Ao contrário do que se pode penar, a orientação escolar começa bem antes do último ano do ensino médio. Esperar o momento de maior tensão do estudante para ajudá-lo a decidir sua orientação profissional é um ato bastante irresponsável por parte das famílias.

Certo, é no fim do ensino médio que o estudante deve decidir qual percurso acadêmico ele quer seguir. Dessa decisão nasce as escolhas quanto a sua orientação educacional que resultará no seu futuro profissional. No entanto, cabe a família ajudar o jovem e orientá-lo desde muito cedo para que essa decisão seja fruto de bastante reflexão e não de desespero.

A orientação educacional de um estudante deve ser discutida desde muito cedo afim de que ele seja acompanhado da melhor forma possível pela sua família e por seus professores.

Muitas vezes os pais não sabem como ajudar a orientar os seus filhos. É preciso lembrar aos pais que a orientação educacional culmina na orientação vocacional dos jovens, dada a importância dessa etapa para o futuro profissional do adolescente e da adolescente.

Se, em algumas escolas, os estudantes podem contar com o apoio de um orientador pedagógico, essa realidade ainda não existe para a maioria dos adolescentes e jovens, restando a eles e a família toda a preocupação em torno da orientação escolar.

Mas como ajudar concretamente na orientação educação e profissional dos filhos? É o que veremos a seguir....

A importância da orientação educacional para o futuro

A adolescência é uma passagem complicada para os jovens. Entre a construção de sua identidade, a postura social a adotar e o relacionamento com os outros, é uma fase difícil entre a infância e o mundo adulto.

No topo de todas essas mudanças, o adolescente ainda tem que lidar com questões ligadas ao seu futuro, na sua orientação acadêmica e também em seu futuro profissional.

Orientadora vocacional
Os pais podem contar coma ajuda de um profissional em orientação escolar...

Como alguém pode decidir sobre a profissão que deseja exercer dez anos à frente quando novas profissões aparecem diariamente e de forma cada vez mais numerosas na era digital?

O papel dos pais é essencial para acompanhar a criança, para que ela possa se projetar serenamente em direção ao futuro. Os pais devem agir como um tipo de guia não intrusivo e antecipar as questões relacionadas a orientação escolar dos seus filhos.

Assim, deixar para o último ano do ensino médio o peso de todo esse processo de escolha só traria mais estresse para o jovem que pode acabar por fazer uma má escolha com relação a sua orientação educacional e ao seu futuro profissional.

Se os pais não conseguem chegar em um acordo juntamente com o estudante, uma saída seria consultar um profissional em orientação.

Algumas sessões com um profissional de orientação vocacional permitem aos indecisos encontrar algumas respostas e ver mais claramente sobre seu futuro, graças às orientações precisas sobre os tantos caminhos existentes no ensino superior ou na vida profissional.

A prevenção é a melhor forma de evitar certos inconvenientes consequentes de uma escolha de último minuto. Que tal levar seu filho na sua empresa e apresentá-lo, ainda cedo, as diferentes profissões e os diferentes setores de trabalho?

Abrir os olhos para o mundo do emprego desde cedo permite que o jovem amadureça sua escolha. A ideia é, acima de tudo, plantar sementes que germinem na mente do seu filho para ajudá-lo a tomar uma decisão na hora de criar seu projeto profissional.

A comunicação como aliada no acompanhamento educacional

O diálogo é o elemento essencial na orientação do seu filho. Essa é uma maneira de levar em consideração o ponto de vista de seu filho, mas também identificar seus pontos fortes para ajudá-lo quando da sua orientacao educacional e da sua orientacao profissional.

curso de orientação vocacional
Dialogar para melhor orientar os seus filhos nas suas escolhas para o futuro

 

Os resultados escolares não são os únicos critérios nos quais se deve basear uma orientação pedagogica e é importante deixar claro para as crianças que muitas vezes pensam que essa é a única coisa que importa para os pais.

As discussões ajudam a identificar as habilidades e os gostos da criança, para ajudá-la a fazer suas escolhas. Lembrando que os pais podem e devem contar coma  ajuda de um orientador pedagógico ou de um orientador vocacional.

No mais, se você não sabe por onde começar, aqui estão algumas perguntas simples para abrir o diálogo sobre a orientação pedagógica :

  • Onde você se vê daqui a alguns anos?
  • O que você tem certeza de que não quer fazer na sua vida profissional?
  • O que você gosta de fazer quando não está na escola?
  • Quais são os seus assuntos favoritos?
  • Em quais áreas você é talentoso?
  • Quais são os seus tópicos favoritos?
  • Quais são os tópicos de conversão com seus amigos?
  • Deseja entrar no mundo profissional rapidamente?
  • Se você pensa em um emprego, como o vê?

Mesmo que a criança responda "não sei" a algumas dessas perguntas, não há com o que se preocupar. Ao fazer essas perguntas, você permite que ele pense sobre elas, mesmo que ele não tenha a resposta imediata ou se ele acha que não é isso que você deseja ouvir.

Verifique junto a escola do seu filho se esta dispõe do serviço de orientação educacional. Algumas instituições escolares podem oferecer o apoio e a orientação vocacional por meio de diversos serviços e atividades, já a partir das séries finais do Ensino Fundamental: apoio psicológico, palestras com profissionais, workshops de carreiras, projetos de orientação vocacional, visitação a empresas de diferentes áreas….

Essas atividades precisam ajudar os estudantes a encontrar respostas para suas principais dúvidas, como:

  • Quais são os maiores desafios e características de cada profissão?
  • Como é o mercado de trabalho para essa profissão hoje e a longo prazo?
  • Quais são as opções de carreira nessa área?
  • Quais são as melhores empresas para se trabalhar?

Embora ainda pertença a família a maior parte da responsabilidade ligada a orientação educacional e a orientacao profissional dos jovens, é importante contar com uma rede de suporte e a escola faz parte desse processo.

Saiba, aqui, quanto custa o serviço de um conselheiro educacional.

Ajude seus filhos sendo um exemplo

Nestes momentos de diálogo, não hesite em compartilhar sua própria experiência. Não importa qual o seu trabalho, explique ao seu filho como é o seu dia, com quem você trabalha, como é o seu escritório, quais missões você prefere ...

orientação vocacional e de carreira
A melhor forma de orientar é dando o exemplo....

Por que não fazer um tour pelo local de trabalho e dizer exatamente o que você está fazendo? Ao compartilhar sua experiência, você pode influenciar positivamente seu filho. Mas tome cuidado para não transmitir seus desejos e ambições ao seu filho. Lembre-se: a decisão final é dele.

O adolescente não gosta de se sentir influenciado, mesmo que peça conselhos! Ao compartilhar sua experiência, você se permite revisitar seu próprio histórico de orientação escolar.

  • Como foi sua orientação pedagogica?
  • Você foi influenciado por seus pais?
  • Eles estavam desengajados ou muito envolvidos com sua orientacao profissional?
  • Você gostou dos seus estudos?
  • Você gosta do seu trabalho?

Ao pensar na sua própria experiência, você pode pensar na melhor atitude a adotar com seus filhos. Diga a ele seus medos, suas frustrações, seus fracassos em mostrar a ele que ele não está sozinho nesta aventura, que você também esteve lá. Mas diga a ele também seus sucessos para mostrar a ele que você conseguiu, que descobriu o que fazer, mesmo que às vezes leve tempo.

É uma maneira de criar um relacionamento horizontal com o seu filho, para que você seja um conselheiro e não um pai que impõe sua vontade.

Para dinamizar a sua discussão sobre orientação educacional e escolhas profissionais com o seu filho, que tal propor que ele realize um teste de orientação vocacional online? Ainda que o resultado não seja decisivo, isso vai permitir que você conheça ainda melhor o que se passa na cabeça do seu filho e também pode resultar num momento de descontração.

Pais, vejam aqui os erros a evitar quando da orientação profissional dos seus filhos.

Aprenda a respeitar a escolhas e vocação do seu filho

Uma questão muito discutida em quando se trata de orientação vocacional psicologia: alguns pais colocam em seus filhos a responsabilidade de realizar os sonhos que lhes pertencem!

orientacao educacional nas escolas
Orientar sem interferir nas escolhas pessoais dos filhos...

Certo, os pais têm um papel complexo na orientação profissional de seus filhos, porque não devem influenciar seus filhos de acordo com seus próprios desejos. De fato, o que você deseja para o seu filho pode não ser necessariamente o caminho para onde ele quer ir.

Seu filho não deve realizar seus sonhos para você, mas os dele para ele. Respeite suas escolhas e simplesmente seja um bom conselheiro e guia, avisando-o sobre as poucas oportunidades, longos estudos, concorrência ou a dificuldade de montar um negócio.

Mas seja imparcial com relação a escolha final. Os pais não são coach, nem psicólogos, nem orientadores vocacionais.

Você deve explicar ao seu filho que confia nas habilidades dele e na capacidade de escolher uma carreira. Tome cuidado para não contar a ele sobre seu estresse quanto à orientação profissional dele: ele já está nervoso com o futuro, não precisa de mais esse estresse!

Apoio escolar: erros a evitar na orientação educacional dos filhos

É verídico que muitos jovens no final do ensino médio ainda escolhem seu percurso educativo de acordo com a vontade e desejo dos pais. Um grande erro que, a longo prazo, será danoso para o jovem e que pode resultar em frustração profissional.

Mas como evitar esse problema?

Certo, ninguém é perfeito e os pais não são exceção a regra. Muitas vezes, na tentativa de ajudar os filhos na sua orientação educacional e pedagógica os pais acabam por criar uma situação de estresse bastante prejudicial para os jovens.

orientadora educacional Não sejam pais omissos! Seja presente na trajetória dos seus filhos…

Como evitar de criar atritos com os filhos quando se trata de orientação profissional ? Confira nossa lista dos dez erros a evitar  para garantir que o seu filho se saia bem nas suas escolhas para o futuro:

Não se interessar na orientação educacional do seu filho

A primeira armadilha a evitar é pensar que a orientação do seu filho não lhe diz respeito. Certamente, a escolha dos estudos e a escolha da carreira devem vir do aluno. É uma escolha pessoal que ele terá que tomar conscientemente.

consulta com orientador pedagogico
Um adolescente precisa de suporte e apoio durante sua escolarização...

No entanto, um adolescente precisa se sentir apoiado por seus pais neste momento de sua vida. Nem psicólogo nem orientador educacional, o pai ou a mãe desempenha um papel como modelo e como coach no processo.

Lembre-se de que, para um estudante universitário, um estudante do ensino médio e até mesmo um estudante do básico, o mundo do trabalho é abstrato e, portanto, é difícil para ele escolher qual profissão ele quer seguir 5 ou 10 anos depois.

Seu papel como pai é apresentá-lo ao mercado de trabalho, contando sobre sua própria experiência, incentivando seus familiares a fazer o mesmo e acompanhando o jovem a feiras e exposições de empregos.

Acreditar que um bom aluno não precisa de ajuda com sua orientação

Não é porque seu filho tenha bons resultados na escola que ele sabe o que quer fazer com sua vida profissional. O que é pedido aos estudantes do ensino fundamental e do ensino médio está muito longe do esperado no mundo profissional. Não basta ter boas notas nas provas para ter sucesso.

Além disso, um aluno pode perfeitamente ter sucesso na sua escolaridade e ser completamente alheio quanto a escolha de sua orientação profissional.

A assistência para orientação educacional e profissional não se restringe aos alunos mais fracos. Todos os alunos precisam ser acompanhados por um orientador pedagógico ou orientador educacional para fazer boas escolhas.

Pais, vejam qual o seu papel na orientação profissional dos adolescentes e jovens.

Não levar em consideração os resultados educacionais de seu filho

As notas dos alunos do ensino médio geralmente determinam a transição para uma classe superior. Os professores têm tantos alunos ao mesmo tempo que é impossível para eles considerar qualquer outra coisa para determinar o futuro educacional dos jovens adultos.

criança fazendo prova
As notas não definem a profissão futura da criança...

Mas, mesmo que não seja o único critério que deve ser levado em consideração, as pontuações são decisivas para a integração de determinados setores.

Seu filho quer se tornar um médico, mas ele não entende nada de física? Ele pode certamente remediara  situação fazendo aulas particulares. Mas se nada for feito, ele infelizmente terá que desistir.

É preciso ficar atento se os resultados escolares dos jovens em determinadas matérias condizem com suas aspirações com relação a sua orientação educacional e profissional.

Não levar em conta a personalidade dos filhos

Se, por um lado, as notas e resultados escolares  podem ser uma pista que indica a orientação educacional do estudante, é preciso saber que não se trata da única coisa que deve ser considerada.

Um aluno que não tira notas boas numa determinada matéria ainda pode ter aspirações educacionais com relação aquela área. Não ser bom em matemática durante os anos escolares não significa dizer que o aluno não poderá ser um contador ou engenheiro no futuro. A personalidade, o desejo e a vocação podem contar a favor do aluno no futuro.

Assim, ignorar a personalidade dos filhos e focar somente em suas notas quando da orientação profissional dos estudantes seria um grande erro cometido pelos pais.

Não dar ouvidos aos desejos do aluno

Além da personalidade do aluno, ele pode já ter pensado em seu projeto de orientação educacional. Às vezes é difícil não projetar os próprios desejos no filho. No entanto, você não deve escolher em seu lugar e rejeitar as ideias dele.

Teste de vocação profissional
Deixe seu filho livre para escolher o que ele quer fazer da vida

Ele gosta de desenhar e quer fazer disso sua profissão? Em vez de rejeitar a ideia como um todo, explicando que desenhar não dá dinheiro, tente direcioná-la para profissões que usam o desenho como arquiteto ou designer gráfico.

Ela ama dançar e quer se tornar profissional? Mostre-lhe as alternativas (professora de dança, psicóloga em arteterapia ...) e incentive-a a realizar estudos relacionados ao campo artístico.

Ser inflexível com relação aos estudos dos filhos

Querer a todo preço que seu filho frequente uma universidade quando ele gostaria mesmo é de fazer um curso técnico que dê acesso ao mercado profissional em pouco tempo!

  • Você corre o risco de entrar em conflito com o jovem em um período que por si só já é complicado,
  • O adolescente pode aceitar fazer o que te agrada mas ter péssimos resultados em seus estudos, necessitando de fazer uma reorientação tardia ou uma reconversão profissional,
  • Estudos universitários não são mais sinônimos de oportunidades de emprego e contratos assinados na saída.
  • Seu sucesso acadêmico e profissional depende de seu grau de contentamento. Aceitar que os estudos universitários não é adequado para todos.

Não antecipar a orientação educacional do seu filho

Os pais devem agir como um tipo de guia não intrusivo e antecipar as questões relacionadas a orientação escolar dos seus filhos.

Assim, deixar para o último ano do ensino médio o peso de todo esse processo de escolha só traria mais estresse para o jovem que pode acabar por fazer uma má escolha com relação a sua orientação educacional e ao seu futuro profissional.

Se os pais não conseguem chegar em um acordo juntamente com o estudante, uma saída seria consultar um profissional em orientação.

Algumas sessões com um profissional de orientação vocacional permitem aos indecisos encontrar algumas respostas e ver mais claramente sobre seu futuro, graças às orientações precisas sobre os tantos caminhos existentes no ensino superior ou na vida profissional.

A prevenção é a melhor forma de evitar certos inconvenientes consequentes de uma escolha de último minuto.

Mostrar sinais de estresse quando se trata da orientação educacional do seu filho

Estar na frente de um jovem perdido com relação a sua orientação educacional e profissional pode assustar alguns pais que podem, sem perceber, transmitir seu estresse aos filhos.

orientacao dos filhos
Não subestime a capacidade de seu filho em fazer suas escolhas próprias...

Confie no seu filho na capacidade dele em encontrar o caminho. Lembre-se também de que nenhuma escolha é imutável. Existem pontes entre as formações e sempre é hora de voltar atrás, se o aluno escolheu errado.

Mesmo que a primeira orientação seja importante, saiba que a maioria das profissões de amanhã ainda não existem. Portanto, há uma boa chance de que seu filho mude de emprego várias vezes na vida. Seu papel é tranquilizá-lo sobre sua orientação profissional, em vez de mostrar seu estresse.

Pense em sua própria formação e carreira. Você certamente fez más escolhas de orientação acadêmica, provavelmente seguiu em frente, sem dúvida mudou de empresa várias vezes, e está tudo bem...

Pensar que o orientador educativo não faz diferença

Para determinar as habilidades do seu filho, uma ajuda externa geralmente é muito útil. Ao longo dos anos, o trabalho de orientador educacional evolui muito.

Os centros de informação e orientação permitem que os alunos acessem as fichas de diversas profissões e interajam com um orientador educacional e profissional e façam uma avaliação de orientação escolar, entre outros.

Esse teste de orientação (com um orientador) permite revelar os interesses profissionais, a personalidade e os gostos do aluno, e a análise dos resultados permite que ele abra o caminho para diferentes profissões que ele poderia exercer.

Escolher um orientador escolar qualquer

Antes de escolher um orientador escolar, verifique se ele realmente não possui conflitos de interesse por ser afiliado a uma determinada universidade, empresa ou outra organização.

Não hesite em abordar o centro de orientação profissional do seu município se houver para obter recomendações de orientadores educacionais independentes.

Ao contratar um orientador profissional verifique suas qualificações, sua experiência e procure opiniões de ex-alunos/clientes para ter certeza de sua escolha. Peça para se encontrar com ele para fazer todas as perguntas necessárias.

Não hesite em contactar um dos nossos orientadores educacionais para estabelecer o projeto educacional da sua prole!

Precisando de um professor de Orientação educacional ?

Você curtiu esse artigo?

5,00/5 - 1 nota(s)
Loading...

Joseane

Apaixonada por Línguas e Culturas, sou uma viajante assídua que acredita que viajar é a melhor forma de aprender.