Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Aprender ou não o solfejo antes de começar a tocar piano

De Fernanda, publicado dia 04/09/2017 Blog > Música > Piano > É preciso conhecer teoria musical para estudar piano?

Obviamente, aprender o piano não é tão simples quanto parece. As técnicas de aprendizagem são muitas, diferentes, e sua eficácia varia de acordo com a personalidade, o ritmo de progressão e as capacidades de cada aluno.

Muitos músicos ou estudantes de piano iniciam seus estudos de teoria musical cedo, aos 4 ou 5 anos, com o incentivo dos pais. E, paralelamente, descobrem e se familiarizam com o piano, de maneira divertida. Hoje em dia, com a especialização dos conhecimentos, esse tipo de caminho é cada vez menos frequente. As duas práticas se tornaram interdependentes.

Mas qual a relação entre a prática e a teoria da música?

Por que o solfejo é útil para aprender o piano? O que é teoria musical?

Como aprender de forma eficaz?

Tentaremos aqui fornecer algumas respostas para todas essas perguntas!

O solfejo: recurso e vantagem para aprender o piano

Que tal aprender mais um recurso extremamente útil?

O solfejo é uma caixa de ferramentas. Ferramentas muito úteis para aprender música.

E não importa qual for o seu instrumento. Bem, sim, falemos a verdade:  não é tão divertido aprender teoria musical assim. Mas mesmo que o solfejo não seja conteúdo obrigatório, continua sendo um recurso privilegiado. E estudá-lo é recomendável para conseguir tocar e aprender o piano de forma eficaz (assim como qualquer outro instrumento).

Vai uma leitura aí?

Para que serve a teoria musical? Aprenda a ler música e crie asas para viajar em qualquer instrumento!

Assim como um belo romance, a música também pode ser lida. Como em um processo de leitura clássico, deciframos, decodificamos, lemos e, por fim, entendemos o que lemos. Com a teoria musical, o processo é o mesmo. A gente precisa decodificar e decifrar a música para ler e, finalmente, entender o que lemos.

A leitura é a base dos estudos e das aulas de teclado ou piano. A leitura das partituras, a compreensão dos diferentes ritmos… Tudo isso é condição para progredir na aprendizagem. Tocar obras cada vez mais complexas, tocar todos os estilos musicais e até mesmo compor.

Descubra também os acordes de base no piano…

Quando estudar teoria da música?

Quanto mais jovens somos, melhor aprendemos.

É claro, não há idade mínima ou máxima para aprender o piano. E podemos muito bem abordar o estudo da teoria da música em qualquer idade.

Mas, como em outras tantas áreas do conhecimento, é aconselhável aprender na infância. Os motivos são simples. As crianças são como esponjas. Elas retêm as informações mais rapidamente, seja em qualidade ou em quantidade.

Nosso primeiro conselho é que que a aprendizagem ocorra ainda quando criança, e que os estudos abordem prática e teoria ao mesmo tempo. Eles têm cérebro suficiente para assimilar os dois conteúdos! Especialmente se utilizarmos os métodos para aprender o piano que mencionamos em outro artigo.

Quando você é adulto, a atenção, o estresse, a dedicação e a capacidade de se recordar e memorizar não são mais os mesmos.

Além disso, não existe momento ideal específico da aula para abordar teoria: no início, no meio ou no final da aula… Tanto faz. O fundamental aqui é não perder de vista a coerência e o contexto. É também preciso avaliar as necessidades de cada aluno. O “momento da teoria” permanece a critério do professor. Mas não há hora ideal.

Você pode, por exemplo, começar a aula com um estudo lúdico e interativo de solfejo. Ou então pode começar pela prática e exploração do teclado. Seja um adulto ou uma criança, o resultado final é o mesmo. É papel do professor se adaptar ao estudante e propor um conteúdo que corresponda às suas necessidades.

Quando devo aprender solfejo? Quando estudar teoria musical: eis a questão.

Ao dar teoria no começo das aulas de teclado ou piano, você pode ter 100% da atenção do seu aluno.

Mas o risco é, naturalmente, de fazê-lo perder o fio da meada e ver sua concentração cair muito rapidamente. E fazer isso no final pode ser útil se o professor conseguir abordar de maneira lúdica. Mas, novamente, o risco é não ter condições adequadas para que os exercícios sejam bem aproveitados.

Uma boa dica é, portanto, distribuir os exercícios ao longo da aula. Como reforço do estudo de uma obra musical, por exemplo.

Dessa maneira, o aluno vai se beneficiar da teoria e da prática ao mesmo tempo, vinculando os dois conteúdos.

Assim, a teoria musical ganha sentido, se contextualiza, e o aluno tem mais motivação na hora de assimilar todos os conteúdos.

Por que aprender teoria musical?

Ao dominar o solfejo, o aluno se torna autônomo musicalmente.

O objetivo principal de aprender teoria musical é estruturar a aprendizagem rítmica do aluno. Graças ao solfejo, desenvolvemos a noção de ritmo e de tempo, passamos a identificá-los e conseguimos assim entender muito mais facilmente a escrita musical, bem como as estruturas de uma partitura.

Teoria da música é basicamente leitura da música. E saber como ler música é importante se você pretende compor ou tocar diferentes estilos e gêneros. Ao adquirir um repertório teórico, o aluno aprende a evitar os mimetismos e automatismos dos tutoriais e amplia sua cultura musical. O que, mais tarde, permite que a pessoa floresça e saiba tocar o que quiser. E sobretudo o que ela mais quiser!

A música deve ser um prazer, assim como a leitura. E para amar a leitura, você tem que amar aprender a ler, certo? O mesmo funciona com a música!

Para amar fazer música, é melhor amar ler música. E, portanto, amar a teoria da música.

Não vamos mentir: aprender teoria musical não é fácil, e requer motivação e dedicação. Sobretudo no passado, o ensino não era muito atraente, era bastante coercivo. Hoje, aprender a teoria da música tornou-se mais lúdico, mais “divertido”.

Em primeiro lugar, pode-se dizer que aprender o instrumento e a leitura de partituras ao mesmo tempo permite, sem dúvida, que todos aprimorem suas habilidades no instrumento. Isso potencializa a aprendizagem e garante o progresso na teoria e na prática.

Por outro lado, concentrar o aprendizado na prática e deixar um pouco de lado a parte teórica é uma boa receita para alunos mais desmotivados.

Tudo bem, a gente concorda que, em geral, o solfejo é um belo aliado quando ficamos completamente travados na frente de uma partitura, ou na hora que dá aquele branco ao compor ou improvisar uma música.

Contudo, a verdade é que os dois conteúdos se complementam, mas não são indissociáveis.

Muitos grandes músicos, como o guitarrista Jimmy Hendrix, não dominavam teoria da música. E isso não os impediu de compor grandes sucessos.

Saiba como encontrar os melhores professores para aulas de teclado para iniciantes!

Aprender teoria da música e piano ao mesmo tempo

Se possível, faça isso. É importante se lembrar de que o solfejo não é estudo obrigatório antes de começar a tocar piano. Como vimos, é possível se divertir e tocar à vontade seu teclado sem ter nenhuma noção de leitura musical, escalas, tons e compreensão rítmica.

No entanto, é claro que uma aprendizagem lúdica e atraente da leitura musical permite que um músico tenha muitas cartas na manga. Em primeiro lugar, vai saber destrinchar qualquer partitura.

E depois disso, também é útil em eventuais composições. E isso dá prazer! Pois se há uma coisa essencial que o professor nunca deve perder de vista é a noção de diversão.

É o prazer ao tocar que motiva o aluno a ir mais longe em seus estudos, e aos poucos ganhar autonomia. Essa autonomia é crucial na aprendizagem, pois é a base da evolução e da progressão de nível.

Por isso essa é uma das melhores maneiras de aprender o piano!

Dicas para aprender solfejo e piano

Seja ousado e, acima de tudo, inteligente. Estude ambos ao mesmo tempo.

Obviamente, isso implica mais dedicação, e uma motivação um pouco maior do que uma mera vontade de tocar um noturno de Chopin.

Piano e solfejo: uma dupla dinâmica. Tenha sempre uma carta na manga: aprenda teoria musical e prática do piano ao mesmo tempo.

Você sabia que é possível fazer curso de teclado online? Confira tudo no superprof!

Ao estudar ambos, você ganha mais confiança, tem mais conteúdo, mais base e fundamento na hora de tocar. É também a maneira de progredir de forma eficiente e depressa. E, no final, você perceberá que pode tocar não apenas uma, mas todas as músicas que aprecia.

Isso vai fazer a diferença na motivação ao longo de seus estudos. Cabe ao professor o papel de compreender o seu aluno e adaptar as sessões de acordo com suas necessidades.

Podemos, portanto, nos perguntar sobre a importância da relação professor / aluno no aprendizado do piano e da teoria musical. Essa relação deve ter como pilares confiança e escuta mútuas.

Você também pode se perguntar sobre como acontece uma aula de piano que dê teoria e prática ao mesmo tempo. O professor vai definir os objetivos da sua aula e a programação mais adequada.

Isso requer um tempo de preparação na escolha dos exercícios, na maneira de conduzi-los. E, obviamente, a adaptação à idade do aluno, ao seu nível, ao seu ritmo. O horário e o dia da aula também são fatores que influenciam (tarde da noite, de manhã cedo, véspera de feriado…).

Todos esses parâmetros devem ser levados em consideração para o aluno consiga estar em forma e dê o melhor de si mesmo.

Que tal aprender a estudar as escalas no piano

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 2 votos)
Loading...
avatar