Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Quais são as canções mais difíceis para um pianista iniciante?

De Fernanda, publicado dia 25/09/2017 Blog > Música > Piano > As 10 músicas mais difíceis de tocar no piano

Quando começamos uma aula de teclado ou piano, na maioria das vezes, o principal objetivo é, naturalmente, progredir o mais depressa possível e sem muita dificuldade.

Queremos adquirir bases sólidas para conseguir finalmente tocar aquelas músicas preferidas que tanto amamos.

E vamos ser ainda mais específicos: a maioria dos pianistas busca tocar as cações que mais apreciam, seja para reproduzir fielmente como o artista, seja para trazer uma interpretação pessoal à obra.

Mas o pianista também tem ego, tem orgulho. Para provar seu valor, ele também vai tentar músicas mais difíceis e complexas de se tocar. E essas músicas nem sempre são as suas preferidas. Mas ele vai vai fazer de tudo para tocá-la bem, apenas para provar a sim mesmo (e aos outros) que consegue chegar lá. Estas músicas consideradas difíceis possuem os estilos mais variados no universo do piano.

Quer se divertir um pouco com este artigo? Pois bem, nós vamos rever obras clássicas, populares, conhecidas e desconhecidas. Você é um fã de Madagascar ou de Piratas do Caribe? Que tal saber como tocar essas trilhas na ponta dos dedos?

Prepare-se: quando você terminar de ler esse artigo e vai querer sair correndo para o teclado testar suas habilidades!

Pois aproveite todas nossas dicas e aprenda como se tornar um incrível pianista!

Os clássicos e suas composições complexas

Muitas vezes, é senso comum afirmar que as obras clássicas compostas pelos melhores pianistas do mundo são as mais difíceis de tocar. Por sorte, muitas dessas composições também são muito utilizadas no ensino do piano.

Mas saiba que algumas justificam sua reputação.

Qual é a influência da música clássica na música moderna? Beethoven inspirou muitos artistas. John Travolta pode testemunhar.

Sinfonia nº 5 de Beethoven (1804-1808)

Trata-se de uma obra lendária, composta por um gênio. Você provavelmente já ouviu suas notas nos filmes “O Mais Longo dos Dias” ou “Os Embalos de Sábado à Noite“.

Composta por quatro movimentos (Allegro con Brio, Andante con moto, Scherzo, e le Finale), e com duração de aproximadamente quarenta minutos, a quinta Sinfonia de Beethoven é uma das obras-primas do austríaco.

Como curiosidade, a composição desta música foi feita durante as guerras napoleônicas, enquanto a Áustria foi invadida pela França.

Quanto a Beethoven, então com trinta e poucos anos, já estava bem afetado pela surdez.

Poucos anos depois, esta sinfonia foi designada como obra de referência e uma das mais populares da música clássica.

Piano sonata n. 18 em dó maior (W. A. Mozart)

É óbvio que Mozart dispensa apresentações. Considerado por muitos como o maior gênio da história do piano, não poderia deixar de ser citado aqui.

Por um lado, devido à sua precocidade, mas também por causa da dificuldade e complexidade de suas composições (quem não se lembra da sua famosa flauta mágica, ópera de mais de duas horas).

As sonatas para piano de Mozart estão entre as mais difíceis de se tocar.

E a 18 oferece um panorama técnico impressionante. Variações de ritmos, mudanças de dedos e velocidades.

Você pode afirmar com segurança que é um pianista de talento quando tiver dominado as sonatas de Mozart – e especialmente a 18.

O Bolero de Maurice Ravel (1928)

Sem dúvida, um dos mais belos balés do século XX. Quem não se lembra desse clássico na famosa propaganda da Hellmans da década de 1980? Ou então do belíssimo filme de Claude Lelouch, Retratos da Vida? Uma melodia linda e viva, que dura cerca de 15 minutos.

A melodia se repete com regularidade ao longo da obra, mas as variações no crescendo e na orquestração conferem a ela um aspecto original, até mesmo único.

Tão único que é a composição de balé mais tocada nas maiores óperas do mundo desde a década de 1930, e mesmo em eventos como a Copa do Mundo de 1998 ou a cerimônia de encerramento das Olimpíadas de Sochi em 2014.

Tocata e fuga em ré menor de Jean Sebastien Bach (1703-1707)

Todos já ouviram esta música, a obra de referência do escritor Bach para órgãos. Criada em três episódios, foram necessários nada mais nada menos que quatro anos para ser elaborada. Controversa desde o início, teve sua autoria reivindicada pelo compositor Johannes Ringk, posteriormente por Johann Peter Kellner e finalmente atribuída a Bach quando jovem.

Rapidamente agradou a cultura popular. No século XX, ganhou um aspecto atemporal, servindo como trilha sonora de muitos filmes como Fantasia, 20 mil léguas submarinas, O poderoso chefão e até mesmo O aviador e Os Piratas do Caribe.

As suas primeiras notas entraram para a história, além de sua melodia tão bonita tão difícil, com acelerações e adaptação ao piano.

O pop e o difícil que ficou famoso

Canções populares também fazem parte do que chamamos de cultura musical. E ao contrário do que às vezes podemos pensar, essas composições podem ser muito difíceis e podem servir de base para sua aula de teclado para iniciantes ou avançado ou de piano.

E exigir habilidades e qualidades de pianista indispensáveis.

Life on Mars, por David Bowie (1971)

O que dizer dessa música, que entrou para outra dimensão depois da morte de David Bowie no início de 2017? Um dos seus maiores sucessos, é composta por uma melodia simples de piano, mas de extrema intensidade.

Embora possa ser considerada repetitiva, a grande particularidade desta música reside na sua intensidade, que vai ganhando cada vez mais importância ao longo dos minutos.

O que dá ao final uma melodia cult, cuja emoção é difícil de transcrever.

Para tocá-la, é necessário um certo tempo de prática do piano. É por esse motivo que essa música é difícil de tocar.

Quais são as melodias mais difíceis de aprender no piano? Os maiores artistas do século XX também eram pianistas. David Bowie é um exemplo – ele não tocava apenas guitarra!

Georgia on my mind, por Ray Charles (1960)

Os pianistas interessados ​​em cultura musical sabem muito bem que o jazz pode ser considerado como um gênero à parte – com certeza não é para qualquer um! E Ray Charles é provavelmente o maior virtuose neste campo.

E não só porque ele era cego. Sua música é completa, atemporal e também muito difícil de se transcrever.

Esta é uma das obras românticas de mais destaque do músico. A dificuldade nesta canção não está no ritmo, mas na própria melodia.

Para tocar esta música, você precisa senti-la, entendê-la. E estar bem ciente do significado e das palavras. Quando se trata de Ray Charles, os dois se relacionam. Essa é a maior dificuldade.

Tom Jobim e bossa nova

Sabemos das particularidades da bossa nova: esse ritmo é conhecido por suas harmonias rebuscadas, por seu refinamento melódico e pelo seu balanço peculiar e indescritível. Aprender a tocar esse estilo musical requer um estudo específico de suas características estético-musicais, como o sequenciamento e tipologia de acordes, o dedilhado, e muito mais.

Mas, para começar em grande estilo – uma vez que podemos também afirmar que Tom Jobim é música popular -, você pode atacar os clássicos desse grande compositor e pianista brasileiro. Que tal encarar uma Wave, Águas de Março, ou Chovendo na Roseira?

As lindas e difíceis trilhas sonoras

Embora essas canções logo acabem ficando datadas – bem como os filmes que elas ilustram -, as trilhas sonoras não poderiam deixar de estar nessa lista.

Elas possuem um nível técnico relativamente alto, exigindo capacidades pianísticas significativas. Por isso, não são adequadas à aula de teclado ou piano para iniciantes.

Se você for um bom cinéfilo, tocar essas canções será uma excelente motivação para avançar nos estudos do piano!

Você pode, por exemplo, estabelecer um prazo específico para aprender uma determinada canção no seu instrumento. Pode ser um jeito bem agradável de se atingir uma meta!

Encontre um bom profe para sua aula de teclado ou piano no Superprof!

O grande pianista do cinema. Quantas trilhas sonoras já foram compostas no piano por John Williams….

Comptine d’un autre été (Yann Tiersen)

Todos se lembram desta melodia de piano e acordeão de um dos filmes mais populares do início dos anos 2000: o Fabuloso Destino de Amélie Poulain.

Composta por um dos melhores pianistas do mundo, Yann Tiersen, essa música é muito difícil por um motivo particular – é uma obra para canhoto.

Pois bem, uma vez que 75% dos pianistas são destros, essa música pode ser definitivamente considerada complexa! Isso exige um treinamento particular no movimento dos dedos. Além da dificuldade de tocar uma música composta para canhotos, há ainda a velocidade do andamento.

Fly (Ludovico Einaudi)

Trilha sonora do filme francês Os intocáveis, não há uma pessoa que não se emocione ao ouvir essas notas (ainda mais se você estiver assistindo a esse filme). Possui uma melodia relativamente rápida e muito rítmica. Esta obra requer uma destreza considerável e um toque relativamente suave. Com certeza não é para qualquer pianista.

É uma música baseada na velocidade dos sequenciamentos, arpejos e acordes. Mas sem deixar a emoção e doçura de lado.

Trilha sonora de Interstelar (Hans Zimmer)

Como não falar sobre as obras mais difíceis e mais lindas no piano sem citar o mestre Hans Zimmer? Digno sucessor de John Williams, o alemão é a maior referência em trilha sonora hoje em dia.

E o mínimo que podemos dizer é que, com a trilha sonora de Interstelar, ele não só comprovou sua fama como emocionou milhões de pessoas. Uma música complexa, com acelerações rítmicas e melódicas.

É uma obra poderosa, baseada no crescendo.

Como em muita música de Hans Zimmer, sua base não possui um nível técnico muito complicado. São as mudanças rítmicas e as variações de sonoridade que fazem desta obra um verdadeiro exemplo de boa música de filme.

O piano é um instrumento de prestígio e faz jus a isso!

Enfrentar as músicas difíceis para aprender o piano

Tocar obras desafiadoras no piano faz você superar seus limites musicais. E acima de tudo, é a oportunidade de progredir rapidamente nos seus estudos.

Para chegar lá, não bastam cursos intensivos de teoria musical ou de solfejo! É a sua motivação que será a sua maior fonte de progresso para aprender a tocar piano. Você terá que ser perseverante e dedicado para conseguir.

Então alongue seus dedos, sente-se em frente de seu instrumento e faça a sua clave de sol mais bonita.

A teoria musical e os acordes não serão mais segredos para você!

Saiba também como encontrar uma boa aula de teclado online no Superprof!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
LUCIANA PADOVANI ABRAM Recent comment authors
Mas recentes Mais antigos Mais populares
LUCIANA PADOVANI ABRAM
Convidado
LUCIANA PADOVANI ABRAM

Parabens pelo conteúdo