Essa língua tem tudo para te seduzir: uma civilização milenar, uma cultura fantástica, uma gastronomia sutil e refinada, além de uma filosofia de vida diferente da mentalidade ocidental!

Então seja aventureiro e venha aprender japonês (para dar aula)!

Direcione-se a terra do sol nascente com o sensei Superprof...

1. Dominar uma língua tão longe das latinas e portuguesa

Quer mudança maior que falar japonês ou aprender japones?

Começando pela escrita baseada em caracteres (além do rômaji, ou seja, a língua japonesa traduzida no alfabeto latino) e sua pronúncia, o japonês te levará longe do país tropical e irreverente que é o Brasil!

O japonês se enriqueceu durante o curso da história. Primeiro, pela utilização de muitas palavras da língua chinesa escrita. Depois, pelos empréstimos frequentes de várias línguas europeias, incluindo o inglês.

A língua usa dois conjuntos distintos de caracteres:

  • Os kanji,
  • Os kana: o último se divide em dois grupos, hiragana e katakana.

Existem vários métodos de transcrição da língua nipônica em letras latinas. O mais utilizado no exterior é o método Hepburn modificado ou revisado. Você aprenderá durante as aulas online de japonês, com um professor de japonês.

Para aprender a língua nipônica, um dos manuais de referência usados ​​em escolas de idiomas no Japão é o Minna no Nihongo.

O Japão ama quadrinhos
Longe de casa: este bichinho é conhecido de todos e é japonês

Dois desses livros permitirão que os iniciantes aprendam as noções básicas da língua e, em seguida, se aproximem de um nível que lhe permitirá falar japonês e dialogar sem muita dificuldade, todos os dias.

Você também pode fazer um curso de japonês com um professor Superprof que pode lhe ensinar o alfabeto japonês, o básico da pronúncia, aprender frases úteis, bem como um número de palavras do vocabulário japonês.

2. Pela incrível riqueza cultural japonesa

Por que não aprender japonês (para conhecer a cultura do país) e descobrir o judô em paralelo? O judô, literalmente o caminho da flexibilidade, foi criado no Japão em 1882.

A cultura nipônica é rica em tradição e modernidade.

Como explica um artigo escrito por Kondô Seeichi, atual Comissário da Agência para Assuntos Culturais do Japão, os japoneses têm uma relação especial com a natureza.

"Se apenas uma particularidade do pensamento japonês fosse mencionada, seria a visão da natureza. No Ocidente, considera-se que o que faz a nobreza do homem é a sua capacidade de raciocinar [...] Os japoneses acreditam que o homem é apenas parte da natureza, que dominar a natureza é presunçoso, e é necessário colocar-se no mesmo nível da natureza para viver em osmose com ela."

Aqui estão algumas das artes culturais que farão você querer aprender japonês (o que você está esperando?), pelo menos é o que desejamos (!):

  • O teatro noh: uma mistura de canto e dança com temas tratados num tom trágico.
  • O kabuki: desenvolvido e interpretado por homens, o kabuki é a forma épica do teatro tradicional japonês. "Distingue-se pela composição elaborada de atores e a abundância de dispositivos cênicos destinados a destacar os paroxismos e reversões da peça", segundo a Wikipedia.
  • A arte do jardim japonês: é feito como uma verdadeira obra de arte que reúne montanhas, mar, rios e lagos em miniatura. Para visitar imperativamente durante uma viagem ao Japão ou para fazer um curso de japones in loco.
  • O sumô: eles são quase inevitáveis ​​na arte desse país. Esses lutadores imponentes, de fato atletas, são elevados ao nível de semideuses. Não perca os ritos tradicionais que acompanham os combates.
  • musica: a música do Japão inclui uma grande variedade de estilos distintos tanto tradicionais quanto modernos. Uma boa oportunidade para conhecer os clássicos karaokês e ouvir a expressão local.

E não esqueçamos que as artes marciais como o judô e o aikido nasceram no Japão ou mesmo o origami, a arte do dobramento de papel, que agora é conhecida em todo o mundo.

E que tal conhecer um museu no Japão?

3. Passear por Tóquio e descobrir a loucura da capital

Capital do Japão, Tóquio é uma megalópole que fará você virar sua cabeça com seus 13 milhões de habitantes!

Localizada na costa leste da ilha principal do arquipélago de Honshu, ela abriga as principais instituições do país como a residência do imperador, o parlamento, os ministérios e todas as embaixadas estrangeiras.

Para descobrir Tóquio e se familiarizar com a língua, assista ao filme Encontros e Desencontros de Sofia Coppola. A história de uma estrela de TV em declínio (Bill Murray) que se apaixona pela esposa de um famoso fotógrafo, realizado pela magnífica Scarlett Johansson.

Uma imersão assombrosa em Tóquio subterrânea e animada, incluindo o karaokê de um prédio em Shibuya, onde as janelas permitem uma vista panorâmica da cidade ou o clube Wob, onde os dois atores se divertem e aproveitam a noite. Tóquio é simplesmente uma cidade fascinante, dia e noite.

À descobrir!

Por que não ir a Tóquio como parte de um estudo de idioma e fazer aulas de japones? Por que não considerar uma estadia linguística nessa cidade para conhecer pessoas e aprender japonês de graça?

4. Ler mangás na língua original

O "Cool Japan" nos deu alguns exemplos maravilhosos da arte nipônica nas últimas décadas, mas o que nos lembramos principalmente são os mangás que estão vendendo milhões de cópias!

Podemos imaginar que você sabe o que é um mangá, mas aqui está a definição para quem ainda não conhece: uma história em quadrinhos, uma série dividida por volumes e desenhada por um mangaka. As histórias  evocam aventuras, bem como amor e motivos cômicos. Sua adaptação em desenhos animados é chamada Anime, uma diminuição da palavra animēshon.

Fazer curso de japonês online também permitirá que você leia mangá e aperfeiçoe seu vocabulário japonês!

Esses quadrinhos são muito populares no Japão. Tenha cuidado, a maioria dos mangás é lida da direita para a esquerda e está em preto e branco. Lembre-se de usar um dicionário japonês para ajudá-lo!

A geração de nossos pais e avós se voltaram para os quadrinhos franco-belgas. A geração de agora está focada no mangá! Eles são direcionados para leitores mais diversificados por idade, sexo e gostos!

Estude em uma instituição no Japão
Eles podem ser seus coleguinhas de classe! Eles poderão lhe ajudar a aprender novas frases!

Uma maneira original e divertida de aprender a história e a cultura do país. Mais um dado interessante sobre o Japão (saiba japonês para visitar o país): estima-se que um em cada doze japoneses leia pelo menos um mangá por semana.

5. Apreciar o cinema japonês

O cinema japonês tem uma história que remonta aos primórdios da 7ª arte. Atualmente, é o terceiro maior cinema do mundo em número de filmes produzidos. Os principais gêneros do cinema japonês são:

  • Os desenhos animados: quem nunca ouviu falar das maravilhas realizadas por Hayao Miyazaki (A Viagem de Chihiro)?
  • Filmes de samurai.
  • Filmes de terror. The Ring, dirigido por Hideo Nakata, foi um sucesso quando foi lançado em 1998.
  • Os filmes da Yakuza.

Por que não assistir filmes japoneses, ouvir no idioma original e aprender japonês? Os filmes de samurai ainda são populares, como mostra o sucesso de Tarantino em Kill Bill.

Descubra o ator Takeshi Kitano no filme Brother (2001) ou Zatoichi (2003) em que Kitano é ator e diretor. O último filme filme recebeu o Leão de Prata no Festival de Cinema de Veneza.

6. Explorar a culinária nipônica

Essa culinária é uma das mais refinadas do mundo e rapidamente conquistou o mundo. Quem nunca provou sushi ou sashimi?

Aqui estão alguns dos pratos selecionados pelo site da Agência Nacional de Turismo do Japão e você terá a oportunidade de provar, o que lhe dará água na boca!

  • Sukiyaki: fatias de carne picada servida com legumes, tofu e massa fininha.
  • Tempura: camarão, peixe ou legumes fritos em óleo vegetal.
  • Sushi: pequenas fatias de peixe ou frutos do mar, cru, colocado em um arroz de vinagre de bolinho.
  • Sashimi: fatias de peixe cru provado com molho de soja.

Sem mencionar o shabu-shabi, soba, udon e yakitori ou saquê, vinho de arroz que os japoneses costumam beber quente.

Por que não aprender a fazer sushi caseiro? Peixe cru e arroz "unidos venceremos" são a base da dieta nipônica, deliciosa, nutritiva e leve!

Kanpai!

7. Visitar o Japão de ilha para ilha

Desde 1945, o Japão é formado por um arquipélago de 6.852 ilhas. As quatro maiores são Hokkaido, Honshu, Shikoku e Kyushu.

Se você quer escapar do tumulto das grandes cidades, você sempre pode se regenerar em uma das muitas ilhas:

Conheça a língua japonesa
Belo monumento japonês
  • As ilhas de Okinawa. Não perca a Ilha de Yakushima e seus cedros de mil anos, bem como os tubarões-baleia do Aquário de Okinawa.
  • Hokkaido no norte do país, imperdível se você gosta de natureza e parques nacionais.
  • A ilha de Miyajima, localizada ao lado de Hiroshima, é um dos pontos turísticos mais fotografados do país, devido ao seu torii vermelho dentro do mar.

8. Explorar os templos de Quioto

Kyoto, uma cidade no centro de Honshu, tem mais de 2 mil templos, santuários, palácios, pontes e jardins.

Muitos templos também são classificados como Patrimônio Mundial pela Unesco e merecem uma olhada em sua descoberta da história.

Confira os principais templos religiosos que você não pode deixar de conhecer (dicas do portal Quanto Custa Viajar):

  • Templo Kiyomizu-dera: Construído em 798 e modificado para a forma atual em 1663, este templo rodeado por pagodas é feito com madeira e fica em meio a uma floresta, de onde se avista toda a cidade.
  • Templo Kinkaku-ji: um dos templos zen-budistas mais conhecidos no país, o Kinkaku, ou “Pavilhão Dourado”, também fica cercado por árvores. Com três andares, sendo os dois últimos folheados a ouro, o templo construído em 1397 tem arquitetura exuberante e uma estátua de Fênix ao topo.
  • Templo Sanjusangendo: construído em 1164 e refeito em 1266, por conta de um incêndio, este edifício é composto por 33 baias em seu comprimento e acabou ganhando fama por suas formas. Diversas estátuas de divindades ficam expostas num corredor, representando deuses que vão de acordo com a antiga mitologia nipônica.
  • Santuário Fushimi Inari: situado no alto da montanha Inari, o espaço abriga diversas capelas e templos xintoístas. Cercado por verde, dá para notar uma floresta de bambus, mas o que chama a atenção é a entrada, formada por um portão vermelho no estilo torii e assim se segue o caminho até o topo. Não há uma data exata de construção, mas parece que o santuário já estava na região em meados do século 8.
  • Templo Yasaka Shrine: seguindo também a doutrina xintoísta, este santuário apelidado de “Gion-san” fica no bairro das gueixas, Gion. No mês de julho, o templo, datado em 656, atrai diversos turistas para o festival “Gion Matsuri”, um dos mais famosos do país.

 

Templo religioso de Quioto
O Pavilhão Dourado de Kyoto: um dos templos zen-budistas mais conhecidos, o Kinkaku

9. Trabalhar na 3ª maior economia do mundo

As trocas e parcerias entre o Brasil e o Japão são numerosas e o universo japonês atrai cada vez mais brasileiros, e principalmente a grande população nipo-brasileira.

O Japão é o terceiro país mais rico do mundo, com um PIB de mais de US $ 4,17 bilhões em 2016, segundo a JDN. E a taxa de desemprego japonesa em outubro de 2019 foi de 2,3%. Uma porcentagem que invejaria muitos economistas de outros países!

Aprender japonês é um grande trunfo para colocar os pés em um grande grupo industrial como Toyota, Nissan, Hitachi, Panasonic ou Mitsubishi.

Ser capaz de falar japonês com seus colegas de trabalho demonstrará uma forte motivação de sua parte, o que só pode acelerar sua carreira. Se você quer ir ao país para trabalhar, aprenda a escrever em japonês. Para isso, pergunte a sua empresa se ela pode pagar suas aulas online de japones para iniciantes com um professor de idioma nativo, por que não?

Além disso, considere fazer o Teste de Proficiência em Japonês, mais conhecido como Japanese Language Proficiencny Test (JPLT), um exame oficial organizado em julho e dezembro de cada ano, com o objetivo de certificar o nível do idioma para estrangeiros.

No site, você também pode descobrir que as relações entre o Brasil e o Japão e são muito boas!

10. Dominar a arte ancestral da caligrafia japonesa

Essa é uma das artes mais populares na terra do sol nascente!

Consiste em usar caracteres japoneses para criar um trabalho esteticamente belo e emocionalmente forte.

A culinária do Japão é amada pelo mundo inteiro
Como algo tão simples pode ser tão bom? Japonês...

É possível aprender caligrafia japonesa com cursos que duram entre 2 e 3 horas.

A caligrafia também permitirá que você enriqueça seu vocabulário aprendendo novas palavras e frases em japonês.

Aprender caligrafia pode ser doloroso, mas proporciona um verdadeiro bem estar mental.

Ensinado em todas as escolas do país, mas também durante a aula de japones, o Shodô é mais uma disciplina de conquista que uma simples técnica artística de escrever...

Pratique a caligrafia e aprenda japonês para adquirir:

  • desprendimento,
  • controle da respiração,
  • uma fusão com a natureza.

Todos esses objetivos estão relacionados com a perfeição estética nutrida pela filosofia zen. A influência do Zen é onipresente nessa disciplina, assim como na aprendizagem do japonês. O autocontrole é uma ideia chave na caligrafia e na aprendizagem.

Assim, um professor que ensina a caligrafia vai ensinar o seu aluno valores como a espiritualidade ou o desenvolvimento das paixões.

Tantos valores que também são transmitidos quando você aprende a linguagem em suas aulas online de japonês!

11. Explorar as oportunidades de estudo no Japão

Com um sistema educacional de alta qualidade e elementos culturais atrativos e diversificados, o país também é o destino ideal para muitos jovens estudantes internacionais.

Seja para simplesmente iniciar ou aprimorar o aprendizado do idioma, ou então até mesmo se quiser se matricular em uma instituição de ensino superior, uma coisa é certa: a qualidade do ensino é de alto nível. De acordo com dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), é o país com o maior nível de igualdade na educação, quando comparado a outros países com índices de desenvolvimento similar.

Cerca de 10 ou mais de suas universidades frequentemente estão listadas entre os top-200 do mundo. Também é considerado uma referência mundial em relação à pesquisa, especialmente nas áreas de química, física e medicina.

Para isso, o país tem investido cada vez mais em cursos ministrados em Inglês; recrutamento de pessoal docente global; e programas de intercâmbio internacionais.

Conheça as cinco melhores universidades segundo o site Japão em Foco:

  1. Tokyo Daigaku (Todai) é considerada como a melhor universidade da Ásia e está entre as 30 melhores do mundo. Tokyo Daigaku é a mais antiga e tradicional universidade do país. Todos os anos são matriculados uma média de 30 mil alunos, dos quais em média 2 mil (6,5%) são estudantes estrangeiros.
  2. Kyoto Daigaku (Kyodai) é a segunda mais antiga e tradicional universidade do país, conhecida por promover o “espírito de liberdade”. Parece que tem dado certo, pois seis ganhadores do Prêmio Nobel eram desta universidade. Ocupa a 54° posição no ranking mundial e é muito procurada por estrangeiros, por estar localizada em uma cidade com grande valor turístico, histórico e cultural.
  3. Osaka Daigaku (Handai) é considerada a 43° melhor do mundo por seus cursos de direito, ciências, tecnologia e medicina. A Handai foi fundada em 1868, estando entre as mais antigas do país. Enquanto muitas universidades se mantem fechadas para o mundo fora do país, a Universidade de Osaka tem acordos de intercâmbio com 78 universidades internacionais.
  4. Keio Gijuku Daigaku está entre as mais antigas (1858). Está localizada em Minato, Tóquio e apesar de ser privada, é uma das universidades mais conceituadas nacionalmente. Nesta faculdade com forte ligação política, está a elite do país. Apesar de estar entre as melhores do país, Keio ocupa o 320° do mundo, segundo o Ranking Mundial de Melhores Universidades do Times Higher Education.
  5. Tokyo Kogyo Daigaku (Tokodai) é a maior instituição de ensino superior dedicado à ciência e tecnologia no país, além de ocupar o 37° lugar no ranking mundial. Muitas vezes é chamado de Tokyo Tech ou TiTech. Tem fama de ter muitos alunos notáveis e um deles foi ganhador de um prêmio nobel em química
Japonês atravessando uma rua movimentada.
Descubra a vida nipônica em diversas nuances.

12. Aprender japonês para dar aulas

O idioma do país do sol nascente: crescimento ou declínio? Mais e mais estudantes estão aprendendo esse idioma no Brasil?

Por isso, há uma demanda cada vez maior de professores qualificados para essa língua.

Então, se o idioma é a sua paixão, o que você está esperando para se tornar um professor do idioma japonês no Brasil?

A embaixada japonesa no Brasil apresenta uma lista de várias instituições de ensino superior e escolas de língua para aprender o japonês:

  • há um programa de bolsas de estudos do governo japonês para estudar em suas universidades. Elas variam de acordo com o tipo de ensino: Treinamento para Professores, Cultura e Língua (Letras Japonês), Cultura e Língua (Para Descendentes de Japoneses), Pesquisa (Pós-Graduação), Escola Técnica (Inscrições previsto para junho de 2018), Graduação, Curso Profissionalizante
  • A Fundação Japão promove: Intercâmbio Artístico e Cultural; Ensino da Língua Japonesa no Exterior; Estudos Japoneses no Exterior e Intercâmbio Intelectual. Além de: projetos na área de Intercâmbio Artístico e Cultural; Ensino de Língua Japonesa e Estudos Japoneses e Intercâmbio Intelectual.

Veja aqui uma lista de universidades brasileiras que oferecem curso de Letras com habilitação em japonês:

  • Universidade Federal do Amazonas – UFAM – Letras – Língua e Literatura Japonesa – Manaus AM
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ – Letras – Português e Japonês
    Rio de Janeiro – RJ
  • Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ – Letras – Japonês
    Rio de Janeiro – RJ
  • Universidade Federal do Paraná – UFPR – Letras – Japonês
    Curitiba – PR
  • Universidade Cruzeiro do Sul – UNICSUL – São Paulo – SP
  • Universidade Cidade de São Paulo – UNICID – São Paulo – SP
  • Universidade Estadual de São Paulo – UNESP – São Paulo – SP
  • Universidade de São Paulo – USP – São Paulo – SP

Através desses cursos, você vai adquirir:

  • conhecimentos linguísticos em japonês
  • aprender sobre a história, literatura, idioma e cultura.
  • as aulas são centradas no conhecimento escrito e oral da língua.
  • aprender a escrita silábica e entender o kanji.

O diploma permite que o aluno se torne um professor de japonês certificado. Ele vai dominar a civilização e a história, a pronúncia, a gramática, a sintaxe e o léxico japonês.

Outra maneira de se tornar um professor de japonês: fazer um mestrado de Línguas Estrangeiras Aplicadas.

Os templos japoneses do consumo
Os painéis eletrônicos são uma grande marca do país

Algumas universidades brasileiras têm essa oferta:

  •  USP – Universidade de São Paulo – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – Língua, Literatura e Cultura Japonesa
  • UFAM – Universidade Federal do Amazonas – Letras – Língua e Literatura Japonesa
  • e outras…

É possível fazer aulas de japones para iniciantes na universidade através cursos introdutórios. Saiba se a universidade do seu Estado ou cidade oferece curso de língua.

Precisando de um professor de Japonês ?

Você curtiu esse artigo?

5,00/5 - 1 nota(s)
Loading...

Carolina

Jornalista, pós-graduada em mídias digitais, mestre pela Sorbonne (França) em turismo, patrimônio e meio-ambiente. Minha formação em diferentes áreas permite que eu escreva com liberdade e interesse.