Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Quais sãos os melhores tocadores de piano do mundo?

De Fernanda, publicado dia 03/06/2019 Blog > Música > Piano > Os maiores pianistas do planeta

Os maiores pianistas de todos os tempos são, obviamente, pianistas clássicos. Nomes como:

Maurice Ravel,
Franz Schubert,
Ludwig van Beethoven,
Wolfgang Amadeus Mozart,
Franz Liszt,
Claude Debussy,
Robert Schumann,
Sergei Rachmaninov,
Felix Mendelssohn
ou Wagner

sempre fazem os estudantes de piano sonharem! Algo que todos estudantes devem conhecer se desejam ingressar no universo do piano.

Qualquer um que seja louco por este instrumento, já sonhou algum dia em realizar perfeitamente um noturno de Frederic Chopin ou um prelúdio de Bach!

Hoje, os grandes pianistas contemporâneos procuram se inspirar nas joias deixadas por seus prodigiosos predecessores.

De gêneros totalmente diferentes, cada um dos pianistas que vamos detalhar aqui apresenta um estilo e características próprios que lhe renderam o título de gênio.

Pronto para descobrir os melhores virtuoses do mundo? 

Quem sabe isso não irá motivá-lo a ter uma aula de teclado ou piano?

Compositores de trilhas para o cinema

Muitos grandes compositores de trilhas são pianistas.

Os melhores pianistas do mundo são inspirações para todos os músicos! Interestelar: cenas belíssimas e uma trilha sonora de arrepiar a pele.

Hans Zimmer (59 anos)

É provavelmente o compositor mais famoso do início do século XXI com uma música mais lendária que a outra.

Hans Zimmer começou sua carreira como compositor de música eletrônica (as aparências enganam!). Logo chamou a atenção de um produtor de Hollywood. Este foi o início de seus tempos de glória.

Ele criou seu estúdio “Media Ventures” e compôs sua primeira trilha em 1989 para o filme Chuva negra, de Ridley Scott. Em 1994, teve seu ano de consagração ao ganhar um Oscar, um Globo de Ouro e um Prêmio Grammy pela trilha sonora do Rei Leão.

Desde então, a música composta por Zimmer permaneceu na memória: A origem, Maré vermelha, Piratas do Caribe, Sherlock Holmes, InterstelarGladiador…. Este último continua sendo o maior sucesso do compositor alemão, com mais de 50 milhões de álbuns de trilha sonora vendidos.

Hoje, Hans Zimmer tem mais de 55 filmes no currículo, tornando-o um dos compositores mais conhecidos da história.

John Williams (84 anos)

Se Hans Zimmer se estabeleceu como um dos maiores compositores de trilhas sonoras originais desde o final da década de 90, o mestre do assunto continua sendo John Williams.

Seu currículo é simplesmente impressionante, incluindo quatro Oscars de melhor trilha sonora com mais de cinquenta indicações (o maior da história da música depois de Walt Disney) e uma carreira que se estende há mais de seis décadas.

Note que John Williams também é um virtuose quando se trata de violino ou violão! Um verdadeiro artista multidisciplinar!

Williams é conhecido por ser o compositor favorito de Steven Spielberg: ele compôs as trilhas sonoras originais de E.T, os episódios de Indiana Jones, a série de filmes Jurassic Park, Superman.

Permanecerá nas memórias mais jovens por compor a música para os três primeiros Harry Potter, mas especialmente toda a trilha sonora da saga Star Wars (incluindo os últimos episódios).

O talento de John Williams vai além do cinema, pois também compôs o hino de três jogos olímpicos e a peça tocada na posse de Barack Obama em 2008.

Ludovico Einaudi (61 anos)

Falar de cinema e música sem evocar um compositor italiano seria como cometer um crime contra essas duas artes, não é verdade?

Ludovico Einaudi, sem dúvida, é sinônimo de magníficas composições para os bons conhecedores, mas para os outros, aqui está um breve resumo das colaborações que deram fama ao pianista italiano:

Os Intocáveis, de Olivier Nakache e Eric Toledano (2011)
J. Edgar de Clint Eastwood (2011),
Samba, Olivier Nakache e Eric Toledano (2014),
É Apenas o Fim do Mundo, de Xavier Dolan (2016),
Mommy de Xavier Dolan (2014) …

Os compositores clássicos

Sem eles, o que seriam dos compositores atuais? Técnica refinada, elaboração harmônica e influência sobre gerações inteiras de pianistas. Os compositores clássicos marcaram para sempre a história da música.

Frédéric Chopin (1810-1849)

É amplamente conhecido como um dos maiores compositores para piano e um dos pianistas mais importantes da história. Entre as obras faraônicas que Chopin nos deixou, haverá concertos, numerosas valsas e prelúdios. Quando falamos de piano clássico, este é inevitavelmente o primeiro nome que nos vem à mente e claramente isso não é uma coincidência.

Chopin e seu piano Chopin é homenageado até hoje com um grande símbolo do piano clássico.

Um ouvinte do pianista franco-polonês dirá um dia que “ouvir a mesma música tocada duas vezes por Chopin, é o mesmo que ouvir duas músicas diferentes” .

De fato, Chopin se destacou por uma musicalidade diferente e um conhecimento quase científico do piano.

Seu toque no piano e seu conhecimento da essência dos sons que poderiam ser emanados de cada dedo da mão inevitavelmente fazem dele o melhor. E isso sem mencionar sua capacidade bem acima da média de improvisar.

Ludwig van Beethoven (1770-1827)

Atingido pela surdez aos 27 anos, Beethoven ainda é um dos maiores pianistas de todos os tempos. O trabalho por trás de sua fama é considerável. Por exemplo, ele criou 35 sonatas para piano e 9 sinfonias, das quais a quinta permanece até hoje como a mais conhecida de todas.

Beethoven é um representante do classicismo vienense, ao lado de outros compositores famosos como Haydn, Gluck e Mozart.

Seu estilo é caracterizado em particular por um tema (melodia) simplificado, em oposição à música barroca que inclui uma nuance muito mais complexa para ser assimilada pelo ouvinte. A harmonia geral da música também é muito mais respeitada.

Na escola clássica, Beethoven representa para alguns o compositor inacessível. Sua vertente também é caracterizada por uma música de contraste capaz de despertar diferentes emoções, que podem transcrever as mudanças de instrumento.

Wolfgang Amadeus Mozart

Como não falar do mais famoso compositor clássico de todos os tempos? Considerado o mais talentoso por alguns, podemos dizer que há um consenso: Mozart era um prodígio, de violino e piano.

Como Beethoven, ele é um dos principais representantes da escola clássica vienense. Seu trabalho é também um dos mais densos do repertório clássico. De fato, o catálogo da Köchel lista 626 cmposições diferentes.

A vida do jovem Mozart permite-lhe desde cedo conhecer instrumentistas e compositores de todas as origens e, assim, ter muitas influências. Ele é originalmente um talento imitador, copiando e potencializando tudo o que ouve.

Claude Debussy (1862-1918)

Alguns conservadores vão chorar chauvinismo, preferindo outros grandes compositores como Bach ou Rachmaninov, mas Claude Debussy é claramente uma referência quando se fala de talento no piano.

Para alguns, talvez seja o pianista clássico favorito e essa classificação inevitavelmente tem uma certa subjetividade!

André Boucourechliev dirá que ele encarna a verdadeira revolução musical do século XX. Debussy permanece inclassificável, já que a maior parte de seu trabalho não é convencional.

Embora fosse especialista em técnica de piano, Debussy alcançou sucesso ao longo de sua vida para coexistir o sentimento de criatividade total. De certa forma, ele define as regras do trabalho que ele cria.

Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893)

Tchaikovsky foi um compositor romântico russo que compôs gêneros como sinfonias, concertos, óperas, ballets, para música de câmara e obras para coro para liturgias da Igreja Ortodoxa Russa. Com cinco anos já dedilhava o piano e aos sete já compunha.

Algumas das suas obras encontram-se entre as mais populares do repertório erudito.”O Lago dos Cisnes”, seu primeiro balé, estreou no teatro Bolshoi em Moscou. “A Bela Adormecida”, o “Quebra Nozes” e a “Quarta Sinfonia” são algumas de suas composições.

Considerado como o primeiro compositor russo a conquistar fama internacional, foi maestro convidado no final da sua carreira pelos Estados Unidos e Europa.

Os grandes virtuoses

Eles são mestres. Muitas vezes é neles que nos inspiramos quando decidimos aprender o piano.

Seus dedos fluem pelo teclado a uma velocidade impressionante e com uma precisão louca. Sua destreza no piano é desmedida. Eles tocam as peças mais difíceis com a maior facilidade.

Para eles, o piano é um instrumento de prestígio. Com uma técnica irrepreensível, eles são capazes de criar composições alucinantes ou improvisações de tirar o fôlego! Um breve passeio pelo horizonte.

Saiba como encontrar uma boa aula de teclado no Superprof!

Lang Lang (33 anos)

Com apenas 35 anos, o chinês já está no auge da sua carreira!

Reconhecido por seu toque “teatral” (os críticos dirão que às vezes até demais), no seu trigésimo aniversário, ele tocou na Alemanha no O2 World de Berlim diante de 10 mil espectadores.

Ele também se apresentou no Grammy Awards com a banda Metallica com um incrível solo de 6 minutos:

Lang Lang é o mais novo queridinho do piano. Ele começou a tocar o instrumento com apenas 3 anos e meio, no Conservatório de Pequim. Um verdadeiro talento.

Radu Lupu (70 anos)

Também formado na Academia Russa, o romeno é provavelmente o mais discreto dos grandes pianistas contemporâneos. Apesar de realizar concertos ao redor do mundo com as melhores orquestras sinfônicas, ele regularmente se recusa a dar entrevistas, o que reforça seu lado misterioso.

Lupu é uma pianista atípico. Ele não usa um banquinho, mas uma cadeira de escritório, por exemplo. Do mesmo modo, nunca grava suas músicas. Toca apenas ao vivo.

Lupu recebeu vários prêmios, como o Grammy para Melhor Performance Instrumental Solo em 1996. Ele se considera um “pintor de piano”. Sem dúvida, com razão, visto seu talento!

Sonya Belousova (26 anos)

Infelizmente, as mulheres são muitas vezes esquecidas nos rankings, como em diversos outros aspectos…

Sonya Belousova é um exemplo. Ela também é representante da mais recente geração de pianistas.

Nascida em São Petersburgo, foi vencedora de várias competições internacionais e reconhecida pelo Ministério da Cultura russo desde os 13 anos por seu talento inicial e excepcional.

Compositora, mas acima de tudo improvisadora imprevisível, ela é capaz de compor em cima de uma música que ouviu apenas uma vez!

Ela atua regularmente em teatros em todo o mundo, especialmente na Rússia e nos Estados Unidos. Suas versões dos grandes clássicos cinematográficos ou de videogames possuem uma rara riqueza melódica e também fazem bastante sucesso junto ao público mais novo.

Ela também é conhecida por sua colaboração com Jorge Calandrelli, famoso compositor argentino, 6 vezes vencedor do Grammy Awards.

Martha Argerich (77 anos)

É importante destacar alguns artistas contemporâneos que reproduziram brilhantemente as criações de ilustres de compositores clássicos. Martha Argerich é uma dessas.

Uma verdadeira personificação da precocidade, Martha iniciou-se no piano aos dois anos e meio. Sua mãe dizia a ela que ela tinha habilidade desde a infância para tocar oitavas como quem aprende notas simples.

Aos 8 anos, ela já tocava o concerto número 1 em dó maior de Beethoven.

Aos 14, emigra para a Europa, onde esbarraria em grandes mestres do instrumento, o que mudaria completamente a sua progressão no piano.

Ela ganhou, com apenas 16 anos, duas competições de prestígio no espaço de duas semanas: a competição internacional de performance musical em Genebra e o concurso Busoni.

Yeol Eum Son (31 anos)

Yeol Eum Son já é uma estrela da música clássica em seu país.

Fez sua primeira aula de teclado ou piano aos três anos e meio e entrou na Universidade Nacional de Artes da Coreia aos 16 anos. Aos 18 anos, gravou os estudos completos de Frédéric Chopin.

Ele já fez parceria com grandes músicos na Orquestra Filarmônica de Nova York sob a regência do maestro Lorin Maazel, passando também pela Orquestra Sinfônica da Rússia, de Praga e de Roterdã mais recentemente.

Ao longo de sua breve mas rica carreira, recebeu inúmeros prêmios, como o segundo lugar no prestigiado Concurso Internacional Tchaikovsky em 2011.

Descrevendo-se como um pianista emocional, sensível mas, no entanto, poderoso e vigoroso, Yeol Eum Son é um admirador incondicional do trabalho de Chopin e Mozart.

Arthur Rubinstein (95 anos)

Aclamado internacionalmente por suas performances de Chopin e Brahms, certamente é um dos melhores pianistas virtuosos do século XX.

De família judaica, Rubinstein nasceu na Polônia e começou a tocar piano muito cedo, com apenas três anos, e aos 6 tocou em público pela primeira vez.

Da Polônia seguiu para Berlim, onde prosseguiu com seus estudos. E em 1906 esteve pela primeira vez em Nova York quando se apresentou. Em Paris, vira professor de piano e atua como intérprete militar em Londres, ao longo da Primeira Guerra Mundial.

Villa-Lobos, que o pianista conheceu em uma visita ao Brasil, em 1919, reservou-lhe uma peça: seu famoso Rudepoema (1926).

Rubinstein apresentou-se em muitos países – As Américas, Europa, África, Ásia e Oceania – e tornou-se uma celebridade. Suas gravações, sempre muito bem recebidas, revelam um extenso repertório: Chopin (integral das obras para piano), Schumann, Granados, Falla, Prokofiev, Villa-Lobos e Stravinsky, e música de câmara, além de concertos de Chopin, Brahms, Beethoven, Mozart, Schumann, Grieg, Tchaikovsky, Rachmaninoff e Saint-Saëns.

Tatum Art (1919-1956)

Quando se fala em virtuosos do piano, os compositores clássicos são representados em maior número. Mas isso não significa que não podemos mudar o estilo e citar alguns pianistas de jazz, por exemplo.

Pianista não clássico Tatum Art é um exemplo de pianista de jazz.

Art Tatum é, segundo a opinião de muitos, o maior pianista de jazz da história e um dos maiores pianistas dentre os vários estilos existentes.

Meio cego, Art Tatum usava braile para aprender piano e tinha um ouvido musical absolutamente fabuloso. Uma noite, enquanto estava tocando e Art Tatum estava na sala, o pianista Thomas Waller disse: “Estou tocando esta noite, mas Deus está conosco no salão” .

Com uma técnica e velocidade fora do comum e uma energia no instrumento inenarrável,  Art Tatum deslumbrou seus contemporâneos a partir de suas performances.

Outra “fofoca”: Lester William Pol lsfuss, mais conhecido pelo nome Les Paul queria começar sua carreira como pianista de jazz. Depois de ouvir Art Tatum ao piano, ele decidiu se dedicar ao violão, convencido de que nunca poderia superar esse Deus.

Oscar Peterson (1925 – 2007)

Em 2015, o mundo do jazz e do piano em geral comemorou o 90º aniversário do nascimento do lendário Oscar Peterson. Nesta ocasião, um álbum de composições de jazz (“Oscar, with love”) foi laçado como um presente do céu para seus fãs.

Tudo começou nos bairros negros de Montreal. Muito cedo, aos 5 anos, Oscar Peterson teve contato com música, por meio do trompete. Mas logo ele descobre o instrumento de cordas que vai marcar sua trajetória musical. Aos 10 anos de idade, passando horas e horas tocando notas pretas e brancas, ganha um apelido: The brown bomber of the Boogie-Woogie. Enough said

Se tornou um músico profissional apenas aos 14 anos de idade. Uma genialidade que manteve ao longo de sua vida, cultivando sua musicalidade, inventividade e senso de melodia, com um trabalho árduo: 6 horas de prática por dia.

As estrelas da música que também são pianistas

Esses cantores-pianistas já marcaram a história do piano graças ao seu talento e suas composições.

Chris Martin (39 anos)

Com milhões de álbuns vendidos, uma voz reconhecível e melodias que já fizeram o planeta inteiro dançar: apresentamos o líder do Coldplay, esse grande pianista!

São dezenas de hits, entre eles The Scientist, Paradise, Fix you, Lovers in Japan e mais recentemente A Sky Full of Stars, Adventure for a Lifetime ou ainda Hymn for the Weekend.

