Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Quais são as maneiras de se tornar professor em um país estrangeiro?

De Joseane, publicado dia 23/02/2019 Blog > Aulas particulares > Dar aulas particulares > Dicas para dar aulas no exterior!

Ensinar no exterior é o sonho de que qualquer profissional na área de educação. É o momento em que o professor encontra-se no desafio de estar em contato com outra cultura.

Infelizmente, muitos professores brasileiros acreditam ser um sonho quase impossível, talvez por falta de informação.

Podemos dizer que nos últimos anos, as instituições de ensino superior do Brasil em parceria com outras instituições espalhadas pelo mundo, tem recebido inúmeros professores e pesquisadores desejosos de aperfeiçoar seu estudo no exterior nos cursos de mestrado, doutorado e pós-doutorado.

Isso prova o quanto é acessível realizar o sonho de estudar fora. Então… se prepare para aproveitar as dicas que preparamos para você dar aulas no exterior, com total tranquilidade!

Definir um projeto educacional coerente

Antes de qualquer coisa, é necessário definir melhor um projeto educacional coerente para ingressar em qualquer curso de mestrado, doutorado ou pós-doutorado em outro país.

Seja para ministrar aulas de alemão, francês, italiano, mandarim ou português, sua pesquisa precisa estar estrutura com a finalidade de atender ao país ao qual deseja fazer o programa de pesquisa.

Dar aula fora do Brasil Defina o país que melhor atende as suas expectativas.

Certamente, se tornar um professor de uma escola no exterior, vai de encontro com uma série de fatores que podem ser perfeitamente enriquecedores, como:

  • A diferença cultural
  • Estar em contato com um sistema educacional totalmente diferente do seu

Nesse sentido, amadurecer o seu projeto de pesquisa é muito importante para ter consistência.

Sendo assim, se candidatar a uma oportunidade de mobilidade acadêmica precisa estar de acordo com as seguintes questões:

  • Tenho as habilidades necessárias para me candidatar a essa oportunidade ?
  • Estou preparado para descobrir um novo processo acadêmico nesse momento?
  • Estou pronto para deixar em stand by a minha carreira docente durante o tempo que ficarei em outro país?

Se você respondeu positivamente a todas as perguntas, é hora de seguir o próximo passo!

Escolher a escola adaptada ao projeto de ensino

Dependendo do seu nível acadêmico, você pode se enquadrar em diferentes categorias de professores. Um pesquisador doutorando pode não disputar a mesma vaga que você. Ter seus objetivos bem definidos, vai direcionar melhor a sua busca.

Algumas das possibilidades para quem almeja disputar as vagas para dar aulas no estrangeiro:

  • Dar aulas de idiomas como língua estrangeira em curso renomado no exterior: Aliança Francesa, Cervantes etc
  • Programas supervisionados pelo Ministério da Educação
  • Dar aulas em uma creche, escola primária ou secundária
  • Lecionar em uma instituição educacional no país de seu interesse

Cada país tem suas regras e um tipo de visto específico. Fique atento !

Leia também os diferentes caminhos para ser professor no exterior!

Encontre escolas estrangeiras parceiras

Diante de tantas opções para dar aulas no exterior, escolher um instituição de renome é um passo bastante relevante na sua formação acadêmica. Então, o melhor é escolher muito bem!

Que tal começar sua busca por universidades parceiras. Como os programas:

  • Programa de Talentos Globais da AIESEC – a organização tem intuito de promover intercâmbios sociais e profissionais para que tem deseja ter experiência de sala de aula, em outros países como México, Colômbia, Índia, Chile entre outros países.
  • Escola de Fronteira – o projeto Escola Intercultural Bilíngue tem por objetivo promover a perfeita integração de professores e estudantes brasileiros com outros estudantes e professores de países vizinhos. Esse projeto tem por finalidade promover um ambiente ideal de bilinguismo aos alunos, através do intercâmbio entre os professores dos países do Mercosul
  • O programa Erasmus + e Erasmus Mundus – é uma boa oportunidade de estudar em excelentes universidades da Europa, com o financiamento da União Europeia.
  • Programa Professor Visitante no Exterior – O programa destina-se a doutorandos com vínculo empregatício em instituições brasileiras. Esse programa tem o intuito de oferecer bolsas no exterior para realização de estudos mais avançados.

Organize seu projeto de ensino com antecedência

A partir do momento que você sente interesse em fazer um curso no exterior, você já deve iniciar sua organização do seu projeto, desde a pesquisa até a finalização dos procedimentos administrativos, pois tudo isso leva um bom tempo para ficar pronto.

Intercâmbio para professores Não deixe para a última hora: organize sua papelada com antecedência.

Não dá para jogar tudo para o alto e simplesmente viajar, não é mesmo!

Bem que todos os estudantes adorariam que fosse assim, mas não é. Diante do grande número de possibilidades de universidades espalhadas pelo mundo, o melhor é começar fazendo contatos com antecedência, pelo menos, com cerca de um ano da data da partida para o país escolhido.

A finalidade de se buscar informações a cerca da universidade desejada é a de poder se cercar de todas os pontos positivos e negativos sobre a instituição, o perfil da universidade e até mesmo informações relevantes sobre a cultura do país.

Não se esqueça também de que alguns documentos podem levar meses para ficar pronto. Então, fique atento para não perder os prazos. Saiba como se preparar, aqui.

Informe a seu superior seu desejo de se dedicar a um projeto no exterior

No momento em despertou o interesse em se dedicar a um projeto de aperfeiçoamento pessoal e profissional no exterior, é de bom tom informar ao seu superior sobre seus projetos.

Até porque, muitas vezes para a candidatura de uma vaga no estrangeiro, seja para voluntariado, programa de estágio ou mobilidade internacional, será o seu supervisor imediato quem vai garantir o envio adequado dos seus documentos já assinados.

Sem a aprovação do seu superior não é possível a validação da sua candidatura!

Agindo de maneira transparente, você transmite respeito com a hierarquia da instituição e mantém vínculos com o seu trabalho.

Aprenda a se preparar para ocupar um posição de professor no estrangeiro

Ao iniciar o processo de candidatura de determinada vaga no exterior para o curso de mestrado, doutorado ou pós-doutorado, o funcionário já deve ter comunicado e encaminhado ao seu superior as informações necessárias para o seu afastamento.

Veja como dar aula em uma universidade estrangeira Não perca sua chance de ouro de dar aulas no exterior por descuido. Esteja atento ao prazos!

Mas quando posso solicitar afastamento?

É a legislação quem regulamenta quem tem direito ou não de fazer uso do benefício do afastamento, assim como informa as condições onde o mesmo pode ser solicitado.

Qual o tipo de curso de pós-graduação?

  • Stricto Sensu

Com quanto tempo de serviço posso pedir afastamento?

  • Segundo a legislação, tem direito ao afastamento de qualificação quem finalizou satisfatoriamente o estágio probatório (talvez a etapa mais importante no concurso público, é a que garante a efetividade da vaga de um servidor público)
  • Para quem almeja se afastar para disputar uma vaga no curso de mestrado precisará comprovar titularidade de no mínimo 3 anos no cargo efetivo.
  • Para solicitar afastamento para o curso de doutorado e pós-doutorado, o servidor precisa cumprir pelo menos 4 anos de trabalho efetivo
  • E para receber o benefício da licença de qualificação, o servidor não poder ter solicitado outro afastamento nos dois últimos anos a esse pedido, para o curso de mestrado e doutorado. Já para o curso de pós-doutorado, é de suma importância que o concursado não tenha tirado nenhuma licença do cargo pelo período de 4 anos.

Essa tipo de licença de qualificação contribui para que o funcionário possa se dedicar exclusivamente a seus estudos.

Que pode ocupar uma posição de professor no estrangeiro?

Normalmente, as pessoas com formação em licenciaturas são as mais capacitadas a exercer o cargo de professor no estrangeiro. No exterior, além do diploma de graduação em licenciatura, também pode ser cobrado validação do diploma e o curso de pós concluído ou em andamento para os estudantes que almejam enveredar pelas pesquisas avançadas.

Existe também a possibilidade de dar aulas no exterior com a graduação e experiência de 6 meses no idioma que almeja ensinar, participando do programa focado em sala de aula AIESEC.

Resumindo, não se esqueça de manter seu superior informado de todo o seu processo de recrutamento, pois muitos dos documentos solicitados deverão ser assinados e aprovados por ele, por isso encaminhe o pedido em duas cópias, uma para o seu superior no estabelecimento e outra para a agência de recrutamento, quando solicitado.

Outra coisa, para ocupar uma posição de professor no exterior será necessário seguir uma série de critérios que serão disponibilizados pelo edital das universidades. Também  é crucial estar atendo as normas de solicitação de visto de cada país.

Trabalhe seu idioma estrangeiro para ensinar

Quando o estudante inicia seus estudos em um idioma que não é a sua língua materna é natural que encontre alguma dificuldade para falar fluentemente durante algum tempo, porém com muita persistência as dificuldades serão superadas.

Obviamente, não basta apenas  falar razoavelmente uma outra língua estrangeira para dar aulas em outro país,  também será cobrado algum tipo de visto para permanecer no exterior.

Como fazer intercâmbio docente no exterior Trabalhe o idioma estrangeiro para se tonar autônomo.

Mas até para pedir algum tipo de visto, o domínio da língua estrangeira será essencial para agilizar seus documentos.

Alguns editais solicitam determinado nível de compreensão da língua. Nível A1 para alunos iniciantes, B1 para nível intermediário e C1 fluente eficaz. Normalmente, é solicitado nos processos seletivos o nível B2.

Para melhor entendimento do nível solicitado no edital, consulte o sistema de referência europeu.

E mesmo que o seu interesse seja aulas de português para estrangeiro, o aprendizado do idioma local é igualmente importante para conseguir compreender os estudantes estrangeiros.

Não perca a esperança!

Seja aquele candidato que está sempre se organizando para cumprir prazos, pois a maioria das universidades oferecem oportunidades de dar aulas no exterior apenas uma vez ao ano.

Exatamente por esse motivo, você deve ser o candidato organizado com o seu projeto de estudar fora:

  • Não foque em apenas uma única instituição no exterior
  • Não deixe para pensar nos critérios de seleção no momento da inscrição, esteja atento aos prazos
  • Leia com atenção outras oportunidades de ingresso
  • Participe de fóruns que tenham a finalidade de encorajar outros estudantes que partilham dos mesmos objetivos pessoas e profissionais que o seu.

Para mais informações sobre programas de mobilidade acadêmica, leia também como se preparar para lecionar no exterior…

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar