Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Qual o melhor método para estabelecer um valor para aulas particulares?

De Fernanda, publicado dia 01/03/2017 Blog > Aulas particulares > Dar aulas particulares > Como definir o preço de sua aula?

Apesar de a preparação das aulas ser uma das atividades mais prioritárias do professor particular (qual é o salário?), é fundamental reservar um tempo para se dedicar ao aspecto comercial do negócio. É preciso ter visibilidade e vender bem seus serviços para conseguir atrair ainda mais alunos. Sobretudo se você pretende se inscrever em um portal online.

Claro que a qualidade do seu trabalho é o primeiro fator que fará diferença para os estudantes. No entanto, é inegável que o valor da hora aula seja outro condicionante igualmente importante.

Na verdade, o valor que você estabelecer para sua hora aula terá um impacto direto na procura pelo seu anúncio online. O preço da aula é como uma espécie de vitrine: muitas vezes os alunos nem chegam a ler a sua descrição e já descartam o seu perfil em função de quanto custa sua aula particular. Ou é barata demais, ou é cara demais…

Seja você professor de filosofia, de yoga, de física ou de português: o fato é que você precisa estabelecer uma tarifa coerente com seu perfil e com a concorrência. Sem esquecer de que ele também precisa atender suas necessidades financeiras. Mas então onde encontrar o ponto de equilíbrio disso?

Vamos ver nesse artigo algumas dicas sobre como vender os seus serviços como professor particular em casa.

Dar aulas particulares: encare sua renda como um empresário

Com plena autonomia de trabalho, o professor particular é, ao contrário dos educadores das redes públicas e particulares, livre para determinar o quanto vai receber. Da mesma forma, ele também tem a liberdade de escolher o conteúdo de suas aulas:

  • aula de matemática
  • aula de física e química (ou ciências naturais)
  • aula de economia
  • aula de filosofia
  • aula de música (canto, teoria musical, saxofone, violão, guitarra…)
  • aula de línguas (português, francês, espanhol, inglês….)
  • aulas preparatórias para exames
  • coach esportivo
  • … (o que você quiser!)

Uau, o cardápio é rico, não é mesmo? Essa liberdade de escolha tem, no entanto, um preço: lembremos que o profissional autônomo tem também de cumprir suas obrigações como empresário.

E a primeira delas é gerenciar o seu próprio orçamento, ou seja, o que entra e o que sai.

Quanto devo cobrar por minha hora aula como professor em casa? Invista em marketing e estabeleça um bom preço para suas aulas.

Tanto o empresário como o professor precisa antes de mais nada avaliar o mercado e o seu ambiente para criar sua estratégia econômica. O empresário precisa analisar o comportamento e a preferência de seus clientes antes mesmo de lançar um produto. O professor, por sua vez, precisa se adaptar às famílias que irão investir financeiramente para receber seus serviços.

Como um empresário, o professor precisa ficar atento a diversos fatores nessa empreitada:

  • Atendimento ao cliente: é seu relacionamento com estudantes e pais. Ele precisa ouvir e responder com rapidez. Segundo uma pesquisa realizada pelo Superprof em 2016, o tempo médio de resposta dos professores no site é de 22h46. Ora, o tempo de resposta pode influenciar diretamente no conceito e nos comentários que os alunos irão atribuir ao seu perfil no próprio site. Portanto, não dê um tiro no próprio pé e tente ser o mais rápido possível!
  • Secretaria – gestão do administrativo: gerir bem o seu tempo é um fator chave para o sucesso do professor particular. Sua agenda precisa estar bem administrada para garantir sua disponibilidade. Além disso, é preciso estar alerta para possíveis cancelamentos de aulas por parte das famílias: doenças, férias, cursos, provas… Esteja prevenido para imprevistos e seja flexível para se adaptar às mudanças de última hora.
  • A comunicação – vendendo seus serviços: sabemos que hoje em dia comunicação é tudo. E, sob o aspecto financeiro, o professor precisa estar preparado para defender, justificar e embasar o preço que cobra por suas aulas. Por isso é fundamental elaborar sua tarifa de maneira coerente, com base em sua experiência, formação, concorrência, conteúdo e qualidade de serviços prestados. Serão fatores cruciais na hora de “vender seu peixe”! Além disso, lembre-se de que você está sempre lidando com um negócio. Sua imagem e o relacionamento que estabelece com seus clientes são constantemente avaliados e questionados, inclusive do ponto de vista financeiro. Por isso, não relaxe e nem se acomode!

Determinar o preço de sua aula em função da concorrência

Como ganhar clientes no mercado de aulas particulares? Como atrair novos alunos com valores atraentes?

O professor não só precisa perder o medo da concorrência, como deve estar preparado para enfrentá-la!

Como bem sabemos, a concorrência é hoje um dos principais fatores influenciadores dos preços no mercado. Há muitos profissionais (bons e ruins) na ativa. E você precisa estar pronto para isso e saber que seu negócio pode prosperar apesar desse cenário. Pois bem, vamos dar alguns exemplos aqui.

Faça uma pequena busca no portal do Superprof. Isso mesmo, que nem você faz no Google? Pois bem, vá até a barra de pesquisa e digite, por exemplo, “professor de matemática” (faça o teste, de preferência, com a sua especialidade).

Você vai ver uma lista de perfis de profissionais, todos belos e competentes 😉 E todos apresentam algo em comum: antes de entrar em cada perfil, você pode visualizar o valor cobrado por aula particular em cada um deles. Reserve um tempo para avaliar a variedade de preços com essa visão global que o site lhe proporciona. Tente imaginar o seu perfil e como ele estaria posicionado nessa lista.

Apesar de muitos professores terem a tendência de cobrar aproximadamente o mesmo que a média cobrada pelos seus concorrentes, existem algumas variações.

Por exemplo: se você decidir cobrar 20 reais por uma aula de matemática enquanto a concorrência cobrar por volta de 47 reais, certamente é um erro. Você vai desvalorizar o seu trabalho e ganhar pouco no final do mês! Essa não é uma boa estratégia para atrair alunos – pelo contrário. Uma clientela que aceita pagar valores baixos como esses jamais aceitaria um reajuste brusco de tarifas posteriormente.

Em marketing, essa estratégia tem o nome de dumping, ou seja, ação ou expediente de pôr à venda produtos a um preço inferior ao do mercado.

Então, professor, por favor, valorize seu trabalho!

Do mesmo modo, cobrar valores elevados como 8o reais a hora aula de matemática (que em média custa 47 reais), assusta qualquer cliente. Mesmo que você tenha formação e experiência de dar inveja aos concorrentes, comece com coerência.

Uma estratégia é colocar-se no lugar dos alunos para encontrar valores equilibrados. Esse método é simples e eficaz, sobretudo no começo, quando você ainda não tem a menor ideia de quanto vale seu serviço no mercado.

Veja vagas professor de matemática rj ou em outras cidades do Brasil!

Qual o valor da aula particular em sua zona geográfica?

“Eu não sou daqui, marinheiro só…”

Fora a concorrência, há muitos fatores que podem servir de indicadores para que você encontre o seu preço.

Assim, apesar de atuar com independência, o professor particular está obrigatoriamente ligado a uma cidade ou a uma região. Por isso, a média de preços praticados em sua localização é um termômetro para estabelecer os valores de sua hora aula.

Em geral, esses valores variam em função do custo de vida da cidade. Selecionamos aqui alguns valores médios (incluindo todas as áreas do conhecimento) de aulas particulares (como declará-las?) praticados em diferentes cidades brasileiras.

  • Em São Paulo: 58 reais
  • No Rio de Janeiro: 52 reais
  • Em Belo Horizonte: 46 reais
  • Em Curitiba: 45 reais
  • No Recife: 38 reais
  • Em Brasília: 49 reais
  • Em Porto Alegre: 51 reais

Descubra como calcular o preço de sua aula na sua localização. Professor: qual o valor da sua hora aula em sua cidade?

Agora, se você quiser descobrir os valores na sua região, a dica é entrar o mais rápido possível no site do Superprof. Na barra de pesquisas, digite sua especialidade. Você verá que o site também propõe o filtro pela localidade em suas buscas.

Por isso, se você quiser ver as vagas para professor em fortaleza, por exemplo, escreva o nome da cidade e o CEP para achar seus concorrentes locais. Você entrará em outra página com o resultado dos professores mais próximos da localidade que indicou além da média de preço com todos esses filtros de procura!

E se não tiver professores cadastrados em sua cidade? A dica é encontrar uma cidade de mesmo porte que a sua em seu estado ou na sua região para se ter uma ideia.

Complete sua renda de acordo com sua experiência e sua formação

Último ponto do nosso panorama sobre preço de aulas particulares: o perfil de cada professor.

Alguns profissionais, como você já pode perceber, cobram valores altos por suas horas. Para isso, eles têm argumentos bem fortes, como a especificidade do conteúdo.

Por exemplo: um professor de inglês poderia muito bem se especializar em preparação para o TOEFL (ou o TOEIC), ou então em reduzir o sotaque na língua, ou até quem sabe em dar aulas de literatura anglo-saxônica (Ser ou não ser, eis a questão… – já dizia Shakespeare).

Além disso, se é possível provar a qualidade da prestação do serviço, com uma formação reconhecida ou dezenas de anos de prática, você pode sim aumentar o valor de sua aula. Seria tolice ignorar uma pós-graduação na USP ou na França na hora de calcular o quanto vai ganhar como professor particular, certo?

Esse critério certamente aumenta a média das aulas no portal do Superprof. Segundo pesquisa realizada, o valor médio praticado pelos professores sobe cerca de dois reais por ano!

Aproveite e confira as vagas professor de história!

O que pode valorizar o preço da sua hora aula? A experiência do professor é valor agregado que aumenta os preços de uma aula particular.

Outro fator de peso nesse cálculo são os anos de experiência. Podemos observar professores com 40 anos e muitos anos de trabalho cobrando cerca de 40% a mais do que professores jovens de 19 anos de idade. Nada mais coerente, não é mesmo?

A experiência traz sabedoria, conhecimento de metodologias diferentes, perfis variados de alunos, flexibilidade, habilidade… Tudo isso pode justificar preços mais elevados.

E você, descobriu o quanto vale sua aula? Comece já a montar sua estratégia pessoal de negócios! Boa sorte!

Aproveite e encontre um bom emprego para professor na internet!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Elilde Lima dos Santos Recent comment authors
Mas recentes Mais antigos Mais populares
Elilde Lima dos Santos
Convidado
Elilde Lima dos Santos

Muito bom!!!