Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Comer bem contribui para o bem-estar

De Camila, publicado dia 14/03/2018 Blog > Artes e Lazer > Culinária > Aprender a cozinhar faz bem para a saúde

A França é um país onde a cozinha é famosa por excelência. Um estudo revelou que em 2010, os franceses passaram uma média de duas horas e vinte e dois minutos cuidando da alimentação.

De acordo com uma outra pesquisa, 87% das pessoas dizem que gostam de “colocar a mão na massa” na cozinha.

Os motivos para colocar o avental podem ser numerosos:

  • Aprender confeitaria;
  • Aprender a cozinhar para impressionar amigos;
  • Provar, degustar e criar;
  • Testar um tira-gosto diferente;
  • Adotar uma dieta equilibrada
  • Praticar uma culinária orgânica;
  • Consumir alimentos vegetarianos;
  • Tornar-se chef de cozinha;
  • Adquirir técnicas específicas (cortar, utilizar materiais, fatiar, deglaçar, conhecer os menus sazonais, etc.)

Você está entre os 48% das pessoas pesquisadas para quem a culinária é, acima de tudo, uma motivação para comer de maneira equilibrada e variada?

Ou para você, o jantar é para você sinônimo de prazer, mas cozinhar é uma arte abstrata que apenas um grande chef pode executar?

O Superprof apresenta abaixo uma reflexão sobre os muitos impactos benéficos da boa cozinha ao corpo humano e à saúde.

Este é apenas um dos vários motivos para você começar a fazer aulas de culinária!

Cozinhar evita o acúmulo de calorias

Aprender a cozinhar ajuda você a comer bem, gerenciar combinações de alimentos e aprender a fazer boas refeições com porções apropriadas.

Muitas vezes ouvimos que reduzir a ingestão calórica é uma fonte de privação, especialmente com a culinária brasileira, pouco conhecida por ser a mais dietética.

Esta é uma verdade falsa: você só precisa mudar a maneira como você cozinha e passar a comer bem.

Aqui estão algumas dicas para comer bem, deleitar-se sem privações e  consumir menos calorias:

  • Limite o uso de gordura (manteiga, nata, óleo, gordura animal);
  • Cozinhe com especiarias: curry, cominho, páprica, açafrão, coentro, tomilho e salsa melhoram o tempero do prato e destacam os sabores dos ingredientes sem adição de gordura ou sal (o sódio aumenta o risco de retenção de água, acidentes cardiovasculares e facilita a formação de celulite);
  • Cozinhe vegetais no vapor;
  • Use equipamentos de dosagem apropriados: copo e colher de medição, etc.;

Preparar suas refeições faz bem à saúde. Cozinhar sua própria comida traz vários benefícios.

  • Substitua os alimentos calóricos por outros mais dietéticos: o açúcar pelo mel, a farinha pela maizena, o creme pelo queijo branco
  • Use alimentos ricos: arroz integral, legumes (grão-de-bico, ervilhas, lentilhas, feijões secos, etc.);
  • Prefira o espaguete de abobrinha ao macarrão: a abobrinha tem quatro vezes menos calorias do que a massa!
  • Use purês oleaginosos como amêndoas ou avelãs para limitar calorias na hora das sobremesas;
  • Concentre-se em peixes e carnes magras: limite o consumo de atum, salmão, porco, cordeiro, e dê preferência ao peru, frango, vitela, coelho, carne assada e bacalhau.
  • Substitua proteínas animais por proteínas vegetais: 100 gramas de lentilhas contêm 25% de proteína e em 100 gramas de carne boi moída, apenas 20%;
  • Coma em um prato pequeno: um estudo científico de crianças obesas nos Estados Unidos concluiu que o tamanho do prato tende a condicionar o apetite. Quanto menor o prato, menor será a porção e mais rápida é a satisfação.

Saber cozinhar pequenos pratos de uma forma saudável oferece benefícios nutricionais ao seu corpo sem que você precise se privar de refeições: a frustração de se submeter a uma dieta radical pode ser pouco produtivo, pois em determinado momento, adquirimos novamente os maus hábitos que possuímos antes.

Que tal começar a fazer aulas de culinária? Com elas você aprenderá mais sobre a manipulação correta dos alimentos, assim como sobre o que seu estômago realmente aprecia!

Você sabia que aprender a cozinhar nos faz economizar dinheiro?

Aprenda sobre comida

Ao folhear um livro de receitas, muitos ficam com o desejo de aprender mais sobre os benefícios dos alimentos e sobre como associá-los.

Existem inúmeros estudos e classificações que discriminam alimentos bons e ruins para a saúde.

Alimentos “milagrosos” para se preparar

  • Alho: considerado como “super alimento”, é um poderoso anti-séptico, antioxidante e atrasa os efeitos do envelhecimento. Incorporar vegetais da família Alliaceae (alho, cebola, chalota, cebolinha, alho-poró) às suas receitas reduz o risco de eventos cardiovasculares, certos tipos de câncer e outras doenças crônicas;

Você sabia que o alho é uma "super comida"? O alho é considerado um alimento milagroso!

  • Cebola: a cebola tem efeitos protetores contra o câncer do estômago e do aparelho digestivo. Ela é rica em potássio, fósforo, iodo, flúor, ferro e vitaminas, além de ser uma aliada anticancerígena, boa para a circulação sanguínea, anti-diabetes;
  • Alho-poró: rico em fibras, vitaminas e minerais, o alho-poró é nativo do Oriente Médio. Tem efeitos diuréticos e anti-inflamatórios;
  • Abacate: preparado com limão, salmão, camarão ou na guacamole, ele é bom por causa dos seus ácidos graxos insaturados e lipídios, atuando na visão, na boa cicatrização, na prevenção de estrias e na reidratação da pele;
  • Espinafre: rico em magnésio, ferro, cálcio e potássio, Ele previne a osteoporose, doenças cardíaca, câncer de cólon e artrite;
  • “Couves”: couve-flor, couve de Bruxelas e brócolis ajudam a purificar o fígado das toxinas, a regular os níveis de açúcar no sangue, a lutar contra formas agressivas de câncer de próstata. O brócolis contém mais vitamina C que as laranjas!
  • Cítricos: laranja, grapefruit, limão e mexerica ajudam a baixar a pressão arterial e o colesterol, acelerando o processo de cicatrização do corpo.
  • Beterraba, cenouras: ajudam a restaurar o sistema imunológico.

Outros alimentos para cozinhar

  • Chá verde: os bebedores de chá verde são 16% menos propensos a ter um evento cardiovascular do que outros;
  • Peixe: O omega-3 é conhecido por limitar o risco de doença cardíaca coronária;
  • Chocolate amargo: a pasta de cacau melhora a circulação por causa dos polifenóis que ela contém (consumir chocolate de no mínimo 70% de cacau);
  • Salmão: rico em vitamina D, a gordura do salmão é benéfica para a pele, pois substitui a possível ausência de exposição ao sol.
  • Tomates: previne câncer de próstata graças à presença de licopeno, um poderoso antioxidante;
  • Ostras: ricas em zinco, podem ajudar a limitar a infertilidade masculina.

Esta lista de alimentos saudáveis ​​está longe de ser exaustiva. Mas aprender a cozinhar com esses produtos encorajará você a mudar a maneira como os alimentos são consumidos.

Evite brownies, cupcakes, maionese e dê preferência a aspargos, sopas, alhos e outros vegetais crus.

Diante da cultura do fast food, beneficiar-se de uma aula de culinária para que todos tenham uma dieta saudável se torna quase uma ferramenta de saúde pública!

Mais um benefício sobre tudo isso que estamos falando: conhecer todos esses alimentos e, especialmente, aprender a utilizá-los, permite que você cozinhe para impressionar a pessoa amada!

Que tal impressionar a pessoa amada com um delicioso jantar? Você já se imaginou preparando um jantar romântico de dar água na boca?

Preparamos também algumas dicas sobre como aprender a cozinhar para impressionar a pessoa amada.

Aprenda a evitar os maus hábitos alimentares

De acordo com estudos, em 2009, 15% da população adulta francesa era obesa, assim como 28% da população dos Estados Unidos.

Quando não temos tempo para almoçar ou estamos cansados depois de um dia de trabalho, a tentação de recorrer a um fast food fica ainda maior: hambúrguer, pizza, batata frita, refrigerante, pratos congelados…

Ainda assim, fazer tudo sozinho levará menos tempo do que pedir um “delivery” em casa.

Muito químico, muito gordo, muito doce, muito salgado, com poucas vitaminas e nutrientes, o fast food – muitas vezes criticado como “comida ruim” – é caro e perigoso do ponto de vista da saúde.

Os efeitos nocivos do fast food vão além da saúde, atingindo o orçamento no fim do mês (gasta-se mais comendo fora do que cozinhando em casa). Os malefícios deste tipo de alimentação  já estão comprovados: obesidade, doenças cardíacas, doença de Alzheimer, câncer, poluição do solo, rios e mares

Muitas análises e estudos são unânimes sobre este assunto: para a saúde, é melhor cozinhar em casa do que recorrer a pratos industriais ou fast food.

Aqui estão alguns argumentos apresentados para promover a culinária caseira:

  • Os menus de fast food contêm muita gordura e muito açúcar adicionado;
  • Quanto mais uma pessoa costuma comer “comida rápida”, menor é a ingestão de micronutrientes;
  • Os menus de fast food estão saturados de gorduras e calorias;
  • Eles também contêm muita quantidade de sódio (sal), perigoso para a saúde.

Cozinhe por prazer

Cozinhar é um conhecimento fundamental. Mas isso não é tudo.

Cozinhar é um prazer, é divertido, é uma maneira de interagir com familiares, amigos e se socializar.

Quem nunca ouviu a expressão “lugar de mulher é na cozinha“? Até as décadas de 1960 e 1970, as mulheres ainda estavam excluídas do mercado de trabalho e sua função social era cozinhar para seus maridos.

Finalmente emancipados,  homens e mulheres cozinham depois do trabalho: aprender o básico da cozinha se tornou uma atividade de relaxamento e prazer.

Será que só quem é rico sente prazer em cozinhar? Pessoas de classes mais baixas não sentiriam tanto prazer em cozinhar quanto pessoas de classes mais altas, apontou estudo.

No entanto, de acordo com mais um estudo, em 2008, o prazer de cozinhar aparecia apenas entre as pessoas de categorias sócio-profissionais bem-sucedidas, enquanto que entre as de classes mais baixas, a culinária era vista como uma tarefa difícil.

Quanto maior o grau de estudos ou a renda, maior o desejo de praticar a culinária:

  • 31% das pessoas mais educadas ou mais ricas querem passar o menor tempo possível na cozinha, em comparação com 50% para os mais pobres e menos educados. Por quê? Porque as categorias sociais mais afluentes (gerentes, profissões intelectuais, etc.) podem se oferecer mais aulas particulares de culinária e dar-se uma educação alimentar melhor do que as classes populares com menos dinheiro;
  • 29% dos entrevistados acreditam que os conhecimentos culinários podem reduzir seu orçamento; 20% pensam que cozinhar é um meio de compartilhamento e convívio.
  • Finalmente, a última causa do prazer de cozinhar: concentrando corpo e alma no panela, na tábua de cortar e na comida, o aprendiz de cozinheiro libera seu estresse cerebral, seus pensamentos negativos, tensões e consegue relaxar!

Aprender a cozinhar e preparar pratos apetitosos e coloridos é uma habilidade com múltiplos benefícios: manter uma boa saúde, ter mais energia, relaxar e desfrutar de um conhecimento altruísta e gratificante.

Se você está se perguntando como aprender a cozinhar de maneira fácil para conseguir fazer pequenos pratos saudáveis, variados e simples, então experimente consultar o Youtube: ele está cheio de aulas de culinária para aqueles que desejam aprender de graça.

Confira ainda uma reflexão sobre os muitos impactos benéficos da culinária no corpo humano e na saúde.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar