A passagem do anonimato do pequeno aprendiz  para o personagem impressionante apresentado pelo cantor é frequentemente pautada em elementos técnicos, dos quais dominar a técnica do vibrato é parte importante.

Sem ele, o mundo da ópera seria permanentemente fechado, enquanto você receberia apenas amadores em concursos de canto sem muito talento.

Mas não perca a esperança: tentaremos mostrar bem o conceito de técnica vibrato, trazendo alguns elementos de trabalho valiosos para direcionar o seu treinamento vocal.

E aí, você conhece alguma outra técnica para deixar sua voz mais completa?

Para cantar bem é preciso se exercitar
Quando o vibrato flui sem esforço na sua voz significa que algo bom está acontecendo.

 Vibrato: o que é isso?

A primeira pergunta a se fazer é: como cantar direito? Depois, mas só depois disso, você pode ir além.
Nem sempre é fácil controlar o esterno para manter uma nota constantementeVocê tem que saber como colocar a sua voz de  tal forma,  mas também tem que saber como obter a verticalidade e modulá-la corretamente.

Não se trata de fazer como algumas pessoas que, tremendo, acreditam ter a voz de Whitney Houston, enquanto maltratam os ouvidos de seu público.

Para evitar assobiar, você deve dominar sua traqueia para imprimir uma ondulação uniforme e harmoniosa da frequência e intensidade dos sons – em suma, a altura. Sem isso, seria melhor ficar quieto, sobretudo porque toda a força feita é inútil!

Este tremolo (termo normalmente focado na repetição e intensidade de uma nota) é uma polifonia que diz respeito a qualquer faixa: castrati, contralto, mezzo-soprano – todo cantor moderno precisa dominar essa técnica. Dito isso, você já pensou em desenvolver melhor os seus agudos?

Vibratos são, acima de tudo, um bem que pode ser treinado, o que não impede que às vezes seja necessário uma experiência de canto para desenvolver todas as potencialidades da voz humana: qualquer voz bonita em boa saúde é normalmente capaz de alcançar essa modulação rítmica.

É sempre uma questão de obter seu vibrato natural e ditar sua vontade. É tudo sobre o fluxo de ar que deve ser emitido; um vibrato artificial continua sendo possível, mas menos satisfatório. É uma tensão muscular do músculo tireo-aritenoide laríngeo, com várias mudanças de altura para o segundo – entre 4,3 e 7,2 oscilações em uma situação ideal!

Os mais jovens não precisam entrar em pânico: o vibrato quase não existe na infância, mas aparece e se desenvolve com a idade.

Devemos esperar até que a mudança da sua voz tenha passado e tomar aula de canto irá ajudar você a se preparar para a ópera. A flexibilidade de uma voz fará o resto, com a ajuda de uma escola de canto, se necessário!

E se, apesar de todos os seus esforços, o seu vibrato ainda não mostrar a passagem do tempo e o seu esfoço, é porque você provavelmente possui alguma variação na região do corpo mais utilizada – procure um especialista! Quem sabe um fonoaudiólogo não possa ajudá-lo?

Pratique bem a técnica musical
Vibrar as cordas vocais é semelhante à mesma ação em um instrumento comum: é preciso técnica.
Evelyn
Evelyn
Profe de Canto
4.99 4.99 (119) R$80/h
1a aula grátis!
Erica
Erica
Profe de Canto
5.00 5.00 (17) R$135/h
1a aula grátis!
Victor
Victor
Profe de Canto
5.00 5.00 (14) R$65/h
1a aula grátis!
Fernando
Fernando
Profe de Canto
5.00 5.00 (45) R$120/h
1a aula grátis!
Daniel
Daniel
Profe de Canto
5.00 5.00 (6) R$90/h
1a aula grátis!
Lilian
Lilian
Profe de Canto
5.00 5.00 (31) R$100/h
1a aula grátis!
Carolina
Carolina
Profe de Canto
5.00 5.00 (8) R$50/h
1a aula grátis!
Daniel
Daniel
Profe de Canto
5.00 5.00 (20) R$15/h
1a aula grátis!

Diferenças básicas entre o vibrato vocal e o instrumental

Vibrato vocal

O vibrato é uma das principais técnicas de ornamentação da voz na música e a base para praticamente todas as demais técnicas. De forma direta, o vibrato nada mais é do que uma pequena variação de frequência e/ou de volume de forma consciente ou não.

Quando inconsciente, ou seja, sem querer, o vibrato deve ser praticado e moldado por meio de exercícios para que seja controlado e trazido à consciência pelo cantor.

E, ademais, o vibrato é diferente de uma voz trêmula. Esta resulta da falta de preparo com exercícios de respiração que fortalecem o fluxo de ar e também o diafragma.

É bom lembrar, ainda, que nossa voz humana possui um vibrato natural. Frequentemente, esse vibrato não está presente em cantores não treinados. Portanto, o vibrato surge somente após o treino, embora seja natural no sentido em que ele emerge sem ser explicitamente ensinado.

Além disso, sabemos que cantar sem o vibrato natural é algo substancialmente cansativo para a voz, resultando em rouquidão. Seguindo determinadas razões artísticas, um vocalista treinado pode, pois, deliberadamente alterar ou suprimir o vibrato natural.

O controle do vibrato é, sobretudo, estudado no canto popular, já que ele é empregado de diversas formas, moldando-se muito ao estilo musical optado pelo artista.

Vibrato nos instrumentos

O vibrato, técnica amplamente aplicada nos violinos, pode ser efetuado de três simples formas:

  • Vibrato de pulso: o ombro e os dedos do músico permanecem parados, enquanto apenas a mão e o braço giram, "tremem", velozmente da esquerda para a direita. Isso faz com que os dedos alterem sua posição sobre as cordas, gerando o vibrato.
  • Vibrato de Braço: a mão e os dedos do instrumentista permanecem parados, ao mesmo tempo em que todo o seu braço se mexe. Isso faz com que toda a mão e os dedos mexam um pouco, resultando no vibrato.
  • Vibrato de Dedo: nesse tipo de vibrato apenas os dedos se mexem. No entanto, como é praticamente impossível mexer os dedos para os lados, nesse caso a técnica baseia-se em alterar a pressão exercida sobre as cordas pelos dedos. Dessa forma, o dedo aumenta e diminui sua força sobre a corda, aumentando ou diminuindo a tensão na mesma, e é isso que causa o vibrato.
O legendário vocalista do Queen, Freddie Mercury, dominava como ninguém a técnica do vibrato.

Quais são os tipos de vibrato?

Considerado uma técnica de ornamentação, ou seja, um enfeite na música, a colocação de um detalhe que faz com que a canção seja sua, o vibrato é muito praticado entre cantores e intérpretes. Dessa forma, não existe um consenso único entre os cantores e músicos em que parte da música ele pode ser inserido.

Tendo isso em mente, temos dois tipos básicos de vibrato:

1. Vibratos laríngeos

Os vibratos laríngeos são gerados por pequenas variações na laringe. Sabemos que a mudança das notas se torna mais perceptível dessa forma. E é devido a isso que você precisa respeitar o tempo, a batida e o estilo das músicas. Essa é uma técnica muito empregada pelos artistas de pop, jazz e blues.

2. Vibratos diafragmáticos

Já os vibratos diafragmáticos resultam da pressão de ar da laringe no diafragma e é por isso que se relacionam com o volume e não com a variação da nota.

São geralmente conhecidos como riffs e acontecem quando o volume de uma única nota sobe e desce antes que ela termine de ser executada. Acho que agora ficou mais claro, certo?

Nesse sentido, a escolha do melhor vibrato para cada música depende somente dos objetivos do cantor, e até onde ele deseja chegar com a canção.

O que é necessário para atingir um bom vibrato vocal?

De forma simples, a base do vibrato é a respiração e a sustentação da voz. Enquanto você não tiver um apoio diafragmático firme e estável, vai ser impossível que você obtenha controle total, pleno, do seu vibrato e da sustentação das notas decorrentes dele.

Aprender a cantar, como tudo na vida, exige disciplina e dedicação e, acima de tudo, uma boa orientação de um professor de música experiente e qualificado. É, portanto, fundamental não queimar etapas.

Uma dessas etapas consiste no estudo da respiração, passo essencial no aprendizado do canto. Realizar exercícios que trabalhem e fortaleçam a sua respiração é algo obrigatório. Caso você não pratique esses exercícios, muito dificilmente irá desenvolver uma boa respiração e sem ela, seu vibrato ficará muito próximo ao grito de uma cabrita louca, rs!

Como já disse, para se ter um bom vibrato é necessário que você tenha um apoio impecável, desenvolvido pelo estudo e técnicas de respiração. Depois disso, você pode estudar de várias formas. Uma das mais eficazes é com o uso de um metrônomo, iniciando em uma velocidade baixa e ir progredindo, aumentando-a aos poucos. Assim, você treina o controle do vibrato.

Vibrato nada mais é do que uma pequena variação de frequência e/ou de volume efetuada de forma consciente ou não. Nesse sentido, a base do vibrato é a respiração e a sustentação da voz.

Dicas de como usar o vibrato vocal

Chega a ser até engraçado, pois a maioria das pessoas que descobrem a técnica do vibrato, por uma razão ou outra, já querem sair vibrando o tempo todo. Portanto, o vibrato deve ser usado com muito cuidado!

Algumas sugestões de momentos nos quais você pode usar o vibrato sem cometer muitas gafes:

  • Finalizações: A menos que você esteja cantando Bossa Nova, estilo musical no qual o vibrato não se aplica, naquela última nota que você sustenta, aplique o vibrato do meio para o fim do tempo em que segurar a nota. Ou aplique-o um pouco mais para a frente do meio da nota. Assim, suas finalizações nunca ficarão sem graça ou sem expressão!
  • Notas intermediárias no melisma ou improviso: o vibrato aplicado nesses momentos é largamente usado por cantores de black music internacionais. Durante o improviso, eles escolhem uma nota e vibram apenas nela e imprimindo uma frequência (velocidade) bem alta. O resultado disso é um efeito muito bom e apreciado pelo público em geral.
  • Palavras e síladas específicas: escolha uma sílaba de uma palavra enquanto interpreta a música e aplique sob essa sílaba um vibrato curto e bem rápido.
O vibrato natural indica um canto verdadeiramente saudável, ou seja, uma voz bem centrada, capaz de nuances e detalhes, enquanto permanece vibrante de vida e tonacidade.

Qual o uso de vibração de suas cordas vocais?

Em qualquer escola de música, o vibrato faz parte da rotina e realidade dos alunos: todos os instrumentistas sabem de que se trata, inclusive nas aulas de piano, onde o tremolo toca piano com dois dedos para vibrar duas notas.

Acordeão, violão, guitarra, trompete: poderíamos multiplicar exemplos para encontrar equivalentes e, em qualquer caso, recorrer a professores particulares será o melhor caminho para dominar a música moderna e quebrar os maus hábitos.

Quando se trata de cantar bem, o vibrato tem seu lugar em todo canto coral ou para um cantor lírico (um tenor, por exemplo), mas também se encaixa em mais de um estilo musical, como o canto no jazz ou gospel, por exemplo. Para esses estilos, a voz grave também é muito valorizada.

O único pré-requisito é que o ritmo seja relativamente lento, caso contrário, haveria pouco tempo para adornar suas canções com vibratos.

Dicas simples para fazer sua voz vibrar

Tenha em mente que é uma pequena variação de tom e essa é uma função natural de um tom bem produzido.

  1. Abra a boca como se bocejasse. Isso incentiva e prepara o seu aparelho vocal.
  2. Relaxe os músculos completamente (especialmente através da laringe)
  3. Mantenha-se ereto (posição dominante para seu controle vocal).
  4. Preste atenção na sua respiração. Lembre que ela é essencial para dominar o vibrato e a arte de cantar como um todo.
  5. Controle sua respiração.
  6. Cante com o seu diafragma. Com o tempo e a prática, você aprenderá a diferenciar a forma como canta.
  7. Tentando ser sutil, os vibratos mais bonitos são frequentemente leves e suaves.
  8. Produza as vibrações, ou oscilações na frequência (velocidade) da nota, de modo mais natural possível. Lembre-se, como dito há pouco, o vibrato que mais agrada o público normalmente é o curto e leve, sem mudanças bruscas na execução das notas.
  9. Melhore gradualmente sua técnica vocal.
  10. Confie em sua voz.
Ter uma boa voz ajuda na hora de profissionalizar
Ter domínio da técnica fundamentalmente ajuda na hora de iniciar a sua carreira musical.

Aprenda a fazer vibrato com aula de canto! Acesse a nossa comunidade Superprof!

Você precisa de um professor de canto para treinar o vibrato?

Muitos iniciantes ficam em dúvida se deveriam ir à procura de um professor de canto para aprender com segurança e desenvoltura o vibrato ou se isso não seria necessário. Bem, como já dissemos, existem aquelas poucas pessoas que realizam essa variação da frequência da voz de forma natural.

No entanto, se esse não for o seu caso, recomendamos, sim, a orientação de um profissional da área. O professor de canto é capaz de identificar seus pontos fortes e fracos, de acordo com o seu perfil vocal e também levar em consideração suas expectativas e objetivos.

Através do desenvolvimento de um plano de ação, baseado em exercícios personalizados, você vai conseguir dominar, de forma gradativa, o vibrato. E sem que ele soe de forma forçada.

A grande vantagem de se progredir nessa técnica aos poucos é que você dominará essa habilidade por completo e sem pressa ou estresse. Isso aumenta sua autoconfiança e, com o tempo, você estará habilitado a executar vibratos com muita facilidade e de forma bem natural.

Por essas e outras razões, aconselhamos a supervisão de um profissional do canto, sobretudo nas etapas iniciais do estudo e da prática.

A orientação de um professor de canto qualificado e com expertise no campo certamente irá lapidar quais os melhores exercícios você deverá praticar, de acordo com o seu perfil vocal.

Como gerenciar o controle de vibratos vocais?

Tudo deve começar com um despertar musical, desde cedo – e por que não com um cantar antes mesmo da criança saber falar? As aulas coletivas são muito adequadas para tal trabalho de canto.

O pré-requisito é, naturalmente, o aquecimento vocal, para estar em plena posse de seus meios de ressonância, como podemos chamar esse tipo de atividade vocal.

O aquecimento é fundamental para encontrar a sua voz ideal sem o menor apertoUma técnica sólida está bem direcionada com boa respiração e colocação de som precisa, alinhamento do corpo e liberação de tensão. Em suma, o vibrato é um sinal de boa técnica vocal, o resultado de todo um bom trabalho que você já está evoluindo.

Na mesma ordem, também é exigido um relaxamento: relaxar vocalmente faz bem à musculatura e à glote.

Ouvimos imediatamente a diferença entre um tempo de coro e cantores que se prepararam para saber repetir e vibrar sem ficar cansado ou desanimado: a faringe perde musicalidade e amplitude quando as pulsações são muito altas, por isso, cuide bem da sua voz.

Cantar uma música será sempre dependente, em muitos aspectos, da fisiologia humana. Será difícil treinar fortemente, interpretar uma música sem respeitar sua fragilidade e essa situação de fragilidade pouco controlada causará muitos inconvenientes.

As aulas de teatro ou de fala em público podem ajudar os mais tímidos a superar seus medos, além de tocar e ouvir peças de todos os estilos, tentando descobrir as melhores maneiras de expor sua voz.

Esse treinamento para a improvisação também será uma vantagem para articular bem, regular o tom de seu diafragma e não tropeçar nas consoantes durante um trecho sem acompanhamento.

E se você precisar descarregar suas energias, vá para as aulas de bateria! Ou aprenda a tocar violão para relaxar e criar um estilo mais descontraído para seus momentos de canto. A dança também pode ser um bom exercício para liberar um pouco da sua tensão – e quem sabe você não se torna um fenômeno no teatro musical?

O terceiro ponto é respirar bem. A respiração abdominal é, de fato, o coração do coral: é necessário se dedicar na qualidade da expiração, revisitando sempre as repetições dos exercícios para isso. Porque o vibrato vem mais facilmente da barriga!

De qualquer forma, aprender a cantar em aulas coletivas não é a maneira mais eficaz de aprimorar seu ouvido musical e sintonizar seus abdominais com sons que saem da sua boca. Para isso, é melhor usar um treinador vocal ou um professor particular que, como um bom tutor, transmita o seu conhecimento da teoria da música e se adapte às suas necessidades.

As aulas particulares podem ser um grande medidor do seu progresso, assim como os exercícios diários e a sua evolução constante podem ser medidas, por exemplo, com as gravações periódicas de sua voz.

Um professor de canto de qualidade poderá lhe mostrar os exercícios de respiração adaptados ao seu treinamento musical, assim como suas lições de música devem lhe transmitir um conhecimento preciso de como agir no palco e ganhar mais autoconfiança nessa área.

Sempre que encontrar o professor que acredita ser o melhor para você, procure as referências e peça para fazer um teste na primeira aula e isso vale para todos os níveis, para aulas presenciais, aulas de canto online ou em grupo. Esse tipo de avaliação também pode ser importante para outras aulas além do canto, como aprender guitarra, piano, violão ou saxofone. A sua necessidade precisa andar de mãos dadas com a metodologia certa para o seu aprendizado.

Se já tiver esse conhecimento, aponte para o seu professor ou diretor artístico do seu coral, qual a sua entonação correta, seja ela um tenor, contralto, baixo-barítono. Isso pode ajudá-lo no avanço de etapas e melhor posicionamento nas aulas.

Uma voz hesitante, com vibração frouxa, não é expressiva e nem sutil. O vibrato é uma ferramenta que projeta a voz, com vigor e energia, facilitando a emoção genuína durante a vocalização.

Já dissemos que o vibrato é uma capacidade natural, então o desafio é como aprender a controlar o equilíbrio dessa técnica em sua arte.

Encontrar a altura certa de expressividade e tomar consciência de sua dicção modulada deve ser o principal objetivo das lições de canto dedicadas ao vibrato.

Alguns exercícios durante um curso de treinamento intensivo permitirão alcançar esse objetivo, tanto para os agudos quanto para uma voz mais profunda.

Para fazer o som de sua voz ecoar pela cidade, não deixe de treinar e procurar o profissional certo para suas aulas!

Inspire-se e não deixe de cantar!

Todos os cantores não são iguais: isso seria conhecido. Por isso, é bom ter uma sólida educação musical para saber como identificar os artistas que você pode se inspirar e até mesmo imitar enquanto aprende.

Ouvir excelentes clássicos da música tradicional é a base da carreira de qualquer cantor famoso e essa criação de referências pode ajudar na sua projeção e busca por oportunidades.

Se você tem um bom professor de música,  ele poderá encontrar o seu tom certo e quem sabe então tentar passar  sua voz por alguma técnica vocal que você tenha ouvido em O Barbeiro de Sevilha de Rossini,  As Bodas de Fígaro de Mozart ou Tetralogia  de Wagner. Que tal tentar?

Entre os contemporâneos, encontraremos Mary J. Blige, Beyoncè, Whitney Houston, e Mariah Carey, cujas vocalizações marcaram e marcam significativamente seu público, bordando de forma excessiva em torno de cada vogal – ou quase.

A rainha da noite ou o futuro Luciano Pavarotti ou Plácido Domingo pode ser você! Já pensou nisso?

Precisando de um professor de Canto ?

Você curtiu esse artigo?

4,50/5, 2 votes
Loading...

Fernando

Apaixonado por livros, idiomas e esportes, sempre buscando novas coisas para estudar e aprender melhor.