Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

A evolução do Exame Nacional do Ensino Médio!

De Erico, publicado dia 31/05/2019 Blog > Apoio Escolar > ENEM > Duas décadas de progresso do Enem.

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) chegou aos 20 anos de existência em 2018. O exame começou bem diferente do que é hoje. Em sua primeira edição, os estudantes tinham que responder a apenas 63 questões em um dia. Hoje, contam com uma maratona de 180 questões em dois dias de prova.

Com o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao término da escolaridade básica, o Enem foi criado no final da década de 1990, mais propriamente em 1998, em que era possível participar tanto os alunos concluintes quanto aqueles que concluíram o Ensino Médio, nos anos anteriores.

Além dessas características mencionadas, atualmente o Exame Nacional é mais do que isso, pois o programa é utilizado como critério de seleção para estudantes que concorreram a uma bolsa no ProUni (Programa Universidade para Todos), assim como seu resultado também é aceito no ingresso em cerca de 500 universidades, seja para complementar o processo seletivo, seja para substituir o vestibular.

Com isso, em duas décadas de história, o Enem passou de uma simples avaliação do estudante ao final do Ensino Médio para a maior porta de entrada para o Ensino Superior do Brasil.

20 anos de Enem – O início de tudo!

Criação e aplicação do Enem! O propósito inicial do exame era avaliar o domínio dos estudantes em matérias aplicadas no Ensino Médio!

Logo com a criação e aplicação do Enem em 98, era possível notar que se tratava de um programa voluntário, que tinha uma taxa de inscrição de R$ 20, sendo que sua finalidade era avaliar o domínio dos estudantes em matérias aplicadas no Ensino Médio.

A primeira edição do exame contou com 157 mil inscrições, mas pouco mais de 115 mil compareceram aos locais de realização da prova. Um número bem abaixo dos milhões de estudantes que participam atualmente da avaliação.

Os participantes presentes tinham que finalizar uma prova de 63 questões e uma redação em um período de quatro horas. A redação do primeiro Enem teve como tema “Viver e aprender”. O único texto motivador era parte da letra da música “O que é o que é” de Gonzaguinha. Algo bem mais simples do que as provas de hoje que contam com diversos textos de apoio.

Nas primeiras edições, as notas do Enem não eram utilizadas para ingresso do Ensino Superior. O MEC (Ministério da Educação) tinha como intuito apenas avaliar a Educação no país para, assim, aprimorar as políticas educacionais.

Década de 2000 – Evolução do Enem!

A Trajetória do Exame Nacional! Na história do Enem nota-se um número alto de participantes e a necessidade em otimizar o sistema de segurança da prova.

Passados dois anos, em 2000, o tempo de prova mudou para cinco horas e a taxa de inscrição do Enem subiu para R$ 35. Em 2001, os estudantes de escola pública, concluintes do Ensino Médio no ano da edição, passaram a ser isentos. Com isso, o número de participantes que foi de 390 mil, em 2000, saltou para mais de 1,6 milhão, em 2001. Um crescimento de mais de 400%.

Já  em 2004, o Enem ganhou uma nova importância, passou a ser critério de participação para bolsas do ProUni. O programa foi criado com o objetivo de oferecer bolsas de estudos parciais e integrais em instituições privadas. Esta novidade atraiu até mesmo quem já tinha concluído o Ensino Médio. Para se ter uma ideia, em 2006, das 3,7 milhões de inscrições para a avaliação, mais de 1,6 milhão foi de pessoas que já tinham concluído os estudos em anos anteriores.

O Enem começou a ficar mais próximo do que é atualmente com a criação do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) em 2009, que tem como finalidade selecionar os candidatos do exame para cursos de graduação em escolas públicas do Brasil.

Para que o exame se tornasse o principal meio de entrada nas instituições federais, a prova expandiu e passou a ser composta por 180 questões. A redação foi mantida, mas a aplicação passou a ser em dois dias, sábado e domingo.

Com isso, os candidatos passaram a realizar avaliações de Ciências da Natureza e Ciências Humanas no primeiro dia. Linguagens, Redação e Matemática eram as matérias que compunham o segundo dia de prova. As questões ficaram mais complexas, com enunciados mais longos e caráter mais interdisciplinar.

Também em 2009, o exame contou com 4,1 milhões de inscrições e o Enem passou a certificar para o Ensino Médio. Entretanto, tanta transformação chamou a atenção de quadrilhas especializadas em fraudes de vestibulares e uma versão do caderno de provas foi furtada na gráfica.

A aplicação do exame precisou ser cancelada e remarcada para outra data. O prejuízo foi de R$ 45 milhões. Sem contar que algumas universidades que utilizariam as notas do Enem para o ingresso no ano letivo de 2010 abandonaram o uso do exame, como por exemplo, a USP (Universidade de São Paulo) e a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) que não conseguiram utilizar os resultados do Exame Nacional, devido ao atraso na divulgação dos mesmos.

A remarcação das provas para uma data posterior a um grande número de vestibulares fez com que muitos estudantes desistissem, o que criou o maior índice de abstenção da história, 37,7% de ausentes.

Outra grande falha nesta mesma edição do Enem foi a divulgação dos gabaritos imprecisos pelo Inep. O transtorno ocorreu devido a uma confusão com as cores dos cadernos de provas.

Década de 2010 – Novas possibilidades com a nota do Enem!

Expansão do Exame Nacional! Dentre algumas mudanças no Enem destaque para a certificação do Ensino Médio que passou a ser atribuída ao Encceja!

No ano de 2010, o rigor aumentou e o MEC passou a exigir nota mínima de 450 pontos e nota acima de zero na redação para aprovação no Enem.

Nas edições de 2011 e 2014 aconteceram novas denúncias de vazamento de questões antes da prova. A Polícia Federal que trabalha na distribuição das avaliações realizou algumas operações para investigar quadrilhas e equipamentos foram apreendidos.

Para evitar novas fraudes, diversas medidas de segurança foram implantadas: revista pessoal com detector de metais, embalagens para guardar objetos e até mesmo o monitoramento das redes sociais para fiscalizar possíveis publicações com imagens de questões. Em 2016, passaram a ser coletados dados biométricos dos candidatos, evitando que outra pessoa faça a prova no lugar do inscrito.

Expansão!

O Enem foi expandindo as opções dos candidatos que buscam o Ensino Superior. Em 2013, a média do exame passou a ser aceita para o programa Ciências sem Fronteiras e o número de participantes subiu para 7,1 milhões. Mas, o recorde de candidatos da história foi registrado no ano de 2014, com mais de 8,7 milhões de inscrições para o Enem.

Em 2015, estudantes isentos da taxa de inscrição do Enem, que faltassem dois dias de provas, deixaram de ter o direito de participar da edição seguinte. Por outro lado, a média da prova passou a ser utilizada também como critério de participação nas bolsas do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil).

O MEC decidiu em 2017 que a aplicação do exame seria em dois domingos consecutivos. A disposição das matérias também foi alterada, sendo que, agora, os candidatos fazem as provas de Ciências Humanas, Linguagens e Redação no primeiro domingo e Ciências da Natureza e Matemática no segundo.

O que mudou também nesta edição foi a certificação do Ensino Médio que passou a ser conferida ao Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos).

Na marca de 20 anos do Enem, a estrutura não mudou, mas o segundo dia de provas passa a ter 30 minutos a mais. Além disso, a solicitação para a isenção da taxa de inscrição para o Exame Nacional passou a ser em um período anterior às inscrições gerais.

Outra alteração foi que os ausentes e isentos no Enem 2017 precisaram justificar  suas faltas para solicitar o recurso novamente na edição de 2018.

Enem hoje – Principais mudanças das provas do Enem atual!

Atrasos não são permitidos! Uma das regras do Enem é a exigência quanto à pontualidade dos participantes!

Atualmente, o Enem é um importante método de avaliação dos estudante. Ao longo dos anos, ele passou por mudanças em seu formato, aumentou o número de questões e, inclusive, de dias para avaliação.

O Enem hoje é extenso e exige preparo do aluno que deve ter a consciência do que está acontecendo no Brasil e também no mundo.

As adequações foram tomando uma proporção cada vez maior e essa grandiosidade fez com que o exame auxiliasse o aluno a ingressar na faculdade. Um exemplo disso, são os programas ProUni, Sisu e Fies.

Somado a isso, com a credibilidade que o Enem ganhou ao longo dos anos, o seu resultado passou a ser utilizado pelas universidades, como parte de alguma fase de seus processos seletivos ou até mesmo como substituição ao vestibular.

Porém, o que não mudou em todo esse tempo foi a exigência da pontualidade dos participantes. Ou seja, fez a inscrição no Enem? Então, já vai se programando, conhecendo com antecedência o trajeto até o local da prova. Afinal, os portões são abertos às 12h e fecham às 13h.

É expressamente proibida a entrada posterior ao horário de fechamento dos portões. Isto porque as provas do Enem têm início às 13h30 em ponto.

Então, é interessante ter em mente que seu planejamento para o Enem vai desde a preparação de um bom plano de estudos até, digamos, uma organização quanto ao seu trajeto até o local da prova, no dia do exame, ok!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar