Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Como ter uma boa voz para o canto clássico?

De Fernando, publicado dia 15/07/2019 Blog > Música > Canto > Saiba mais sobre as mezzo-sopranos

No mundo do canto de ópera francesa e italiana, para citar apenas as duas joias principais do lirismo no mundo, as vozes mezzo-soprano surpreendem por suas versatilidade. É uma das vozes capazes de alcançar grandes extensões,  contando também com agudos muito bem desenvolvidos.

Ela está na mulher o que os barítonos são para os homens. É uma feminilidade fora do comum que se promete à diva que caminhará nos passos de belas melodias românticas.

Como a diva Maria Callas, que era uma soprano que também alcançava bem as tessituras como mezzo-soprano, ou a contemporânea Enya, as mezzo-sopranos possuem muito espaço dentro da música lírica. Será que esse é o seu futuro?

Seja no rock ou no lírico, existe espaço para todos O canto das mulheres também é muito poderoso.

O que é um mezzo-soprano?

Com a mezzo-soprano (ou meio soprano), somos apresentados a horizontes majoritariamente femininos.

Para os solistas, a mezzo-soprano é a voz feminina central por excelência. Ela está no meio do palco, entre a soprano para agudos e a contralto para o baixo.

É um tom feminino versátil, especialmente porque cada órgão é único e pode flertar com o topo ou o fundo dos tradicionalmente mezzo-sopranos.

Essa categorização é típica da música clássica, mas pode ser aplicável ao jazz ou à variedade contemporânea, porém não é tão comum em tais áreas. Ela se mantém mais popular e usual realmente na música lírica, onde estão as maiores de suas representantes.

Entendendo melhor a extensão vocal

A fim de entendermos melhor o que é uma mezzo-soprano é útil entendermos, também, um pouco melhor sobre o que é a extensão vocal.

No canto, é possível se classificar as vozes em categorias diferentes de acordo com a extensão de notas que o indivíduo consegue emitir, ou seja, até onde ele ou ela consegue alcançar, sem desafinar, do mais grave até o mais agudo. Essa é a extensão vocal, também chamada classificação vocal.

Cada um de nós possuímos uma extensão vocal e isso é influenciado pela dimensões da laringe e das pregas vocais. Sabemos que laringes e pregas vocais menores emitem notas que são mais agudas, ao passo que laringes e cordas vocais maiores, geralmente emitem notas mais graves.

E não se preocupe, ninguém precisa quebrar a cabeça pra tentar medir suas próprias cordas vocais e laringe! Um simples teste basta para determinar onde sua voz se encaixa.

Existem, basicamente, seis classificações vocais que foram convencionalmente definidas entre homens e mulheres.

  • Classificações vocais masculinas: Tenor (voz mais aguda), Barítono (voz entre Tenor e Baixo), Baixo (voz mais grave).
  • Classificações vocais femininas: Soprano (voz mais aguda), Mezzo-soprano (como sabemos, mezzo significa meio, portanto é a voz entre soprano e contralto) e Contralto (voz mais grave).

Existem, ainda, classificações intermediárias, tipo primeiro tenor, segundo tenor, etc. Essas seis classificações apresentadas são as mais comuns, as básicas. Já é possível saber com boa precisão qual a extensão de sua voz considerando essas seis categorias.

Com o uso de um teclado ou piano, não importa o tamanho do teclado, se você pegar a nota Dó central do teclado ou piano, isto é, o dó localizado exatamente na metade do teclado, esse será o C3 (Dó 3). Esse número significa a oitava utilizada. Se quisermos tocar o dó uma oitava abaixo, encontraremos o C2, uma oitava acima, o C4, e assim por diante. Essa lógica serve para todas as notas.

Um dos testes simples que se é possível fazer é tocar as notas do piano e, simultaneamente, cantar essas notas que estão sendo tocadas – pode-se, por exemplo, fazer o som da letra “u”. E observe-se, de preferência de frente a um espelho para notar, em detalhes, suas feições, além da qualidade da voz.

A lógica do teste é a de que a região em que você se sentir mais confortável no momento de cantar, isto é, quando não sentir que você teve que fazer muito esforço, ou quando sua voz não engasgou e nem falhou e nem as veias do pescoço ficaram aparentes – essa é a região em que sua voz se enquadra.

Portanto, sua extensão vocal é definida como o intervalo em que você consegue cantar sem dificuldade. Por exemplo, se você consegue imitar ou reproduzir o mesmo som das notas A1 até A3 sem dificuldades, isso quer dizer que sua extensão vocal é de barítono.

É interessante notar que, nas vozes masculinas, o baixo canta sem esforço do E1 ao E3, o barítono, do A1 ao A3 e o tenor, do C2 ao C4. Já nas vozes femininas, a contralto cobre do F2 ao F4, a mezzo-soprano, do A2 ao A4 e a soprano do C3 ao C5.

A extensão vocal de uma mezzo-soprano posiciona-se entre a contralto (voz mais grave) e a soprano (voz mais aguda).

Classificações intermediárias de voz

Como a maior parte da grande tessitura do registro lírico é vasta, não é surpreendente que a mezzo-soprano admita várias variações.

Os musicólogos geralmente distinguem três subfamílias principais, a saber:

  • as mezzo-sopranos coloratura: clareza, agilidade e redondeza de uma laringe, cuja proeza é bastante próxima à dos sopranos. Possuem um registro inferior quente e um registro agudo bem ágil. É comum que os papéis que recebem nas óperas exijam não apenas a utilização do registro inferior, mas também um ágil salto na tessitura superior, com ornamentos em passagens rápidas. Bons exemplos dessa voz são Marilyn Horne, Joyce DiDonato e Cecilia Bartoli.
  • as mezzo-sopranos líricas: forte e uma grande riqueza, geralmente representam mulheres fortes e maduras e sedutoras, como Carmen, personagem título de sua ópera. Muitas vezes possuem uma qualidade muito mais suave e sensível, mas não têm o vocal da coloratura ou o tamanho da gama da dramática. Ótimos exemplos dessa voz são Teresa Berganza e Elina Garanca.
  • as mezzo-sopranos dramáticas: mais ampla e poderosa, com certa relação com o contralto. Possuem um forte registro médio, um alto registro quente e uma voz mais ampla e mais poderosa do que a de outras mezzo-sopranos. Existe uma agilidade vocal menor do que a da coloratura. Podem interpretar mulheres mais velhasm mães, bruxas e personagens do mal. Verdi escreveu muitos papéis para esse tipo de mezzo-soprano no repertório italiano e existem também bons papéis na ópera francesa. No entanto, a maioria desses papéis encontram-se no repertório do Romantismo Alemão e de compositores como Wagner e Strauss. Ótimos exemplos são Jennifer Larmore e Shirley Verrett.

O papel da cantora é essencial como dos músicos A mezzo-soprano é também uma realidade instrumental dentro da música.

Aprenda a cantar ópera para se tornar uma profissional

Antes de considerar uma carreira como mezzo-soprano, profissional ou amador, não pense que o pré-requisito seja apenas cantar. Isso é o básico, bem como saber como colocar sua voz.

O ouvido absoluto – ou, pelo menos, o ouvido musical – é de grande ajuda neste assunto, bem como a frequente prática de óperas famosas e o conhecimento de um ou mais instrumentos musicais, você já está se preparando melhor para esse futuro.

No chuveiro ou no coral, é necessário cantar com frequência e registrar alguns desses momentos para poder se criticar. Por isso é tão importante ter à sua disposição um professor particular que dê aula de canto ou um bom treinador vocal. Ouvindo como você está cantando, em diferentes momentos ou estilos, pode trazer diversas chances de melhorias para o seu trabalho musical.

Graças a este acompanhamento, no conservatório, na escola de música ou sob o regime de aulas particulares, você poderá encontrar o seu intervalo vocal, fazer o necessário progresso técnico (trabalhando temas como o vibrato) e aumentar gradualmente as oitavas que você domina, primeiro na voz da cabeça, depois na voz de peito.

Não há nenhum segredo: se existe realmente uma parte inata sobre esse assunto é trabalho, seriedade e perseverança que fazem com que todo o resto seja possível.

A autoconfiança no palco é uma consequência A voz precisa ser exercitada constantemente.

As maiores obras para mezzo-soprano

Seria praticamente impossível listar todas as peças musicais que envolvem um solista ou um coro de mezzo-soprano. A história da música clássica é rica em muitos séculos de genialidade, de onde uma infinidade de criações diferentes, infelizmente, se perdeu ao longo de gerações e confrontos de história.

Certas melodias destacam-se da multidão e fazem ao longo dos anos a glória e a reputação do registro mezzo-soprano. A este respeito, como alguém pode começar a tratar o assunto sem citar a extraordinária Ave Maria de Schubert? Com um lindo acompanhamento ao piano e um renomado cantor, é um deleite puro para os ouvidos (e a alma) de quem ama música!

Independente da idade, sempre existem bons papéis para cantoras talentosas mezzo-sopranos. O personagem de Cherubin em As Bodas de Fígaro, um sucesso antemporal, foi especialmente trabalhado por Wolfgang Amadeus Mozart.

Permanecendo no prodigioso universo deste gênio das artes musicais, ainda podemos mencionar a parte de Dorabella em A Escola dos Amantes, outra das obras mais populares dos conhecedores do assunto.

Os franceses destacariam particularmente a beleza da mezzo-soprano graças à Carmen, de Georges Bizet: é a ópera mais tocada do planeta, onde o principal protagonista encanta nossos ouvidos com sua sinceridade.  E entre as obras do Brasil, Isaura, da ópera A Escrava Isaura, de Wallas Da Silva Soares, também é feita para uma meio soprano.

Essas obras particularmente bonitas encantarão todos aqueles que gostam de cantar (em altos e baixos) em mezzo-soprano e conseguem obter resultados convincentes com suas vozes casadas com a melodia.

Alguns cantores famosos para se inspirar

Além das antigas divas de referência que mencionamos, a família mezzo-soprano conta com algumas celebridades.

Atualmente, Anne Sofie von Otter é talvez uma das mais famosas e famosas. Esta sueca tem a distinção de florescer em papéis muito clássicos e convencionais, bem como os mais leves, no estilo de Offenbach.

Ainda podemos destacar Cecilia Bartoli, Lucia Valentini-Terrani, Janet Baker, Taylor Momsen, Christa Ludwig, Teresa Berganza, Frederica von Strade e… Celine Dion, caso você queira ir direto para o mundo da música mais pop.

Claro, há também o caso excepcional de Maria Callas, porque seu alcance real é o tema de debates infinitos. Seu repertório era tão amplo que também pode ser considerada uma mezzo-soprano em determinados momentos.

Note que nós damos todos esses nomes apenas como uma indicação, pois não há nada mais perigoso e mais prejudicial na esfera da música do que tentar imitar uma personalidade já estabelecida. Você pode se inspirar em todos e conhecer bem o estilo, mas você precisa criar sua própria persona cantora!

Você deve primeiro se sentir confortável e ir até o fim com seu próprio potencial, de acordo com suas qualidades pessoais e seu temperamento: para isso, é necessário que você fique bem, bastante confortável consigo mesma e trabalhe muito o autoconhecimento.  E a música pode ajudar muito nisso. Tenha controle sobre sua voz, seus gestos e tente se descobrir como artista!

Confira nosso artigo e aprenda a trabalhar sua voz!

A mezzo-soprano dramática pode interpretar mulheres mais velhas, mães, bruxas, e personagens do mal. A maioria desses personagens estão dentro do repertório do Romantismo Alemão, e de compositores como Wagner e Strauss.

Conheça um pouco mais sobre a qualidade e extensão vocal de sua cantora mezzo-soprano favorita

Beyoncé

  • Tipo: Mezzo-soprano
  • Extensão vocal: 3,1 oitavas
  • Ver: Beyoncé: Sweet Dreams, Dangerous, Sweet Love

Das cantoras contemporâneas, Beyoncé é uma das mais talentosas, em relação à extensão vocal. Dona de vibratos memoráveis e uma incrível flexibilidade vocal, Beyoncé alcança e aguenta notas longas e altas.

Seu maior problema são seus maneirismos e vibratos exagerados, que, por vezes, podem se tornar exagerados, para algumas pessoas.

Christina Aguilera

  • Tipo: Mezzo-soprano
  • Extensão vocal: 5 oitavas
  • Ver: Walk Away (Live @ David Letterman, I Am, Lift Me Up, At Last

Aguilera é considerada a voz da década e não é por menos. A cantora possui o limite de oitavas alcançados por uma mulher, assim como Mariah Carey. Além disso, sua voz é facilmente reconhecível.

No começo da carreira, Aguilera costumava interpretar suas músicas em tons altos, com o tempo e através do trabalho com a produtora australiana Sia, a cantora passou a flexibilizar melhor os seus tons e realizou belíssimas canções apenas com o uso de notas baixas, como I Am e Lift Me Up. 

Sua nota mais extensa, alta, encontra-se em At Last, cover de Etta James, e possui cerca de 20 segundos.

Kate Perry

  • Tipo: Mezzo-soprano
  • Extensão vocal: 2,2 oitavas
  • Ver: Kate Perry: Firework (Live @ VSF Show)

Perry, em contramão ao que acontece com a maioria das cantoras, possuia uma voz relativamente melhor no começo da carreira, quando usava o violão e cantava músicas como U R So Gay, apenas em tons baixos. Com o tempo, sua voz perdei bastante no quesito qualidade. É comum Perry perder o fôlego rapidamente em performances ao vivo e quase sempre ela desafina. Pelo menos em estúdio, sua voz é forte e cheia de atitude.

Madonna

  • Tipo: Soprano/Mezzo-soprano
  • Extensão vocal: 4,2 oitavas
  • Ver: Madonna: Mother and Father (live @ Lisbon)

É interessante como uma das maiores discussões sobre música é a respeito da qualidade vocal de Madonna. Em vários momentos na carreira da cantora, muitos críticos colocaram em cheque sua voz. A bem da verdade, Madonna começou sua carreira com uma voz razoável e sem técnica alguma, geralmente cantando em tons mais altos do que podia aguentar na época.

Com o passar do tempo, e especialmente nos anos 90, Madonna estudou ópera para poder gravar o musical Evita e foi nesse período que a cantora aprendeu a cantar com maior domínio e técnica.

Por conta das coreografias exaustivas, com o decorrer do tempo em apresentações e concertos ao vivo, sua voz pode ficar um tanto ofegantes. No entanto, Madonna perpassa facilmente por vários gêneros musicais, já fez electro até bossa nova, o que não é comum com outras cantoras. Madonna abusa de notas médias e tons baixos (Bedtime Stories) e se arrisca raramente em notas altas. Sua nota mais extensa encontra-se em Ray Of Light e tem duração de 17 segundos.

Avril Lavigne

  • Tipo: Mezzo-soprano/Soprano
  • Extensão vocal: 2,6 oitavas
  • Ver: Avril Lavigne: When You’re Gone (live @ X Factor Spain)

É fácil perceber que Avril Lavigne possuia menor técnica no início de sua carreira, quando era possível notar a cantora desafinando em várias performances, usualmente cantando além de seu limite vocal.

Atualmente, Avril Lavigne administra melhor sua voz e canta de modo mais desenvolto e confortável. Lavigne possui voz doce e bem fina, se tornando depois do álbum The Best Damn Thing, uma soprano.

Demi Lovato

  • Tipo: Mezzo-soprano
  • Extensão vocal: 3 oitavas
  • Ver: Demi Lovato: Skyscraper (live @ ALMA Awards 2011)

Demi Lovato de forma surpreendente é dona de um bom poder vocal. Sua voz é forte, geralmente. O único problema é que, por ser jovem, sua técnica para as notas mais altas fica a desejar e, em algumas performances ao vivo, a cantora pode transformar as notas mais altas mais como gritos do que notas.

qual a sua habilidade musical? Quem sabe tocar um instrumento pode ter mais facilidade na hora de cantar

E se você quiser treinar sua voz? Dê uma conferida na comunidade Superprof e veja nossos anúncios de aula de canto online, por exemplo.

Existem técnicas vocais específicas para a mezzo-soprano?

A primeira coisa a saber é que a voz humana é um que ela é um elemento físico que precisa ser trabalhado, por mais que algumas características naturais façam parte dela e você tenha que contar com algumas para que sua arte seja mais perfeita. Nem todos podem se orgulhar de ter uma bela voz de ópera: seu trabalho e dedicação fazem sim a diferença!

Qualquer pessoa com uma voz muito nasal seria melhor se envolver com outro tipo musical do que o lírico, o que poderia ser uma grande perda de tempo e energia.

Por outro lado, a natureza fisiológica das cordas vocais faz com que a voz evolua ao longo do tempo: o cantor de 20 anos pode não desempenhar o mesmo papel aos 45, deslizando notas para agudos, ou enquanto sua amplitude se move completamente para o baixo – o que, estatisticamente falando, é mais o comum.

Por mais que a técnica possa se acentuar, as perdas e o desgaste natural também são habituais. Por isso sempre falamos tanto em cuidar bem da sua voz!

Esta mudança durante a mesma carreira pode parecer uma pedra no meio do caminho, e isso é acompanhado de um certo medo: não mais ser capaz de interpretar personagens de opereta para os quais já tivemos um grande prazer em dar vida para eles em outras oportunidade…

Assim é a roda da vida girando e a sorte apontando para outro lado! O importante é não desistir e aproveitar bem cada momento de sua carreira!

Para uma mezzo-soprano, a maioria dos ensaios não se diferem dos treinamentos de canto em geral: o controle da respiração, especialmente abdominal, deve estar no centro dos exercícios diários.

Saber como respirar e ouvir a voz é a principal questão do registro de mezzo-soprano, que, assim, ganha calor e se destaca vantajosamente da aspereza comum das vozes masculinas: é aqui que as mulheres que sabem e podem cantar lírico facilmente colocarão o melhor se suas habilidades para fora e mostrarão sua superioridade nesse tipo de papel. As grandes divas não podem ficar em segundo plano, o lugar delas é realmente sob os holofotes!

Da mesma forma, não devemos economizar a qualidade do jogo cênico, porque é o que fez a diferença há várias décadas, com os palcos sempre com um tom muito teatral e vivo. Já pensou em ter, além de um professor particular de canto, aulas de dança e teatro?

Isso pode ser o diferencial da sua carreira e transportar o seu futuro também para o promissor teatro musical. Sua voz poderá ser muito valorizada em espetáculos nos modelos da Broadway ou no cinema!

A orientação de um professor de canto experiente, portanto, é algo que pode vir a ser muito valioso. Um profissional que domina a técnica e conhece bem seu metié, pode ajudar bastante tanto na criação do repertório quanto na qualificação das técnicas a serem mais estudadas e empregadas.

Como você viu, as mezzo-sopranos não se limitam apenas ao campo da ópera, mas estão presentes em vários estilos da música contemporânea. O que podemos afirmar é que, com a precisa orientação de um profissional, a sua voz, sem dúvida alguma, irá se qualificar melhor e, em decorrência, também a qualidade total do seu trabalho!

Estudar canto e música vale – e muito – a pena!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...
avatar