Se tem algo que é fascinante trabalhar com as crianças, tanto nas aulas de História do Brasil quanto sobre os principais fatos do mundo, são os tópicos relacionados às antigas civilizações.

O egípcios, por exemplo, estão entre os mais comentados no ambiente escolar, uma vez que podemos abordar um tópico como esse de forma lúdica, passando por seus contos mitológicos intrigantes que, cá entre nós, são verdadeiramente riquíssimos.

Essa abordagem, no entanto, pode ser realizada por meio de recursos visuais impressionantes, onde o ideal é que se faça o uso de uma narrativa fantástica com o objetivo de envolver toda a turminha e, desse modo, inserir algumas curiosidades referentes à História do Egito Antigo.

Mas, pode ser que, na hora de organizar um curso de história como esse, você se pergunte: "por onde devo começar?".

Pois é, essa é uma dúvida que aflige muitas pessoas que se dedicam a ensinar história para as crianças - e não importa se elas trabalham com aulas particulares ou se já possuem uma turma fechada em um determinado colégio.

O fato é que se dedicar a tópicos relacionados aos egípcios, por exemplo, não precisa ser nenhum bicho-de-sete-cabeças, basta selecionar alguns assuntos essenciais (são bem comuns em aulas de história do Ensino Fundamental) que, sendo bem elaborados, certamente vão atrair a atenção de todos, inclusive se considerarmos no planejamento vídeos educativos para as crianças.

Se você trabalha com cursos de história online ou presencial e quer planejar uma aula sobre a civilização egípcia, acompanhe este artigo até o fim e descubra como organizar um material pedagógico que seja pontual na informação e, principalmente, divertido!

As primeiras aulas de história egípcia para crianças

Todo planejamento infere pesquisa e organização, tendo sempre em mente que o conteúdo voltado para os pequenos precisa ser abordado dentro de um universo lúdico, a partir de uma didática bem elaborada.

Em uma sala de aula, um grupo de jovens estudantes, com uniforme azul, prestam atenção na professora que está com um livro aberto, de costas para a câmera.
Todo planejamento de uma aula de história precisa ter um conteúdo que seja atraente para a sala de aula!

Levando em conta essa concepção, procure pensar suas primeiras aulas de história do Egito como algo envolvente, que possa fazer com que as crianças queiram saber mais detalhes.

Um exemplo disso é o simples fato de que, durante um curso de história como esse, elas podem ser surpreendidas ao descobrirem que os antigos egípcios contavam diversas histórias mitológicas sobre deuses e deusas. Elas também podem achar divertido aprender sobre as pirâmides e artefatos encontrados no Egito Antigo, além de fatos curiosos acerca dos faraós que, por sua vez, eram tidos como "os reis de toda a terra".

Para começar, no entanto, vamos dar uma olhada na História do Egito e ver o que podemos selecionar como uma espécie de abordagem inicial para as crianças.

Curso de história do Egito para crianças do Fundamental

Como há diversos fatos históricos, você pode selecionar apenas alguns que, do mesmo modo, sejam interessantes para a sala de aula, atraindo, consequentemente, a atenção dos pequenos ao longo das explicações.

Comece, então, falando que o Egito Antigo dependia em grande parte do Rio Nilo, o qual flui pelo deserto e que, além disso, pode sustentar a vida em suas margens. Vale destacar que alguns dos marcos mais famosos desse país são as grandes Pirâmides de Gizé, as ruínas de Luxor e os túmulos dos faraós no Vale dos Reis.

Procure mostrar aos alunos e alunas o quão fascinante é descobrir que o mais antigo período egípcio não começou somente há 5 mil anos e que, além disso, essas civilizações duraram bem mais de 3 mil anos.

A ideia de apresentar questões como essa no curso história é que podemos mostrar que os egípcios, por exemplo, foram os primeiros a desenvolver uma forma de registrar dados e escrita, usando marcas - neste caso, os hieróglifos. Foram eles os primeiros a escrever o que estava acontecendo a partir de métodos de inscrição peculiares, revelando, então, a visão que tinham de futuro. Basta verificar que, a partir desses registros, está implícita a ideia de que acreditavam na vida após a morte.

Independentemente das crenças dos familiares de alunos e alunas, é interessante abordar, ao longo das aulas de história, qual era visão de vida e morte dos egípcios, comentando de uma forma bem descontraída, porém respeitosa, que eles, por exemplo, costumavam enterrar seus entes em tumbas (mumificados, por assim dizer) junto com objetos de que poderiam ser úteis em uma nova vida.

A partir disso, vale de novo elucidar que esse entendimento acerca do que essa civilização pensava poderia ser muito bem verificada graças às suas pinturas, registradas nas cavernas, bem como em murais localizados próximos aos túmulos.

Imagem de um hieróglifo egípcio
Os hieróglifos são caracteres usados como escrita do Egito Antigo e muito estudados nas aulas de história!

Outro aspecto que pode ser abordado na aula, inclusive se você planeja organizar um curso de história da Arte à distância, por exemplo, é a importância que se davam às esculturas e a todo tipo de pinturas. Por meio delas, no entanto, podemos notar que havia uma narrativa implícita, a qual contava que o Egito era governado por vários deuses e deusas, muitos dos quais construíram templos, cujas paredes se tornaram evidências dos eventos importantes de seus reinados.

É interessante finalizar essa primeira parte dizendo que sem essas fontes, registradas em murais, não saberíamos ou entenderíamos as civilizações antigas ou, então, como elas se desenvolveram ao longo do tempo.

Períodos cruciais sobre o Egito Antigo para um curso história

Antes de listar uma cronologia de períodos importantes sobre a história egípcia, é pertinente enfatizar que ao aplicar um assunto como esse em sala de aula, procure fazê-lo de maneira simples e didática, se possível utilizando um estilo de "contação de estórias" para que, assim, seja algo atraente a todos.

Imagem da esfinge com enquadramento amplo mostrando todo o deserto ao redor.
A icônica esfinge é também um dos tópicos abordados nas aulas de história para o Ensino Fundamental!

Tente criar uma breve narrativa que fale um pouco sobre:

  • Início do período dinástico (3200 - 1085 a.C.) - o que é marcante desse período é o reinado de Narmer que governou dois reinos (do alto e do baixo Egito) e, além disso, o fato que foi por volta dessa época que os faraós foram mostrados em pinturas, usando uma coroa dupla (coroa branca representava o Baixo Egito, enquanto que a vermelha representava o Alto Egito);
  • Antigo Império Egípcio (3200 - 2423 a.C.) - o que é marcante nesse período é que os faraós conquistaram poderes importantes relacionados às questões religiosa, militar e administrativa. Vale destacar também que foi durante esse época que as pirâmides foram construídas, como por exemplo, a enorme Pirâmide de Gizé, tida como o monumento mais emblemático das "Sete Maravilhas do Mundo Antigo";
  • Médio Império Egípcio (2160 - 1730 a.C.) - o que é marcante nesse período é a conquista de certa estabilidade política do Egito, bem como o considerável crescimento econômico e florescimento artístico;
  • Novo Império Egípcio (1500 - 1085 a.C.) - algo marcante nesse período foi o governo da Rainha Hatchepsut que ordenou a construção de monumentos que até hoje são admirados, porém seu nome fora apagado dessas obras logo após a sua morte. Outra característica marcante dessa época foi a ascensão dos faraós Akenaton e Ramsés - O Grande;
  • Decadência do Egito (depois do século XII a.C.) - o que é marcante nesse período foi a constante invasão que a região foi submetida ao longo dos anos, sendo que a mais famosa foi a chegada dos macedônios, liderada por Alexandre Magno. Outra característica dessa época foi a retirada de Cleópatra do trono de faraó, resultando em dominação intensa por parte dos romanos (cerca de 600 anos) até a conquista Árabe.

Mitologia egípcia para as aulas online de história

Como já foi dito, algo notável sobre os egípcios tem a ver com as histórias relacionadas às suas crenças, mais especificamente aos deuses e deusas. Ao tratar sobre isso, procure comentar (de forma lúdica e descontraída) um pouco das características de alguns personagens mitológicos, inclusive aqueles que se caracterizam por metade humano, metade animal.

Pode ser que as crianças queiram falar que já viram personagens semelhantes a esses em algum filme de aventura ou então em alguma animação. Esse é o momento certo para explorar a imaginação delas e também inserir mais detalhes sobre esses seres no bate-papo.

Por exemplo, quando você for aplicar esse tópico na sua aula de história, procure ensaiar um contação de estória sobre alguma mitologia, em que podemos destacar a história de Osíris - um dos deuses antigos mais importantes do Egito, a deusa Ísis ou, então, as aventuras de Heka - famoso por ser o deus da magia e da medicina.

Duas garotinhas em uma sala de aula, sendo que a primeira faz o papel da professora, segura um livro e usa óculos, ao passo que a outra está sentada em um caixote, prestando atenção enquanto segura um ursinho.
Muitos livros sobre a história do Egito são editados para educação infantil e contam com um conteúdo bem atrativo!

Outra coisa para complementar as suas aulas de história do Egito para as crianças é ler pequenos contos ou até mesmo livros infantis que falam dessa mesma temática. Se você fizer uma busca na internet, com certeza encontrará algumas referências interessantes, tanto para livros quanto para vídeos curtos, que podem ser apresentados durante um curso online de história ou então presencial.

Como esse é um tema fascinante e um dos tópicos principais que as crianças mais querem aprender, pode ser que você não tenha grande dificuldade em organizar um material que seja bem bacana e atraente para os pequenos. E o que é mais peculiar nisso é que, uma vez tendo organizado tudo sobre as pirâmides, múmias e faraós (de maneira bem divertida), haverá aí  grandes chances da garotada pedir mais...

Precisando de um professor de História ?

Você curtiu esse artigo?

5,00/5 - 1 nota(s)
Loading...

Erico

Professor, roteirista, redator e CEO da ecKOa Conteúdos, além de músico nas horas vagas.