Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Baixo rendimento escolar: qual a frequência ideal de aulas particulares?

De Fernanda, publicado dia 08/11/2019 Blog > Aulas particulares > Ter aulas particulares > Fracasso escolar: reforço escolar é preciso?

“Esqueça as consequências do fracasso. O fracasso é uma passagem de transição que prepara você para o seu próximo sucesso.” Denis Waitley

No Brasil, há mais de 35 milhões de estudantes matriculados no ensino fundamental e no ensino médio. Desses, mais de 7 milhões vão à escola, mas estão em situação de distorção idade-série, ou seja, têm dois ou mais anos de atraso escolar. A informação é de estudo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) de 2018.

O fracasso escolar pode começar muito cedo, nos primeiros anos do ensino fundamental. Portanto, desde os primeiros sinais de possível abandono escolar, não se deve hesitar, e sim agir. E, para agir, as aulas particulares podem ser uma solução bem eficaz para estudantes com baixo rendimento.

A frequência dessas aulas depende de diversos fatores, começando com a idade do aluno.

Fracasso escolar no Ensino Fundamental I: ritmo das aulas particulares

Tenha um bom desempenho escolar! Como prever o fracasso escolar? As dificuldades podem começar muito cedo!

O fracasso escolar pode acontecer na trajetória acadêmica do aluno de uma hora para outra. Vamos citar o exemplo de Sabrina (seu nome foi alterado), que já se sentia perdida no primeiro ano do Ensino Fundamental, com uma forte impressão de não estar em seu lugar. Hoje ela tem 18 anos, e está fora do sistema educacional há dois anos.

Ela explica: “Eu tinha poucos amigos na escola, nenhum adulto para identificar minhas dificuldades, me sentia sozinha no ensino fundamental.”

Como isso pode ser remediado para que o fracasso escolar não leve a um abandono total da escola?

Perguntando primeiro de onde surge o desconforto do aluno. Na escola primária, o fracasso é geralmente devido a uma dificuldade de aprendizagem, como dispraxia, disgrafia, discalculia e TDAH ou alguma precocidade.

Ao primeiro sinal de falta de concentração e dificuldade de aprendizado, o aluno deve consultar um neuropsicólogo para identificar com mais clareza e desenvolver, quando necessário, soluções específicas para a criança.

Uma das soluções pode ser aulas particulares de reforço. No caso de uma dificuldade de aprendizagem, escolha um professor em particular que seja sensível a esses distúrbios ou tenha feito um treinamento específico. De qualquer forma, esses métodos devem se adaptar às especificidades da criança.

Como escolher o professor de seu filho? Escolha o professor particular de seu filho de acordo com as habilidades dele e o feeling que ele tem com o aluno. (fonte: New Girl)

Quanto à frequência, você pode conversar e acordar diretamente com o professor particular que você escolheu. Durante a primeira aula, ele vai conversar com seu filho, analisar suas dificuldades e propor um programa para acompanhá-lo da melhor maneira possível.

No entanto, no primeiro ano do Ensino Fundamental, meia hora de aula por semana já é suficiente, especialmente para uma criança com dificuldades de aprendizagem. À medida que avança nas aulas regulares, você pode aumentar a frequência de reforço para até duas vezes de meia hora por semana.

De qualquer forma, especialistas na área de educação afirmam que não é recomendado ultrapassar mais de meia hora de lição de casa para os menores, pois perde-se a concentração rapidamente.

Por outro lado, a regularidade é muito importante: se o seu filho não tiver referência e fizer meia hora de aulas individuais por semana e depois não tiver mais por um mês, vai ser difícil progredir. O apoio escolar deve fazer parte de sua rotina e a regularidade do acompanhamento permite que o professor conheça melhor o aluno para progredir com mais eficiência.

Por fim, pode ser interessante uma revisão geral antes de entrar nos anos finais do Ensino Fundamental, para não começar o sexto ano com atraso.

Fracasso escolar no Ensino Fundamental II: com que frequência estudar?

Quando fazer aulas particulares na faculdade? A adolescência é uma fase complicada que pode influenciar no fracasso escolar.

Um atraso nos primeiros anos resulta em um atraso na entrada dos anos finais do Ensino Fundamental. No entanto, as causas do insucesso escolar nessa fase podem não estar relacionadas ao desempenho escolar anterior. Um aluno pode chegar no sexto ano com todas as bases adquiridas, mas ter baixo rendimento escolar por várias outras razões, seja ainda no Ensino Fundamental ou posteriormente no Médio.

A crise da adolescência, a idade ou o perfil do aluno são fatores muito influenciados por comentários do professor, recusa de autoridade, confrontos, efeito de massa, desejo de pertencer a um grupo, ruptura com os pais, condições socioeconômicas… As causas do fracasso escolar são muitas e diversas e os primeiros sinais devem ser rapidamente identificados. Fique de olho nos resultados educacionais de seus filhos para agir o mais rápido possível em caso de um problema.

Um apoio adequado e cuidadoso é uma solução eficaz para ajudar os alunos a se reerguerem e voltarem ao sucesso escolar.

Cada aluno é diferente e precisa de um curso específico adaptado às suas dificuldades. Mas cuidado, a chegada aos anos finais do Fundamental já é estressante sem o apoio escolar. As aulas de reforço devem se adaptar ao horário do aluno e não o contrário, para não cansar a criança, o que seria totalmente contraproducente.

É preciso estar atento à carga horária dada ao aluno e ao tempo durante o qual ela é dada. As aulas particulares devem ser bem sincronizadas com os horários da escola. Por exemplo, se o aluno tiver dificuldades em matemática, é preciso escolher um dia em que ele não tenha uma aula de matemática para lhe dar uma aula em casa particular dessa disciplina. O mesmo vale para aulas de química, física ou inglês.

Isso ajuda a manter uma rotina, a suavizar os ritmos do aprendizado, dizem os especialistas. Obviamente, isso não significa rigidez nos estudos. Se houver um prazo específico, como uma prova ou tarefa de casa, pode ser prudente mudar o horário do curso em função disso.

Nos anos finais do Ensino Fundamental, as aulas particulares, sejam aulas de português, aulas de matemática ou aulas de inglês, não devem ser muito intensas ao longo do ano letivo. Programe de uma a duas horas por semana durante o ano letivo e um programa de tutoria mais intensivo durante as férias de até duas horas de aula de apoio domiciliar por 5 dias consecutivos, por exemplo.

Pode ser interessante contratar um professor particular em janeiro para melhor preparar o retorno às aulas. Isso faz com que seja possível começar o ano de maneira mais serena para o aluno, que terá os elementos do programa do ano anterior frescos na memória.

Fracasso escolar no ensino médio: um ritmo mais intenso de aulas particulares?

Como ter um bom desempenho escolar? Como ajudar o seu filho a enfrentar as dificuldades na escola?
Os alunos do ensino médio às vezes têm outras prioridades além do sucesso acadêmico.

No ensino médio, pode ser tentador estabelecer um horário rígido de aulas de reforço quando estiver perto dos exames finais ou avaliações nacionais. No entanto, um ritmo intenso talvez não seja necessariamente eficaz para o aprendizado do adolescente.

O UNICEF verificou que o Ensino Médio é a etapa da educação básica em que há o maior percentual de estudantes com dois ou mais anos de atraso escolar. São mais de 2,2 milhões de adolescentes em situação de distorção idade-série, o que corresponde a 28% dos estudantes dessa etapa.

No ensino médio, do primeiro ao terceiro ano, o aluno deve ter autonomia e saber como planejar seus estudos. Supõe-se que ele já tenha adquirido uma certa metodologia e conheça sua maneira de memorizar para economizar tempo. Isso nem sempre é fácil para os estudantes.

Nesse caso, recorrer ao reforço escolar em casa pode ajudar os alunos a obterem sucesso nesta etapa difícil e a adquirirem uma metodologia real, buscando a eficácia em seu aprendizado. Não hesite em propor revisões durante as férias escolares mais longas. As aulas particulares em casa podem fazer com que os alunos do ensino médio se sintam mais confiantes de seus conhecimentos e tenham menos dificuldades acadêmicas.

Os cursos intensivos podem ser retomados a cada período de férias (férias de julho, por exemplo). Isso é útil para revisar o programa regularmente, especialmente quando o aluno precisa se preparar para o Enem ou o vestibular. Isso evita que ele precise estudar tudo em poucas semanas antes do prazo das provas. Nesse caso, planeje várias manhãs seguidas para o estudo dos programas e forneça suporte educacional de qualidade.

Os alunos em dificuldade podem se beneficiar de aulas adicionais ao longo do ano, no máximo de duas a três horas por semana.

Sinta-se à vontade para usar plataformas particulares de tutoria para ajudar seu filho a superar suas dificuldades: Superprof, Tutores, Profes.com… Qualquer que seja o nível de escolaridade de seu filho (anos iniciais ou anos finais do Ensino Fundamental, Ensino Médio), você sem dúvida encontrará um professor adaptado ao seu perfil e às suas necessidades.

As vantagens do Superprof: uma tarifa horária definida pelo professor de acordo com seu nível de estudo, sua experiência e o nível do aluno; em geral a primeira aula é gratuita, sem falar na possibilidade de aulas por webcam.

Então, com que frequência seu filho precisaria fazer aulas de reforço em casa?

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar