Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Quais são as técnicas para escrever uma canção ao longo de suas aulas de teclado?

De Fernanda, publicado dia 06/10/2017 Blog > Música > Piano > Como compor uma música no piano?

Tocar o piano não é tão fácil assim, principalmente no começo.

Revisitar as músicas compostas por outras pessoas ainda é a prática mais comum nas aulas de teclado ou piano.

É preciso decifrar e estudar muito uma composição antes de conseguir reproduzir fielmente aquele trecho tão admirado.

Mas é preciso saber que, quando você atingir um nível suficientemente bom, vai poder ousar e compor suas próprias músicas. Já pensou?

Claro que isso requer certas habilidades técnicas e uma mente criativa para poder compor uma música. A Chiquinha Gonzaga não nasceu sabendo tocar!

Mas existem algumas dicas básicas (e mágicas) para conseguir criar uma música de piano incrível e assim progredir nas sua aula de teclado online ou presencial.

Quais são as habilidades necessárias para começar a compor?

A hora certa para criar sua própria canção no piano. Como compor a sua música autoral? créditos menu4340 via visualhunt

Uma música – ainda mais no piano – não é composta da noite para o dia. Você concorda comigo, certo?

Pois bem: o fato é que existem algumas etapas de criação e de produção a serem respeitadas.

E, o que é mais importante, é preciso perceber que já existe uma quantidade numerosa de músicas e compositores de música de piano.

Portanto, é necessário ter cuidado para não copiar nada, pois isso pode ser classificado como plágio. Estando ciente disso, você pode seguir para a próxima etapa.

Possuir referências musicais e dominá-las o suficiente para usá-las

Em geral, quando alguém começa a tocar piano, é porque tem um gosto pronunciado pela música e, por consequência, provavelmente deve possuir uma cultura musical bem robusta, extensa e variada.

Essa cultura possibilita, já de cara, detectar as estruturas de uma obra musical e entender seus mecanismos de funcionamento.

Quando descobrimos que a maioria das obras são compostas da mesma maneira, fica mais fácil de compor no piano.

Numa segunda etapa, pode-se identificar e desenvolver uma sensibilidade musical, que vai facilitar muito na criação do estilo de música que você vai compor.

Possuir boas noções de prática de piano

Isso parece lógico e óbvio, mas uma pianista que está fazendo aulas de teclado para iniciantes não tem base e prática suficientes para poder conseguir compor uma obra estruturada digna do nome.

Antes de ter a competência para escrever música, é importante dominar todos os estilos de acordes e de partituras.

Você precisa saber como tocar de tudo um pouco e não ter problemas para decifrar e ler a música.

Do nosso ponto de vista, são necessários vários anos de prática de diferentes estilos musicais. Acreditamos que isso seja até mesmo obrigatório antes de começar a compor suas próprias peças.

Fazer aula de teclado é, portanto, inevitável sob esse ponto de vista.

Quais as etapas para compor uma peça de piano?

Se todas as etapas anteriores forem cumpridas e o pianista tiver todas os recursos em mãos para compor, há outros passos a serem respeitados na hora de criar uma obra musical.

Na verdade, existem alguns truques e técnicas necessários.

Caso contrário, você vai perder a cabeça tentando e sua música nunca vai sair daquele jeito. O que seria uma pena…

Letras antes da melodia ou o contrário?

A maioria dos compositores vai lhe dizer que é melhor compor a melodia depois de escrever as letras. Os motivos são simples.

É mais fácil definir um universo musical quando as letras já estão escritas, pois a música já vai ter uma certa estrutura (tamanho dos versos, refrão, a parte semântica, etc.).

Com a letra, fica mais fácil de pensar no tempo e no tom da obra.

Mas sempre é possível compor a melodia antes de escrever as letras. Se o compositor se sentir à vontade com isso e for bem criativo em questões de melodia, isso pode ser até mesmo uma vantagem.

Tendo já o ritmo e o tom definidos, podemos encontrar mais facilmente um sentido para nossas rimas.

Como escolher os acordes principais?

A primeira coisa a fazer quando você começa a compor é definir um quarteto de acordes fundamentais.

Vamos explicar: 90% das músicas que existem no mundo são construídas em torno desses quatro acordes.

Escolhê-los bem e conseguir encontrar a identidade melódica que você pretende dar à sua música é provavelmente o passo mais importante.

Por que escrever partitura de piano? Melodia & letra: um equilíbrio nem sempre fácil de ser encontrado.

A primeira escolha é entre acordes menores e maiores.

É importante saber que os acordes mais utilizados em obras modernas são os acordes de C, G e B. Então, você tem duas opções: ou segue essa melodia, sabendo que vai soar como uma música que está na moda, ou inova, sabendo que você sempre pode mudar o tom de qualquer música.

Como estruturar a melodia em torno desses acordes principais?

O quarteto de acordes principais forma a linha do baixo da mão esquerda.

É a partir desses baixos que trabalharemos a melodia para a mão direita. Existem duas opções:

  • Compor pelos acordes: compor uma música baseada apenas em um acorde (mão esquerda e mão direita) dá um aspecto dinâmico e ritmado à sua composição. Se o compositor optar por compor uma obra desse estilo, ele terá que antecipar variações de ritmos e efeitos de estilo no movimento dos dedos para dar mais leveza à peça. E quando você ainda está aprendendo o piano, isso pode ser um obstáculo para a composição.
  • Compor pelos arpejos: os arpejos são usados ​​para trazer fluidez à melodia. Desdobramos os acordes para dar fluência e mais harmonia à música.

Exemplo: em vez de tocar um acorde de dó-mi-sol, nós tocamos o dó, então o mi e só então o sol, fazendo movimentos para frente e para trás para que o som e a melodia sejam contínuos.

Seja qual for o método escolhido, existem vantagens e desvantagens. Mas também é isso o que marca os melhores compositores de música do mundo.

Qual é o papel da improvisação?

O último elemento que não pode ser esquecido no processo de composição é a improvisação no piano.

É esse o momento no qual a imaginação e o virtuosismo do pianista estão livres para se expressar, e quando o músico pode demonstrar suas habilidades de toque e sua destreza no piano.

Uma dica: sempre grave esses momentos de improvisação (mesmo durante uma aula de piano). Você não vai se arrepender!

Isso porque às vezes você está num dia bom e consegue fazer maravilhas. No dia seguinte, vai esquecer como chegou lá. Seria uma pena perder isso. Então, gravar com um microfone ou mesmo com seu smartphone é um truque que pode gerar ótimos resultados em caso de um achado melódico no teclado.

Compor e depois gravar: como funciona?

A escrita musical: o último passo da criação

Depois de tentar, testar e testar melodias, ritmos e acordes, colocamos no papel os resultados, os achados.

Dominar o solfejo e a escrita musical é quase indispensável nesses casos.

A escrita contribui para ajustar a coerência e o equilíbrio da obra. Além disso, por que não acrescentar pequenos efeitos, mais uma tríade ou quaisquer outros elementos que permitam que a obra fique mais completa?

É também durante a escrita que acrescentamos a letra para cantar a música.

Escrever da à peça um sentido, uma coerência rítmica e melódica.

É, portanto, um passo muito importante.

Esta pode ser a grande marca de um bom músico.

Hoje, existem programas de escrita que facilitam o trabalho, mas é preciso dominar o básico da escrita musical.

A folha e a caneta continuam sendo as ferramentas mais confiáveis.

Gravar sua música só para você?

Este é o último passo quando tudo está terminado, quando tudo está completo. Obviamente, o equipamento de gravação é necessário para fazer algo de qualidade.

Ou seja: um ou mesmo dois microfones de qualidade, um software de gravação também.

A gravação exige paciência.

Você precisa estar ciente de que só uma captação não será suficiente. Você precisa estar atento ao detalhes e gravar bem.

Ser precipitado pode gerar erros que irão fazer da sua música uma grande bagunça.

E isso seria uma pena! Gravar sua música e depois publicá-la e transmiti-la também significa transferir o domínio dela. Os grandes compositores de piano consideram que suas músicas divulgadas são de domínio público.

E você vai ver: é uma sensação indescritível!

Tornando-se um compositor de piano

Se você toca piano já há alguns anos, compor uma música representa um dos desafios mais emocionantes na sua carreira musical. É um teste dos seus talentos.

Isso exige habilidades técnicas e organizacionais importantes no seu dia a dia.

Isso também permite trabalhar a imaginação e por que não descobrir um talento que você nem desconfiava que tinha até então.

A maneira como praticamos o piano é muitas vezes um reflexo fiel da nossa personalidade.

E concluir esse tipo de projeto artístico até o final é uma ótima maneira de ganhar autoconfiança.

E isso não vale apenas na área do piano. Serve para qualquer outra coisa, em qualquer projeto.

Como gravar no piano? Não há necessidade de um estúdio. Hoje, tudo está disponível em casa.

Não componha obras muito complexas

Um dos erros mais comuns na composição musical é complicar as coisas.

A simplicidade é o segredo da beleza.

A clareza é o segredo da perfeição.

Basta encontrar uma melodia simples, desenvolvê-la, lapidá-la e terminar.

Podemos citar muitos pianistas muito talentosos que escrevem melodias incríveis, mas suas músicas são muito longas.

Fazer algumas aulas de piano pode lhe ensinar os seguintes elementos metódicos =>

A) Melodia (Intro)
A) Melodia (repetida)
B) Chorus (versão simples)
C) Ponte
A) Melodia
B) Chorus (versão simples)
C) Ponte
A) Melodia
D) Mudança ascendente
B) Chorus (versão complexa)
C) Ponte (com embelezamento)
D) Change Up (com muito embelezamento, transforma-se em vamp)
B) Coro (com muito emfeite)
A) Melodia
B) Chorus (versão única)
C) Ponte
A) Melodia (no final)

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...

Deixe um comentário

avatar