Há um provérbio de Quebec diz: "Você não pode ser mais católico que o papa".

Incluir uma visita ao Vaticano durante uma viagem a Roma é se dar a chance de conhecer uma das atrações imperdíveis da capital italiana. Estamos falando de um pequeno espaço de 0,44 km² e povoado por apenas 799 habitantes. O Vaticano é visitado por quase 6 milhões de turistas a cada ano: um número 7.509 vezes maior que a sua população total!

Os turistas vêm aqui para visitar os Museus do Vaticano, a Capela Sistina, a Praça de São Pedro e a Basílica de São Pedro. Santa Sé da Igreja Católica, o Vaticano é uma monarquia absoluta de direito divino e eletivo: o papa, pontífice romano e bispo de Roma, exerce assim os poderes executivo, legislativo e judiciário.

Você está planejando uma viagem para Roma? Então não perca este artigo, no qual contamos tudo (ou quase tudo) sobre a Cidade do Vaticano!

Como planejar sua visita ao Vaticano?

Conhecida desde os tempos antigos do Império Romano, a Colina do Vaticano - o Monte Janículo - era a residência de alguns nobres romanos. Além de ser um Estado teocrático, o Vaticano é um verdadeiro berço de restos arqueológicos desde os tempos antigos.

É um museu ao ar livre que traça mais de 2.000 anos de história da arte. Desde o reinado do imperador Constantino no século IV até a história dos Estados papais (752-1870), papas sucessivos sempre tiveram o cuidado de colecionar obras de arte da antiguidade.

Mas como organizar sua estadia no Vaticano? Precisa estudar italiano?

Para ao Vaticano, podemos comparar os preços de passagens aéreas para a cidade de Roma no Skyscanner. Do centro de Roma, é fácil entrar no Vaticano a pé: a oeste das margens do Tibre, é só pegar o Portão de Sant'Anna.

Inúmeras linhas de ônibus servem a Cidade do Vaticano a partir de Roma, incluindo paradas na estação  Risogimento ou no Largo di Porta Cavallegeri.

Para visitar a Basílica de São Pedro e os Museus do Vaticano, você também pode pegar a linha A do metrô romano e descer na estação Ottaviano ou Cipro (ao norte do Vaticano).

A Basílica de São Pedro é uma das maiores atrações do Vaticano.

No Vaticano, não há conceito de baixa temporada ou alta temporada: os monumentos são muito movimentados o ano todo, com uma média de 16.438 visitantes por dia.

As melhores épocas para visitar a Cidade do Vaticano são maio-junho, setembro-outubro e o inverno, porque é quando o número de turistas é menor.

Do ponto de vista meteorológico, o Vaticano é influenciado pelo clima mediterrâneo, portanto os verões podem ser muito quentes e secos, com o inverno permanecendo relativamente ameno e fresco.

Além disso, recomendamos o ingresso opcional para visitar os locais inevitáveis ​​do Vaticano, para evitar longas filas! Muitos ingressos combinam um passeio pelo Coliseu de Roma, Villa Borghese com os Museus do Vaticano, a Capela Sistina, o Palácio Apostólico, estátuas, esculturas e afrescos de museus.

Você também não pode perder a cúpula da Capela Sistina, o grupo Laocoon ou o Apollo Belvedere!

O cartão Omnia Vatican oferece dois passeios gratuitos e acesso gratuito ao transporte público na cidade de Roma por 113€. Ele é válido por três dias e permite explorar uma das maiores coleções artísticas do mundo!

Fernando
Fernando
Profe de Italiano
5.00 5.00 (41) R$68/h
1a aula grátis!
Luana
Luana
Profe de Italiano
5.00 5.00 (39) R$120/h
1a aula grátis!
Armando
Armando
Profe de Italiano
5.00 5.00 (12) R$75/h
1a aula grátis!
Giuseppe
Giuseppe
Profe de Italiano
5.00 5.00 (44) R$85/h
1a aula grátis!
Maria alice
Maria alice
Profe de Italiano
5.00 5.00 (90) R$85/h
1a aula grátis!
Fabio
Fabio
Profe de Italiano
5.00 5.00 (64) R$85/h
1a aula grátis!
Alberto
Alberto
Profe de Italiano
5.00 5.00 (13) R$40/h
1a aula grátis!
Salvatrice
Salvatrice
Profe de Italiano
5.00 5.00 (32) R$85/h
1a aula grátis!

Os lugares imperdíveis da Cidade do Vaticano!

O que ver no Vaticano?

Apesar da pequenez de seu território, o Vaticano abriga uma quantidade enorme de obras de arte, algumas das quais datam da Antiguidade egípcia, grega, etrusca e romana! Seja você um peregrino, um cristão praticante ou um turista amador de arte e história, os locais e monumentos do Vaticano provavelmente atrairão todos os perfis!

Os monumentos mais emblemáticos do Vaticano são:

  • Praça de São Pedro;
  • Basílica de São Pedro;
  • Capela Sistina;
A Capela Sistina é uma grande atração para os turistas na Itália.
  • Museus do Vaticano;
  • Jardins do Vaticano.

Projetada em estilo barroco entre 1658 e 1667 por Bernini, a Praça de São Pedro foi pensada para acomodar o máximo de peregrinos nas audiências papais e nas bênçãos do papa. Também não deixamos de contemplar a majestosa cúpula, as estátuas e os ornamentos assinados por Michelangelo.

O obelisco entronizado no centro da praça foi transportado pelo imperador Calígula em 37, nas primeiras horas do Império Romano: ele remonta ao antigo Egito, há quase 4.000 anos!

Construída entre 1506 e 1626 e listada como Patrimônio Mundial da UNESCO, a Basílica de São Pedro é a maior igreja do mundo cristão, atraindo até 150.000 pessoas todos os domingos ao Angelus Pontifício. É o local do enterro de São Pedro e de muitos papas.

Como ir ao Vaticano sem ver a Capela Sistina? Construída em 1477 e 1483, é o local onde os cardeais, reunidos no conclave, procedem à eleição do novo papa.

Globalmente conhecida pelo cofre decorado com afrescos pintados por Michelangelo, inclui o afresco do Juízo Final e muitas pinturas de Le Perugin, Botticelli, Gticirlio, Rosselli e Pinturicchio.

Finalmente, os Museus do Vaticano: é um vasto complexo museológico de doze museus no total, incluindo a Pinacoteca, os museus gregorianos (egípcios, etruscos, profanos), o museu Pio-Clementino e o museu Chiaramonti.

Os museus estão fechados aos domingos, mas de segunda a sábado, eles podem ser visitados livremente ou com um guia de áudio.

Descubra a história da cidade do Vaticano!

Embora o Vaticano só tenha sido reconhecido como um Estado soberano desde a assinatura dos Acordos de Latrão em 11 de fevereiro de 1929, sua história remonta à antiguidade romana.

De fato, a história do Vaticano começou quando a colina do Vaticano, o ager vaticanus era a estância de férias dos nobres romanos, e Aggripine - mãe de Calígula e avó de Nero - construiu algumas vilas.

A origem do Vaticano remete à história romana.

O imperador Calígula teria o circo vaticanus ali construído. O obelisco na Praça de São Pedro é um dos únicos restos ainda em pé. Foi após a queda do Império Romano, no final da Idade Média, que a colina do Vaticano começou a se tornar o local de residência dos papas.

No século V, o papa Symmachus foi o primeiro a construir um palácio. Durante o período feudal, sucessivos papas receberam muitas doações de reis e príncipes, o que lhes permitiu acumular uma fortuna colossal.

O papa se torna um dos maiores proprietários de terras da Europa e reina supremo sobre os Estados papais: é o "patrimônio de São Pedro", que serve como autoridade para estabelecer o poder da Igreja no Vaticano.

Durante o Renascimento italiano, os papas agem como verdadeiros patronos: fortes em sua riqueza, acumulam uma coleção abissal de obras de arte, enquanto o poder que exercem é cada vez mais questionado pelo avanço da idéias humanísticas.

O progresso da racionalidade, o individualismo, as guerras religiosas, as crises políticas e sociais e as brigas das grandes famílias - Medici, Orsini, Borgia, Colonna - contribuem para o declínio do poder do papa na Europa.

É paradoxalmente no século XVI, em pleno Renascimento, que os grandes monumentos do Vaticano são construídos:

  • Capela Sistina;
  • Basílica de São Pedro;
  • Pátio do Palácio Belvedere.

A invasão de Latium pelas tropas de Napoleão Bonaparte em 1798 tornou o Vaticano sob domínio francês. Restaurados na queda do Império Francês em 1815, os Estados papais desaparecem em 1870 sob o efeito da unificação do Estado italiano: o papa é então recluso no Palácio do Vaticano.

Enquanto Roma é declarada capital da Itália e o papa não tem mais o poder político do passado, uma disputa de reivindicações se estabelece entre a Itália e o papado: esta é a questão romana, que foi resolvida em 11 de fevereiro de 1929 com o reconhecimento do Vaticano como uma cidade-estado soberana, administrada pelo papa, que retoma seu poder político e espiritual.

Por que você tem que visitar o Museu do Vaticano?

Ao visitar Roma, você pode visitar o Fórum Romano, o Coliseu, a Piazza Navona, a Fonte de Trevi, o Panteão, etc.

Assim como o Panteão, o Vaticano é inevitável ao visitar Roma.

Mas por que devemos visitar inevitavelmente o Vaticano, mesmo se não somos religiosos e tentamos escapar da multidão?

Existem várias boas razões para visitar o Vaticano:

  • Pela incrível riqueza de coleções de arte;
  • Para visitar o Palácio Apostólico;
  • Para revisar a história da arte européia, que talvez você já tenha aprendido em suas aulas de italiano;
  • Por seus restos arqueológicos.

A visita dos Museus do Vaticano atrai até 4 milhões de visitantes a cada ano e isso não é sem razão: eles remontam mais de 2.000 anos de história, através de 7 quilômetros de salas e corredores.

Ao visitá-los, você explorará todas as eras antigas, feudais, modernas e contemporâneas:

  • Museu Gregoriano Egípcio: traça o período do Neolítico aos Faraós;
  • Museu Gregoriano Etrusco: exibe artefatos encontrados em escavações arqueológicas, tendo servido do nono ao primeiro século aC;
  • O museu etnológico, que tem mais de 80.000 peças de arte desde os tempos pré-históricos;
  • Museu Pio-Clementino: o maior dos doze museus, exibindo coleções da Grécia antiga e da Roma antiga.

No Palácio Apostólico, é sem dúvida a Capela Sistina que atrairá mais visitantes. Inaugurada em 15 de agosto de 1483, é tão popular - por seu mural e cúpula pintados por Michelangelo - que o turismo em massa representa uma ameaça à preservação de afrescos.

Além desses monumentos, você também pode visitar a Capela Nicoline e as salas de Raphael, que são recepções localizadas nos apartamentos dos papas cujos afrescos são obras-primas do Renascimento italiano.

Por fim, não perca a escada de Bramante, em dupla hélice, feita para que a descida não atrapalhe a subida!

Para visitar o Vaticano, recomendamos visitar os museus de manhã cedo ou no final da tarde, para evitar as multidões.

E que tal começar agora mesmo a planejar sua ida ao Vaticano? Só não se esqueça que esse planejamento pode incluir um curso de italiano.

Precisando de um professor de Italiano ?

Você curtiu esse artigo?

0,00/5, 0 votes
Loading...

Marcia

Jornalista. Professora. Tradutora. Bailarina. Mãe. Mulher. Dedicada às minhas lutas diárias. Em constante transformação. Escrevo para vencer as inquietações e incertezas da vida.