Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Qual a importância do Exame Nacional do Ensino Médio?

De Erico, publicado dia 07/06/2019 Blog > Apoio Escolar > ENEM > A relevância do Enem para o Brasil

Milhões de jovens brasileiros sonham em entrar em uma faculdade e dar o primeiro passo na construção de uma carreira. A implantação de políticas públicas fez com que barreiras fossem rompidas e o sonho mais fácil de ser realizado – seja para o ingresso em uma universidade pública ou privada.

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) foi criado no ano de 1998, primeiramente  com o simples objetivo de avaliar o desempenho do estudante concluinte do Ensino Médio. Seria uma forma de analisar o ensino aplicado e buscar melhorias na qualidade do nível de escolaridade.

Entretanto, o exame tomou uma proporção maior em 2004, com o lançamento do ProUni (Programa Universidade para Todos), uma iniciativa do Governo Federal que ofereceu bolsas de estudo integrais e parciais em faculdades particulares para estudantes de baixa renda. A nota era o fator importante nesta seleção, visto que quem atinge uma maior média, tem mais chances de conseguir o benefício.

Porém, foi a partir de 2009 que ele começou a ganhar forma do que realmente é hoje, com a utilização do exame como mecanismo de seleção para o ingresso no Ensino Superior.

As universidades têm autonomia para utilizar a nota do Enem como fase única de seleção ou como parte de seus processos seletivos. Com isso, foram implementadas mudanças na avaliação do Exame Nacional.

O resultado do Enem também é utilizado atualmente para o acesso ao Ensino Superior em universidades públicas por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), além de universidades internacionais e para obtenção do Fies (Financiamento Estudantil).

Confira todas as nossas dicas sobre o Exame Nacional!

Enem para a universidade pública

Acesso ao futuro! Há muitos anos o Enem é considerado o maior vestibular do país!

Faz um tempinho que o Enem é considerado o maior vestibular do país. Um dos motivos é o acesso que o exame dá às universidades públicas por meio do Sisu. Criado em 2009, o sistema trouxe aos brasileiros um acesso mais facilitado à faculdade, utilizando a nota do Enem.

O candidato tem direito a fazer a inscrição para duas opções de cursos em universidades que fazem parte do Sisu. As inscrições são gratuitas e disponibilizadas duas vezes ao ano, em janeiro e junho. Todo o procedimento é feito pelo site do programa, desde as inscrições até a liberação dos resultados. Isto facilita para os estudantes que pretendem se candidatar às vagas em outros Estados.

Para participar não existe exigência de renda e podem se inscrever estudantes que fizeram o Enem no ano anterior e obtiveram nota maior que zero na redação. Entretanto, cada universidade tem autonomia de exigir um desempenho mínimo no Enem para concorrer a uma vaga. Além disso, podem ser atribuídos pesos diferentes a cada matéria da prova do exame.

Essas notas de corte podem variar por diversos fatores, seja por reputação da universidade, ou pela procura do curso, turno e modalidade de concorrência (cotas, por exemplo), entre outros. Para se ter uma ideia, cursos muito concorridos como Engenharia e Medicina chegam a exigir notas acima de 700. Em graduações menos concorridas é possível entrar com cerca de 500 pontos no Enem.

As vagas disponíveis são preenchidas pelas notas mais altas gradativamente. Os estudantes acompanham o processo ao visualizarem as médias dos candidatos a um determinado curso. Atualização dessas notas ocorre diariamente ao longo do processo.

Após ser divulgada a primeira lista de classificação, os inscritos que não tiveram bons resultados podem ficar na lista de espera, sendo que as demais chamadas ficam por conta das instituições participantes do sistema.

Nem só universidades públicas participam do Sisu, que também conta com centros de ensino e institutos de tecnologia, totalizando mais de 130 instituições de Ensino Superior público.

Se você quer saber um pouco mais sobre esse programa, o site da Catho disponibiliza um artigo sucinto, mas bem esclarecedor sobre como funciona o Sisu.

Mas, e o Fies? Confira no tópico abaixo!

Saiba mais sobre a relevância do Enem e para que ele serve!

Enem para financiar sua faculdade através do Fies

Financiando mensalidades! O Fies ajuda quem não conseguiu entrar em uma faculdade particular com mensalidades acessíveis!

Quem não conseguiu passar pelo Sisu ou quer ingressar em uma universidade privada e não têm condições de arcar com os custos da mensalidade, pode participar do Fies, que financia mensalidades com taxas a juros baixos. Para isso, é preciso passar por um processo seletivo e realizar a inscrição pela internet.

Pode fazer essa inscrição quem participou do Enem e teve média igual ou superior a 450 e não zerou na redação. Também é necessário possuir renda familiar de até cinco salários mínimos por pessoa.

Se o candidato for selecionado, ele terá que completar a inscrição, levando a documentação necessária para análise e contratação do financiamento. Caso não seja selecionado, ainda há uma chance, pois o estudante fica na lista de espera.

O sistema do Fies é dividido em duas modalidades: Fies (sistema tradicional com juro zero e correção pela inflação) e P-Fies (modalidade com juros variáveis gerida por bancos). Isto influencia na renda máxima que é de três salários mínimos para o Fies e cinco salários mínimos no P-Fies.

Cursos com conceito 5, nas áreas de Engenharia, Saúde e Licenciatura, são priorizados pelo Fies. Além disso, também tem privilégio as faculdades localizadas em cidades com baixo IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano e Municipal).

Enem substitui vestibular de faculdades privadas

A nota do Enem também é aceita por diversas universidades como critério de seleção de novos alunos. Entretanto, cada instituição define suas próprias regras. Algumas exigem uma nota mínima de seleção, outras exigem notas mais altas em determinada área do conhecimento, sendo que descontos ou bolsas de estudo são direcionadas àquelas pessoas que apresentam nota excepcional no Enem.

Algumas universidades utilizam até mesmo a nota do exame como regra do próprio vestibular. Para isso, o candidato precisa apenas apresentar a nota do Enem e, caso atinja o mínimo necessário para o ingresso, pode fazer a matrícula diretamente.

Manter a Média! Como resultado geral, algumas faculdades exigem apenas que o aluno não zere na redação.

É interessante saber que existem variações de universidade para universidade. Ou seja, há aquelas que exigem uma média de pontuação, enquanto que outras, apenas uma maior que zero na redação. Sem contar que uma mesma faculdade pode apresentar critérios diferentes para cada curso.

Assim, é imprescindível que o estudante consulte o edital do processo seletivo da faculdade que está interessado ou fale diretamente com a secretaria.

Veja aqui tudo que você precisa saber sobre a história do Enem!

Exame Nacional para completar a nota do vestibular

Dependendo da faculdade, o vestibular pode ser realizado semestralmente ou anualmente. É muito comum também contar com duas fases, sendo que na primeira é aplicada uma prova objetiva, na segunda, questões abertas e discursivas, levando em conta os conhecimentos relacionados à área escolhida pelo candidato.

Neste quesito, o Enem também pode auxiliar, pois algumas faculdades podem não utilizar o Enem como único meio de ingresso, mas ele pode estar inserido em seu processo seletivo.

Normalmente, o exame é bem usado como bônus na pontuação das provas objetivas da primeira fase. Para isto, o estudante deve optar no momento da inscrição do vestibular por utilizar as notas do Enem para complementar a pontuação.

A universidade recebe a nota do candidato quando o resultado do Enem é divulgado. Com isso, se a nota do candidato for maior do que o estipulado, o bônus é calculado. Caso contrário prevalece a nota do estudante no processo seletivo. Este benefício pode variar entre 10% e 30% na primeira fase. Entretanto, essas regras variam, dependendo da universidade.

Enem para estudar no exterior

Parceria com Portugal e outros países! A Universidade de Coimbra foi a primeira a aceitar estudantes brasileiros com a nota do Enem.

Com o resultado do Enem satisfatório também é possível estudar em Portugal. Isto ocorre desde o ano de 2014, quando o Ministério da Educação português definiu a forma de acesso de estudantes internacionais às instituições de Ensino Superior do País. Com a mudança, foi realizado um convênio com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

A Universidade de Coimbra, uma das mais antigas do mundo, foi a primeira a aceitar estudantes brasileiros com a nota do Enem. E, para estudar em Portugal, é necessário prestar o Enem e ver se as notas das áreas de conhecimento atendem os requisitos da universidade desejada. Ainda é preciso ficar atento ao período de inscrição da instituição.

Por outro lado, é importante frisar que os convênios do MEC (Ministério da Educação) com as universidades portuguesas não envolvem a transferência de recursos ou financiamento estudantil.

A nota do Enem também é considerada para o ingresso em cursos de graduação de outros países como: Inglaterra, França, Irlanda e Canadá. Em instituições britânicas, por exemplo, a nota do exame é somada com outros tópicos como: o histórico escolar, fluência no inglês e atividades extracurriculares.

Na França, o acesso é mais complexo, pois as universidades costumam exigir que os candidatos tenham sido aprovados em cursos semelhantes no Brasil, anteriormente.

Entenda como o Enem evoluiu nos últimos anos!

A New York University, localizada nos Estados Unidos, optou por aceitar a nota do Enem para todos os cursos de graduação como substituição às provas tradicionais. Como se tratam de avaliações padronizadas, eles consideram que estudantes de outros países não receberam preparação para prestar tal prova. Assim, foi criado o Test Flex Policy que aceita exames de outras nacionalidades. Para se candidatar é necessário enviar a nota, mas a escola que cursou o Ensino Médio precisa confirmar o resultado para que a pontuação seja oficializada.

Seja em universidade pública, privada ou estrangeira, é sempre importante acompanhar de perto as exigências de cada uma delas para não deixar de lado nenhum processo, perder prazos ou não apresentar a documentação necessária.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar