Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

O latim está morto?

De Carolina, publicado dia 02/02/2019 Blog > Idiomas > Latim > Por que a língua latina é considerada morta?

“A língua latina, âncora da catolicidade, também era um baluarte contra os hereges. Assim, as mutações na linguagem não foram apenas deslizamentos inconscientes, grandes choques sísmicos, mas também o resultado de decisões conscientes e lúcidas.”

Esse trecho do artigo Du langage et du symbole (Linguagem e símbolo) do filósofo francês Alexis Philonenko, publicado em 2007 na Revue de Metaphysique et de Morale (Revista da Metafísica e da Moral), dá uma primeira visão – se for apenas um pequeno raio de luz – para explicar como a língua latina – como outras línguas antigas, caiu em uma morte lenta ao longo dos séculos.

Na ciência política, a língua é frequentemente usada como um marco cultural de identidade e como o cimento de uma nação: é por essa razão que o português, por exemplo, é a língua de Portugal e dos países lusófonos.

Falar a mesma língua – uma língua vernacular – é um determinante da integração social dentro de uma comunidade e é um dos pilares de uma cultura comum.

Na época da Roma Antiga e depois sob o Império Romano (do século VIII a.C. ao V século), o latim era a língua obrigatória para a comunicação e as trocas em todos os territórios sob o domínio romano.

Fale o idioma de Roma Antiga O Coliseu ainda está de pé como a língua latina?

No entanto, enquanto foi usado em todo o Mediterrâneo por mais de mil anos – da Antiguidade Romana até a Idade Média – o latim foi gradualmente substituído em cada país por um dialeto. Muitos deles contribuíram para a formação de todas as línguas vivas indo-europeias: português, espanhol, italiano, francês, romeno, inglês.

Daí em diante, ninguém pode decifrar um texto em latim e entender o vocabulário latino sem passar por um processo de aprendizagem do latim (saiba tudo sobre a língua).

Diante disso, várias questões surgem:

  • Por que a língua latina é considerada uma língua morta?
  • Não há ninguém que fale latim?
  • Por que ainda há uma opção latim no ensino de línguas europeias?
  • Por que ainda há muitas pessoas que sabem latim capazes de entender os textos literários dos grandes escritores romanos – de Cícero, Ovídio, a Sêneca – se o latim, desprovido de falantes, é uma língua morta?
  • Por que fazer aulas de latim?
  • Por que estudar o latim na escola?

Superprof quer, com este post, explicar as causas que fizeram o latim cair em desuso.

Como definir uma língua morta?

Na linguística, uma língua é considerada morta ou extinta quando não há mais falantes utilizando-a como meio de comunicação na vida cotidiana.

Assim, uma língua estaria morta quando seu último orador morresse.

A língua latina, apesar de ser o solo cultural da nossa civilização, não há mais falantes. Mas se o latim está morto, por que ainda está escrito nos degraus das igrejas?

Quem no século 21 tem o latim como língua materna? A resposta é fácil: absolutamente ninguém.

O status da língua morta tem diferentes graus e as disputas estão presentes nos debates dos linguistas. A unanimidade não está, de fato, no ponto de encontro entre especialistas sobre o status da língua latina.

Explicação:

Então, é considerado “morto” qualquer idioma que não é mais falado, que não tem mais nenhum usuário no mundo.

Esse é o caso do antigo egípcio, fenício – a primeira língua semítica, que deu origem ao árabe -, acadiano, línguas celtas, entre muitas outras línguas antigas.

No entanto, alguns pesquisadores – linguistas, arqueólogos, historiadores – podem falar fluentemente esse idioma. Eles trazem uma nuance a esse status porque existe uma verdadeira filologia da língua latina e do grego antigo.

Por um lado, o curso de latim ainda existe em nível superior no Brasil. Em alguns países da Europa como a França, os alunos podem estudar latim no ensino fundamental e médio (opcional).

Conhecer as palavras latinas e a gramática latina pode ser um pré-requisito ou uma vantagem para alguns cursos universitários (letras clássicas, letras modernas, medicina, química, botânica, etc.). Conheça a grande história da língua latina!

Por outro lado, o latim teria sobrevivido segundo alguns – como Jean-Christophe Saladin, linguista e diretor francês da coleção “Le miroir des Humanistes” (O Espelho dos Humanistas) – porque serviu como suporte gramatical para várias línguas filhas: línguas românicas.

Assim, o português, francês, o espanhol, o italiano, o romeno – e, em menor grau, o inglês – são línguas de origem latina, faladas por 2 a 2,5 bilhões de pessoas na Terra hoje.

Além disso, o latim permaneceu como a língua litúrgica oficial da Igreja Católica Romana. O Vaticano tem o latim como idioma oficial até hoje.

Aprenda o idioma da Roma Antiga O idioma pode estar morto, mas não sua influência

Nesse sentido, nós realmente não queremos considerar que o latim é uma língua morta e desaparecida, mas sim uma linguagem esquecida.

Além disso, não escrevemos os séculos, os nomes dos reis e dos papas em numerais romanos e, portanto, em latim (séculos XX e XXI, João Paulo II, Bento XVI, Luís XIV, Luís XVI, Carlos X, Napoleão III, etc.)?

O declínio da língua latina em várias etapas

A língua latina surgiu no centro da Itália, na região do Lácio (Roma), e provavelmente foi influenciada pelos etruscos.

Apesar de três milênios de história, o idioma romano pode retornar um dia? A língua latina é chamada de morta, mas ainda usamos as palavras latinas em português: não dizemos que enviamos um curriculum vitae para uma oferta de emprego?

No século VI a.C., o latim já era usado e sofreu várias evoluções ao longo dos séculos antes de se tornar a língua oficial da civilização romana.

Essa primeira forma de latim, chamada latim arcaico, passou por mutações para o latim clássico por volta do século III a.C., época correspondente à expansão territorial da Roma antiga.

O latim resistiu à queda do Império Romano do Ocidente (476) porque era uma língua de comunicação, língua erudita, litúrgica, científica e artística, que impregnou a história da literatura por muito tempo até o Renascimento nos séculos XVI e XVII.

No entanto, o Império Romano do Oriente passou sob influência cultural grega (e ortodoxa) até sua queda em 1453 e a conquista do Império Otomano. Então, o latim enfrentou a lenta e progressiva unificação das línguas românicas. Ele foi desaparecendo pouco a pouco entre as línguas maternas ou línguas oficiais.

Aprenda latim na escola O declínio de Roma Antiga só veio depois de séculos…

Os historiadores mantêm três etapas importantes para o latim, de sua origem, apogeu e queda:

  • A língua deixa de ser vernacular: o momento em que o latim – latim vulgar ou clássico – não era mais falado na vida cotidiana. Historicamente, isso corresponderia ao período entre o século VII e o século X: o Império Romano estava decaído, outras influências encorajavam a formação lenta de outros dialetos, e as línguas românicas suplantavam o latim,
  • O latim deixa de ser uma língua viva: no século XVI, o Renascimento valoriza as humanidades, as artes, a racionalidade, o individualismo e a lógica, mas o latim deixa de ser uma língua viva porque ninguém usava mais Latim em nenhuma atividade,
  • O latim deixa de ser entendido por todos: seguiu-se o momento em que o latim deixou de ser operativo, como identidade cultural e como língua de referência.

Causas do abandono do latim

A principal razão pela qual o latim é uma língua morta é histórica.

O latim não é mais usado, simplesmente porque o Império de Roma não existe mais.

Durante a era romana, aprender latim – língua latina – era uma maneira de trocar e também de conseguir encontrar um lugar nos territórios ​​sob o domínio do Império Romano.

“Os aprendizes do latim estavam em contato com os falantes nativos dessa língua: legionários antigos estabelecidos nas províncias, funcionários de Roma ou mercadores romanos que circulavam no Império. U. Reutner, Du latin aux langues romanes – (Do latim para línguas românicas).

Uma estratégia de assimilação forçada ocorreu, então, para todos os povos conquistados.

Propagar o latim também era para o poder romano uma ferramenta de resistência contra a influência dos gauleses e das línguas germânicas do norte.

Fale a língua latina A língua não foi a única, a arquitetura romana inspirou muito

Sendo Roma, na época, o sistema político mais poderoso, aquele com as maiores ramificações, o latim era uma língua universal no mundo ocidental.  Enquanto isso, todas as outras línguas e culturas eram consideradas como uma prerrogativa dos povos bárbaros.

Mas na Idade Média, os reinos e as províncias não precisavam mais de uma linguagem uniforme como o latim: ela se confinava pouco a pouco à Igreja Católica, falada apenas no ambiente eclesiástico.

Outra explicação: as evoluções culturais das sociedades ocidentais.

Quais são as línguas originadas da latina?

Devido ao empoderamento de cada dialeto como uma língua comum, o latim gradualmente se desvaneceu e deu origem às línguas românicas que conhecemos hoje:

  • Português: quando a Península Ibérica foi invadida pelo Império Romano. Ela seria a mistura do latim vulgar e do galego (dialeto do antigo Portugal).
  • Francês – em si ainda na época dividido entre langue d’oïl e langue d’oc – flamengo e romano,
  • Castelhano ou espanhol e também português – influenciado pela língua árabe e cultura gótica dos godos e visigodos,
  • Italiano, derivado diretamente do latim.

Também podemos ver a extinção do latim por causas políticas.

De fato, a Idade Média até o Renascimento é a época em que as fronteiras dos reinos e impérios de cada país ocidental são consolidadas.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de3,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...
avatar