Chris Martin estudou como autodidata e formou sua primeira banda aos 14 anos na Inglaterra. Hoje, o Coldplay é um grupo de referência que participou do show de abertura do Superbowl em fevereiro de 2016 na frente de mais de 700 milhões de telespectadores.

Matthew Bellamy (37 anos)

Como Chris Martin, Matthew Bellamy encarna virtualmente a imagem de sua banda, Muse.

Autor, compositor e cantor dos maiores sucessos do grupo: Psycho, Hysteria, Supermassive Black Hole ou Starlight, o inglês se distingue pela sua versatilidade.

Além do piano, que aprendeu aos 5 anos, ele também é guitarrista e toca bandolim.

Seu talento como cantor é reconhecido, pois cobre 3 oitavas. A revista Bilboard o designou em 2014 como o 9º melhor vocalista de banda da história.

Pianistas reconhecidos no mundo musical. Quem não reconhece o toque melódico do rock de Matthew Bellamy?

Aretha Franklin (1942-2018)

Como fazer um ranking das estrelas da música que também são pianistas sem mencionar esse nome?

A cantora norteamericana de jazz, gospel e rhythm and blues é um ícone planetário. Aliás, foi nomeada como a terceira das personalidades afro-americanas mais famosas da história, atrás de Martin Luther King e Barack Obama!

Ela já vendeu mais de 75 milhões de discos em todo o mundo e continua a ser a artista feminina mais conhecida da história! Em 45 anos de carreira, acumulou nada menos do que 18 Grammys.

Seu curriculum é extenso, como você deve saber. Para aqueles que querem ouvir ou descobrir Aretha Franklin no piano, nós aconselhamos You send me ou I Say A Little prayer for you.

Em 2018, ela nos deixa com um repertório riquíssimo e uma história de uma mulher que mudou a música para sempre. Um verdadeiro legado!

Em 2019, Aretha se tornou a primeira artista feminina a vencer o Prêmio Pulitzer, que foi concedido por “sua contribuição indelével à música e cultura americanas por mais de cinco décadas”. O prêmio foi atribuído postumamente.

Respeite Aretha 😉

Alicia Keys (35 anos)

Misturando uma voz poderosa e inspirada, uma melodia rítmica com uma perfeita harmonia de piano e voz, Alicia Keys é uma excelente cantora, mas também uma pianista reconhecida.

Seu primeiro álbum, Song in A Minor, fez um sucesso surpreendente, vendendo mais de 12 milhões de cópias em todo o mundo.

Recomendamos em especial o álbum The Diary of Alicia Keys que mistura piano, rhythm and blues, jazz e soul. Atenção especial para a canção If I Ain’t Got You ou outras como Harlem’s Nocturne, que são verdadeiras obras de arte.

Para resumir

  • Fazer um verdadeiro ranking dos melhores pianistas do mundo é, obviamente, difícil ou impossível! Porque aprender o piano não se resume aa uma categoria ou a uma idade mínima; falar do décimo ou vigésimo melhor pianista do mundo é algo que realmente não faz sentido.
  • Tudo depende da sua influência musical, da sua sensibilidade, dos artistas que o influenciaram em momentos específicos da sua vida.
  • Todos eles são verdadeiros gênios musicais, cada um com seu próprio estilo, desde a música cinematográfica até a voz clássica ou da associação voz-piano.
  • Mesmo que alguns desses artistas não o sensibilizem por seu estilo musical, é impossível não reconhecer neles um certo talento sobre esse instrumento tão bonito e complexo que é o piano.

Mas quais são as músicas mais difíceis de se tocar no piano?

Saiba também como encontrar um bom professor para aula de teclado para iniciantes ou de piano ou ainda uma aula de teclado online no Superprof.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de4,67 sob 5 de 3 votos)
Loading...
avatar
2 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
Robert BarbosakiraBrunno Recent comment authors
Mas recentes Mais antigos Mais populares
Brunno
Convidado
Brunno

Faltou um pianista e compositor excelente Frédéric François Chopin

kira
Convidado
kira

ia comentar agr sobre a ausência de Chopin

Robert Barbosa
Convidado
Robert Barbosa

Have we missed Mr. BOBBY SHORT, pianist and Composer.
I also Love the great performance on the piano from Diana Krall.
Thanks. Rbt.