Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Professor: algumas dicas para combater o abandono da escola

De Fernanda, publicado dia 05/02/2019 Blog > Aulas particulares > Dar aulas particulares > Evasão escolar: o papel do professor

O relatório “Cenário da exclusão escolar no Brasil”, divulgado em 2017 pelo Fundo das Nações Unidas pela Infância e Adolescência (Unicef), revela que existem hoje no país 2,8 milhões de crianças e adolescentes fora da escola.

O cenário educacional no Brasil está longe de ser esperançoso. Segundo reportagem da revista ISTOÉpublicada em 25/04/18:

  • 52% dos brasileiros entre 19 e 25 anos deixaram de estudar, não se dedicam à escola como deveriam ou estão atrasados na formação
  • 43% da população com mais de 25 anos têm o Ensino Médio completo. O índice está abaixo da Média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico que é de 65%
  • 1 em cada 4 brasileiros entre 15 e 17 anos abandona os estudos anualmente
  • R$ 3 bilhões é o que o abando escolar custa para o Brasil anualmente

Dados que nos fazem pensar muito sobre as dificuldades de aprendizagem, e quais as melhores estratégias para evitar a evasão ou o abandono escolar. E como auxiliar estudantes que se encontram nesse caso? Descubra agora algumas dicas sobre como agir e como conduzir suas aulas para contribuir nesse processo.

O que é o abandono escolar?

O fracasso escolar e as aulas particulares. Sejam para alunos de Ensino Médio ou Ensino Fundamental, a vida escolar tem suas dificuldades. É preciso saber conciliar ambiente escolar, interesse dos estudantes e objetivos de aprendizagem.

Evasão escolar é o ato de deixar de frequentar as aulas, ou seja, abandonar o ensino em decorrência de qualquer motivo.

Esse problema social que, infelizmente, é comum no Brasil, afeta principalmente os alunos do Ensino Médio.

De acordo com um estudo do Fundo das Nações Unidas pela Infância e Adolescência (Unicef), existem hoje no país 2,8 milhões de crianças e adolescentes fora da escola. Isso nos faz questionar muitos aspectos da educação brasileira: a qualidade do ensino, o papel do professor e os conteúdos da Educação Básica brasileira. Afinal, a educação é a base comum da inclusão social e do êxito de um indivíduo em sociedade.

Várias podem ser as razões da evasão escolar: pobreza, violência, gravidez, acesso limitado, qualidade da educação, clima escolar, mercado de trabalho, atividades ilegais… Um estudante que abandonou a escola é, na maioria das vezes, um estudante cujo desempenho acadêmico, formação acadêmica ou perspectiva de ter e construir uma vida ativa não é intelectualmente interessante. Tudo isso leva ao abandono escolar, mas também e especialmente a um declínio na autoestima, uma grande dificuldade em medir as suas habilidades e uma visão pessimista e fatalista de sua vida.

O professor deve ser um aliado nesse processo, contribuindo para que o aluno não seja levado ao abandono escolar, melhorando sua autoestima, refinando suas habilidades e apostando nas futuras perspectivas. Porque sim, um aluno que abandonou a escola não pode ser esquecido; é preciso resgatá-lo e reinseri-lo no ambiente escolar por meio de uma estratégia que combine vários fatores.

Nós todos sabemos: a perseverança na educação é a chave para concluir seus estudos, encontrar um emprego adequado às suas expectativas e conseguir ter sucesso em sua vida pessoal e profissional. Um aluno paralisado não estará nessa perspectiva e será bastante derrotista, correndo o risco de recusar qualquer apoio personalizado e qualquer segunda chance.

Você sabe como dar aulas para alunos disléxicos? 

O papel do professor em caso de evasão escolar

O que fazer com o fracasso escolar? Quando você escolhe ser professor, às vezes tem de lidar com situações difíceis, como a evasão escolar.

Um professor não é apenas uma figura didática, dando aulas aos alunos, que depois volta para sua casa e prepara as próximas. Não, professor é isso e muito mais. Na verdade, há claramente um aspecto de psicologia na profissão docente, e contribuir para evitar a evasão escolar também faz parte disso. É possível que você assista, ao longo de sua carreira, ao episódio de um aluno que desista de seus estudos e isso não é uma fatalidade.

É necessário ver esse aluno como um desafio adicional à sua atividade como professor e lembrar dos princípios da sua profissão, aquela que você escolheu e que teve a oportunidade de escolher. Diga a si mesmo que qualquer estudante pode, por sua vez, decidir seu futuro porque simplesmente ele pode.

É preciso ter muita didática, saber se colocar no lugar do aluno, exercer a escuta, passar confiança, e fazê-lo consciente de que a escola, escolaridade e educação são importantes, até mesmo essenciais se ele quiser crescer profissionalmente e pessoalmente em sociedade.

A luta contra o abandono escolar é uma questão social real, que todos devem ter em consideração, afinal a escolaridade tem um papel fundamental na inclusão social. Há um dano psicológico real quando você sofre de abandono escolar, e fatalmente a exclusão será um destino certo.

