Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Filosofia alemã dentro do mundo profissional

De Camila, publicado dia 26/01/2018 Blog > Idiomas > Alemão > A mentalidade de trabalho na Alemanha

Muitas pessoas têm em mente que trabalhar na Alemanha deve ser um paraíso.

A porcentagem de satisfação das pessoas no trabalho é mesmo alta. Estudos feitos pela “Connexion Emploi” na França em mostraram que 78% dos franceses que trabalham na terra de Angela Merkel alegam estar “felizes em seus empregos“.

Bom, considerando que as condições de trabalho na França são bem melhores que no Brasil e que, mesmo assim, os franceses ainda se consideram melhor na Alemanha do que no país de origem, imagine então a satisfação de um brasileiro trabalhando no país de Michael Schumacher?!?!

Ainda segundo a mesma pesquisa, 73,1% dos ditos “felizes no trabalho” ganham mais de 31.000 euros bruto por ano. Ou seja, mais de 117.000 reais por ano (considerando o câmbio a 3,80 reais para 1,00 euro)… 9.750,00 reais por mês (sem descontar impostos)!!!

No entanto, mudar para a Alemanha para trabalhar não é tão fácil assim como pensamos. Além de ser preciso conseguir visto de trabalho caso você não tenha nenhum tipo de cidadania europeia (no Brasil existem muitos portugueses e italianos com dupla cidadania), ainda é preciso saber lidar com o choque cultural na vida quotidiana e na vida profissional.

Através da imersão total na cultura alemã, o aluno aprende a língua de Goethe muito mais rápido!

A diferença de mentalidade de trabalho pode complicar o processo de seleção ou dificultar o desenvolvimento de integração com outros colegas nativos. É fundamental, então, para aqueles que desejam começar a mandar currículos para tentar uma contratação em empresas na Alemanha, muita atenção e preparação à filosofia de trabalho alemã.

Não sabe do que estamos falando? Não se preocupe, pois vamos tentar explicar alguns pontos sobre a mentalidade dos alemães dentro do mundo profissional.

Disciplina alemã: mito ou realidade?

Muitos estereótipos são atribuídos aos alemães. Dentre eles, escutamos sempre falar do quanto eles são disciplinados. Segundo muitos, o povo germânico seria não só disciplinado, mas também super sério, organizado, metódico, estrito e nada flexível.

Mas será mesmo que isso é verdade?

Na realidade, a própria Alemanha faz divulgação desse tipo de comportamento, destacando a competitividade e a eficácia de seus trabalhadores.

As empresas alemãs procuram estabilidade e assiduidade nos seus assalariados. Não podemos negar que tais características contribuem para colocar a terra dos irmãos Grimm no quarto lugar no ranking de potências mundiais.

O ambiente de trabalho exige que os alemães sejam rigorosos em suas tarefas. A disciplina dos alemães no local de trabalho é real, mas não tão exagerada quanto pensamos.

Não é incomum escutar estrangeiros dizerem que, ao fazerem negócios, os alemães respeitam rigorosamente os contratos. Ou seja, nada de “dar um jeitinho” numa cláusula aqui e outra ali.

Mas seria então a Alemanha o equivalente àquele aluno nerd da sala de aula, sempre sério, compenetrado e rígido?

A boa notícia é que nem sempre é o caso. Ufa!

Mesmo parecendo ser extremamente disciplinado, o povo germânico da terra de Goethe não deixa a parte sentimental para trás. Principalmente quando se trata da exteriorização de sentimentos.

Quer um exemplo? Dentro do sistema escolar do país, uma estrangeira apontou que as instituições de ensino favorecem a voz do aluno, dando valor e atenção à expressão de cada indivíduo e ao debate da turma. Ou seja, os aprendizes alemães, desde cedo, são ensinados fora do esquema “decoreba”.

Começamos a entender, então, que a conjugação de um certo rigor à valorização de si mesmo é o que permite os alemães serem tão eficientes dentro do ambiente de trabalho.

Confira as vantagens de partir rumo a um intercâmbio universitário em Berlim.   

Diferenças culturais de trabalho

Bom, podemos forçar a barra e tentar achar semelhanças entre a filosofia de trabalho na Alemanha e no Brasil. Mas a verdade é que não podemos negar que as duas realidades profissionais são bem diferentes uma da outra.

Nada de “jeitinho brasileiro”

A melhor maneira de se abrir para uma boa adaptação ao mundo da labuta alemã é aceitar que essa divergência existe e tentar entendê-la. Negar que as diferenças sejam grandes e achar que você poderá “dar um jeitinho” de se integrar com seu “jeitinho brasileiro” é um grande erro e pode se tornar o maior obstáculo a ser enfrentado na hora de conseguir um emprego.

Uma pesquisa feita pelo Instituto Goethe em 2014 mostrou que entre 50% e 60% das empresas apontam a diferença de mentalidade entre alemães e estrangeiros dentro do ambiente de trabalho como causa de tensões e estresse entre colegas.

Para que seu sonho profissional de trabalhar na Alemanha não escorra ralo abaixo, melhor não subestimar as divergências que possam aparecer, mas sim, chegar na hora H preparado para enfrentá-las!

A melhor maneira de lidar com os negativos é identificando quais as diferenças para tentar entendê-las. A diversidade dentro do local de trabalho tem seus pontos positivos e negativos.

Descubra também outras dicas para quem quer trabalhar na Alemanha!

Características marcantes do trabalho em solo alemão

  • No Brasil, o trabalho passa na frente da vida pessoal. Já na Alemanha, a vida privada de cada uma é considerada como essencial para que os empregados tenham um bom desempenho. Sendo assim, trabalhar alguns dias em casa ao invés de ir ao escritório é muitas vezes recomendado.

 

  • Ao invés de colocar em destaque a originalidade, na Alemanha, utilidade, praticidade e rentabilidade são favorecidos no local de trabalho.

 

  • A qualidade do trabalho do empregado é muito mais prestigiada do que sua criatividade.

 

  • A perfeição passa sempre na frente na hora de se executar uma tarefa.

 

  • A regularidade e a continuidade de um trabalho são mais valorizados e incentivados do que a movimentação e a fluidez.

 

  • As empresas alemãs apostam muito mais nas mudanças e nos investimentos que são seguros do que em novos desafios sem nenhuma garantia.

 

  • O trabalho na Alemanha é monocrônico, ou seja, eles se concentram na execução e finalização de uma tarefa por vez. Já no Brasil, somos mais policrônicos dentro do ambiente de trabalho, pois temos a tendência a resolver vários assuntos ao mesmo tempo.

 

  • A pontualidade é um fator fundamental entre os alemães, tanto no trabalho quanto na vida em geral. Brasileiros sempre marcam compromissos com antecedência, pois já calculam que haverá [grande] atraso. Sem contar que, mesmo podendo chegar na hora, sempre damos aquela atrasadinha básica para não sermos os primeiros no local combinado. Para se dar bem na Alemanha, coloque o relógio na hora certa e leve a sério os horários marcados. Uma reunião às 9:00 começa às 9:00 em ponto e não 9:15.

 

  • As empresas alemãs incluem muito mais seus trabalhadores em grandes tomadas de decisão do que as brasileiras. Eles chamam isso de sentimento de “Wir-Gefühl“, ou seja, eles fazem parte de um “todo” se sentem mais envolvidos nos assuntos dentro do ambiente de trabalho.

É preciso conhecer algumas expressões em alemão para sobreviver no país!

O que vale mais: a experiência ou o diploma?

Muitos países valorizam muito mais o diploma dos candidatos a uma vaga de trabalho do que a experiência. Possuir o nome de uma renomada universidade no currículo e ter um diploma com o carimbo da instituição em mãos conta muito mais pontos do que anos de trabalho na área.

Você sabe quais as regiões preferidas pelos estudantes na Alemanha?

Na Alemanha, os diplomas que constam no currículo agregam sim valor ao perfil do profissional. No entanto, eles não são um critério imprescindível e decisivo na hora de se conseguir um emprego.

Muitos profissionais, inclusive, voltam à universidade para seguir estudos direcionados às suas áreas de atuação. Tal atitude, muitas vezes, é tomada por causa de um incentivo da própria empresa onde trabalham.

Melhor ter uma boa experiência do que apenas um bom diploma. Sua experiência de trabalho tem mais peso que o prestígio do seu diploma.

O fato de só ser um estudante brilhante que se formou com notas exemplares não é o suficiente para conseguir uma boa posição no mercado de trabalho: é preciso comprovar sua competência dentro do mundo profissional.

Abaixo apontamos algumas características que chamam a atenção do empregador alemão na hora de uma análise de currículo ou uma entrevista:

  • Domínio da língua alemã. Se você for bilíngue, melhor ainda!

 

  • Proatividade (ser espontâneo na hora de se candidatar, adaptar-se facilmente a diversos tipos de situação, etc.).

 

  • Relação prática com o que foi aprendido na universidade e não predominantemente teórica.

 

  • Experiências acumuladas durante a juventude (estágios, voluntariados, etc.).

 

  • Nível de competência profissional.

 

  • Cartas de recomendação.

 

  • Conhecimento de ferramentas digitais.

 

  • Experiência prática, “de campo”.

Sendo assim, os ditos “Cursos de Elite”, “Escolas de Elite” ou “Universidades de Elite” (Die Elitehochschulen ou Eliteuniversität) não apresentam tanto peso no currículo quanto a experiência e os conhecimentos práticos ligados ao campo de atuação no trabalho.

Confira a lista com as faculdades mais top do país de Angela Merkel.

Outra característica que se difere muito mercado de trabalho brasileiro é o fato das empresas alemãs levarem candidaturas de pessoas mais velhas muito a sério. Enquanto no Brasil os ditos “seniors” encontram grande dificuldade de serem contratados (após uma demissão ou decisão de mudança de carreira), na Alemanha eles são prestigiados. Estudos mostram que até o ano de 2020, 40% da população alemã ativa será de seniors.

Nada de deixar para depois o que pode ser feito agora

Como já dizia Benjamin Franklin, “tempo é dinheiro”.

Na Alemanha, a política do “Zeit ist Geld” (que quer dizer “tempo é dinheiro” para os desavisados que ainda não falam alemão) está fortemente presente em um ambiente de trabalho no qual o empregado precisa ser rápido e eficaz.

Nada de deixar para amanhã o que pode ser feito hoje!

Para os alemães, nada de enrolação no horário de trabalho. A expressão “tempo é dinheiro” é levada à sério na Alemanha.

Lembra da famosa procrastinação? Pois ela não faz parte da mentalidade alemã de trabalho. Na terra de Angela Merkel as tarefas giram em torno da rentabilidade: os nativos dão preferência aos trabalhos que são mais bem remunerados e não àqueles que dão prazer e satisfação.

Breve guia com frases básicas em língua alemã.

Para ter vida longa no mercado de trabalho alemão é preciso se “agarrar com unhas e dentes” às suas tarefas e fazer seu tempo de trabalho render, apresentando resultados rápidos e satisfatórios para todos.

Encontre também um bom curso de alemão online no Superprof!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de4,00 sob 5 de 2 votos)
Loading...

Deixe um comentário

avatar