"Estudar outra língua significa não apenas aprender outras palavras para se referir às mesmas coisas, mas também aprender outra maneira de pensar sobre essas coisas" - Flora Lewis

Tóquio é uma cidade rica, muito rica. Rica em cultura, rica em história, rica em gastronomia, mas também rica em idiomas. É aqui que a linguagem do japonês limpo se desenvolve na terra do sol nascente. De Okinawa a Nagasaki, passando por Nagoya ou Kyoto, tudo faz parte da cultura japonesa que a língua representa, e Tóquio é a personificação perfeita disso tudo.

No entanto, enquanto o Japão almeja receber 20 milhões de visitantes por ano, descobrir o Japão por Tóquio é mais complicado do que qualquer outro destino, devido ao nível muito baixo de japoneses que falam línguas estrangeiras - isso inclui o inglês! Este problema, que persistiu por trinta anos, deve nos fazer pensar em como nos prepararmos para a estadia antes de partir, mas está longe de ser um motivo para desistir de ir ao Japão.

Níveis de idioma
Até que ponto é necessário falar japonês para visitar Tóquio?

Por outro lado, sendo Tóquio o portal ideal para a prática da língua japonesa, pode-se perguntar com precisão qual o nível linguístico que se deve ter para visitar a cidade. Isso é o que vamos descobrir imediatamente. Vamos lá?

Por que falar japonês em Tóquio?

"A linguagem é o roteiro de uma cultura. Ela lhe diz de onde vêm as pessoas e para onde elas estão indo" - Rita Mae Brown

Tóquio é uma das maiores metrópoles do mundo. No inconsciente coletivo, as grandes cidades são o símbolo mais perfeito do multiculturalismo, uma pluralidade de línguas e uma cultura tão rica que produz novas emoções, sensações e visões de mundo. Por isso, é normal não se fazer muitas perguntas, antes de simplesmente decidir ir para lá em suas próximas férias.

No entanto, em Tóquio, como no Japão em geral, a perspectiva do idioma traz até um certo desânimo, já que nos dá a impressão de ver um país do sol nascente que parece fechado para si mesmo. Essa observação, entretanto, logo será desmistificada pela bondade das pessoas no local. Mas o fato de que, linguisticamente, o Japão não é lá muito aberto, e pode nos dar algumas dificuldades para ser entendido como ocidentais, pode nos colocar em situações complicadas na alfândega, na hora de pedir informações ou no meio de transporte.

Porque sim, que a verdade seja dita: na maioria das vezes, quando viajamos, é o inglês que nos salva. A comunicação torna-se uma coisa fácil, apesar de alguns locais falarem francês ou alemão, por exemplo. É como se aprender inglês fosse a garantia de poder "se virar" em qualquer lugar do mundo. Entretanto, essa premissa não é válida quando pensamos em Japão.

Aqui, o melhor a fazer é aprender um pouco do idioma local antes de embarcar a um país onde as línguas estrangeiras não são coisa inata, e onde saber falar japonês seria a solução para todos os seus problemas turísticos. E entre as razões que nos levariam a fazer aulas de japonês, encontramos:

  • Pedir comida no restaurante (e entender o cardápio);
  • Saber como encontrar o caminho pela cidade (ainda que seja necessário pedir informação, é importante conseguir entendê-la);
  • Usar o transporte público;
  • Puxar conversa com alguém no metrô;
  • Frequentar exposições e eventos;
  • Conseguir se comunicar em caso de emergência;
  • Descobrir Tóquio fora dos caminhos usuais;
  • Alugar um carro no Japão;
  • Fazer o seu próprio roteiro de viagem;
  • E muito mais!

Por esse breve resumo, podemos entender que falar japonês seria uma solução ideal para aproveitar sua estadia nas melhores condições. Idealmente, ser bilíngue seria o mais indicado, mas nem todos nós temos tempo, desejo e capacidade de aprender japonês para visitar Tóquio, convenhamos! É assim possível se programar para aprender um pouco do japonês, e passar uma viagem agradável, sem se estressar desnecessariamente com a questão da língua.

Aprenda alguns termos antes de ir para Tóquio

"Graças às línguas, você está em casa em qualquer lugar" - Edmund de Waal

Quer seja a Espanha, Portugal, a República Checa ou até mesmo o Canadá, a maneira ideal de fazer uma viagem a algum lugar é aprender alguns termos básicos na língua local. Sim, estas são ferramentas primárias, que nos permitirão entender melhor algumas situações cotidianas, mas também nos sentir mais aceitos pelos locais.

Entender e se comunicar
Aprender alguns termos básicos pode ser uma "luz" para quem visita Tóquio.

O sentimento é o mesmo em Tóquio, mas talvez um pouco mais forte. De fato, para se preparar para sua viagem e sua estadia no Japão, nada como dominar o básico do japonês: olá, adeus, obrigado, etc. A língua japonesa é muito difícil de aprender, mas alguns termos não nos exigirão grandes esforços!

Domine o básico... e um pouco mais! Porque sim, enquanto os nativos realmente não falam inglês (muito menos português), não hesite em aprender frases para se comunicar em situações de emergência, ou mesmo nas cenas comuns do dia a dia. As pessoas de Tóquio costumam ser muito gentis, por isso terão todo o prazer em dizer-lhe o melhor local para provar a culinária japonesa ou aproveitar a viagem ao Japão, em Tóquio.

Entre as pequenas frases inócuas mas muito eficazes, encontramos:

  • Que horas são?
  • Onde fica determinado lugar?
  • Onde estão os banheiros?
  • Posso pagar no cartão?
  • Onde é o caixa mais próximo?
  • Quanto custa?
  • E muito mais!

Trata-se de conselhos para os viajantes que podem parecer simples, mas ainda são bem eficazes para não passar apuros em Tóquio (ou pelo menos, sentir-se mais confiante) e adaptar-se gradualmente à sociedade japonesa. Entre pratos típicos japoneses, fontes termais, o Monte Fuji ou o jet lag, Tóquio é uma cidade surpreendente, que pode ser descoberta ainda melhor através da língua japonesa.

Ir a Tóquio sem falar japonês é possível?

"Uma língua diferente é uma visão diferente da vida" - Federico Fellini

Um fato sobre Tóquio: os habitantes são gentis, muito gentis. Tanto que eles não terão problemas em ajudá-lo, mesmo que você não fale a língua local. Ainda assim, você deve ser capaz de se fazer entender. Portanto, esta é a sutil diferença entre uma viagem a qualquer outra parte do Japão e uma ida a Tóquio, em particular. Devemos saber como nos fazer entender, mesmo que não falemos uma palavra de japonês, e que a barreira da língua represente limites concretos.

Mesmo que possamos entender melhor tudo o que está acontecendo diariamente, saber falar japonês não é necessário para uma boa estadia em Tóquio. Acontece que conhecer a língua japonesa é mais simples, entre pagamento em ienes, flores de cerejeira, santuários e rituais.

Apesar de todas essas dificuldades potenciais, os cidadãos de Tóquio são pessoas muito amigáveis ​​que, na sua maior parte, terão prazer em ajudá-lo com os meios que eles têm para entender você. E então, deixe-me dizer: as dificuldades encontradas se tornarão boas histórias para contar quando você voltar! Você poderá até criar um blog com dicas para quem quiser ir ao Japão!

Pedindo informacao em Toquio
Ainda que o povo de Tóquio costume ser gentil, saber o idioma local é uma forma de não se sentir tão perdido.

Tóquio é uma cidade japonesa que está cada vez mais aberta ao exterior e cujas inovações tecnológicas e caráter futurista conferem uma abertura crescente. Ela também passa pela linguagem e, embora não possamos encontrar nenhum sinal em inglês em qualquer esquina, podemos improvisar totalmente a comunicação. Além de visitas guiadas e uma viagem totalmente planejada por agência, tudo é possível em Tóquio!

Afinal, por que os japoneses não falam inglês?

“Os japoneses falam inglês? “Quanto e quão pouco?” Essas são perguntas que ouvimos o tempo todo.

A verdade é que a maioria dos japoneses fala pelo menos um pouco de inglês. No que diz respeito às cidades e às gerações mais jovens, atualmente, todos os estudantes japoneses estudam inglês por um período mínimo de seis anos no ensino médio. Muitos estudantes - assim como adultos - também fazem aulas de inglês depois das aulas ou nos finais de semana.

É complicado de encontrar alguém que fale inglês?

Cometer um erro significa aprender algo que você não sabia antes. É claro que essa maneira de pensar também está presente no Japão. No entanto, em vez de os alunos serem incentivados a cometer um erro na sala de aula, um ambiente em que ninguém fala a língua perfeitamente, eles não se desafiam e não cometem erros.

Em vez disso, eles seguem o que pode ser chamado de "rota japonesa" e se concentram em evitar o constrangimento que advém de cometer um erro. A timidez faz parte do caráter nacional do Japão e da "habilidade de comunicação" que o acompanha. Os japoneses crescem com a consciência de que os olhos de todos estão constantemente neles. A timidez é associada ao desconforto de falar na frente dos outros - e isso também vale para as salas de aula.

Por isso é, às vezes, complicado de vê-los falando outra língua. E saiba que, para aprender a falar realmente uma outra língua, não podemos ter vergonha de errar....

Vá para Tóquio quando você é bilíngue

Isso parece evidente, mas uma viagem a Tóquio quando se fala japonês é sempre uma vantagem. Mesmo com algumas breves noções da língua, será mais fácil para nós encontrarmos o caminho em torno da (grande) cidade, para ir ao palácio imperial, para comer os melhores pratos, para ir a Shibuya rapidamente, ou para localizar a embaixada do Brasil no Japão em caso de emergência.

É claro que o gosto da aventura será um pouco perdido, uma vez que poderemos conversar normalmente com os nativos, mas visitar o Japão ainda será muito mais agradável ao saber como pronunciar Kyushu, Akihabara, Yokohama, Hokkaido ou Fukuoka.

Sim, Tóquio também é uma fonte de cultura verdadeira, mesmo que com seus problemas gramaticais e de vocabulário. E saber pronunciar os nomes dos bairros, pontos de interesse ou elementos da cultura japonesa será muitas vezes apreciado por todos que vivem no local. E então (clichê forçado) em caso de terremoto, ainda seria mais tranqüilo para se comunicar com os moradores locais, não é mesmo?

Enquanto o Japão é um país que fascina, Tóquio tem a particularidade de incorporar um país japonês que vive, que se move e se transforma em grande velocidade. A aprendizagem da língua também permite que você entenda o funcionamento de uma sociedade japonesa em pleno boom da expansão, que não é apenas macarrão, um arranha-céu, um quimono e os estúdios Ghibli.

Lingua e cultura japonesa
Dominar o idioma japonês fará você sentir como se tivesse o país em suas mãos.

Tirar fotografias do Japão e Tóquio é bom, mas exercitar seus conhecimentos em japonês é algo que você não pode deixar de fazer durante a estadia.

Mesmo que falar japonês não seja necessário para ser entendido e até mesmo viver no Japão (graças à gentileza do povo de Tóquio), o domínio da língua japonesa é sempre uma vantagem quando se trata de descobrir a capital do Japão. E se a língua japonesa é o nosso melhor guia para o Japão, por que não começar a estudá-la agora mesmo?

Comunicar com os japoneses sem saber japonês

No entanto, a maior parte do ensino do inglês japonês enfatiza bastante a leitura e a escrita, portanto, a fluência no idioma inglês não é generalizada. A maioria das pessoas que você conhece provavelmente não falará inglês fluente (você fala?).

Tente falar devagar e com clareza. A maioria dos japoneses entende palavras básicas em inglês. Além disso, o que eu sugiro é carregar uma caneta e um caderno. Se você escrever o que deseja, a maioria das pessoas entenderá. E eles também podem escrever a resposta de volta usando sua caneta e caderno.

Pedir comida sem saber japonês

Quanto aos restaurantes, embora nem sempre seja o caso, muitas vezes você encontrará menus em inglês com fotos. Quando os menus em inglês não estão disponíveis, as fotos costumam ser incluídas para possibilitar apontar e pedir. Alguns restaurantes têm famosas amostras de comida de mentirinha em frente ao restaurante, o que permite escolher o menu facilmente.

Se não houver fotos no menu e não tiver ideia do que está escrito, basta apontar a comida que as outras mesas estão pedindo.

Quando você encontra um restaurante com uma máquina de venda automática de ingressos (é muito comum no restaurante ramen), a regra é comprar o ingresso antes de se sentar. É provável que o idioma dos botões seja apenas em japonês; portanto, se você não consegue entender, uma boa ideia é pedir ajuda.

Como se locomover no Japão sem o japonês?

Uma das principais considerações sobre viagens ao Japão é a língua japonesa... Inatingível para nós, brasileiros de língua latina.

Não fique com medo de se perder no Japão

Uma avalanche aparentemente incompreensível, muitas vezes caleidoscópica, de símbolos enigmáticos aguarda o viajante estrangeiro que não fala nem lê a língua.

Mas quão difícil é viajar pelo Japão quando você não fala a língua?

Usando transporte público no Japão

Quando se trata da capital Tóquio, cidades maiores (e mais populares entre os turistas), como Osaka, Kyoto e outros destinos grandes ou populares, o falante não japonês provavelmente se sairá bem. Especialmente se você estiver viajando em transporte público

Nos locais turísticos mais familiares, as placas e os anúncios das estações de trem estão em inglês e japonês. As telas de informações de rolagem em todos os anúncios shinkansen (trens-bala) e tannoy estão em inglês e japonês.

Viajando de shinkansen (trens-bala)

O trem-bala Shinkansen é o orgulho do Japão, sendo o primeiro trem de alta velocidade no mundo. Atrai viajantes com seus altos níveis de segurança, velocidades acima de 200 km por hora e partidas frequentes - a cada 3-5 minutos.

É recomendável viajar de trem e, especificamente, na incrível rede ferroviária de alta velocidade de shinkansen do Japão. Especialmente se você não fala japonês.

Há anúncios e telas de rolagem em inglês em todos os carros informando qual estação será a próxima. É fácil fazer reservas sem o japonês (novamente tudo está disponível em inglês).

Reservas de assentos

A maioria dos shinkansen tem assentos reservados e não reservados em carros separados. Sinais bilíngues indicam se um carro shinkansen tem assentos reservados ou não. As reservas de assento podem ser feitas um mês antes da data da viagem até pouco antes da hora de partida.

Eles podem ser feitos nos balcões de bilheteria de todas as principais estações (qualquer shinkansen pode ser reservado em qualquer bilheteria).

Algumas máquinas de venda automática de ingressos com menus bilíngues (japonês / inglês) permitem que os viajantes façam reservas de assento em trens shinkansen. No entanto, os titulares do Japan Rail Pass não podem usar máquinas de venda automática para fazer reservas de assentos.

Dicas imprescindíveis se não falar japonês

Seguro morreu de velho, como já dizia a vovozinha... Por isso, aprenda algumas técnicas para não ficar completamente perdido no Japão caso encontrar somente o vovozinho na sua frente.

Você não vai morrer de fome no Japão
  • Imprimir os nomes dos locais em japonês. Um básico seria imprimir os nomes dos seus destinos em japonês para que você possa mostrá-los nos locais se precisar de ajuda. Embora esses nomes tenham sido romanizados, é provável que os habitantes locais não entendam, especialmente se alguém tentar pronunciar em inglês.
  • Encontre um jovem e escreva o que deseja. Eles entendem mais do que querem deixar transparecer. É provável que haja alguém por perto que possa ajudá-lo. Muitos americanos também falam japonês.
  • Existem vários podcasts gratuitos que você pode baixar que ajudarão com palavras e frases básicas em japonês - 1 minuto em japonês é bom para algumas frases simples.  Você puder aprender algumas palavras e frases (olá, obrigado, com licença, onde está...), você ficará bem.
  • Falar simplesmente ajuda. Evite frases completas, mesmo se faladas lentamente. Use gestos com apenas algumas palavras-chave. Os japoneses provavelmente entenderão você.
  • Os táxis são extremamente caros no Japão. Então, você deve usá-lo como último recurso. Verifique a programação exata, preço, pontos de transferência e quais linhas levar com antecedência para toda a sua viagem.
  • Dica especial para os Onsen (fonte termal). Se você pretende ir a onsen (geralmente uma noite incluindo jantar e café da manhã), há algumas coisas que você deve observar:

    a) Quando você usar o yukata (o manto japonês que eles lhe dão), verifique se o lado esquerdo envolve o lado direito (o contrário só vale para o cadáver em funerais!!). Se você esqueceu, siga o que todo mundo faz.

    b) Você deve tomar um banho na área pública antes de entrar em um banho. Você pode ter tomado um banho no quarto ou em outro banheiro público (alguns resorts onsen maiores têm banhos públicos numerais), não importa, tome um banho novamente (eu geralmente lavo meu cabelo também). Não importa se você tomou 10 banhos naquele dia, porque outros não sabem que você o fez. Eles ficariam enojados se alguém entrasse no banho público sem tomar banho por razões óbvias.

    c) Tente escolher o tipo de plano que acompanha o jantar keiseiki em vez do jantar buffet. Geralmente o preço não é muito diferente.

Perdi-me no Japão, e agora?

Perder-se em um país estrangeiro onde você não fala o idioma é um medo de muitos possíveis viajantes. Mas, se você tivesse que escolher um país para se perder, esse seria o Japão!

De longe, o Japão é reconhecido como um dos países mais seguros do mundo, com taxas de criminalidade surpreendentemente baixas em comparação com lugares como os EUA e a maior parte da Europa. Com o Brasil, então, nem se fala… O povo japonês geralmente se esforça para ajudar os turistas. Eles são tão educados e prestativos que, sempre que você pedir ajuda, não lhe deixarão na mão.

Não se preocupe em ler e escrever em japonês. Há sinais em inglês na maioria dos pontos turísticos, áreas comerciais, estações de trem, aeroportos e muitas vezes até na rua. O Japão é seguro e os japoneses são educados e prestativos. Se você se perder, sempre poderá acessar Informações Turísticas. Os falantes de inglês podem ajudá-lo com qualquer coisa.

Arigatô e boa viagem!

 

Precisando de um professor de Japonês ?

Você curtiu esse artigo?

5,00/5 - 3 nota(s)
Loading...

Marcia

Jornalista. Professora. Tradutora. Bailarina. Mãe. Mulher. Dedicada às minhas lutas diárias. Em constante transformação. Quando não há mais nada a dizer, escrevo!!!