Também é necessário que o professor saiba valorizar os talentos do aluno, os pontos positivos e as boas notas. Em suma, o sucesso é um ponto muito importante, que deve ser enfatizado, de modo a motivar o aluno, e fazê-lo perceber que ele é capaz de fazer, ou até mesmo empreender grandes coisas. Educação artística, física ou literária, todos os conteúdos podem ser adequados para o aluno se sentir mais realizado.

Abandono escolar: veja o aluno como um indivíduo

Como você sabe se seu filho está abandonando a escola? Sempre que possível, o professor deve saber como se adaptar aos seus alunos e à sua turma, estejam eles em dificuldade de aprendizagem ou não.

Um aluno que sofre de abandono escolar não é um aluno como os outros. Ele não é necessariamente aquele que vai puxar o grupo e a classe para baixo, mas ele mesmo afunda em uma reflexão melancólica e fatalista, a qual o professor deve tentar lutar contra.

Para conscientizar um indivíduo de que ele é talentoso, que ele é inteligente, que é culto ou que está aprendendo rapidamente, existem algumas estratégias simples, e isso pode fazer a diferença. A educação obrigatória pode ser às vezes um obstáculo para os alunos, mas deve ser demonstrada como uma chance, uma oportunidade única, afinal, além do fato de que isso é puramente verdade, isso pode motivar o aluno a retomar seus esforços para progredir e alcançar novos objetivos.

Ser professor é uma profissão, mas é também uma verdadeira vocação, que tende a ser relacionada à psicologia, mas também e especialmente à pedagogia. No caso de abandono escolar, é provavelmente a qualidade mais importante que deve ser demonstrada, para que você possa trazer confiança ao aluno, saber como ouvi-lo e aconselhá-lo o máximo possível para sua orientação e seu potencial sucesso no ambiente escolar.

Porque uma trajetória escolar, seja ela qual for, é um pequeno caminho cheio de armadilhas. E os professores estão lá para facilitar essa passagem, e lutar contra desistentes, contra aqueles que desejam parar ao longo do caminho, sem ter atingido o seu objetivo final. Esta metáfora, se está falando, é especialmente representativa do abandono escolar no Brasil nos últimos anos.

Como dar aulas particulares para alunos com autismo?

Evasão escolar: o papel da escola

Está saindo da escola sinônimo de um mau aluno? Ensinar é uma bela profissão, que às vezes encontra pequenos e grandes obstáculos no caminho, que devem então ser vistos como experiências educacionais.

Como vimos acima, os números de evasão e abando escolar são alarmantes. As causas dos problemas podem ser inúmeras e depender de múltiplas variáveis. E embora existam iniciativas, tanto governamentais quanto civis, no intuito de reduzir esses indicadores, ainda está longe de se ter uma solução.

Em seu boletim “Aprendizagem em Foco”,  (nº 28 – junho 2017), o Instituto Unibanco faz algumas análises sobre o estudo do Unicef.

Segundo o órgão, para formular ações que efetivamente contribuam para diminuição da evasão escolar é fundamental que a gestão busque compreender as causas que estão levando os alunos a largarem os estudos.

“Cada escola tem suas particularidades, com suas fragilidades e potências, e é importante que o diretor,  junto com a equipe pedagógica, busque entender o que está causando a evasão para intervir de forma eficaz”, diz.

E um dos papeis do professor é estar presente, manter acompanhamento constante da turma ao longo do ano, identificando sempre os possíveis sinais de desinteresse, faltas, ou baixos rendimentos dos alunos.

Lembre-se sempre de apresentar a educação como uma oportunidade única para o aluno, relacionando os conteúdos às situações de vida concretas do meio social da comunidade. Conhecer as famílias, entender o entorno da escola e como funciona a dinâmica escolar interna também é papel do professor. Só assim ele pode manter um diálogo real com seus alunos. Ou seja, falar a mesma língua.

O abandono escolar é muitas vezes o reflexo da falta de perspectiva do aluno. Claro, o docente não é a figura de primeira responsabilidade da situação, mas tem papel fundamental no processo.

Para um professor, o abando é um verdadeiro fracasso; isso envolve a base do significado de sua profissão. Por isso, saiba que sua capacidade de transmitir uma mensagem é uma estratégia decisiva e seu senso de diálogo e profissionalismo vai ser severamente testado.

No entanto, não julgue, não sinta-se julgado, nem culpado. Encare os fatos com consciência e, com base na situação real, procure as possibilidades de solução, sempre buscando apoio com equipe pedagógica, gestão escolar e famílias.

Não desanime! Lembre-se que a profissão do docente é uma das mais nobres, plena de bons valores, e perceba que cada aluno tem suas particularidades, sua vida e suas habilidades únicas. Com um pouco de pedagogia, dedicação, experiência, podemos fazer milagres! Até num país como o Brasil.

Procure por resultados de boas práticas e compartilhe os seus! A educação só funciona em rede colaborativa.

Sabe como dar aulas particulares para crianças com dispraxia?

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar