão próxima quanto possível da língua original. Foi nesse período que os dicionários do idioma apareceram nos países árabes; novos gêneros literários como a epístola surgiram, assim como as notícias ou o que chamamos de “sessão” (ou “maqamat”), uma mistura de ficção e realidade em torno de um personagem central.

Já a poesia celebra grandes vitórias como às feitas pelo poeta Al Mutanabbi. Ela canta igualmente o amor – e o amor ilegal – como nos versos de Abu Nuwas e o seu popular como o conto de “As Mil e Uma Noites

Quem nunca escutou falar no conto de "As Mil e Uma Noites"? São muitos os escritores e poetas árabes famosos em várias áreas do conhecimento.

Recentemente, o romancista egípcio Naguib Mahfouz foi agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura. Assim como ele, outros nomes famosos aparecem no panteão de escritores e poetas árabes célebres, como o filósofo e escritor libanês Khalil Gibran e o seu renomado “Profeta”. O poeta palestino Mahmoud Darwish também integra este grupo estrelado.

Se fizermos uma viagem ao tempo rumo ao passado, encontramos os filósofos Avicena (Ibn Sina) e Averróis, cuja influência sobre o nosso modo de pensar ainda é atual.

Ainda hoje podemos medir a contribuição cultural da língua árabe!

Artes árabes

Olhar para as diferentes artes árabes é uma rica e poderosa maneira de se entender o pensamento do povo que domina essa língua preciosa, assim como de perceber o impacto e a considerável contribuição dessa cultura e civilização em nossas vidas cotidianas.

Caligrafia e iluminuras

Nos países árabes, a arte não é um fim, mas um meio de conectar o homem ao que existe ao seu redor.

O desenvolvimento do papel e a distribuição de livros contribuíram largamente para o desenvolvimento das iluminuras e da ilustração.

Trabalhos de zoologia, medicina e astrologia que foram os principais a serem ilustrados. Enquanto isso, a ilustração do Alcorão Sagrado começou a se difundir.

Muitos livros como Kalila wa Dimma (texto para aprender árabe de qualidade), Maqamat ou o longo poema Shahnamade Firdawsi fazem uso de iluminuras árabes

A arte da caligrafia não fica para trás, se tornando diretamente ligada à arte árabe-islâmica.

Segundo a tradição, a caligrafia é um dom religioso: assim que se aprende a escrever a caligrafia árabe, entra-se em contato com Deus.

No entanto, a escrita se espalha em todos os meios, e passa a ser feita não só no papel, mas também em cerâmica, tecido, madeira e pergaminho. Com o passar do tempo, a grafia muda gradualmente.

Ela foi desenvolvida com a chegada do papel e dos livros. A caligrafia árabe está em constante desenvolvimento.

Matemática

A contribuição da cultura árabe para a matemática é simplesmente prodigiosa.

Os árabes tomaram emprestado o sistema de numeração e a escrita de números dos índios e inventaram o “0” (“zero”) que literalmente significa “o vazio” (” es-sifr “). Não precisamos nem falar o quanto isso simplificou o cálculo na vida não só dos árabes, mas de todos os seres humanos ao redor do mundo!

A história da matemática está cheia de invenções árabes. Uma delas é a palavra “algoritmo“, que foi inventada pelo matemático árabe Al Khawarizmi.

Foram ainda os árabes que decidiram designar um desconhecido pela letra “X” (que vem da palavra “chay” e significa a “coisa”).

Todas essas invenções têm um objetivo: resolver problemas cotidianos.

Aprender árabe pode ser realmente interessante sob uma perspectiva econômica.

Medicina

Já na Idade Média, os árabes foram os pioneiros do que viria a ser a medicina tal qual a conhecemos hoje.

Se servindo do conhecimento dos gregos e ensinado por Hipócrates, os árabes retomam a teoria humoral. Segundo ela, as patologias resultam, muitas vezes, de um desequilíbrio entre a bile, o sangue e o fleuma, refletindo não só no nosso corpo, mas também na nossa personalidade .

Os tratamentos desenvolvidos pelos árabes visavam restaurar o equilíbrio entre esses humores, baseando-se em uma lógica de afetos e uma abordagem metódica.

Eles desenvolveram igualmente a arte do diagnóstico, desenvolvendo os primeiros regulamentos da profissão de médico.

As contribuições para a medicina moderna são inúmeras. Além de teorias, os árabes foram ainda os responsáveis pela construção dos primeiros hospitais. Esses eram equipados por uma farmacopéia incrível de ervas, drogas animais, extratos minerais, unguentos, emplastros, etc.

Avicena, citado como figura importante da literatura árabe, também foi fundamental para a medicina. Ele foi o responsável pelas obras “Livro da Cura” (uma vasta enciclopédia filosófica e científica) e pelo “Cânone da Medicina”, texto utilizado em muitas universidades medievais reputadas, como as famosas Universidade de Montpellier (França) e a Universidade Católica de Leuven (Países-Baixos).

A matemática tem muito a agradecer aos árabes! Graças aos árabes utilizamos o sistema numérico atual!

Agora que você já está por dentro da influência da língua e da cultura árabe na nossa vida cotidiana, o que está esperando para começar a fazer uma aula de arabe?

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar