Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Todas as dicas para aprender o piano rapidamente

De Fernanda, publicado dia 16/10/2017 Blog > Música > Piano > Como otimizar suas aulas de teclado?

O piano é, ao lado do violão, um instrumento bem conhecido e popular.

Muitas pessoas querem aprender a tocar teclado. Mas isso leva tempo.

É uma atividade que exige disciplina e dedicação. Infelizmente, não há nenhuma técnica mágica para aprender a tocar uma sonata ou música de câmara em dois meses em um piano digital ou um piano clássico.

Mas como aprender a tocar bem o piano?

Neste artigo, você encontra algumas informações importantes para ajudá-lo no seu projeto musical.

Depois que você começa a aprender a tocar teclado, você logo é confrontado a uma das principais dificuldades deste instrumento: conseguir tocar com as duas mãos juntas.

Seu objetivo é tocar como Lang Lang? Pois bem, prepare-se!

Aprendendo o piano: comece treinando a independência de ambas as mãos

Como aprender a tocar piano? No começo, todas as teclas em preto e branco são um mistério…

No piano, em geral, a mão direita tem uma vocação mais melódica, enquanto a mão esquerda é voltada para a harmonia. Em outras palavras: a mão direita faz a melodia, a mão esquerda os acordes. Obviamente, isso não é tão simples assim. Na chamada técnica de contraponto, por exemplo, a divisão de funções é muito menos acentuada.

No fundo, alcançar a independência de ambas as mãos consiste, sobretudo para você iniciante, em exercitar a mão esquerda. Mas como tocar piano com a mão esquerda? Ou melhor: como aprender a tocar piano com a mão esquerda?

Para resolver este primeiro obstáculo, a solução é começar tocando com a mão esquerda sozinha (fazendo escalas, por exemplo). E isso desde o início de seus estudos. Não espere dois meses para treinar a mão esquerda.

Uma vez que você estiver mais confortável com isso, pode começar a tocar com as duas mãos juntas. O truque é teinar individualmente a mão esquerda.

Para progredir, comece tocando as mesmas notas, ao mesmo tempo, com a mão direita e com a mão esquerda. Você então toca exatamente o mesmo com as duas mãos. Depois, aprenda a tocar uma partitura bem simples, cada mão responsável por uma parte diferente. Esta é, de fato, outra regra a ser respeitada: não toque imediatamente com as duas mãos. Comece exercitando as mãos separadamente.

Decore as notas e aproveite o tempo para reter os sons. Seu cérebro vai fazer isso automaticamente com o tempo. Acredite, não tenha pressa para decorar uma música, isso só irá desencorajar você.

Você verá que com o tempo, ao ganhar a independência de ambas as mãos, terá cada vez menos problemas em tocar com as duas mãos juntas. Leva tempo, o tempo que seu cérebro se habitue, enquanto suas mãos memorizam os movimentos.

Claro, escolha as partituras mais fáceis para começar. Você pode encontrá-las em métodos para iniciantes. Podemos dizer que você vai levar ao menos um ano de prática para se tornar realmente capaz de adquirir boa independência com ambas as mãos. Portanto, não desanime.

Aprendendo o piano: entenda a teoria da música

O segundo “problema” que você vai enfrentar é a teoria da música.

Esta aprendizagem é bastante teórica, não necessariamente muito agradável ou muito divertida, aliás. Mas é um estágio necessário para aprender a usar seu sintetizador, seu piano de cauda ou piano vertical.

É bem possível aprender o piano sem aprender o solfejo, mas você logo vai ficar limitado, mesmo que seu projeto não seja tocar obras clássicas.

Muitos livros para aprender piano exigem conhecimento mínimo em teoria musical. Existem alguns tutoriais do Youtube que podem ajudar os pianistas amadores. É importante conhecer a teoria musical e saber ler uma partitura, para qualquer músico.

O solfejo pode parecer difícil e chato no início, mas, uma vez adquirido, ajuda muito mais nos seus estudos. Existem principalmente dois componentes na teoria da música: as notas, por um lado, e o ritmo do outro. Você precisa aprender e trabalhar ambos.

Você provavelmente conhece o nome das notas musicais. Existem apenas sete: dó, ré, mi, fá, sol, lá, si. A questão é saber como ler e onde encontrar essas notas em uma partitura. Conhecer a posição das notas é relativamente fácil. Você vai ver: alguns minutos (ou algumas horas) serão suficientes.

Mas para não travar na frente de uma partitura, você tem que praticar um pequeno exercício divertido, mas essencial: a leitura de notas. Com uma partitura na sua frente, você deve ler ou dizer em voz alta os nomes de todas as notas na sequência (da esquerda para a direita).

Ao fazer cursos de teoria da música na escola de música ou no conservatório, você certamente também terá que passar no teste do ditado musical.

Pequena dificuldade adicional: o piano usa duas claves diferentes. A clave do sol e a clave de fá. Você precisa se familiarizar com as duas. A posição de uma nota na partitura não é a mesma na clave de fá e na clave de sol.

Saiba onde encontrar boas aulas de teclado!

Aprendendo o piano: o ritmo

Aprendendo o teclado: o tempo. Se não souber o que é ritmo, de nada adianta aprender o piano!

Uma vez que você estiver familiarizado com a leitura de notas, você pode começar a estudar o ritmo. Música é som e ritmo. Um não vive sem o outro.

Estudar ritmo é uma continuação da teoria da música. Isso pressupõe uma boa compreensão do valor das diferentes notas musicais. Por exemplo: uma semibreve equivale a 2 mínimas, 4 semínimas, 8 colcheias, 16 semicolcheias, 32 fusas e 64 semifusas.

Uma dica: no início, trabalhe apenas o ritmo, sem se preocupar em ler as notas. É essencial assimilar primeiro os diferentes valores (os “tempos”) antes de avançar. Familiarize-se antes com a noção de medida.

Isso pode parecer tão complicado como decifrar os hieróglifos de cabeça para baixo, mas uma vez que você aprende os conceitos básicos desses códigos, vai facilitar a sua vida de pianista iniciante. As músicas de Beethoven, Mozart ou Bach não são apenas um conjunto de notas.

Os tempos impostos para cada partitura são indicações reais para guiá-lo na sua interpretação. No entanto, fique livre para modificar esses tempos antes de dominá-los totalmente.

Com experiência, você pode até mesmo aprender improvisação no piano.

Aprendendo o piano: ler e tocar ao mesmo tempo

Este é um trabalho longo e difícil no início, porque envolve gerenciar várias coisas ao mesmo tempo.

Para tocar e ler ao mesmo tempo (com ambas as mãos), você precisa treinar muito. Prática e treinamento regulares são seus principais aliados neste trabalho.

E embora os maiores virtuosos da história da música, como Lang Lang, se beneficiem principalmente de um virador de página, você precisa alcançar um certo nível antes disso.

Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo nesta etapa: comece lendo as notas, sem tocar o piano. Em seguida, exercite separadamente as mãos, bem devagar. Suas mãos e seu cérebro devem se acostumar a localizar notas no teclado.

Truque: comece executando este exercício com obras bem lentas. Pode esquecer de Para Elisa ou qualquer outra obra dinâmica. Debussy compôs uma música especial para você nesse sentido: La plus que lente.

Aos poucos, você vai adquirir certos automatismos. Pode-se comparar esta aprendizagem com escrever num teclado de computador. Lembra de quando você usava apenas seus dois indicadores para escrever um texto (e talvez ainda seja o caso)? Com a prática, fica cada vez mais fácil de escrever sem olhar para o teclado e usar todos os dedos. E isso só vem com experiência e tempo. Seja paciente!

Trabalhar as escalas pode ser uma boa maneira de praticar a associação de notas da partitura à sua localização no teclado.

Quanto ao resto, não há nenhum segredo: é só com muito treino que você vai progredir. Inicialmente, é normal cometer muitos erros. Seja persistente: em breve você verá o seu progresso!

Você sabia que pode aprender teclado em qualquer idade? 

Aprender o piano: saiba posicionar seu corpo

Como se posicionar na hora de tocar teclado. A postura corporal é elemento-chave na hora de tocar uma música. Peça conselhos ao seu professor!

O piano não mobiliza só as mãos. Nem somente o cérebro. Tocar piano é uma atividade que envolve todo o corpo. Por isso, é preciso adotar postura corporal adequada e confortável. Uma boa posição do corpo é condição necessária para tocar o piano de forma otimizada.

O truque é saber como se posicionar bem no teclado.

Coloque-se bem no meio do teclado, ou seja, de frente para a nota dó do meio. Os braços devem estar quase perpendiculares ao teclado. Seus cotovelos devem estar no nível do teclado ou ligeiramente abaixo dele. Tudo depende, evidentemente, do seu tamanho e da sua morfologia. A vantagem de um professor de piano é que ele pode aconselhá-lo pessoalmente sobre a melhor maneira de se posicionar.

Um mal posicionamento de cotovelos e dedos pode ter uma influencia na qualidade da sua música, e sobretudo na sua saúde. Ao colocar os cotovelos muito baixos, seus pulsos ficam tensos e você terá menos força em seus dedos para pressionar as teclas. Evite tendinites! Sinta-se livre para usar um banquinho debaixo de seus pés, se você for pequeno.

Por outro lado, cotovelos muito altos exigirão muita força. Seu antebraço irá sobrecarregar seus dedos.

As costas precisam estar eretas. Os pianistas iniciantes tendem a se curvar sobre o piano. Se este for o seu caso, você vai perceber que esta posição causa dor e não é nada confortável. Escolha também um assento suficientemente largo para se deslocar ligeiramente quando você toca um agudo ou um grave.

Estar no centro também permite alcançar todos os tons do teclado. Tanto o mais baixo quanto o mais agudo. Mas também é possível tocar com quatro mãos. Neste caso, o comprimento do piano é dividido em dois. O pianista do lado grave toca os acordes, o músico à direita toca a melodia.

As mãos, para terminar, devem estar… no teclado. É aconselhável adotar uma posição em forma de arco: os dedos devem ser ligeiramente arqueados. Imagine que você está segurando uma maçã.

Saiba que o toque do pianista que tem mãos grandes não é o mesmo que o de mãos pequenas. Para saber como se posicionar, pergunte ao seu professor de piano ou veja imagens ou ilustrações na internet.

Fazer exercícios de relaxamento e de respiração pode ser muito útil na aprendizagem do piano. Pense também em relaxar e esticar seu corpo antes de começar a tocar (especialmente seus pulsos, ombros e seu pescoço). Quaisquer tensões devem ser evitadas. Você vai tocar de um jeito muito mais fluido e ainda mais rápido se você estiver relaxado do que se você estiver tenso e estressado.

Praticar um instrumento como o piano é como dançar. Todo o corpo participa da interpretação da música. Dos pés que usam os pedais até as pontas dos dedos para pressionar as teclas.

O relaxamento também tem um impacto na resistência, porque sim, o piano pode “cansar”. Para alguns, o piano é um verdadeiro esporte. Última dica: relaxe os músculos depois de tocar uma nota. Você não precisa manter pressionadas as teclas que já estão pressionadas. Isso não varia o som da nota e economiza energia.

Por fim: saiba como afinar seu piano!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar