Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Se você quer aprender piano, siga nossos primeiros conselhos!

De Fernanda, publicado dia 05/09/2017 Blog > Música > Piano > Dicas sobre como tocar bem o piano!

Como tocar piano? Boa pergunta. É possível abordar essa questão sob diferentes ângulos.

Para tocar bem o piano, você tem que saber como posicionar seu corpo, tocar devagar, não tentar ir mais rápido do que a própria música. Existe também a clássica dúvida: uma pessoa de mãos pequenas consegue tocar piano?

Siga nossos conselhos! Quem sabe você não se torna um dos melhores pianistas brasileiros, como João Carlos Martins?

Comece por uma boa postura corporal

Quando a gente toca piano, todo o nosso corpo é solicitado. É importante adotar as posições certas antes de começar as aulas de piano, e memorizá-las para que isso se torne um verdadeiro hábito.

Em primeiro lugar, você deve se posicionar no meio do piano, sentado confortavelmente em sua banqueta, sua cadeira ou seu banco.

Pegue a nota dó do meio do teclado como um ponto de referência para se posicionar. (À propósito, saiba como de uma aula de teclado online ou presencial no Superprof!).

Esta regra pode ser ligeiramente modificada, dependendo das músicas que você tocar. Para tocar as canções que exijam notas mais agudas, você precisa se posicionar ligeiramente à direita do teclado.  E vice-versa para músicas com muitos graves.

Como se posicionar para tocar piano? Preste atenção no seu posicionamento na hora de tocar!

Em seguida, você deve posicionar os antebraços ajustando a altura do seu assento. Para que os antebraços sejam posicionados corretamente, os cotovelos devem estar na altura do teclado.

Ou um pouco abaixo do teclado, caso você tenha braços pequenos. Os antebraços não precisam estar, portanto, perfeitamente perpendiculares ao teclado.

Esta posição dos antebraços permitirá que você mova seus dedos mais depressa e com mais facilidade no teclado. Você ganha flexibilidade.

Em geral, uma boa postura corporal tem a função básica de permitir que você toque o piano de um jeito mais flexível e fluido. Uma das melhores maneiras de tocar o instrumento.

Nota: qual assento para escolher tocar o piano?

Uma banqueta, um banco, uma cadeira?

Depende de cada um. O pianista Gleen Gould costumava usar uma cadeira, e ele tocava muito bem. A desvantagem da cadeira é que ela não é ajustável ​​em altura. Se você optar por tocar sentado em uma cadeira, pegue uma que seja adaptada ao seu corpo e à altura do seu teclado.

O banco tem a vantagem de, além de ser ajustável em altura, facilitar os movimentos laterais do corpo, graças à sua grande largura. É por isso que o banco é o tipo de assento mais recomendado em geral.

Depois dos antebraços, as costas. A posição das costas deve ser ideal, caso contrário, você pode ganhar uma bela dor lombar em pouco tempo. Tocar o piano precisa sempre ser uma fonte de prazer. Se o piano lhe causar dor a cada vez que tocar, seus objetivos não são alcançados. Assim, quando você toca piano, as costas devem estar retas, sem tensão exagerada. Este conselho não se aplica apenas a este instrumento. Ao sentar, a parte de trás deve estar sempre reta. Em todo caso, você deve evitar se curvar sobre o teclado: esta é a pior posição para tocar o piano.

Encontre a melhor aula de teclado no Superprof!

Depois dos antebraços e das costas, vamos abordar a posição das mãos.

Mesmo que todo o corpo esteja envolvido na atividade, a mão é o órgão que desempenha o papel mais importante.

Os dedos, para “tocar bem” as notas e fazer os deslocamentos, devem estar curvados, na forma de arcos. A palma da mão deve estar mais alta em relação aos dedos para que os estes “mergulhem” nas notas (exceto o polegar, que fica quase plano). Esta posição evita todas as tensões e aumenta a velocidade do toque. A força para bater nas notas deve vir dos dedos e não do pulso ou do braço.

Isto é o que gera a posição arredondada da mão. Pense também em colocar os pés no chão, para ganhar estabilidade e confiança. Tocar com a ponta dos pés não é recomendado, pelo menos durante a fase de aprendizado.

Devemos insistir: é importante saber que cada indivíduo tem uma morfologia diferente. Ao longo do tempo, você pode até adotar posições diferentes dessas recomendações gerais, mais alinhadas ao seu estilo de tocar e à sua maneira de ser. Mas antes de ser original, você precisa ser clássico.

Descubra também como estudar as escalas no piano …

Comece tocando o piano devagar

Para aprender o piano, é importante sempre começar tocando devagar. Isso irá aquecer os dedos (antes de uma aula de teclado ou piano, por exemplo). Isso já é razão suficiente para tomar essa dica como regra. Mas isso também é bem útil na hora de aprender a tocar uma música nova ou mais complexa.

O provérbio já diz: quem pode o mais, pode o menos. Podemos traduzir com a seguinte reflexão: para ir além, é preciso primeiro conseguir fazer o mínimo. Alguns pianistas querem ir mais rápido do que a própria música e começam a tocar a canção na velocidade normal diretamente.

Este não é o método certo. Mas quais são os melhores métodos para tocar o piano?

É necessário aumentar gradualmente a velocidade de execução. Por isso, comece tocando devagar. Você consegue tocar perfeitamente uma música a 60 colcheias por minuto antes de chegar nas 70 colcheias por minuto.

Você não precisa tocar piano tão rápido assim. Comece tocando mais devagar!

De uma forma geral, tocar o piano lentamente permite que:

  • Você memorize melhor o que toca. Seu cérebro precisa se concentrar em cada figura da partitura, em cada detalhe, para conseguir assimilar todos os elementos.
  • Você faça progresso técnico mais depressa, uma vez que tocar lentamente permite não só uma boa memorização da música, mas também um registro dos movimentos de dedos que você certamente irá realizar em outras obras.
  • Você fique atento ao que você toca, aos acordes de piano, ao tempo, ao ritmo, etc. Isso garante que o que você toca esteja correto, que não cometa erros na leitura ou no ritmo.
  • Você entenda melhor a estrutura rítmica da composição e se aproprie adequadamente dela.
  • Você antecipe os compassos em vez de correr atrás da música. Ao tocar devagar, você ganha uma vantagem: seu cérebro é mais rápido que seus dedos.

Melhore sua técnica de piano gradualmente

Se você toca piano, certamente quer progredir. Este é o objetivo da maioria dos pianistas, estejam eles fazendo aula de teclado para iniciantes ou de piano, ou sejam eles mais experientes. Progresso no piano significa várias coisas.

Em primeiro lugar, é ser capaz de decifrar as partituras com mais facilidade. Ao tentar ler as notas musicais, você adquire um conhecimento do solfejo e um domínio da leitura musical mais avançado. Você vai ver: você poderá ler mais e mais depressa e decifrar partituras cada vez mais complexas ao longo do tempo.

Progresso no piano também significa ganhar flexibilidade e velocidade.

Sua mão se tornará cada vez mais flexível. As sequências de acordes (mão esquerda) ou de notas (com a mão direita) serão feitas cada vez mais depressa, sem criar tensões ou câimbras! Seu jeito de tocar será mais articulado e gradualmente se tornará mais expressivo.

No piano, é essencial ter um bom nível técnico para conseguir liberar seu potencial artístico. A técnica está a serviço do artístico, mas a precede no tempo de ensino.

Um professor particular pode ser uma boa solução para que você evolua rapidamente. Fazer aulas de piano permite que um avanço mais rápido. As aulas podem ser essenciais se você estiver com algum bloqueio na aprendizagem.

Mas é preciso ser dedicado e rigoroso na hora de estudar. Não adianta querer colocar o carro na frente dos bois, forçar o progresso, porque você corre o risco de pular etapas ou de assimilar mal certos elementos. Em termos de aprendizagem, do piano em especial, forçar não leva a lugar nenhum.

Como tocar piano com mãos pequenas?

É possível tocar piano com mãos pequenas? Algumas pessoas acham que o piano não é instrumento para elas por causa do tamanho de suas mãos. É possível tocar com mãos pequenas e dedos curtos? Mais especificamente: será que consigo tocar bem o piano nessas condições? A resposta é: claro que sim!

Na verdade, há muitos pianistas que têm mãos muito grandes – ter mãos de pianista, como dizem – e que tocam com menos fluidez e facilidade do que outras pessoas com mãos pequenas.

O comprimento das mãos não prejudica a qualidade da obra e a técnica no piano.

Certos compositores de música clássica são conhecidos por suas mãos muito grandes.

É preciso ter mãos grandes para aprender a tocar piano? Se ter mãos pequenas fosse um problema para tocar o piano, o que seria das crianças que querem estudar o instrumento?

Este é o caso com Liszt, por exemplo, que conseguia tocar um intervalo de onze notas (de dó a fá na oitava superior) com apenas uma mão! Algumas obras de Liszt podem ser mais difíceis de tocar ​​se você tiver mãos pequenas, porque foram projetadas pelas mãos de Liszt.

Em geral, a música romântica clássica (do século XIX) aumentou os intervalos e os acordes com as sétimas e as nonas. Uma parte do repertório romântico requer grandes mãos. Não podemos negar isso.

Mas devemos nos lembrar de que 95% das peças de piano podem ser tocadas com mãos de tamanho modesto ou mesmo abaixo da média.

Aliás, para obras que usam movimentos cromáticos, é melhor ter mãos pequenas.

Cada tipo de mão tem suas vantagens e desvantagens e, finalmente, o tamanho das mãos tem apenas um impacto bem limitado na aprendizagem do piano. Se você tem mãos pequenas e quer aprender a tocar o instrumento, não pense duas vezes!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar