Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Quais são as bases da conjugação espanhola?

De Marcia, publicado dia 17/02/2019 Blog > Idiomas > Espanhol > Tempos verbais mais usados em espanhol

“São necessários dois anos para aprender a falar e sessenta para aprender a calar a boca.” E. Hemingway

Aprender uma nova língua é sempre considerado difícil.

Dando os primeiros passos Estudar um novo idioma é sempre um desafio que exige dedicação.

Aprender espanhol e conjugar verbos no idioma, por exemplo, nos faz explorar diferentes momentos do passado, presente e futuro. Esse aprendizado de espanhol – ou qualquer outra língua – também é benéfico para o cérebro.

De fato, um estudo científico liderado por Ping Li, professor de psicologia e lingüística, tem proporcionado cursos intensivos chineses de 6 semanas para turmas com 39 estudantes de inglês. Os pesquisadores concluíram que a aprendizagem de uma língua estrangeira não só poderia melhorar habilidades cognitivas, mas também retardam o declínio cognitivo em idosos.

Acompanhe o nosso manual com as informações básicas sobre conjugação de verbos na língua espanhola.

Verbos Ser e Estar

O idioma de Cervantes usa dois verbos irregulares: ser e estar, assim como em português. Em francês ou inglês, por exemplo, ambas as ações são expressas por um único verbo.

Seu uso no espanhol segue uma conjugação irregular, cuja vogal do radical é transformada em ditongo para as três pessoas do singular e a terceira pessoa do plural.

Em um verbo irregular com ditongo :

  • O “i” e o “e” se tornam “ie” (ou “ye” para o verbo “errar”);
  • O “u” e o “o” se tornam “ue” (ou “hue” para “oler”, que significa “sentir”).

Dependendo do contexto da sentença, será necessário usar “ser” ou “estar”. De fato, esses dois verbos têm o poder de modificar o significado do adjetivo que os segue.

“Ser” é usado para descrever algo definitivo, que nunca muda, para caracterizar uma pessoa ou um objeto. Por outro lado, “estar” é usado para situar alguém ou algo em um marco espaço-temporal. Este último verbo é seguido por um complemento de lugar, tempo ou maneira.

Ele também é usado para descrever estados temporários, improvisados ​​ou acidentais da vida cotidiana (saúde, opinião, humor, comportamento), bem como para evocar uma ação contínua.

Exemplos do verbo “ser”:

  • Eu sou francês: soy francès;
  • Eu sou um homem: soy un hombre;
  • Este homem é jovem: Este hombre é joven.

Exemplos do verbo “estar”:

  • Eu estava doente: Estaba malo;
  • Eu concordo com você:  Estoy de acuerdo contigo;
  • Você está lendo: Estas leyendo.

Uma boa dica para aprender tempos verbais em espanhol é ler a palavra três vezes, escrevê-la três vezes, ouví-la três vezes e usá-la em três frases separadas. Não… não é simpatia! Trata-se de um mecanismo para ativar a memorização.

O tempo indicativo em espanhol

Como língua românica, a estrutura morfológica verbal da língua espanhola permaneceu próxima do latim, assim como a nossa língua materna. É por isso que, para um falante do português, é mais fácil aprender espanhol do que árabe, por exemplo.

Na gramática espanhola, existem quatro grandes momentos do indicativo :

  • O presente do indicativo;
  • O passado (passado composto e passado simples);
  • O imperfeito;
  • O futuro.

Um curso de espanhol online ou presencial pode dar a você todas essas noções.

O presente indicativo

Este tempo é usado para descrever, declarar, afirmar ou discutir uma situação ou fato: “A casa é vermelha”, “Você come uma maçã”, “Eles moram no México”  (“La casa es roja”, “Comes una manzana” , “Ellos viven a Mexico”), etc.

Assim como em português, é o tempo mais usado. Na aula de espanhol , você vai perceber que também é o mais fácil de aprender.

Além dos grupos verbais, será necessário aprender que em certas conjugações aparece o ditongo ou a atenuação (quando a vogal “e” se torna “i” na primeira, segunda e terceira pessoa do singular) dos verbos irregulares espanhóis.

O futuro simples do indicativo

O futuro é provavelmente o mais fácil de aprender – ele exprime a mesma coisa que em português: uma ação ainda não ocorrida ou uma hipótese.

Atenção: há doze verbos espanhóis que têm um futuro irregular, onde o radical muda.

Deve-se notar que, em espanhol, o futuro expressa a hipótese no passado, ou uma ação totalmente concluída no futuro (“em julho, o ano letivo terminará”).

Indicativo imperfeito

Esse tempo expressa a repetição e a continuidade de uma ação desdobrada no passado. Ele marca a hora de contar o passado.

É conjugado com o infinitivo dos verbos + aba, abas, aba, ábamos, abais, aban para o 1º grupo. Para o segundo e terceiro grupos, as terminações são: ía, ías, ía, íamos, íais, ían.

O espanhol tem três verbos irregulares no imperfeito: “ir”, “ser” e “ver”.

O passado simples

O passado simples é amplamente utilizado na linguagem cotidiana em espanhol. Evoca uma ação não mais relacionada ao presente.

Os finais são :

  • Verbos em AR: é, aste, ó, amos, asteis, aron,
  • Verbos IR e ER: í, iste, ió, imos, isteis, ieron.

Há um acento tônico na primeira e terceira pessoa do singular.

Dez verbos irregulares são encontrados nessa forma com freqüência: “dar”, “ir”, “ser”, “estar”, “hacer”, “poder”, “poner”, “querer”, “tener” e “decir”.

O passado composto

É usado se a ação ainda tiver links com o presente, se o contexto for presente ou se a ação ainda tiver consequências.

Por exemplo, dizemos “Ayer, ha nevado mucho, por eso hace frio todavia” – “Nevou muito ontem, então está frio hoje”.

O frio da neve “Ha nevado mucho” é uma forma de dizer que nevou em espanhol, quando as consequências da neve ainda estão presentes.

Para construí-lo, usamos o auxiliar HABER ao presente adicionado do particípio passado do verbo em questão.

O mais que perfeito

Usado para expressar uma ação anterior à do passado simples, oralmente empregamos o “haber” auxiliar ao imperfeito de um particípio passado.

Ficaria assim: había, habías, había, habíamos, habíais, habían.

Exemplo: Eu conheci Maria na escola (Había conocido Maria na escola) ou Eu já tinha comido tudo (“Ya había comido todo”).

E que tal fazer aula de espanhol com professor particular?

Os tempos do subjuntivo

Aqui está uma espécie de pilar da língua espanhola: o subjuntivo – modo de subordinação, dependência, dúvida e hipótese. Ele permite que você expresse desejo, medo, conselhos ou até mesmo ordem.

É também a marca de uma expressão impessoal enfatizando o efeito da necessidade ou possibilidade. Finalmente, é uma conjunção de tempo e modo. Ele também tem suas pequenas irregularidades e assume várias formas de acordo com o sentido da sentença.

Vamos ver quais são os tempos do subjuntivo espanhol.

O presente do subjuntivo

Via de regra, sua formação é construída com o radical da primeira pessoa do singular do presente do indicativo, e o final do verbo:

  • Verbos em AR: e, es, e, emos, eis, em,
  • Verbos em IR e ER: a, como, a, amos, áis, an.

Encontra-se em inúmeras situações da vida cotidiana, ou mesmo uma condição hipotética.

Advertência : uma irregularidade da primeira pessoa do singular provoca a mesma irregularidade em todas as pessoas do presente do subjuntivo.

Por exemplo, o verbo “poner” (colocar, em português): sua irregularidade é tomar o radical ”  pong  ” na primeira pessoa do singular no presente (“yo pongo”).

Assim, deve-se formar o presente do subjuntivo com o mesmo radical em todas as pessoas ( ponga, pongas, ponga, pongamos, pongáis, pongan ).

E assim por diante.

Será necessário revisar uma lista de verbos irregulares para que essa construção funcione corretamente.

O imperfeito do subjuntivo

Se a proposição principal está no passado, as regras da gramática espanhola – a concordância dos tempos  – pedem para conjugar o imperfeito do subjuntivo.

É o seguinte :

  • Verbos em AR: radical da 3ª pessoa do plural + ara, aras, ara, áramos, arais, aran,
  • Verbos em ER e IR: radical da 3ª pessoa do plural + iera, ieras, iera, iéramos, ierais, ieran.

Para expressar a condição em um contexto anterior, o subjuntivo imperfeito é muito útil e amplamente utilizado, mesmo na forma oral.

O presente condicional e o imperativo

Último grupo de tempos freqüentemente usado por falantes da península hispânica: o condicional e o imperativo.

O condicional no espanhol

O condicional espanhol se aproxima do subjuntivo, e serve para expressar uma ação viável. É formado com o infinitivo do verbo ao qual acrescentamos as terminações do imperfeito do indicativo do auxiliar “haber”: ía, ías, ía, íamos, íais, ían.

Por exemplo, a frase: “Se eu pudesse, daria a volta ao mundo” se traduz para o espanhol como “Si lo pudiera daría la vuelta al mundo”.

"E se..." em espanhol Não se lamente pelo que poderia ter sido – use como exemplo para estudar a condicional espanhola.

Os exercícios de conjugação da condicional são fáceis porque é necessário retomar as irregularidades do futuro simples, e só modificar as terminações.

O imperativo afirmativo

A língua espanhola tem uma maneira peculiar de expressar uma ordem. O idioma espanhol conjuga cinco pessoas ao imperativo.

As irregularidades são semelhantes ao presente do indicativo e do subjuntivo (o ditongo e a declinação dos verbos).

Outra regra : Quando um pronome pessoal ou pronome reflexivo é usado com um imperativo, ele é colocado depois do verbo (ênclise).

Exemplo: “Me dê isso”:  Dámelo.

O imperativo negativo

Bastante simples, esta forma de imperativo é freqüentemente usada para expressar proibição.

Ele é constituído da negação adicional do presente do subjuntivo: não + subjuntivo, com as mesmas irregularidades que as do presente do subjuntivo:

  • Entrada proibida: No entre;
  • Não venha:  No vengas;
  • Não cante:  No cantéis;
  • Não coma:  No comas.

No imperativo negativo, não se aplica a ênclise: os pronomes são colocados antes do verbo: No me lo des  (Não me dê isso),  No me lo digas  ( Não me diga isso) .

Todas essas regras parecerão mais claras depois das aulas de espanhol e exercícios. Agora você precisa também trabalhar outros tópicos da gramática e enriquecer seu vocabulário para alcançar um nível avançado!

Aprendendo espanhol a fundo Assim como todas as línguas, o espanhol tem suas particularidades. Que tal estudá-las?

Lembre-se de que as aulas de espanhol são fundamentais para progredir na conjugação verbal! Que tal começar agora mesmo?

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...
avatar